A Arte de Defender Teses Sem Defesa (118)

Sinto falta de terrenos baldios. Eu sei, não faria sentido preservá-los. Que sejam urbanizados é inevitável. Que se transformassem em praças seria o ideal.

Mesmo assim, sinto falta dos terrenos baldios do bairro da minha infância. Misteriosos e insondáveis. Buracos negros, triângulos das bermudas escondidos por precários muros revestidos por fragmentos de cartazes de shows que há muito já haviam rolado. Alguns metros quadrados de infinito cercados de cidade por todos os lados.

Espaço vazio. Magia selvagem aparentemente sem dono onde tudo era porvir. E quando o porvir chegou, o mistério se foi.

Da janela do avião ou de algum quarto de hotel em andar alto, dou um search visual e faço a contabilidade melancólica da extinção dos terrenos baldios comum a todas as cidades.

(*)

Caramba, por que desandei a falar disso agora?

Deve ser o momento: passado o lançamento de disco e livro, seguem-se infindáveis entrevistas onde é inevitável a racionalidade. Busca de porquês, necessidade de ligar causas e consequências que, às vezes, nem no mesmo universo estão. Tentativas vãs de jogar luz sobre tudo, esquadrinhando, analisando, acabando com os terrenos baldios da alma.

Mas eu convivo tão bem com eles! Com sussurros de frases incompreensíveis, folhas em branco, silêncios e palavras ilegíveis. Espaços vazios! Gosto de sensações que não podem ser expressas senão pelo olhar.

(*)

Às vezes cansa repetir as mesmas frases. Mas como mentir não é uma hipótese, lá vamos nós de novo...

Às vezes doem as oportunidades perdidas. Mas com o tempo até isso fica divertido. Se quiserem falar de música, literatura, futebol, cabelo, política... pra mim tanto faz. Aprendi que entrevistas revelam mais do entrevistador do que do entrevistado.

Na real, há um diálogo maior (um hippie diria "cósmico") rolando, do qual tudo faz parte. E tudo vale a pena quando se está a serviço de algo em que se acredita (esta deve ser a tal "alma que não é pequena" - pra ficar no verso famoso).

Enfim...

Escrevo no fim de uma segunda-feira puxada mas proveitosa. Falei do disco, do livro, do show em várias rádios e TVs. Reencontrei antigos colegas, conheci novos profissionais, tentei chegar às pessoas. Fiz o que está ao meu alcance. Na esperança de que, o que está além, a música alcance.

(*)

bah: na sessão de autógrafos de domingo em São Paulo, recebi de uma amiga este ingresso do show de 1988 no Araújo Vianna. Quinta estarei lá de novo. Tchê loco, que momento! Que viagem!


valeu, Tainan.
terrenos baldios
ou arranha-céus
que outubro
traga coisas boas
01out2013

96 comentários:

  1. Aula amanhã cedo e eu esperando o texto da semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tantas datas aí do lado
      e nenhuma em Salvador.

      Excluir
    2. Não vejo a hora de ver ele aqui perto. Esteve em conquista e eu não pude ir. Me arrependo amargamente por não ter ido. Como sempre o melhor show da noite.
      Diego Oliveira

      Excluir
  2. Meu Insular Chegou!!! Obah!!
    Sinto falta da roça... cresci no meio dos bichos... bons tempos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também sinto falta... onde vivo agora tem concreto demais

      Excluir
  3. Que Raiva! Queria ser a primeira a comentar!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kakakaka bmas voce ah tadinha... mas voce ja tem o insular, é um consolo e tanto rsrsrsrsrsrs

      Excluir
    2. kkk c tem razão... Não consigo parar de ouvir o insular "transito parado, um trem sem humildade, cada um no seu vagão queimando o carvão da vaidade" Humberto é um poeta... Bjim

      Excluir
  4. Acho que teu (in)consciente ligou a idéia de um terreno baldio (vazio) a um local ocupado. Como uma fita demo sem nada e, tempos mais tarde, um disco pronto. Bora prá tour, HG !

    Saudações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cheio de símbolos!

      Texto com ar de associação livre.

      "Caramba, por que desandei a falar disso agora?"

