Nuvens


A segunda-feira amanheceu cinzenta e fria. Mas por algum dos tortuosos caminhos da afetividade, simpatizei com ela.

(*)

Este é o dia da semana que deixa clara a singularidade da minha arte/ofício. Enquanto as engrenagens do mundo começam a girar, eu vivo meu fim de semana particular. Dia de tirar do corpo ônibus, hotel e aeroporto.

À tarde, jogo tênis, esporte importante na minha mitologia pessoal. Nada como um tresloucado jogo de bola pra deixar a criança que vive dentro de nós tomar um pouco de sol e respirar ar fresco.

Tão importante quanto o treino é a caminhada que o precede e sucede. Nessa hora e meia perneando por POA coloco meus pensamentos em dia.

(*)

Passo por uma banca de jornais (onde se vê cada vez menos jornais) e adivinho as manchetes: algum novo caso de corrupção, os resultados do futebol de domingo e o pessimismo na economia.

Mas, hey, apesar de ser segunda, estou no meu fim de semana e diluo estas pedras de realidade como se fosse um Sonrisal num copo d’água (ainda existe Sonrisal?).

(*)

Não entendo nada de economia, mas já tracei minha estratégia para tempos de crise: seguir exercitando coração e mente na busca da canção perfeita; seguir exercitando os dedos nas cordas e teclas. O mesmo que fiz em cada crise por que passei e que vi passar. Econômica, pessoal ou imaginária.

Nos dez anos entre a gravação do Acústico MTV e do inSULar ao Vivo, a indústria em que nós, músicos, estávamos inseridos foi varrida por uma revolução (a princípio tecnológica, mas também econômica e conceitual) que não deixou pedra sobre pedra.

Olho para trás e vejo que, nesse período, nasceram 4 DVDs (Acústico MTV, Novos Horizontes, Pouca Vogal e inSULar ao Vivo) que registram um mergulho nas sonoridades acústicas, incorporando instrumentos que se tornaram centrais no meu trabalho (viola caipira, acordeon, bandolim e harmônica) e, à partir do CD inSULar, o retorno ao baixo e ao power-trio com uma perspectiva renovada e revigorada.

Além disso (e de incontáveis shows) lancei 5 livros no período. Mesmo quem não simpatiza com minha arte/ofício há de convir: nada mal, né?

(*)

Dias nublados também podem ser belos dias. Se os ventos da mudança fossem previsíveis, não seriam os ventos da mudança, né?

(*)

Quanto aos resultados esportivos: há sempre uma noite de quarta depois de uma tarde de domingo.

09jun2015

51 comentários:

  1. Ah... sempre agradeço à Divina Providência por ter colocado o sr. e suas músicas em minha vida...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fico tentando imaginar como seria minha vida sem o HG e não consigo!

      Excluir
  2. É sempre bom começar minha semana lendo teus textos, espero que tenhas uma boa semana também!

    ResponderExcluir
  3. Não preciso ter outros ídolos, a sua arte e ofício já me bastam.
    Obrigada pela sua vida na minha.
    Bio grande Alemão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bjo* ( corretor ortográfico me matando de vergonha )
      Kkkkkkkkkkkkkk...

      Excluir
  4. "Seguir exercitando coração e mente na busca da canção perfeita; seguir exercitando os dedos nas cordas e teclas" ♡ ótimo texto, como sempre.
    Momentos da calmaria em meio ao mar bravio são sempre prêmio vindos. Ótima semana, mestre ♡

    ResponderExcluir
  5. "A partir" não tem crase. =))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Congratulações pela observação. Perceber alguma escorregada do HG é para poucos!

      Excluir
    2. Perdoável, claro! Até gramáticos cometem deslizes.

