Curvas e chuvas


Os shows do fim de semana levaram-me a passar por duas vezes pela curva onde, há 20 anos, o carro em que eu estava capotou.

Não, não se preocupe: não será um texto de memórias melancólicas. Nada contra lembranças, nem contra a melancolia, claro. O caso é que, da janela do ônibus, observei atento a estrada e comprovei que não estou mais em nenhuma daquelas curvas.

Estou aqui, agora. Claro, trago comigo as cicatrizes, todas. Mas cicatrizes também mudam, a mesma é outra a cada vez que olho. Elas testemunham o passado, mas (assim como sonhos de futuro) também só existem aqui e agora. 

Ok, ok, talvez eu exagere. Estar aqui e agora não é tão simples quanto parece. É algo a ser exercitado. Às vezes é necessário dizer (gritar) a nós mesmos: "Não empurra!", quando a mente insiste em estar onde ainda não chegamos. Ou "Te mexe!", quando ela insiste em permanecer onde já não estamos.

(*)

Dias desses, caminhando do estúdio para casa, fui pego por uma dessas surpreendentes chuvas de verão. Gosto de andar na chuva, seguiria caminhando não fossem os papéis com anotações de arranjos que eu levava e que não resistiriam àquela quantidade de água.

Parei sob a proteção de uma marquise. Pensei em aproveitar o ócio forçado para esvaziar a cabeça ao som dos pingos da chuva. Que dificuldade! Eu não tinha compromisso nenhum para as próximas horas, poderia ficar ali o tempo que quisesse, o ambiente era agradável; mas, que dificuldade simplesmente estar!

Instintivamente levei a mão ao bolso que, vazio, me lembrou que eu havia deixado o smartphone em casa justamente para evitar o excesso de conexões desconectadas que não unem pontos, só nos anestesiam para que o tempo passe mais rápido, tirando-nos daqui e escondendo o agora.

Cogitei recomeçar a caminhada mesmo na chuva... tentando me convencer de que, se perdesse as anotações que tinha feito e não me lembrasse delas, isso significaria que não eram ideias tão boas assim.

(*)

A consciência de estar ansioso aumenta a ansiedade 
assim como, na alta madrugada, 
cada olhada no display vermelho do rádio-relógio 
tira mais um naco de sono.
...
Já vi de tudo em futebol, 
menos um time fazer o segundo gol antes do primeiro.

(*)

A chuva foi parando, mais e mais carros passavam com o limpador de para-brisas desligado, sinal de que era hora de seguir. Seguir exercitando o aqui e agora. A cada passo. Sem passado nem futuro, um passo de cada vez. Na necessária esperança de que tudo se harmonize. Algo a ser exercitado.
17mar2015

52 comentários:

  1. Acordado até tarde pra ler

    ResponderExcluir
  2. Nem meus psicólogos trataram tão bem da minha ansiedade!
    Talvez eles precisassem fazer algumas aulas da faculdade na chuva.
    ABRAÇO, monstro dos textos! Mais um texto FODA!

    ResponderExcluir
  3. Pontual. Assim como a segunda vira terça, o sono vira prazer.

    ResponderExcluir
  4. Leio tuas palavras sempre na hora certa!
    Obrigada, Gessinger!

    ResponderExcluir
  5. Eu sou ansioso sempre, mas me controlo bem... principalmente com um som agradável nos fones de ouvido.

    ResponderExcluir
  6. As cicatrizes mudam a cada olhar tanto as internas quanto as externas , são como marcadores de livro q esquecidos em algumas páginas e q em algum momento nos lembra q passamos por la.. Andar na chuva é bom , perder papéis importantes nem tanto. Boa noite AgaGê !!! Forte abraço , ótima semana e saiba q Ipatinga MG te espera anciosamente

    ResponderExcluir
  7. Baita texto, pra ser relido atentamente várias vezes. Parabéns, Humberto! Obrigado por compartilhar.

    ResponderExcluir
  8. E agora a segunda já pode virar terça.
    A cada texto seu, uma nova perspectiva. Obrigada pela sensibilidade constante!

    ResponderExcluir
  9. Aproveitar e desfrutar do aqui e do agora, fazer isso com o sono que chega com os pingos de chuva na janela. Seus textos vem sempre como uma ótima reflexão e recheado de idéias. Tenho uma boa semana e um grande abraço!

    ResponderExcluir
  10. Baita texto *-* <3
    Seres humanos e o tempo são como ciclones em rota de colisão. A ansiedade é o fruto do encontro.
    Boa semana *-*

    ResponderExcluir
  11. Queridão.texto inteligente e poético como sempre .