      Excluir
  5. Leitura desse texto é muito prazerosa.

    ResponderExcluir
  6. Cada qual com sua lembrança do HG. Sera senpre o mito.

    ResponderExcluir
  7. Paisagens bucólica sinto falta,ou falta que me faz.

    ResponderExcluir
  8. terrenos baldios, apenas, me vez viajar a anos atrás onde eu adorava brincar de 'casinha' e caçar coisas ... ótimo texto, já posso dormir ;)

    ResponderExcluir
  9. O Humberto realiza meu sonho... sou sua fã des dos 13 anos e nunca conseguir ir em um show seu :-( . Fui no Pouca Vogal em Catas Altas mg, mais meu sonho des dos 13 era te ver tocando baixo e dando aqueles "pulinhos" cantando Violência Travestida faz seu trottoir...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "desde os 13 anos"

      Excluir
    2. Por que não foi à turnê dele? Violência Travestida Faz Seu Trottoir era umas das músicas que ele tocou lá. Mas vamos rezar para uma próxima. Eu tenho apenas 14 anos e consegui realizar esse sonho. Você também consegue!

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. Por falta de grana "acaba a grana mês ainda tem". E tbm pq moro no interior de minas e todos os shows perto que ele faz aqui fica uns 70 km. Tenho 23 anos e fico feliz em saber que vc com 14 anos gosta desse gaúcho, sinal que a arte quando é boa sobrevive a gerações. Todos que eu conheço com essa idade ouvem funk ostentação... nada contra, gosto é gosto e isso não se discute. obrigado e que Deus de ouça rsrsrs. bjim

      Excluir
  10. Só queria ressaltar que o show do pouca vogal foi espetacular. Bjim

    ResponderExcluir
  11. Eu também simpatizo com "terrenos baldios", sem porquês.
    Um beijo da capricorniana velha, porém nova, Giovana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. !rsrsrs! Sem porquês, mas com parquet - taco aos cariocas (...). Que um edificado qualquer bem pode voltar ao estado baldio. E ficam as marcas.

      (NPoA - algumas horas depois do pocket show Insular/6segdatenção, Fnac BSS)

      Excluir
  12. Tudo vale a pena quando se acredita e luta...

    Lutar com fé (seja no que for), com garra, com vontade, mas principalmente, com o coração!

    Obrigada por tudo, querido ídolo!

    ResponderExcluir
  13. Terrenos baldios... faz parte da minha memória de infância, assim como casas em construção, pareciam labirintos... enfim, chega. Baita texto, me fez viajar! Boa noite.

    ResponderExcluir
  14. Pois é... lendo a entrevista da veja (se não me engano era essa a revista citada) percebi muito mais do entrevistador (e de seus chefes) que do entrevistado. Cabelos, timidez, ou "metidez"... tá... Que bom termos esse contato por aqui ;-)

    Show no Rio (RJ, 1bah!, RJ...rs)...ÊBA!
    Dependendo de sorteio, ou de chegar cedo....aaaaaa.... quem dera... quem sabe a sorte de uma cochilada e eu consiga ;-)

    Insular... não me canso. Caramba! Muito agradecida por esse companheiro, viu?!

    Tá na corrida, que sabemos. Fiquei imaginando se conseguiria postar hoje.

    Continue caçando terrenos baldios. Eles escondem tesouros ;-)

    Boa semana. Até dia 21, se o bem quiser.



    ResponderExcluir
  15. Mais do que nunca precisava ler um texto teu hoje!

    Humberto, sem palavras pra te definir...

    ResponderExcluir
  16. Bom show, quinta Humberto!
    Tenho certeza que a casa estará lotada e a vibe será a mais positiva possível! Tu merece!

    Te aguardo ansiosamente em Uruguaiana para o show do dia 11! Só 10 dias... nem acredito :D

    Aaah... nos post da semana passada falei que a pombinha que fez ninho lá em casa havia batido asas e nos deixou, né?
    Pois bem... a danada está de volta! hehehe

    Boa semana HG e aos queridos de Fé! :D

    ResponderExcluir
  17. Tai mais uma coincidência estranha,também sinto falta dos terrenos baldios da primeira rua que morei em tianguá,e era ali pertinho de onde vc tocou,perto do ginásio,em 2008 !

