De repente

24 léguas de um dia que não vem
60 toneladas de um segundo em suspensão


Meu livro Nas Entrelinhas do Horizonte abre com um capítulo chamado O Dia Em Que Deixei De Ser Criança. Auto-explicativo. Na real, ali narro várias histórias pois foram muitos os dias em que deixei de ser criança. Tantos quantos os dias em que voltei a ser.

Mal tinha saído o livro e eu já havia me lembrado de outros exemplos que poderia ter citado... e continuo vivendo esses micro ritos de passagem. O que me faz pensar que é um capítulo sem fim.

(*)

Ray Manzarek disse ter presenciado o momento exato em que o espírito criativo abandonou seu companheiro do Doors, Jim Morrison. Em meio a um show, foi-se o brilho nos olhos.

(*)

Em meio a uma conversa banal sobre futebol, referindo-se a um zagueiro de longa carreira, um amigo veio com esta pérola: "Lembro exatamente do jogo em que ele envelheceu".

Manda o bom senso que a gente reconheça a frase como uma figura de linguagem. Evidentemente, trata-se de um zagueiro que vinha há anos administrando a gradual perda de velocidade e agilidade, até que não foi mais possível. Aí, as falhas começaram a ser mais constantes, etc...

Mas, tomado por um surto de realismo fantástico, viajei no sentido literal da frase, imaginando um zagueiro que entrasse no gramado jovem e, 90 minutos depois, saisse de campo um ancião. O futebol é mesmo campo fértil para exageros. A gente pode envelhecer dez anos ou mais em 45 minutos e voltar a ser criança num grito de gol.

(*)

"A subversão da noção de tempo nos momentos da quebra de encanto". Que tal parece, como título de tese no curso de Achologia? 

Uma infância cíclica, que se renova com o passar do tempo ou a ideia de que o envelhecimento e a fadiga não são frutos de um processo gradual, mas acontecem de repente, são conceitos de difícil defesa. Mas não deixa de ser interessante brincar com eles por uns momentos.

Alargar os laços da racionalidade que prendem a causa à consequência, num mundo tão prisioneiro da objetividade, pensar na vida como uma sucessão de pontos e não como uma linha contínua, pode ser interessante, ainda que assuste um pouco. Um exercício de humildade.

abraços
05mai2015

bah : É comum que eu passe os domingos zanzando de aeroporto em aeroporto no caminho de volta para casa depois dos shows de sexta e sábado. Apesar das horas em trânsito, são os poucos minutos de espera da bagagem na esteira que mais custam a passar.

Igual a quando a gente tá afim de ir ao banheiro. Pode aguentar um tempão, mas os poucos segundos no elevador, chegando em casa, parecem eternos, intransponíveis.

Putz, que papo chulo para acabar um texto, né? Perdão. Vou tentar melhorar para semana que vem. Se ela tiver 7 dias e todos eles tiverem 24 horas, talvez eu consiga.

55 comentários:

  1. Respostas
    1. Tá chegando dia 15 em Rio Preto!!! Mais um showzaço que estarei presente!!! Não envelheça nunca HG!!!

      Excluir
  2. Hg, quando eu tiver 50 anos, estarei apto há ser teu roadie?

    É que prefiro envelhecer... ; )

    ResponderExcluir
  3. Estava aqui esperando... Perfeitas colocações e analogias... Tenho vários momentos de volta a infância e outros de amadurecimentos repentinos, realmente são cíclicos...
    Por coincidência, estava relendo o seu livro, Nas Entrelinhas e encontrei vários ingressos de vários momentos de shows que já fui, costumo guardá-los dentro do livro, relembrei cada momento diferentes, nesses momentos volto a ser criança. Boa semana!

    ResponderExcluir
  4. Boa noite mestre!
    O livro nas entrelinhas do horizonte foi o primeiro de sua autoria que eu li seguido de pra ser sincero e seis segundos de atençao. Os livros sao incriveis,corrigindo voce é incrivel!!!!
    Que DEUS lhe de uma abençoada semana.