      Excluir
  6. Sim, ainda há Sonrisal, HG. Mas há Eno também, e cada vez em "doses menos homeopáticas" - eu sou prova viva disso. Mas, talvez por não se preocupar em saber se ainda existe Sonrisal ou não, na certeza de que essas crises estomacais sempre passam de um jeito ou de outro, assim como na Economia, talvez mesmo por isso é que lhe sobra tempo para passar pelas crises com músicas cada vez (mais e igualmente ao mesmo tempo) fascinantes. Bata no peito sem modéstia alguma (pois sei que será sem vaidade) e brade bem alto: NADA MAL MESMO!
    Parabéns pela linearidade na qualidade do trabalho.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Só dizer que o show em BH, como sempre, fica a sensação de que deveria durar umas umas duas horas a mais. Excelente show. ( Será que demora voltar...Fico pensando...)

    E, no mais ótima dicas sobre esses problemas de crise economica. Eu que não me deixo influenciar por jornais e tantas outras mídias.

    Plageando teu jeito de escrever, Bah! As vezes tenho visto crise mesmo nessas carreiras de alguns artistas que admiro/admirarva, ao fazer parte desses quadros de programas de campeonatos de bandas na rede hegemônica. As vezes fico com medo de imaginar que um dia o Humberto,fizesse parte de dessas festinhas igual tem feito o grande Paulo Ricardo. (mas cada um sabe o que faz...) Super Abraço, Humberto.

    ResponderExcluir
  8. Essa sua arte/ofício me levam a desbravar os mares de minha imaginação. Obrigada HG.

    ResponderExcluir
  9. Assim como as engrenagens do mundo começam a girar a cada segunda-feira, minha semana começa a fazer sentido quando posso vir aqui e apreciar seus textos, que tanto me fazem bem.
    Obrigada por nos presentear a cada semana com um pouquinho da tua vivência e das tuas reflexões e, sobretudo há 30 anos com a sua arte/ofício que NÃO É, E NUNCA SERÁ NADA MAL!
    Ótima semana HG.
    Bons shows.
    E que os ventos do destino te tragam à Belém do Pará.
    Te aguardamos!!!!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Belo exemplo de como aproveitar o tempo fazendo coisas boas e se sobressair apesar de tantos momentos ruins. O lance é baixar a cabeça e seguir sempre em frente, mas fazendo o que se gosta. Boa noite! vlw :)

    ResponderExcluir
  11. A semana começa bem lendo este teu texto reflexivo, basicamente interpretando o que tu disse, os dias podem ser nublados ou com sol, quem faz o dia valer a pena é quem realmente aproveita a janela chamada oportunidade. Muito obrigado pelo teu trabalho, adorei as novas versões de algumas musicas que tu fizeste no inSULar , citando uma delas "Ilex Paraguariensis", nesta musica, assim como o tempo, a mudança se adequou da melhor maneira! A respeito do livro tenho o de Mapas do Acaso, ainda pretendo pegar teu autografo, um dia heis um dia... (sim pretendo também a compra do "Seis Segundos de Atenção") Um abraço mestre e boa semana!

    ResponderExcluir
  12. Ofício Árduo, mas extremamente prazeroso!! Creio eu!! Ósculos Musicais!!
    Elaine

    ResponderExcluir
  13. E vamos combinar que os anos ( e as crises ) só te deixaram mais foda, né? (No caso, tô ignorando o dente de ouro de gosto duvidoso )

    ResponderExcluir
  14. Weslayne Nascimento9 de junho de 2015 01:16

    Perfeito como sempre Mestre <3
    Que os dias nublados sejam sempre belos dias, repletos de bons ventos.
    Até porque, há muito o que se esperar "Ali ... Depois da curva" e se os ventos da mudança estiverem soprando ... a dica sempre será "Seguir Viagem".

    ResponderExcluir
  15. Cara, to saindo de NY para ver teu show em Pira dia 19 de junho. Comprei ingresso para o camarote, te sigo desde 1987, Revolta, montei o maior fã-clube do EngHaw no papel que nunca se expandiu ao circulo de amigos que influenciei em lhe ouvir, e tenho todos seus livros autografados, mesmo o do Gremio (apesar se ser santista). Queria ir no backstage ou no camarim para uma foto e um papo pela inflencia que plantou em mim de Pink Floyd among others. É possível HG? Meus filhos de 5 e 3 anos cantam tuas musicas, figuracos. Se vc ou alguem do seu staff ver este post e puder confirmar se posso lhe conhecer, ficaria honradíssimo. Meu e-mail é rcostasts@yahoo.com
    Entendo se não rolar, dado os inumeros pedidos.
    Nos vemos dia 19, valeu e abração, Rodrigo Costa