    ResponderExcluir
  18. Mas que a especulação imobiliária, dos terrenos baldios de nossa alma, não deixe de lado o mundo de pensamentos e oportunidades que nos rodeia.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  19. Caramba, esse ingresso é mais velho que eu!
    Baita presente, para os que assim como eu, apreciam a simplicidade.

    Fiquei super feliz de ver BH na agenda.
    Estava esperando a confirmação, aqui no blog, para comprar o meu ingresso.

    Até mais HG,
    aquele abraço!

    ResponderExcluir
  20. Aguardo ansioso o show de BH \0/

    ResponderExcluir
  21. Brigado pelo texto Humberto, boa semana e até mais!!
    Ps. Estou fazendo o possível e o impossível pra ir no show quinta, então até lá meu amigo!!!

    ResponderExcluir
  22. que querido.... 25 anos do convite que guardei e varias vidas para te agradecer...que haja sempre terrenos baldios para construímos!

    ResponderExcluir
  23. ingresso do Enghaw de 1988? quando Engheiros fazia sentido com Carlos e Augusto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ...lógico. Faz sentido é um anônimo qq pensar que um integrante de uma grande obra não mais faz sentido pq esta s os companheiros de outrora, mas segue o tal integrante em seu blog... Boa anonimané!
      Eu,
      NPoA.

      Excluir
  24. César Nassif Passos1 de outubro de 2013 00:33

    Humberto, há algum tempo venho observando em suas falas (e esse meu click é recente), uma certa deixa, para um postura zen (budista) na forma como você vê a vida ao seu redor. No início achei que poderia ser alguma forçação de barra minha, mas sempre consigo ver essas deixas, por detrás de sua mente extremamente analítica e perspicaz, vejo esse silêncio, esse inexplicável, essa sua recusa de dar nome à tudo!

    Bom, se eu estiver certo nisso que estou dizendo ( e espero não estar viajando), posso dizer que até nisso temos uma certa " irmandade", pois me formei em Filosofia, mas me apaixonei mesmo, pelo zen, pelo aquietamento de tantos conceitos nos quais nós ocidentais somos bastante viciados!

    Bom é isso, grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  25. " Tudo vale a pena quando se está a serviço do que se acredita" inclusive ser benevolente com quem não tem nada melhor do que falar de cabelo, indulgente com aqueles que fazem sempre as mesmas perguntas e enfim, perdoar àqueles que falam mais de si do que dos entrevistados...
    Agora fala sério: o faustão fazendo propaganda do livro cujo autor, além de escritor, músico e "arquiteto" se chama Humberto Jessinger (foi isso que ele pronunciou) é um teste de tolerância nível hard.


    18/10 em Maringá "até a pé nós iremos!!!!"

    ResponderExcluir
  26. Caraca!!!!! O cara consegue transformar um terreno baldio -antes banal- em uma leitura da alma. 1berto, você é o cara. Você é foda. Aguardo você na Bahia, novamente! <3

    ResponderExcluir
  27. Humbertão meus Vizinhos e o Quarteirão Inteiro já Conheçem o INSULAR e vão continuar Ouvindo por muito tempo kkkkkkkkkkk
    Obrigado Humberto CD Fodastico

    ResponderExcluir
  28. Depois do texto de hj fui tomada por imensa vontade de pegar os links de todas as entrevistas possíveis (só de sacanagem =P).
    Se esta é parte de teu trabalho com qual vc tem menos afinidade, na real, tb é a que menos me interessa. Mas dizer que elas falam pouco sobre vc?! hahahaha... Quanto mais nervoso ( e sem-jeito); mais elas falam!

    Tu sacou que foi elogio né? Podia não ser, (se não fosse vc) mas é! =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ps.: Este foi um texto sobre terrenos baldios.

      Excluir
  29. NATAL-RN 2011 - POUCA VOGAL
    NATAL-RN 2012 - POUCA VOGAL
    NATAL-RN 2013 - ?????????????

    Natal-RN BR-101 te Espera em 2013 Poeta Humberto Gessinger Não nos Abandone..

