A Soma do que Somos ( 132 )

O sinal fechou criando uma ponte para que eu atravessasse o mar de automóveis. Observei, no corredor formado pelas duas filas de carros parados, motocicletas que continuaram avançando até o limite da sinaleira (o semáforo dos gaúchos). Ficaram ali, como se estivessem à beira de uma represa. Minha cabeça boiava em metáforas líquidas: as motos amontoadas pareciam sedimentos no fundo do copo de um suco mal misturado, açúcar em excesso no fundo de uma xícara de café.

(*)

Nos meus tempos de estudante de arquitetura vi com interesse uma experiência que ressaltava semelhanças entre a mecânica dos fluídos e o movimento das multidões. Filmadas de cima, cenas do fluxo de torcedores saindo de estádios e de passageiros entrando em trens do metrô eram colocadas ao lado de imagens de líquidos coloridos passando por aberturas que restringiam sua vazão... eram mesmo parecidos os movimentos da multidão e dos fuídos.

O fenômeno da diluição da individualidade na turba geralmente é citado do ponto de vista psicológico. Muito se fala do anonimato como um facilitador da barbárie coletiva. Nas imagens daquela aula, a diluição parecia física. 

Escrevi "diluir"? Bah, mais metáforas aquáticas! Pelo caminho inverso: o que é mesmo que se solidifica quando as individualidades se diluem no coletivo? Quando deixamos de ser a soma do que somos, o que nos tornamos?

Às vezes a soma é maior do que as partes - a história nos mostra vários exemplos de povos sobrevivendo a adversidades fortalecidos pela união. Às vezes é uma merda, ficamos menores - como bandos de torcedores se matando no concreto da arquibancada.

(*)

Nos meus tempos adolescentes - quando a gente não sabe muito bem o que quer ser mas sabe exatamente como não quer ser - eu costumava dizer para um amigo mais chegado: "aconteça o que acontecer, cuidado com a sopa morna!".

Usávamos a expressão (com o idealismo vago característico da faixa etária) para representar toda a lenga-lenga sem sal nem pimenta que víamos à nossa volta. Éramos muito a fim de cravar os dentes na vida. Queríamos substância. E definição, fosse quente ou frio.

Sopa morna... legumes se desmanchando... que estranho... de onde eu tirei isso?!?

Diz a wikipedia que o estado líquido é aquele em que a distância entre as moléculas é suficiente pra se adequar a qualquer meio, tomando a sua forma. Acho que era isso que assustava os adolescentes que éramos: abandonar os sonhos para se adaptar a um mundo absurdo.

(*)

Antes de me afogar em mais metáforas aquosas, mergulhei o chá na água quente. Fiquei observando a cor se espalhar como se fosse uma nuvem líquida em expansão - oba, um mantra visual! - e parei de pensar.


bah 01: mudando completamente de assunto: sábado colocamos no YouTube o primeiro clipe do Insular. Aqui está o link: ( Sua Graça ).

bah 02: E aqui estão links de postagens do BloGessinger relacionadas à canção ( Avenida Anonimato )  e ao clipe ( Pedras Que Rolam Não Criam Limo ).

bah 03: A música fala de identidade, personalidade, individualidade; sobre o que é isso e como isso pode variar com o passar do tempo; apesar de algo permanecer firme e forte: alguém que sabe como é... Então não mudei completamente de assunto, né?

ainda bah: Antes de disponibilizar o clipe, toquei o Insular na íntegra. Muito bacana revisitar a vibe das twitcams!

Mais um 11 de janeiro! Exatos 29 anos depois de ter pisado num palco pela primeira vez. Desnecessário dizer que, se alguém naquela noite de 85, previsse tudo que aconteceu, teria sido chamado de louco. Ao menos por mim. Mas, como diz a Balada Para Un Loco do Piazzolla, foram os loucos que inventaram o amor. Uma soma maior do que as partes.

bah final: Agradeço o carinho de vocês nesses anos todos.  Em relação ao clipe, agradeço ao parceiros Stereophonica, Estreia e Gláucio Ayala que ajudaram a viabilizá-lo. Foi o primeiro movimento rumo ao registro audiovisual do Insular. Em breve aviso, por aqui, quais serão os próximos passo dessa caminhada.

abraços
14jan2014

58 comentários:

  1. Pô!!!! 23:57 e já tava aqui o post! Ansiedade?hehehe abç
    - Francisco muenzer

    ResponderExcluir
  2. E já virou terça... só percebi quando vi seu post no Facebook!