    ResponderExcluir
  16. Claudio Fernandes - Rio de Janeiro - RJ9 de junho de 2015 03:13

    Qdo calhar uma segunda-feira no Rio...se for outono...sugiro um passeio na praia de Grumari. Afastada e quase deserta nesse dia e estação. É lá que as ondinhas dos meus textos ainda não escritos (ou cartas que nunca vou mandar) batem e entram em sintonia com as batidas do meu coração.

    ResponderExcluir
  17. Vivenciei a experiência (talvez) oposta nesta segunda. Após quatro dias nos quais o ócio esteve finalmente no comando, acordei num dia em que pude ver o sol nascendo esplêndido por trás do mar pela janela do quarto. Porém, a água condensada no vidro me lembrou da brisa fria e me fez investir afetos negativos ao término dos dias que legitimavam o descanso. Desânimo e raiva se misturaram. Eu finalmente havia esvaziado um bom tanto do copo, que fora cheio diante de inúmeros planos, resoluções, mudanças e trabalhos dos últimos tempos (?) , e não desejava mais uma gota sequer. Porém, a escuta do "Ouça o que eu digo..." e um fabuloso primeiro encontro do dia me puseram num trilho em que, pelo menos neste dia, labor e leveza conviveram, apesar das más notícias que insistem em viver no meu ofício e da sinusite que insiste em viver em mim.

    É... Acho que a leitura deste seu texto (nada) ao inverso da minha vivência do dia veio bem a calhar.

    ^_^

    ResponderExcluir
  18. Texto maravilhoso, veio a calhar nesta semana. Que os ventos nublados da mudança venham com força e leve tudo que não funciona nesse país e em nós mesmos. Sempre vejo o nublado com bons olhos, um pouco de melancolia me faz bem, e certamente sempre haverá um sol a brilhar novamente.
    Um pouco atrasada, mas preciso agradecer pelo show em BH, não estou encontrando nenhuma palavra que possa descrever. Um sonho realizado depois de tantos anos, quando em 1994 meu irmão chegou em casa com uma fita K7, azul escrito GLM nela.

    Boa Semana a todos!!

    ResponderExcluir
  19. Eu fico imaginando o que seria se eu estivesse em POA (acidentalmente porque sou de SP) e trombasse com você numa banca de jornal. Provavelmente minha mente diria "finge que não conhece porque artista não gosta disto", mas meu corpo e boca se virariam para reverenciá-lo. Sorte minha de lá no início da sua carreira e agora (na época do Insular) eu poder ter tirado foto contigo! Esta é uma das coisas que temos que fazer antes de morrer " tirar foto com alguém que você admira"
    Boa semana

    ResponderExcluir
  20. Infelizmente aqui no RJ não estamos tendo uma manhã cinzenta e fria, este outono está totalmente diferente.

    Mas segunda é um bom dia, dia de relaxar,dia que costumo tirar para assistir um bom filme no cinema, almoço em um lugar legal, dia este agradável para seguir a semana que se inicia.

    Quanto as manchete, ultimamente estas não tem sido boas, geralmente pulo estas.

    Mas olhando para trás, sua corrida tem sido muito boa, bons projetos, tenho um carinho em especial com os “10.000 Destinos”, pois este marcou bons momentos da minha vida, pude ir a vários shows deste projeto, “Tudo o que é bom dura o tempo necessário para ser inesquecível.”

    Quanto aos livros serei sincera ainda não os li. Mas não faltará oportunidade.

    Concordo que os dias nublados podem ser os melhores dias.

    Até um dia próximo e vida longa.

