1.000 bibliotecas de Alexandria


Caraca, tô ofegante pois vim correndo contar um lance inacreditável pra vocês: seguinte, eu tava vendo um jogo de vôlei na TV e - cara 'cê não vai nem acreditar! - tinha um DJ tocando música (fragmentos de) nos poucos segundos entre pontos! Surreal! Não era nos poucos minutos entre sets, era entre os pontos mesmo!

O quê?!? Não é novidade? Já rola há tempo? Bah... Sempre me surpreende esse cerco ao silêncio, às pausas, à respiração profunda... um mundo sempre ofegante.

Será que essa ânsia de preencher qualquer intervalo é medo da introspecção, de olhar para si? Será que, daqui a pouco, os fragmentos de música virarão anúncios de produtos, equivalentes sonoros das placas que poluem visualmente cada centímertro das laterais da quadra? Ou tô viajando?

(*)

Lembro de ter participado de um programa de rádio (desses com vários humoristas onde se fala demais, alto demais, piadas inteligentes demais) e de deixar os caras surpresos (quase indignados) quando disse que gostava de acompanhar jogos de tênis; normalmente (se é que existe algo normal) são considerados lentos e tediosos.

Ok, locutores de rádio e humoristas tendem a estar alguns tons acima, faz parte do ofício... mas, admito, talvez eu esteja no outro lado do espectro, alguns tons abaixo.

No mesmo programa, causou espanto o fato de eu ser o feliz proprietário de um Renault Kangoo. Por que? Não sei... talvez por não ser carro de "pegador" (carros muito velozes para se andar muito devagar em frente às muvucas) e, em alguns círculos, este é o motivo principal para se ter um carro.

Tudo bem, nunca fui "pegador" mesmo. E tenho saudades do meu Kangoo! Em nenhum outro carro consigo colocar meu baixo, um amp e duas caixas com 4 falantes de 10" para ir ensaiar. Cada um com seu ofício.

(*)

Voltando a falar em fragmentos de música: tempos atrás, um colega me falou excitado de um novo mercado que se abria: a utilização de canções como ringtones, sons de chamada de celular. Achei tão pouco excitante quanto a reprodução de um quadro clássico num chaveirinho. Uma lembrança do original, nada além.

Curitiba sendo Curitiba
comigo novamente.
Gracias!
Sábado, antes de mais um show inesquecível na capital paranaense, me reuni com Tiago Iorc e sua banda num estúdio para registrar em video uma música que escrevemos juntos (e ele gravou no disco Troco Likes - baita nome e bela capa).

Conheci Tiago pessoalmente na gravação do DVD do Duca, ele sugeriu fazermos algo... mandei uns versos que ele transformou numa canção (o verso em itálico é dele):

ALEXANDRIA

não tiro a razão de quem não tem razão
não ponho a mão no fogo pois é verão
não dou razão a quem perde a razão
prest’atencão, então
           
vá procurar o que caiu da mão
refazer sozinho o caminho olhando pro chão

gente demais
com tempo demais
falando demais
alto demais

vamos lá atrás
de um pouco de paz
aqui tem gente demais

não vi solução na mão da contramão
brincando com fogo pela atenção
perdi a razão com quem me deu razão
presta atenção, então

vá procurar o que caiu da mão
refazer sozinho o caminho olhando pro chão

gente demais
com tempo demais
falando demais
alto demais

vamos lá atrás
de um pouco de paz
aqui tem gente demais

a gente queima todo dia
mil bibliotecas de Alexandria
a gente teima, antes temia
já não sabe o que sabia

gente demais
com tempo demais
falando demais
alto demais

vamos lá atrás
de um pouco de paz
aqui tem gente demais

aqui, o audio da versão original:
https://www.youtube.com/watch?v=YnXtAbU2dXI

Quando acordei para ir à gravação, tava cansadaço da viagem, do show da noite anterior e da semana de ensaios e rearranjos. Mas quando cheguei ao estúdio, o cansaço sumiu. Por conta do astral do pessoal e por estar num estúdio (literalmente) em construção. 

Que legal! Num momento em que vários destes templos de som estão sendo demolidos (afinal, não é necessário um espaço com som/astral bacana para gravar fragmentos) ver um sendo construído é uma lufada de esperança.



Pra dar um clima "tudaver" com a música, espalharam  no cenário alguns livros. Bati os olhos neles e me lembrei do Farenheit 451 (filme do François Truffaut baseado em livro do Ray Bradbury). A Wikipedia resume-o assim: o romance apresenta um futuro onde todos os livros são proibidos, opiniões próprias são consideradas antissociais e hedonistas e o pensamento crítico é suprimido". Todos os livros encontrados são queimados (daí o título). Dissidentes fogem e cada um tem como missão decorar um volume.