    ResponderExcluir
  5. Boa noite mestre!
    O livro nas entrelinhas do horizonte foi o primeiro de sua autoria que eu li seguido de pra ser sincero e seis segundos de atençao. Os livros sao incriveis,corrigindo voce é incrivel!!!!
    Que DEUS lhe de uma abençoada semana.

    ResponderExcluir
  6. Engraçado;esqueci de comentar no último post (tecnorlogia),o quanto acho bacana o som do bass station e o quanto me lembra o ray,curiosamente,citaste ele no texto.

    ResponderExcluir
  7. Engraçado que nos últimos tempos as minhas segundas-feira têm sido extremamente decisivas em minha vida, e ao final do dia, posso contar com seus textos que sempre me acrescentam algo bom, que me faz refletir e direcionar as minhas escolhas. Hoje tu iniciastes o texto com um trecho de "A ponte para o dia", canção que, em uma segunda-feira amarga, me ajudou a superar um momento ruim.
    Hoje diferente daquela segunda-feira, estou muito feliz. Penso que estou conseguindo atravessar a nuvem de metal que em outrora pensava na minha cabeça.
    Obrigada por provocar em mim através de sua arte/ofício sentimentos tão bons.

    Boa semana!
    Abraços da outra ponta do mapa!

    ResponderExcluir
  8. Em uma cidadezinha do interior do estadio de SP, um professora em greve, extremamente angustiada, precisando e tentando dormir, mas sem sucesso, resgata momentos incríveis de sua infância com os primos malucos no sítio da avó, onde ouviam Paralamas, Pink Floyd e Engenheiros. A fé voltou, obrigada pelo texto. Bons Sonhos!

    ResponderExcluir
  9. Cara, parabéns mais uma vez! Baita texto! Boa semana!

    ResponderExcluir
  10. Lembro-me do dia em que achei que deixei de ser criança, foi quando fiquei mocinha e minhas amigas chamaram-me pra correr picula e u disse não pois achei que uma adulta não poderia ter tal comportamento rs.antes de ontem , quando comemorei o gol do vasco, dei uma carreira gritando como uma criancinha, minha mãe reclamou e uma senhora falou:"Deixa pra lá é coisa de gente jovem."
    ´Domingo antes de dormir lembrei-me de Jim Morrison e Starway to Heaven
    tem dias que me sinto com oitenta, outros com sete ou quinze, por quere ou não.
    Gosto de comparar minha paciência e impaciência, como se tivessse ind prum lugar distante num carro confortável, com ar condicionado e ouvindo minha músicas prediletas, ou indo prum lugar por obrigação, sem conforto e sem música.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh! Tô aqui bem paciente ouvindo blues!!

      Excluir
    2. Jesus: "quem não se tornar como criança..."
      Lembrei-me de Michael Jackson e sua mania de ser um eterno Peter Pan.

      Excluir
  11. Chulo nada quem já sofreu muito com isso entende perfeitamente 1berto, sempre bom completar o movimento de rotação da terra com suas sábias palavras.

    ResponderExcluir
  12. Hahaha eu costumo dizer que minha bexiga tem GPS e funciona no elevador...rs
    Gosto muito dessa sua sacada do deixar e voltar a ser criança. É genial, pois é isso mesmo.
    O tempo e sua relatividade... é divertido brincar com isso.
    Boa semana!