    ResponderExcluir
  3. Clipe ótimo, atuação perfeita

    Se cuida <3

    ResponderExcluir
  4. Pra começar a semana beem , sensacional !
    Grande 1berto #mestre #épico

    ResponderExcluir
  5. Mas eu adoro essas metáforas que ninguém normal entende <3

    ResponderExcluir
  6. Graças as palavras do Humberto, fiquei sabendo que hoje já é Terça, e a propósito, hoje preciso acordar cedo para fazer minha rematrícula no curso de Engenharia e coincidentemente este semestre terei uma matéria chamada Mecânica dos Fluídos, e aconteça o que acontecer neste semestre, terei muito cuidado com a sopa morna!

    Valeu Humberto!

    ResponderExcluir
  7. Bah!! Esse tá...não acharia nenhuma analogia líquida à altura. Que texto!!
    Mas a água vem chegando aqui no RJ, a julgar pela ventania, pelos relâmpagos e trovões.
    Boa semana. Bom trabalho.

    ResponderExcluir
  8. ...refletir o Humba é sempre muito bom... e n tou falando de espelhos...:)

    ResponderExcluir
  9. Humberto,

    Já que postou os links, fui dar uma olhadinha... além do seu post, encontrei meus comentários.

    (*)

    Às 00:40 do dia 19 de fevereiro do ano passado, eu dizia o seguinte:

    "Graça. O nome, identidade.
    Apelido é carinho.
    Chara parece nos chamar.
    De tudo que nos constrói, o nome é um dos primeiros.
    Antes mesmo de nascermos... Será menino ou menina?
    Nome do pai, do avó ou qse isso (né, Humberto?).

    Adorei a letra.
    Deu vontade da melodia..."

    Engraçado que percebi que agora, quase um ano depois, não consigo ler a poesia sem a companhia da canção.

    Já faz parte.
    Além disso, se citam a música, lembro do clipe.
    Caneta, violão, microfone, CD, câmera, computador.
    Soma bacana, melhor que as partes...

    (*)

    Depois de uma noite de sono, revisitei e escrevi, às 9:40 do mesmo dia, o seguinte:

    "Eu sou para os não-íntimos Kelly (com dois L's e ípsilon) Soares Bull (B-U-L-L)... "- Como?"... é Bull - tb é touro em alemão... escreve B-U-L-L.
    Sobrenome de uma sílaba mais do que complicado.

    Para os íntimos, viro sempre Kelly Bull (nome e sobrenome que somam três sílabas e viram apelido)"

    No dia 11, ou melhor, no dia 12, quando finalmente pude ver a HangOut, não senti intimidade, mas soma quando me chamou sonoramente assim... :D
    Minha identidade, sua individualidade... em fluxo... remetente ao destinatário que passa a remeter e chega ao destino final (final? Eis me aqui remetendo... fluindo).

    Água, gente, informação, pulsão... não param!

    Mesmo quando represados estão em movimento. Átomos, desejos, palavras...
    Reconstruiria sua fala e defenderia que nada está parado!

    Caminhos, onde há sinais (como nós, capixabas, falamos)... porém, os motores sempre estão ligados.

    Se puder, leia este texto de Freud - "As Pulsões e suas Vicissitudes": http://areas.fba.ul.pt/jpeneda/Pulsao.pdf

    Abraço... forte abraço!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah... achei lindo seu agradecimento.
      De nada... Obrigada a você!

      Excluir
    2. Ah... ²

      Acho que vou dormir com a imagem do átomo e quais são as relações possíveis com a pulsão em Freud.
      Precisarei ligar amanhã para minha irmã que é Química pra conversar sobre Psicologia... uashuahsuahs

      Excluir
    3. Kelly,

      Metade do que somos é memória e guardar alguns momentos, tê-los na lembrança, às vezes faz-nos muito bem. Revistá-los e torná-los presente, melhor ainda.

      Um grande abraço!

      Excluir
    4. Humberto... Abri um grande sorriso! :D

      Excluir
    5. Carlos,

      Sua colocação me fez lembrar do quanto adoro vasculhar a caixa de fotos.

      Sinta-se abraçado.

      Excluir
    6. Que delicia encontrar psicanálise por aqui. .. sempre faço estas pontes mentalmente, é um vício. O movimento da multidão como líquido perdendo a noção do eu... foi demais.

      Excluir
    7. Que delicia encontrar psicanálise por aqui. .. sempre faço estas pontes mentalmente, é um vício. O movimento da multidão como líquido perdendo a noção do eu... foi demais.

      Excluir
  10. A soma das partes só vale a pela quando se preserva a individualidade de cada um.
    Aí, a força pode até se multiplicar.