    Doses homeopáticas

    Sentindo-me como se estivesse em uma clínica de reabilitação de drogas ou de saúde mental.
    Deu-se o toque de recolher,as luzes se apagam .de um lado porta do outro grades,só resta o teto branco.Não tem álcool,drogas,Globo,cigarros nem remédios.Abstinência de sexo e chocolate.Dieta alimentar.
    E cada dia mais difícil juntar as forças para levantar,respirar e arrumar forças para resolver algum dos meus inúmeros problemas.
    Será que faz parte da desintoxicação?
    Acho que to precisando de sol,sal,atividade física,fé,coragem,paixão,ocupação,e doses de serotonina,dopamina e endorfina na veia.

    ResponderExcluir
  12. Fico imaginando como seria se um dia eu te encontrasse por essas ruas, nessas suas caminhadas...infelizmente nao moro em Porto Alegre...mas as vezes esse mundo é tão pequeno que nada é impossivel neh? Um grande abraço e obrigada pelos textos, são maravilhosos, perfeitos..assim como suas musicas...Espero vc em Araçatuba/SP - que seja em breve......

    ResponderExcluir
  13. Ver que a minha cidade é a próxima passagem dessa estrada,me deixa muito ansioso.Espero conseguir deixar estar.Valeu Humberto!Até quarta!

    ResponderExcluir
  14. Karina Rocha Miranda17 de março de 2015 02:02

    Tenho que admitir, estou viciada nos seus textos. Quando vc posta simplesmente pra dizer que não terá texto, é como se a semana nunca começasse. Mas quando tem e, ainda por cima, se encaixa direitinho no meu momento, levo ele por várias semanas, como se fosse um conselho, ou a afirmação de algo que eu já havia pensado ou sentido. Seus textos são meus companheiros de madrugadas, dias e épocas da minha vida, assim como suas canções.

    ResponderExcluir
  15. un día buscando canciones sobre Don quijote, me encontré con su música. seguí escuchando todo el álbum, lo que me llevo a escuchar toda su discografía, y al buscar por donde andaba en esos momento me encontre con pouca vogal e Insular; Luego encontré sus libros; y al final este blog donde leo y disfruto todos los post. Ojala algún día escuche tu música en vivo ¿es mucho pedir que venga por acá? ; en nada me has defraudado, un artista completo y creativo. Saludos desde Argentina. Hasta la próxima entrada, aquí estaré a la hora puntual!

    ResponderExcluir
  16. Metáforas da vida vivida na pele ou nos projetos sonhados de amanhã. Um texto leve e belo. Parabéns!

    ResponderExcluir
  17. lindo texto! Leve e interessante! Parabens! HG <3

    ResponderExcluir
  18. Harmonizando energias e vibrações... Espero que tenha gostado do livro, sempre dado de coração... Abraços fraternos!

    ResponderExcluir
  19. Mil vezes obrigada pelo belíssimo texto, Agagê!
    <3

    ResponderExcluir
  20. Uau!! Com que leveza disserta sobre algo tão pesado! Vou ali pro cantinho pensar. ;-)

    ResponderExcluir
  21. Apenas agradecer pelo texto, apenas isso. Obrigada!

    ResponderExcluir
  22. A sensibilidade escrita em cada palavra, é sentida em cada pingo de chuva, na ansiedade do nosso consciente, que insiste, mesmo que em um vão pensamento, aproximar tempos opostos, cuja estão no mesmo lugar, o agora. Perfeito Mestre abraços

    ResponderExcluir
  23. Parado em baixo de uma marquise, no meio do caos urbano. Esperando a chuvar passar. Em momentos assim somos jogados ao vento, como sementes que criaram raizes em lugares diferentes, em tempos diferentes. Somos como ciganos que despretensiosamente lê a palma da mão, jogando ao vento devaneios abstrato, ou um passado ja condenado. Realmente, tem dias em que o.passado, presente e.futuro se cruzam ao acaso numa curva qualquer, ou numa chuva de verão passageiro. Será?!

    ResponderExcluir
  24. Saiba meu caro, que um dia ainda sento contigo conversando sobre essas "chuvas de verão" e todo o resto, por um instante, por uma xícara de chá, por uma garrafa de vinho, mas sento, mesmo que seja para um alívio imediato.

