interfaces

Apressei os passos ao limite de transformá-los numa corrida para pegar ainda aberta a porta do elevador que começava a fechar-se. Pela visão periférica notei, mais atrás no corredor, uma senhora que não chegaria a tempo.

Ao mesmo tempo que meus olhos procuravam no painel do elevador o botão para reabrir a porta, instintivamente estiquei o braço pra fora na brecha que restava. É o método Flintstone: não muito elegante, mas funciona.

Na real estou sendo injusto. É uma tecnologia mais avançada que botões a do sensor que entende a presença do meu braço e bloqueia a porta. Mas é um gesto mais grosseiro e irracional da parte do usuário, daí a sensação "Flintstone". Enfim... funcionou. A senhorinha conseguiu entrar no elevador e agradeceu.

Só então consegui decifrar qual, afinal, era o botão do painel que, pressionado, manteria a porta aberta. Não estava sinalizado com um ícone de setas apontando para os lados nem palavras em inglês como em outros elevadores. Era um singelo AP que só supus significar Abrir Porta depois de conferir seu par, o botão FP que supus - raciocinando em paralelo - significar Fechar Porta.

(*)

O fato de deixarmos para o fim a opção mais simples testemunha a complexidade esquizofrênica do mundo em que vivemos. 90% do tempo jogado fora em estúdio é fruto da resistência de alguns músicos em aceitar as soluções musicais mais diretas. Ou, ao menos, partir delas. Parece lei que, antes disso, deva-se tentar as alternativas mais esdrúxulas.

(*)

Sinalizar banheiros (feminino e masculino) e escolher nome de filho são coisas bem diferentes mas que escondem uma mesma armadilha. Algumas vezes na tentativa de ser original se inventa cada coisa!

Nomes estranhos por esse motivo, todos conhecemos. Sobre a sinalização de gênero nos banheiros, minha condição de viajante me faz especialista. Em hotéis, casas de show, aeroportos, bares de beira de estrada, etc... já vi todo tipo de ícone e palavra designando banheiro para homens ou mulheres.

Tanto que, dia desses, quando vi um singelo e óbvio M na porta de um banheiro, precisei conferir o que havia na outra entrada para saber se o M significava MEN ou MULHERES. Perigoso confiar no mais simples. Era necessário saber se na outra porta havia um W de WOMEN ou um H de HOMENS.

É... tempos de alta complexidade semiótica até para uma simples mijada!

(*)

Mas tempos interessantes para lançar um DVD e cair na estrada. Bora!


06dez : Tupã-SP
Célimo Buffet

07dez : São Paulo-SP
participação no show do
Teatro Mágico

08dez : São Paulo-SP
pocket show e autógrafos, 19h
Saraiva Shopping Ibirapuera

09dez : Curitiba-PR
pocket show e autógrafos
Trajeto Lumen FM

12dez : Rio de Janeiro
Gravação Invasão da Cidade
Espaço Furnas

13dez : Americana-SP
Espaço Americana

16dez : Porto Alegre-RS
Sarau Elétrico
Bar Ocidente

********** 2015 **********

10jan : São Paulo-SP
Citibank Hall

05mar : Porto Alegre-RS
Opinião

abraços
02dez2014

45 comentários:

  1. Essa técnica do elevador sempre uso... sorte que todos os sensores deles funcionaram até hoje...minha mão agradece....ufa....

    ResponderExcluir
  2. Estarei em Americana dia 13, dia 14 é meu aniversário. Tem presente melhor?

    ResponderExcluir
  3. Humberto, um sinestésico transcendente. Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Essa sua percepção de analisar coisas do cotidiano usando exemplos tão simples é o que me fascina :)

    ResponderExcluir
  5. O futuro se impõe, o passado ainda se aguenta. Até quando? Rsrs

    ResponderExcluir
  6. O futuro se impõe, o passado ainda se aguenta. Até quando? Rsrs

    ResponderExcluir
  7. Hahahaha (risos de total identificação - mesmo?)

    Admito ser portadora de um certo delay com semiótica.