    Caso contrário, se reduz ao nada, ao vazio. Como está acontecendo no Brasil.

    ResponderExcluir
  11. Simone Figueiredo Gessinger14 de janeiro de 2014 00:45

    Obrigada por essa soma perfeita na minha vida pq seu trabalho fala diretamente comigo e tenho certeza com milhões de pessoas que interpretam e adaptam para a sua realidade,afinal é a perfeita simetria,feliz 2014,bjs!!!

    ResponderExcluir
  12. Nós é que te agradecemos por todos esses 29 anos de highway. A cada tempo que passa isso faz com que nossa fortaleza da alma da engenharia havaiana fique mais rígida como uma pedra. Tuas composições e escritas sempre inspira, cativa e motiva nossa visão de mundo. Meus parabéns e que o supremo arquiteto do universo continue a iluminar essa infinita highway... saudações cordiais.

    ResponderExcluir
  13. 29 Anos de Engenheiros do Hawaii a Banda que Mudou minha VIDA \O/

    ResponderExcluir
  14. Acho sua carreira fantástica, sempre me passou um comprometimento muito grande com a arte e seus textos, como dito acima, "sempre vale a pena esperar". Grande Abraço

    ResponderExcluir
  15. Li este post após assistir "Brilho eterno de uma mente sem lembranças"...
    Ao falar sobre o mundo aquático, imaginei as lembranças como algo gasoso... difícil de pegar... se esvai... E por mais irônico que pareça, as lembranças ainda parecem ser aquilo que tenho de mais sólido...

    Acho que estou confusa, rsrsrsr

    ABRAÇOS!!!!

    ResponderExcluir
  16. anônimo diz:
    Gessinger, obrigado por ter entrado naquele palco em 85.
    Aquilo não foi só um marco na sua vida.

    ResponderExcluir
  17. 1berto fiquei tão empolgada com o Insular na integra e anciosa pelo clipe que coloquei o meu cel p despertar.rsrsrs

    Não perderia por nada sua apresentação!!! Ameiiiii

    Parabéns pelos 29 anos de carreira, (nunca esqueço pq eu sou de 85)pelos todos tipos de trabalho....tocar, cantar, gravar, escrever....em fim, tudo que você prepara para os De Fé fica maravilhoso!!!

    Bjos 1berto

    ResponderExcluir
  18. Eis que (re)surge a metáfora baumaniana! O grande sociólogo polonês parou na água...quem sabe se/quando ler seu texto perceba que podemos sempre acrescentar um CHÁ (Conhecimento, Habilidade, Atitude) à água. "Um dia seremos maioria", "[...]uma soma muito maior do que as partes." Nesses quase 30 anos de carreira, de caminhada, tudo o que não podemos dizer acerca de Humberto Gessinger é que ele foi "morno". Sobra intensidade, atitude, solidez que não se desmancha no ar. Aguardamos ansiosos os próximos passos ;). Boa semana pra nós

    ResponderExcluir
  19. Texto maravilhoso!!
    É sempre muito bom te ver, te ouvir, te ler.
    Abraço

    ResponderExcluir
  20. Gostaria de fazer um bom comentário, mas não sou muito boa com as palavras. Então fica para a próxima!

    ResponderExcluir
  21. Humberto,

    Mais uma interessante reflexão com um quê de doce filosofia metafórica.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  22. Vc é genial e sou muito fã! ! Abraços

    ResponderExcluir
  23. Muito legal... e achei bacanésimo o clipe "Sua graça".
    Abração e sucesso semore Gessinger.

    ResponderExcluir
  24. Sidnei Rodrigues - SP14 de janeiro de 2014 15:23

    Humberto!
    Gostei do Texto.
    São Paulo na espera com Insular.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  25. É isso aí! Sou seu fã desde que o brasil foi tetra campeão na copa de 1994, quando eu tinha 10 anos. Hoje tenho 29, meio do ano completo três décadas de vida e a sua música ainda me fascina! Valeu cara grande abraço.

    ResponderExcluir
  26. 29! Tamo envelhecendo... eu, e tua banda.
    Ainda bem!
    Nem lembro mais em qual curva foi que cruzei com o EngHaw. Vez em quando parece longe... já até sumiu no retrovisor! Outras vezes... tá logo ali.

    Adorei o texto e suas metáforas que vão se diluindo todas na cabeça e que se for pensar bem... o chá até esfria.

    Sobre o clipe: Ahhhh... o mesmo guri (de 21, 50 ou 10.000, vc decide)

    Então é isso... tá só começando, né?

    Parabéns e obrigada =)


    ResponderExcluir
  27. Sinceramente muito absorvível.