(*)

A lembrança, o registro, em tempos fragmentados... uma forma de resistência, uma missão.

(*)

O filme é de 1966. São sempre interessantes as visões que o passado tem do futuro (ah, minha infância vendo The Jetsons!). Se não me engano, o dia para onde viajavam em De Volta Para o Futuro aconteceu há poucas semanas, né? Ah, que interessante confrontar o presente com as previsões feitas no passado.

(*)

Enfim... reflexões - fragmentos? - de mais um fim de semana na estrada rascunhadas no saculejar do ônibus. E a estrada segue. Junte-se a nós!


bah: hoje na minha passagem semanal pela Stereophonica para autografar discos e livros, recebi meu exemplar do DVD do Duca, Plano Aberto. Afudê! Fico honrado de ter participado! Gravamos Missão, para a qual escrevi estes versos depois de receber a melodia:

qual é a tua, meu chapa

qual é a tua missão

velho malandro da Lapa

dono de um mundo em extinção

qual é a tua ruína
teu coliseu, tuas missões

lá onde tudo termina

um sonho jogado aos leões

a imagem que ficou

quando a luz se apagou
pra sempre
sete povos onde estão
sete dias passarão
pra sempre   

vai, vai sem drama
sem medo de errar 
vai sem culpa
e se quiser voltar
vem sem pressa
sem medo de encontrar
o teu lugar

­­­­­­
sete vidas, qual é a tua
tantos futuros na mão

uma lança, índio charrua

quem sabe a paz de um chimarrão

a imagem que ficou

quando a luz se apagou
pra sempre
sete povos onde estão
sete dias passarão
pra sempre  

vai, vai sem drama
sem medo de errar 
vai sem culpa 
e se quiser voltar
vem sem pressa
sem medo de encontrar
o teu lugar

Duca:
músico virtuose
ser humano virtuoso

Você encontra o Plano Aberto na
www.stereophonica.com.br
28jul2015

42 comentários:

  1. N acredito q fui a primeira a deixar um comentário !! Quero mt ir num show teu esse ano mas so posso se for aq (trágico )... Parceria entre HG e Thiago Iorc deve ter ficado incrível , o Duca cantando cnt é de se apreciar . N entendo de música mas sua vozes tem quase q uma perfeita sintonia . Grande poeta , enchendo minha noite de segunda de poesia e inspiração . Forte abraço mestre !!!

    ResponderExcluir
  2. Humm, fiquei sabendo que talvez você venha aqui em São Luís de novo...e não vejo a hora!!! Contando os dias e rezando pra que seja verdade!! Abraços! ;)

    ResponderExcluir
  3. El miedo al vacío , a la hoja en blanco, al silencio... A todo lo que pueda ser un espejo de nosotros mismos... Sos poesía hermano ! Gracias...

    ResponderExcluir
  4. Show inesquecível em Curitiba!!! Volte sempre.

    ResponderExcluir
  5. Humberto, esse lance que você sentiu quando chegou em um estúdio em construção, é semelhante ao que eu sinto quando tenho a oportunidade de tocar com as mãos, as paredes, portas e janelas de uma casa muito antiga, é uma "tentativa" de sentir as vibrações da época quando a casa foi construída, enfim, sentir como eram as pessoas, seus costumes, suas ideias, entre outras curiosidades. Atitude muito "louca" para muitos, mas para mim, é super natural kkkkkk, afinal, sou formada em História, portanto, já está dentro de mim. Beijoooo, até breve.

    ResponderExcluir
  6. Uma honra te ter como ídolo!! E é uma delicia vir aqui, ler tuas palavras e saber que está feliz! Essa semana estava em uma festa chata e do nada, ouvi tua voz lá no fundo, botaram pra tocar " Era um garoto....." você não tem ideia do que suas músicas causam em mim, mudei de humor, Obrigada por sempre melhorar meu dia. Amo você e volta logo pro RJ, já estou com saudades!!

    ResponderExcluir
  7. Dani (a gaúcha que eu conversava em 2012 aqui nos comentários), volta!!!
    Jamais te esqueci!

    Anônimo de sempre!

    ResponderExcluir
  8. Sem comentários...
    Tudo muito , muito excelente! Parabéns...Sucesso, sempre!

    ResponderExcluir
  9. Vem que natal/Rn.ti espera anciosamente mestre humberto!

    ResponderExcluir
  10. Intertextualidade em um mosaico de sentimentos futurísticos e saudosísticos ao mesmo tempo. Uma viagem boa de se fazer pela estrada das palavras. Valeu!