    ResponderExcluir
  13. Lembro da minha última boneca. Escolhi como presente por meu aniversário de 11 anos. Estava linda lá na loja, mas quando cheguei em casa já não havia mais sentido. Ela continua na caixa, acho que na parte duplex no antigo guarda-roupas dos meus pais. Sem função?! Não. Cumpriu um grande papel: ser a intocável boneca daquela que se tornou adolescente ao descobrir que bonecas não serviam mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que maldade kelly, qundo ganhei uma boneca de 1 metro se não me engano, com cabelo preto e olhos azuis com nome de Minerva(Não sei se era a marca) brinquei muito, cortei o cabelo deixei endurecer ele, deixei arrancar braço, cabeça. Depois tive que ouvir as broncas de minha mãe e da mulher que a me presenteou, dizendo que eu não sabia zelar...Não entendia como os adultos reclamaram do meu modo de bricar usufruir ao máximo meu brinquedo. ADRIANA

      Excluir
    2. Aos onze eu ainda brincava de boneca...entendi você

      Excluir
  14. Nada me faz ter mais noção do tempo, do que quando um moleque de 20 anos coloca uma bola na frente, e eu sou o último homem da zaga. Naqueles segundos em que sinto meus joelhos rangendo, correndo atrás do guri, sempre penso em jogar com os coroas do horário seguinte. Mas, e a busca do limite? SRN.

    ResponderExcluir
  15. Chulo pq? É a mais pura verdade.
    Só espero que vc não esteja envelhecendo para os palcos. Eu, pelo menos, ainda tenho muita gasolina pra queimar contigo. Jogadores vem e vão, a gente sabe que a carreira é "curta". Gosto da criança que vejo sorrir no palco. Deixa ela brilhar :)

    ResponderExcluir
  16. Hj eu acordei mais cedo, tomei sozinho um chimarrão e li este post do Humberto. Muito bom!
    Ah, e qdo se está apertado acertar a chave na fechadura parece um quebra-cabeça.....rsrs

    ResponderExcluir
  17. Hj eu acordei mais cedo, tomei sozinho um chimarrão e li este post do Humberto. Muito bom!
    Ah, e qdo se está apertado acertar a chave na fechadura parece um quebra-cabeça.....rsrs

    ResponderExcluir
  18. Mesmo aqui no leito do hospital eu acabei de voltar a ser criança!

    ResponderExcluir
  19. Pois é Humberto... Até hoje estou tentando entender qual é esse lance de envelhecer. Acho que no fundo... No fundo... Serei uma eterna adolescente admirando o teu trabalho! E a cada novo lançamento vislumbrando como se fosse o primeiro! Bjs

    ResponderExcluir
  20. Olá Humberto, tu como sempre dando novos sentidos a rotina, expondo novos horizontes aos mesmos acontecimentos, acho isso genial. Parabéns.

    Nos encontraremos sábado dia 09/05 em Francisco Beltrão, que chegue logo!

    Ps. Caso seja possível toca "Simples de Coração" ou "3x4" no show ;)

    ResponderExcluir
  21. Saudações HG !

    É interessante a abordagem de fadiga e envelhecimento neste texto, exatamente numa fase bem "velharia" que estou passando. Cansado e abatido pelo ritmo louco e caótico da vida em Sampa, do alto de meus 38 anos, me sinto um velho de 60 anos... De repente, de uma hora pra outra, antes da hora, nem percebi, envelheci....

    Incrível é um "senhor" do alto de seus 51 anos, ter tanta energia para cruzar este País encantando a todos os fãs, com direito a GessingAir no final de cada show, sensacional, invejável !

    Que você não envelheça nunca meu caro !

    Um abraço HG, e aos "de fé", de alguém perto demais (mais do que gostaria) das capitais.

    ResponderExcluir
  22. Com que idade a gente envelhece? Por que dizem que os idosos voltam a ser criança? Qual é o limite entre a criatividade e o estilo consolidado? O que é artesanal quando o que se produz são várias peças idênticas?

    Humberto, provocando reflexões.

    ResponderExcluir
  23. No momento sinto q to deixando de ser criança definitivamente, apesar de saber q meu lado infantil constantemente da o ar da graça . O mundo exige tanto objetivismo da gnt q a tão sonhada maioridade ta chegando e o mundo parece desabar :/ , ... Li o NAS ENTRELINHAS DO HORIZONTE e foi ,na minha humilde o opinião , o melhor q escreveu . Foram tantas histórias , q deveria ter um segundo volume kkk putz viajei ... Obg pelo texto , nas entrelinhas , smp me sopram um incentivo .. Forte abraço HG

    ResponderExcluir
  24. tunel do tempo . cançao que nunca acabara........ somos como vinho , quanto mais velho melhor fica . rj.