    ResponderExcluir
  21. Caro Humberto, creio que não lerás isto, mas... O que vale é a intenção. A um tempo, aprendi a tocar violão, depois passei pra guitarra e tento me aprimorar mais e mais (até arrisco cantar e criar algumas letras [risos]). Junto a um amigo tentei montar uma banda, mas infelizmente não chegamos ao que realmente queríamos (a banda completou-se, mas nunca nos juntamos), ela foi desfeita e tocamos o barco. Mas estamos planejando montar dessa vez seriamente uma banda, só que ano que vem, começar a ensaiar e através de alguns amigos achar algum lugar pra tocar. É mais que um sonho, é um desejo, me dar prazer ver pessoas desfrutarem de um bom som. Mas esse sonho às vezes é desabado quando vejo a quantidade de bandas que existem, e chego a me frustrar e achar que eu não sou nada comparado a essa imensidão de músicos. Mesmo novo, sou um baita fã seu, composições incríveis, e queria uma palavra, não por que és famoso ou por "qualquer coisa", mas por ser alguém que admiro. Acha que vale a pena lutar por um sonho como esse? Desde já, agradeço.
    De: Guilherme, um fã, sonhador, e que não está satisfeito com essa geração que faço parte.

    ResponderExcluir
  22. Tomara que o Luan faça uns 3 gols e o Mamute mais 2...vida dura essa de ser imortal

    ResponderExcluir
  23. pra ficar legal , vou sair do ar por um tempo , andar na contra mao de tudo que esta acontecendo neste pais da corrupçao. rj luzes artificiais........

    ResponderExcluir
  24. tirei uma segunda de folga por 1 semana...num lugar onde as manhãs cinzentas e frias são presentes dos deuses todos los dias....aqui se tem crise eu ainda não conheci e sobre o futebol...o país todo espera a copa América e dizem que vão torcer p gente...dias nublados são sempre bienvenidos!!!! Besos

    ResponderExcluir
  25. Admiro sua arte/ofício desde os tempos de "Longe demais...". História boa foi assisti-lo em Goiânia em 1988, quando do lançamento do terceiro álbum do Engenheiros. Voltando para tempos recentes, acho Insular um baita disco, muito bem feito, com composições ótimas e muito bem gravado. O DVD Insular é, na minha opinião, o seu melhor trabalho ao vivo. Portanto, não há nada de errado com Humberto Gessinger! Abraços.

    ResponderExcluir
  26. Show em Lages de pala. Foi D+.

    ResponderExcluir
  27. É muito talento reunido em uma pessoa só!

    ResponderExcluir
  28. Salvou minha semana Humberto! Apesar de não ser uma segunda, mas uma quarta com "cara de segunda" aqui em POA... e, passando por mudanças na vida, me identifiquei com:

    "Dias nublados também podem ser belos dias. Se os ventos da mudança fossem previsíveis, não seriam os ventos da mudança, né?"

    Circulo de bike em POA ao som do Insular, e confesso que: Dias cinzas ao som de Humberto e Engenheiros, são belos dias!

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  29. "Não entendo nada de economia, mas já tracei minha estratégia para tempos de crise: seguir exercitando coração e mente na busca da canção perfeita; seguir exercitando os dedos nas cordas e teclas. O mesmo que fiz em cada crise por que passei e que vi passar. Econômica, pessoal ou imaginária."


    Não toco nenhum instrumento mas toco a Vida e por isso concordo com o pensamento acima.

    O pessimismo econômico me enoja e me faz mal, pior do que a própria crise em si.

    Geração que não sabe lidar com adversidades, que age como crianças discutindo com a mãe pra não guardar o lego no balde. Bora crescer! Porque a Vida adulta tem dificuldades reais e nós temos capacidade e poder de resiliência! Não lamente, enfrente (em frente)!

    "Dias nublados também podem ser belos dias. Se os ventos da mudança fossem previsíveis, não seriam os ventos da mudança, né?"

    ResponderExcluir
  30. Arte/ofício; inspiração; criança; segunda de descanso; produtos: vida/essência.