    ResponderExcluir
  28. Tu detém a arte de fazer as coisas simples do cotidiano se tornarem poesia e faz com que olhemos novamente e as mesmas coisas de um ângulo totalmente diferente!
    Valeu!

    ResponderExcluir
  29. Bah, 1berto assisti sábado o insular e o clip foi tudo muito bom, e com certeza eu e todos fãs é que agradecemos a você pela sua arte ofício. Abs.

    ResponderExcluir
  30. "A soma é maior que as partes..."
    Gostei da parceria Gláucio Ayala.
    O clipe ficou muito bom.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  31. Show de bola hang outs, tomara que não pare por aí... O clipe de sua graça também ficou bacana, minha filhinha de 4 anos já decorou, hahahaha

    ResponderExcluir
  32. as vzs eu acho que vc deve ser um porre como pessoa essa troca de parceiros constantes(essa banda nunca fica pronta)mais tambem acho que faz parte da mistica da coisa.o segredo do negocio é o segredo.acho todas as suas letras geniais sua voz é impar.o simples de coração é o seu sargt peppers.sucesso pra ti tanto profissional como pessoal.suas letras mudam as pessoas.normalmente se transforma em ídolo depois de morto.vc ta vivo.parabens Humberto,vc é o cara

    ResponderExcluir
  33. Daí, enquanto leio os textos do Humberto vem à tona várias questão amontoadas, uma bagunça só.. e a medida que o texto finaliza tudo clareia e as ideias se organizam.. Libera minha mente e me ensina q o mundo pode ser muito mais do q os olhos podem ver.. q há inclusive metáforas líquidas por trás da coisa toda! rs.. cara, tu é GENIAL! *-*
    Abraço!

    ResponderExcluir
  34. que mto bom é saber que em 29 anos atras nascia eng haw, e que puta significado isso teria na vida, quantos shows quantas music cantei andando porai de carro de moto a pe de bus ate de trem com uma camiseta preta da foto de um show se nao me engano canecão 1989 escrita ' alivio imediato "" qtos me pediram aquela camisetas nos meados de 91 que saudade de tudo queria ter aproveitado mais, mais acho que nao poderia ter sido melhor, e eu perdo as chaves mais que cabela minha...

    ResponderExcluir
  35. sem sentimentos nâo vivemos a vida sem apreciarmos a beleza do amor, o místíco do encanto, a importância da dor, que nos faz melhor, que nos faz pensar em uma outra realidade dentro de nós mesmo mas será que vale a pena, bebida sem gelo engolida as pressas as vésperas da sede? há quem diga que nao vale, há quem mate pra viver...aonde eu leria frases como essa como tantas outras como tantas outras mil milhões, exagero não engenheiros certo,NAU ADERIVA sempre certos de que a vida é uma viagem e que legal ter um passageiro ao meu lado à 29 anos luz propagando universo a dentro se um cara esquisitão de óculos escuro mesmo em dias sem sol camiseta nonocor sem nada escrito, tennis al star topper ou sapato social nunca da cor do cinto calça jans meio
    caida,se esse cara te ver na rua ou no mercado andando anônimo porai, se esse cara te der um abraço de bons e velhos amigos que nao se ve há quase trinta anos liga não,repara não!!! VALEU GESSINGER, TEU EXEMPLO LADA À LADO MEU IRMÃO

    ResponderExcluir
  36. Engraçado como um texto pode mudar o rumo de um dia.

    ResponderExcluir
  37. Esse texto me fez pensar.

    E, Humba, você merece esse carinho, tu é demais!

    ResponderExcluir
  38. " Mas se a coisa ficar preta, o negocio é aquele chá."

    André Gonçalves

    ResponderExcluir
  39. Quase três semanas depois venho ler os textos em atraso, todos de uma só vez, na sequência, uma overdose positiva!

    Dia 14 de janeiro foi meu aniversário, de presente ganhei uma frase/dica: aconteça o que acontecer, cuidado com a sopa morna.

    Muito bom saber que haverão outros clipes do Insular!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  40. O que posso comentar sobre o clipe é que ele se aparenta muito mais simples e de menor custo do que os roteiros de clipes inviáveis de antes né HG? (Sem desmerecer este clipe, ficou ótimo!)
    Abraços, te vejo em Ipatinga em pouco tempo (eu espero)!

    ResponderExcluir
  41. E eu achava que era doideira minha quando escutava algumas de tuas músicas e reconhecia pitadas de Bauman nelas... Aqui ficou bem nítido! Primeiro semestre na Ciências Sociais e já ansiando por estudar nossa sociedade liquidificada...hehehe

    ResponderExcluir