    ResponderExcluir
  25. Cada frase, é pra mim enquanto fã de fé, que fundou e afundou o Freud Flintstone, lesgais, precisas e tão tri-geniais, quanto solos cantando e ao mesmo tempo fazendo aquelas linhas do contrabaixo com uma mão e o teclado, com gaita e guitarras, prontas pra esse multifuncional, artista tricolor... Abraços corinthianos e VALEU SEMPRE!!! Poet@lma

    ResponderExcluir
  26. Gessinger,
    Quando você subiu ao palco no dia 14/03/2015 em Vitória a imagem que me veio a cabeça foi exatamente a de 20 anos atrás. Quando eu ainda adolescente em Cachoeiro, começando minhas saídas noturnas fui ao show dos Engeheiros e o vocalista, ainda pouco conhecido por mim, explicou porque o show havia sido adiado e estava acontecendo naquela semana. Fiquei tão fascinada com o respeito e com a proximidade com o público que aquele homem tão lindo tinha, que nunca, nunca pude esquecer aquela cena. E agora, após todo este tempo, constatar que você continua com o mesmo respeito com seu público, o mesmo brilho ao tocar suas músicas, a mesma energia é surreal. Ha 20 anos atrás eu me encantei com um ser humano maravilhoso e é gratificante saber que este tempo não foi perdido. Obrigada por fazer parte das nossas vidas. DMVN.

    ResponderExcluir
  27. Humberto, hoje não sei se eu gosto mais das suas músicas ou dos seus textos. Sua visão da realidade é fantástica, por favor não pare nunca.

    ResponderExcluir
  28. busque o ponto zero , o equilibrio e sua alma tera paz , sempre que se sentir estranho e ansioso ore a DEUS . ATRATOR ESTRANHO É CONTROLADO COM A CONEXAO AO TODO UNIVERSO .RJ.

    ResponderExcluir
  29. É... somos reflexo do presente, que (in)define-se em sua relação c/ o passado e/ou futuro. Daí "carpe diem" soar estranho, às vezes... Bjsss e uma ótima semana, 1berto ♥

    ResponderExcluir
  30. Realmente, existem muitas lições de vida nos silêncios. E é preciso de uma boa dose de sensibilidade para conseguir ouvi-las. É exatamente isto que me fascina em você Gesssinger: a habilidade de traduzir silêncios e transformá-los em canções. Um abraço!

    ResponderExcluir
  31. Apenas um dos textos mais sublimes que já li.

    ResponderExcluir
  32. "A consciência de estar ansioso aumenta a ansiedade
    assim como, na alta madrugada,
    cada olhada no display vermelho do rádio-relógio
    tira mais um naco de sono".

    voltar a sonhar é algo tautológico?

    ResponderExcluir
  33. deixar de sonhar, quando se deixa de ser necessário?

    ResponderExcluir
  34. a dificuldade de manter o bom humor dia dia , as vezes só 50 % de bom humor , nao é sempre , as vezes passa , deixe a luz brilhar em voce hg e ore a deus . rj.

    ResponderExcluir
  35. Cara, como vc consegue?
    Suas letras parecem descrever momentos específicos da minha vida, parecem ter sido escritas olhando pro exato momento que eu vivia...

    Pois bem, seu texto de hoje é mais um assim... Parece que conversamos por longo tempo antes de vc colocar no papel essas palavras pensando nessa conversa...

    Parabéns cara... parabéns...
    E valeu mesmo pela força... rsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. sinto a mesma coisa , gostaria de ter este dom , de colocar no papel estes sentimentos,

      Excluir
  36. pois é mestre, pois é...aqui e agora como é dificil estar.

    ResponderExcluir
  37. Mestre!!! Estou ansioso pra te ver aqui em Cruz Alta.

    ResponderExcluir
  38. Que texto maravilhoso , queria saber escrever assim

    ResponderExcluir
  39. Isso prova que a poesia está no ser humano,basta descobrirmo-a para que a existência seja autenticada!

    ResponderExcluir
  40. nau a deriva o asfalto em alto mar !!!!

    ResponderExcluir
  41. Posso dizer que simplesmente amo você!
    Seus textos são perfeitos, eles tocam a minha alma... Sua música é parte fundamental da trilha sonora da minha vida, e em breve estará tatuada em meu corpo.
    Continue assim, brilhante!

    ResponderExcluir
  42. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  43. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  44. Humberto, meu lindo Humberto... *-*

    Tinha um certo tempo que não vinha aqui ler e reler seus textos que tanto amo, motivo? tbm não sei, mas sei que estava distante... hehe
    Sou de Cachoeiro e estive nesse show em Vitória e cada vez mais posso dizer o quanto seus shows me emocionam, suas músicas são trilha sonora em minha vida, seus textos me encantam, enfim impossível não amar...
    A cada segundo desse show era uma emoção diferente e melhor, voltei a minha adolescência e senti um gosto mais gostoso ainda de ser adulta e saber que você esteve em todos esses momentos... vir hoje aqui e ler esse texto me emocionou mais ainda... saber que de certa forma participei desse momento =)

    Volte mais, muito mais pra essas bandas de cá ;)

    =**

    ResponderExcluir
  45. A angústia às vezes é necessária. ...filosofia x instinto! !!! Ual texto perfeito. Valeu 1berto!

    ResponderExcluir