    ResponderExcluir
  25. Diga que tu vens que o mundo se consolida em fé e amor, diga que somos teus fãs que o ícone é neon e não ouro... e o show, de noite, madrugada adentro, traz para nós, para nossa vida, de tudo os verdadeiros sentimentos.

    ResponderExcluir
  26. Bah... muito bom ler isso. É um desconcerto concertante: o avesso do avesso do avesso: o mito.

    ResponderExcluir
  27. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente texto, continue com esta disposição, e continue fazemdo o que ama, quando o dia, momento, horas e minutos não passarem, lembre-se que estes passarão e quando estes passam nos esquecemos deles.
      Até um dia próximo e vida longa.
      Agradeço pelos textos é bom ler quando a segunda vira terça, mas esta segunda virou quarta.

      Excluir
  28. Tenho noção de como o tempo voa quando às vezes me perco na minha própria idade. Dai me questiono: "é 21 ou 22?" É estranho. Ou quando vejo alguém que estudei já sendo pai/mãe e totalmente diferente.
    Mas essa coisa de tempo pode não existir. Talvez seja engano dos olhos, da mente. Vai saber...

    ResponderExcluir
  29. Pura verdade, disse tudo, De repente maravilhoso...

    ResponderExcluir
  30. Três comentários:

    1) Eram raros os momentos em que me sentia velho. Normalmente sempre me achei jovem. Faz algum tempo que começou a cair a ficha de que o tempo já passou um bocado...

    2) Eu deixo de ser criança quando entendo alguma coisa do "mundo dos adultos" como, por exemplo, as artimanhas da nossa nobre política. Só que logo em seguida, vem o pensamento de que alguma coisa a gente não consegue entender :)

    3) Esses momentos em que você percebe que a pessoa envelheceu é bem comum com relação a filhos pequenos. Você olha para a criança todos os dias, mas não nota a diferença. De repente, volta de viagem e tem aquele "click": "Nossa, como cresceu"!

    ResponderExcluir
  31. Texto bem elaborado, idas e vindas na vida, como malas nas esteiras dos aeroportos!!!show, abração Gessinger.
    Marcelo Serrano

    ResponderExcluir
  32. Texto bem elaborado, idas e vindas na vida, como malas nas esteiras dos aeroportos!!!show, abração Gessinger.
    Marcelo Serrano

    ResponderExcluir
  33. Estive presente no seu ultimo show em Divinópolis/MG. Nos meus 23 anos de vida pude ir em 4 shows seus. Durante o show em meio a euforia e a extrema alegria de te ver novamente, passaram na minha cabeça as lembranças mais marcantes de tudo que vivi e percebi como suas musicas estiveram presentes na minha vida. Lembrei de que te conheci quando era criança,por causa de um vizinho que obrigava o quarteirão inteiro ouvir Engenheiros todo santo dia! rsrs.Lembrei dos meus 15 anos onde só tocou Engenheiros do começo ao fim da festa exceto na hora da valsa. Lembrei da minha adolescência quando não tinha obrigações e possava o dia tirando minhas conclusões sobre as suas letras tentando entender o que realmente você dizia (nessa época era eu quem obrigava a vizinhança a ouvir Engenheiros). Tive uma infância/adolescência muito mais feliz graças a você. Obrigada por existir! <3

    ResponderExcluir
  34. Novo show no Recife nos próximos dias... não tem como não ir; não aguento saber que tá tocando aqui e não estar lá.

    Mas pegando os últimos, sei lá, 10 shows, o que vai dar pelo menos 5 anos, mesmo complementando os da pouca vogal, o repertório é, essencialmente, muito do mesmo quando tocadas as dos engenheiros.