    ResponderExcluir
  11. Delícia ler este texto logo pela manhã! Muito boa sua reflexão sobre o cerco ao silêncio e às pausas. Excelente semana pra todos nós!

    ResponderExcluir
  12. Caro Gessinger, bela reflexão (como sempre)!
    Outro dia eu refleti sobre a mesma música (Missão) em meu blog: http://larahelena.blogspot.com.br/2015/04/missao.html?m=1
    Ficaria muito honrada se você visitasse meu blog!
    E dia 22/08 estaremos juntos em Uberlândia, se possível te entregarei mais uma cartinha! Hahahaha
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  13. Meu querido! Fico sempre ansiosa para ler seus posts! Volta logo pra São Paulo e ttaz o Duca com vc! Saudade! Amo te

    ResponderExcluir
  14. Tenho certeza que o show no positivo foi inesquecível , o teatro é mágico e com a perfeição do espetáculo de HG, tudo fica impecável ! Também já tive um veículo inesquecível que cabia instrumentos, pra ensaio, ou malas pra viagens , porta mala gigante!!! Saudades do meu Linea!!!

    ResponderExcluir
  15. Cara ‘cê não vai acreditar! – Tenha certeza pois irei acreditar.

    Quanto a carros velozes para andar muito devagar é uma realidade, a cada dia a indústria aumenta o desempenho a velocidade, criando ótimas máquinas mas esquece de criar ou reeducar os que estão entre o banco e o volante, onde infelizmente uma parte não chega ao final da corrida, excesso de confiança ou falta de maturidade?

    Gostei de letra de Alexandria. Quanto ao refrão é perfeito principalmente nas metrópoles onde há:
    Gente demais, com tempo demais( nesta parte seria com tempo de menos ), falando demais, alto demais.
    Vamos lá atrás, de um pouco de paz, aqui tem gente demais.

    Tem horas onde é preciso se desconectar sair desta correria do meio de gente demais.

    Os versos de Missão que me chamou a atenção:

    Vai, vai sem drama, sem medo de errar, vai sem culpa, e se quiser voltar, vem sem pressa, sem medo de encontrar o teu lugar.

    Continue sendo este músico, compositor, poeta.... Está na estrada certa e nunca perca sua fé.

    Pergunto: Humberto você lê o que postamos no seu blog?

    Até um dia próximo e vida longa!

    ResponderExcluir
  16. Humberto Genius, já cantava em outros tempos: "mas nós vibramos em outra frequência..."
    A frequência dos carros como símbolo de poder, das músicas reduzidas a ringtones e que vê graça nas gracinhas da TV e do rádio nunca nos será interessante. Vibremos na nossa.
    Querem preencher o silêncio dos pontos ou qualquer outro para provarem, o tempo todo, que estão na frequência cool, bacanuda, bem aceita. É o querer fazer parte de um grupo, uma eterna carência não suprida, que não suporta solidão nem silêncio. Ah, se soubessem os benefícios desses dois... e o quanto nos tornam mais aptos para receber os contrários deles, bom som e boa companhia!

    Ótima letra e parceria.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  17. Engraçado, meu ringtone atuação é "O exemplo de homem só" do Insular ao vivo.

    ResponderExcluir
  18. Belém está no aguardo do inSULar Ao Vivo!!!!!!

    ResponderExcluir
  19. SEM PALAVRAS !!
    1berto sempre surpreendendo
    e quase impossivel não amar

    ResponderExcluir
  20. DEUS


    Quando olho para seus passos
    Apreço o desfiladeiro de lágrimas
    Me abrace
    Quando olho para o espaço
    Sinto saudades suas

    Estou ligado a cabo
    Em nossa superinformação

    Estou ligado a cabo
    Em cada segundo da canção

    E hoje não consegui te ler
    Você sabe da minha luta
    Você sabe da minha dor
    Louco de dia
    E mais louco ainda ao anoitecer
    E quando a noite cai ela traz a minha morte

    Mas como posso assim ser?
    Se saco de poucas rimas?

    E como é o impacto de tanta progesterona?
    Sei mais de mim do que posso confiar
    Desconheço quem eu sou, se eu deixar você me guiar
    Deus meu velho, você está condenado à liberdade
    De fazer só o que quer
    Nisto consiste nossa diferença
    Eu estou condenado a viver do seu lado
    Quando eu queria o abraço

    Sei que são palavras fortes
    Mas estes versos por hoje me curaram


    Leonardo Daniel
    28/07/2015
    A cruz e a espada

    ResponderExcluir
  21. Um sopro de incentivo para continuar a construção de um caminho. Arsenal de perspectivas, que da aquela grande chacoalhada. GRANDE 1BERTO.

    ResponderExcluir
  22. Reeprodução de um quadro clássico num chaveirinho hahahaha 1bah vc é o mestre das analogias.
    Boa semana.