    A prova aqui: http://mtondello.wordpress.com/2014/06/29/simbolos-signos-pictogramas/
    Boa semana!
    Até dia 12, se o bem quiser ;-)

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Ver o Humberto duas vezes em menos de dois meses: nós paulistas fomos premiados <3 sempre tive medo do sensor não funcionar, em pleno século XXI. Aliás, o problema do século é: se está muito simples, está errado. Estranho né?

    ResponderExcluir
  10. Participação no show do TM...

    10/01 em Sampa...

    Ai... ai... (suspiros de satisfação!)

    Abraços Gessinger!

    ResponderExcluir
  11. Hoje não seria o post 176? O que aconteceu com a numeração dos posta de um tempo pra cá?! E agora como eu vou daber quantos posta ja li? ;/
    Ps.: ja foram mais de 176...

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por aqui nunca vi essa tecnologia do elevador.Rola de ter o botão P que mantém a porta aberta,ou a reabre...
      Bah,a complexidade semiótica é tanta que até fico meio paranoico,sempre olhando para todos lados,hehe.Abraço

      Excluir
  13. "Escolher nome de filho!!!"
    - Insular.
    "Algumas vezes na tentativa de ser original se inventa cada coisa !"


    hahahaha te peguei nas entrelinhas, Zóizur !!!
    Ahhhh como te admiro tanto!!!


    ResponderExcluir
  14. Pocket Show e autógrafos no Shopping Ibirapuera.....Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh............5 min. a pé do meu trabalho......Não acreditooooooooooooooooooooooooooooooooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  15. Muito legal e divertido este post.

    Mas acho que "M" significava masculino!? rs

    Nos teatros daqui onde moro costuma ter um desenho de uma cartola na porta de alguns banheiros. Assim não tem erro, só pode ser masculino ou então exclusivo para o mágico quando tem este tipo de apresentação.

    Parabéns pelo dvd. Te desejo muitas realizações.

    Valeu!!!!!

    ResponderExcluir
  16. Sempre me embolo com esses botões e, ao invés de abrir(segurar) a porta para uma pessoa, fecho a porta mais rápido. O foda é a cara da pessoa te olhando do lado, enquanto a porta fecha! Kkkkkkk... SRN!

    ResponderExcluir
  17. “Há um tempo em que é preciso
    abandonar as roupas usadas
    Que já tem a forma do nosso corpo
    E esquecer os nossos caminhos que
    nos levam sempre aos mesmos lugares
    É o tempo da travessia
    E se não ousarmos fazê-la
    Teremos ficado para sempre
    À margem de nós mesmos”
    Fernando Pessoa

    ResponderExcluir
  18. nova música: ( cama de solteiro, cama de casal )

    " vários lances inocentes
    rios enchendo
    enchentes...tu sentes?
    senta, levanta, cento e sessenta
    só pra ver até quando
    o humor aguenta
    entenda o meu gênio indomável
    este gênio realiza vários desejos
    gênio ingênuo
    nada disso
    você se engana
    dá uma olhada nas marcas
    da minha cama
    cama de solteiro não é nada mal
    mas agora quero uma cama de casal
    cama de solteiro, cama de casal
    cama de solteiro, cama de casal
    cama de solteiro, cama de casal"

    ResponderExcluir
  19. Senti que meu dia tava incompleto hj, lembrei que era pq ainda nao tinha passado por aqui..

    "Mijada" Humberto? Que feiura! :p
    Não sei pq tenho birra dessa palavra e derivados. Acho muito feio.

    Ah, quer saber?
    Foda-se, fui mijar..
    Hahaha

    Abraço, Grande Humberto!

    ResponderExcluir
  20. https://www.facebook.com/video.php?v=320958238091433&set=vb.100005317770402&type=2&theater&notif_t=video_processed

    ResponderExcluir
  21. Sidnei Rodrigues - SP2 de dezembro de 2014 13:37

    Tour em São Paulo, estava na hora! rs
    Teatro Mágico e HG
    Shopping Ibirapuera
    Americana
    Dia 10/01 Citibank Hall
    Estarei presente, até lá Humberto!