    Queria muito que o próximo show, mesmo que demorando um pouquinho pra acontecer, fosse de inéditas ou, se for pra manter as dos engenheiros, que saíssem pelo menos refrão de boleto, até o fim, pra ser sincero... e dessem lugar, poxa, a muros e grades, lado a lado, descendo a serra, mapas do acaso, talvez a ilha? caraca, toca a conquista do espelho! túnel do tempo... enfim, abre espaço pra essas pérolas que tenho certeza que a galera mais nova ou não tão "roots" quanto eu talvez não faça coro nos primeiros shows, mas vai atrás de repertório, vai conhecer, vai amar...

    Tenho 31 anos e muitas dessas mais antigas eu mesmo não consegui pegar ao vivo, Gessinger já está .. hm... na quarta geração?... e fui atrás, me apaixonei. Hoje sou eu o tiozão no show e dá uma dó imensa ver músicas tão lindas pegando poeira na memória.

    O que eu não daria pra ouvir a conquista do espelho ao vivo? Queria voltar no tempo, ter podido ver um show com ela. Espero que esteja em tempo...

    Amo as que citei, do calibre de refrão de bolero ou pra ser sincero, mas e "quem diria", "nunca se sabe"?... Há tantas, tantas outras maravilhosas! Dá um espaço pra elas, aí, Gessinger... não se esquece delas, não =(

    Enfiei "crônica" no meio do pendrive dum amigo que vai a todos os shows novos, não era fã dos engenheiros porque não conhecia muito. bem mais novo. E o cara pirou hahaha Encontrou o "filmes de guerra, canções de amor" e não larga mais.

    É isso...

    ResponderExcluir
  35. Gessinger, suas poesias cantadas são meu refúgio.

    ResponderExcluir
  36. Chulo nada, H, diria humano. Talvez 'humano demais', é verdade.
    off topicing... (se bem que futebol nunca é) Acho que na próxima 4a HG será atleticano por quase um segundo... Galo!

    ResponderExcluir
  37. Caro ídolo Gessinger, lendo o jornal O Sul, vi anuncio de show do lançamento DVD banda Fresno,15 anos dia 09/05, data do show Insular em BeltrãoPR.Sou de Sampa talvez esteja desinformado"longe demais das capitais"O Esteban Tavares, guitarrista do Insular e Fresno, ele não esta no Fresno?senão que 15 anos é esse?

    ResponderExcluir
  38. fui no show em Francisco Beltrão, e foi fantástico, a banda perfeita, o técnico de som muito bom.Fui no final agradecer o técnico, um cara normalmente esquecido, mas ele foi tão perfeito quanto a banda, muito obrigado por quase 2 horas de muito som......

    ResponderExcluir
  39. Desculpem! Esteban não é mais do Fresno.OK

    ResponderExcluir
  40. Desculpem! Esteban não é mais do Fresno.OK

    ResponderExcluir
  41. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  42. Ultimamente tenho ficado atento aos momentos em que cria-se um hábito.. estava sem gancho para pendurar a toalha e comecei a deixar em cima da pia.. hoje tenho o gancho e ela continua ficando em cima da pia.. um dia desses meu sobrinho estava abotoando sua primeira camisa social. Ele ia começar pelo botão de cima e aquele momento determinaria se ele ia ter que abotoar mais de uma vez todas as vezes que errasse pelo resto de sua vida. Era crucial. A bola tava na marca do penalti. Eis que passou uma video cassetada, eu me distrai e ele chutou pra fora.

    Vai ter que conviver com a força do mau hábito pelo resto da vida..

    ResponderExcluir
  43. Cara você é d+!! Te vejo no sabado aqui em Fortaleza lol

    ResponderExcluir
  44. Envelheci dez anos ou mais nesse último mês...
    E rejuvenesci cada segundo ao tirar umas horas pra relembrar um bom som!
    Obrigado Mestre

    ResponderExcluir