    ResponderExcluir
  23. Grande Humberto! Uma honra ter ido em seu show sexta em UVA, sensacional! E o texto, como sempre, introspetivo, evoluimos sociedade corpo afora, nos encolhemos seres humanos adentro. Força sempre!

    ResponderExcluir
  24. Humberto

    Grande show em união da vitória-Pr

    Volte sempre.


    Paulo wachholz

    ResponderExcluir
  25. Olá, assisti ao show em Curitiba, e depois de tanta musica boa fiquei tentando descobrir qual é, e quem canta a musica de encerramento, me passa a fonte!!!!!
    Sei que é uma gaucha, gauderia e campeira.El sol de la patria gaucha que hermana nuestras canciones.....

    ResponderExcluir
  26. é fascinante acompanhar teu trabalho. (escrevo isso ouvindo Acústico MTV), sou suspeita pra falar...mas vcé bom sempre!!!

    ResponderExcluir
  27. Sempre uma boa leitura...
    O show de União da Vitória na sexta foi um espetáculo... o melhor da minha vida, mas disso eu já sabia antes mesmo de acontecer. Ainda tenho uns flash back's do show... vem mais vezes pra cá HG... foi muito muito bom! O repertório incrível...
    amei...
    Abraço!
    Daniela Ap. Fritzen Randig - Irineópolis - SC

    ResponderExcluir
  28. Atualiza aí a agenda Marechal, 11 de Setembro em Fortaleza.

    Abaçosss

    ResponderExcluir
  29. Estava viajando e não pude acompanhar o texto dessa semana. Cheguei de madrugada na minha cidade (e bastante cansada), mas não pude deixar de dar uma olhadinha aqui antes. Em relação ao conteúdo do texto dessa semana, de fato as pessoas estão sempre constantemente evitando a introspecção. O que é uma pena, pois como já dizia Martha M., "é quando silenciamos que melhor conversamos com nossos botões." Com toda essa reflexão sobre a questão introspectiva, pude lembrar de um fato que ocorreu na escola do meu irmão mais novo. Agora, entre um horário e outro, logo após o sinal, inicia-se uma canção. (Pink Floyd na trilha sonora, os pequenos foram privilegiados.) Mas será mais uma tentativa de evitar o silêncio? ...
    Humberto, gostei bastante da letra das canções. E gostei mais ainda de saber que vai voltar pra Minas, e que terei a honra de ir a mais um show seu. Se tem alguma coisa que ainda me emociona, com certeza é isso.
    Lendo os comentários, vi que alguém perguntou se você lia os comentários, também sempre quis saber isso.
    Um abraço e uma ótima semana mestre.

    ResponderExcluir
  30. Sempre bom te ler aqui no blog...

    Tenho um pedido especial, não sei se tu atenderia... rs
    Sobre o show em Goiânia dia 8 de agosto, a música "simples de coração" está na lista ?
    Quero muito te ver ao vivo cantando ela (e todas as outras obviamente, rs).
    Mas é o terceiro ano consecutivo que teremos teu show em Goiânia no mês de agosto. E nas outras duas vezes a música não entrou na seleção.
    Adoraria cantar ela contigo no sábado.

    To ansiosa pelo show, espero que a semana passe voando.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  31. "Será que essa ânsia de preencher qualquer intervalo é medo da introspecção, de olhar para si?"...talvez tenha a ver com aquele lance da pessoa ligar a tv ou o rádio em casa quando está sozinha pra "ter companhia".

    Abraço!

    ResponderExcluir
  32. Boa Humberto!!! Comecei a ir pra shows do Engenheiro em 1988, na turne do disco vermelho!!! Voce continua atual!!!

    www.discografiaobrigatoria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  33. 1berto sempre conquista minha atenção com versos de poucas linhas.
    Sempre me surpreende.

    ResponderExcluir
  34. SºRRISºS Sú PALAVRAS QUE SºPRAM O AMºR PELA ARTE. VALEU E ABRAÇOS!!!

    ResponderExcluir
  35. Você respira arte, tens o dom de acariciar meus ouvidos com os melhores sons e relaxar minha mente com as melhores palavras. Como não gostar de você?

    ResponderExcluir
  36. Como sempre, belo texto digno de um louco lunático, Te amamos Humberto !

    Ps: Sei que é super fã de Pink Floyd, queria ver um texto seu falando sobre o fim de uma das melhores bandas de todos os tempos. ^^

    ResponderExcluir
  37. HG, você é "Arretado"..."Louco pra ficar legal... vem em Teixeira de Freitas- Bahia novamente!!Show inesquecivel em 29/11/2014!!

    ResponderExcluir