    ResponderExcluir
  31. Ouvi Engenheiros pela primeira vez quando era apenas uma criança. Não entendia bem, mas adorava. Meu pai e eu adorávamos escutar "pose" juntos, e cantar também. Cresci ouvindo Engenheiros, influenciada pelo meu pai. Mas o que mais impressiona talvez seja a capacidade das músicas sobreviverem às gerações... Hoje sou fã do trabalho do Humberto e tenho certeza que meus filhos compartilharão a mesma opinião. Humberto é admirável em todos os aspectos, uma voz incrível, composições excepcionais, domina diversos instrumentos e ainda escreve muito bem. O que seriam das minhas semanas sem os textos do blog? Sempre me identifico com alguma coisa. Em aspecto musical, sinto-me orgulhosa de ser brasileira, uma vez que o rock nacional foi extremamente bem representado pelo mestre e isso se reflete principalmente na imortalidade das músicas através das gerações. Sem falar no insular... é difícil escolher uma música preferida! Se um dia eu encontrasse o HG e pudesse trocar uma ideia com ele, só queria dizer, entre outras coisas, "parabéns". Você é O cara!

    ResponderExcluir
  32. O artista precisa disso! desse lado criança! logo, todos temos isso,daí a empatia criada contigo!E a música dá o tom disso tudo!

    ResponderExcluir
  33. O artista precisa disso! desse lado criança! logo, todos temos isso,daí a empatia criada contigo!E a música dá o tom disso tudo!

    ResponderExcluir
  34. Boa tarde. O meu nome é Cláudio Corrêa Monteiro, moro em São Domingos do Prata, Minas Gerais, tenho 31 anos de idade (comemorados no dia 28 de julho de 2014) e sou seu fã. Virei poeta e romancista por sua causa (vou explicar: comecei a escrever poemas tentando te imitar na escrita e desde então não parei de escrever) e desejo ganhar algum livro ou CD seu, mas na minha cidade não se encontra nenhum CD ou livro. Eu sou radialista e toda semana dou dicas literárias. Ganhar do senhor algum item acima é praticamente impossível, pois costumo não dar sorte em ganhar livros ou CDs de artistas famosos. Tentei virar seu amigo no facebook, mas não consegui. Tenho alguns poemas escritos (e comecei a escrever alguns romances também), mas não tenho condições de publicá-los. Gosto de ler. Já fui a um show dos Engenheiros do Hawaii em dezembro de 2000 em João Monlevade, quando a banda estava em turnê do álbum 10.000 destinos. Um detalhe: foi o primeiro show musical da minha vida. Foi sensacional. Sou fã da música Piano Bar, lançada no álbum Varias Variáveis em 1991. Espero que Deus te abençoe e te ilumine muito e o mesmo desejo para toda a sua família.

    Grato
    Cláudio Corrêa Monteiro
    (031) 3856 1305
    (031) 9932 7237
    cacau2807@hotmail.com
    claudio_correa83@yahoo.com.br
    Rua Edelberto Lellis, 381, Centro,
    São Domingos Do Prata,
    Minas Gerais, CEP 35.995-000.

    ResponderExcluir
  35. "Este é o dia da semana que deixa clara a singularidade da minha arte"...
    Você é Singular! ♥♥

    ResponderExcluir
  36. Um mestre deveria dar mais atenção a seus fãs e seguidores... "Uma palavra amiga ou uma notícia boa, isso faz falta no dia a dia!" Grande e imortal Chorão... Mudando de assunto sou teu fã, 19 anos e além de ter sua discografia sei ela quase que por completa! Vou vivendo, com o fone de ouvido, escolhendo dentre as tantas, quais podem ser as melhores. Entretanto, para mim a cada dia do ano uma música passa a ser a melhor. Sua músicas se encaixam e definem personalidades e humores! Parabéns pelo show em Beagá! Saudades e nos vemos em Ouro Branco! Escrevi porque sei que você lerá isto, e só de ler, já me sinto honrado, afinal ninguém teria um blog se não fosse para além de publicar belos textos, ver o que as pessoas pensam sobre eles. Já ia me esquecendo, a música de hoje foi "A conquista do espelho" Gessinger, Licks & Maltz 1992. Abrçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suas músicas* -
      Valeu Gessinger!
      Contato por email - italoiury@yahoo.com.br

      Excluir
  37. Meu nome é Alessandra é que mandei pela conta do meu irmão .boa noite .

    ResponderExcluir