    ResponderExcluir
  22. "M" poderia ser também "machos"
    Mas isso seria politicamente incorreto nos dias de hoje!
    Tenha uma boa semana! <3

    ResponderExcluir
  23. Bacana! Grande e Genial! Humberto...

    Tomara que não demore possa voltar em BH. Sei que esse ano já não tem mais jeito, já era. Mas...para 2015 que só falta um mês, quem sabe...

    ResponderExcluir
  24. ou também "M" e "F"... M de macho e F de fêmea...já vi. Não dá nda... somos todos animais mesmo... rs. abraços, Humba!

    ResponderExcluir
  25. Volta pra Minas, a mineirada te ama .

    ResponderExcluir
  26. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  27. Situação comum escrita em forma de reflexão sobre o movimento condicionado que nos dá a impressão de temos um segundo cérebro autônomo. Legal!

    ResponderExcluir
  28. Acho um dom especial essa coisa de saber expressar-se tão bem com as palavras... isso de descrever sentimentos tão complexos, e ainda com as palavras, descrever acontecimentos do cotidiano. É admirável, e fico de boca aberta com todos que tem esse talento.
    Uma grande dádiva dos Deuses (santíssima trindade). Continue fazendo bom proveito disso sempre... eu sempre estarei aqui para agradecer o prazer da sua companhia.
    Ao ler teus textos, parece que nos aproximamos de vc, parece que a gente já se conheceu em algum mundo , e o sentimento de fa ja nao é mais suficiente, vc não é mais só "ídolo/artista", parece um amigo íntimo e muito querido. É esse o sentimento que despertas em mim o tempo todo. Outro dom que acompanha o dom das palavras, é o dom de cativar, acho que vc Humberto não fez/faz 1 milhão de fãs, vc fez e continua fazendo 1 milhão de amigos.

    Um abraço de alguém que não só te admira, mas te tem como exemplo de vida!
    Obrigada pela sua arte, o insular tá lindo.
    Ainda espero a resposta de um email que te mandei, quem sabe um dia.
    Boa noite!

    ResponderExcluir
  29. É muito bom ler o que o Gessinger escreve, pois cada vez mais vemos que realmente é uma pessoa incrível, e como todos nós. Só podemos agradece-lo pela sua arte. Além de artista, dá a sensação de que somos todos amigos, o que é muito bom, valeu Gessinger, és demais!

    ResponderExcluir
  30. Humberto você me "enCanta"....farei de tudo para lhe ver em Curitiba do 9/12.

    ResponderExcluir
  31. Bora!!! Pra Tatuí-SP!

    ResponderExcluir
  32. Bora!!! Pra Tatuí-SP!

    ResponderExcluir
  33. Humberto!! Lhe espero o tempo que for pra te ver aqui em Manaus! ! Te admiro muito. Abraços!

    ResponderExcluir
  34. VOCÊ CONSEGUE GANHAR ALGUM DINHEIRO COM ESSAS MUSIQUINHAS QUE VOCÊ CANTA? SÃO MUITO FRAQUINHAS. TENTA A CARREIRA DEMONSTRADOR DE SHAMPOO APROVEITANDO ESSA JUBA LOURA, MAS CALA A PORRA DA BOCA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Putz cara.. tu estas precisando de um emprego, uma ocupação ou algo assim.
      Eu não tenho tempo de acompanhar nem os trabalhos de pessoas que eu gosto, e quem dirá ouvir gente que eu não gosto! Aff, é muita arrogância, nos poupe.

      Excluir
  35. A divergência é a graça da humanidade... Imagine o tédio se todos gostassem de amarelo... Agora não consigo entender porque q uma pessoa q não gosta do trabalho de um artista vai atrás para ler o q ele escreve, ouvir o q ele canta e ainda se dá o trabalho de fazer um comentário... alguém aí é capaz de me explicar? Eu sinceramente não consigo...

    ResponderExcluir