    ResponderExcluir
  30. Ahh saudade mesmo!!!
    Quando todos tinham menos pressa.

    Abs.

    ResponderExcluir
  31. Bom Gessinger. Você falou do presente que você recebeu em SP sábado e não falou do presente que eu lhe dei!??? rsrs. Lembra do garoto que você autógrafou a gaita, e que esse garoto te deu uma encadernação vermelha? lembrou né? Sou eu!

    Sir Gessinger leu os textos?
    o que achou?
    Contact-me

    Valeu

    ResponderExcluir
  32. Que Outubro te traga ótimos ventos, Mestre! Como sempre seu texto é indispensável de ler antes de sair de casa numa terça feira! Obrigada! Quinta feira será um dia memorável pra você, e mais ainda pra nós seus fãs! Um beijo!

    ResponderExcluir
  33. Por um mundo com mais terrenos baldios e menos desertos na alma!!! Abraço

    ResponderExcluir
  34. Nossa maravilhoso esse texto, realmente que saudades dos terrenos vazios da nossa mente, quando as coiisas tinham uma simplicidade singular

    ResponderExcluir
  35. Lindo texto pra começar bem o dia.

    ResponderExcluir
  36. "Eu tenho fé na força do silêncio ..."

    ResponderExcluir
  37. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  38. Muito legal o lance de que a entrevista revela mais do entrevistador do que do entrevistado. Se eu tivesse a chance de entrevistar o Humberto...putz...eu acabaria ficando transparente demais...deu até medo...kkkk....continuamos com a campanha FAQ do Humberto, onde, esperamos, ele poste algumas respostas para perguntas bastante comuns. Algumas coisas que eu adoraria perguntar numa entrevista com ele (e se alguém souber a resposta, agradeço):

    1) Em várias canções há referências a amores mal-sucedidos ou percalços de relacionamentos. Alguma delas tem relação direta com a Adriane? Aliás, a Adriane nunca reclamou dessas canções?

    2) Tu consomes algum tipo de bebida alcoólica?

    3) Como você reage às alegações de alguns religiosos radicais que te acusam (e aos Engenheiros do Hawaii) de ser satanista?

    4) Como foi a escolha do nome da tua filha? Foi consensual ou teve disputa?

    5) Tu vieste de uma geração que facilmente se envolvia com as drogas e muitos foram seus contemporâneas que sucumbiram. Como você lidou com essa questão?

    ResponderExcluir
  39. "Gosto de sensações que não podem ser expressas senão pelo olhar."

    Acho que um exemplo pra essa frase, foi quando tive a oportunidade de lhe ver tão perto pela primeira vez, no pós-show do Pouca Vogal, na Expocrato de 2011. Fui ao Aeroporto numa missão que nem sabia se teria o fim que teve. E quando vocês chegaram para o embarque, só meus olhos conseguiriam decifrar o que eu tava passando naquele momento. Inesquecível!

    Gessinger, Cariri te espera. Espero ver seu avião pousar logo logo em Juazeiro do Norte.
    Abraços

    ResponderExcluir
  40. Sidnei Rodrigues - SP1 de outubro de 2013 13:18

    Sábado em São Paulo lotado!
    Esperamos o show Humberto.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  41. Humberto,

    A arte de ver arte nas coisas simples e descrevê-las em palavras não é para qualquer um, pois exige a sensibilidade de quem fala metaforicamente da vida e encanta pela habilidade com que faz isso.

    Parabéns!

    Carlos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HG VER O MUNDO COM UM OLHAR DE MENINO , NAS COISAS SIMPLES DO COTIDIANO E COM ISSO NOS PASSA UMA REFLEXAO DE ADULTO . ISSO FAZ LEMBRAR MARIO QUINTANA.......SÓ OS POETAS SABEM.........RJ

      Excluir
    2. HG VER O MUNDO COM UM OLHAR DE MENINO , NAS COISAS SIMPLES DO COTIDIANO E COM ISSO NOS PASSA UMA REFLEXAO DE ADULTO . ISSO FAZ LEMBRAR MARIO QUINTANA.......SÓ OS POETAS SABEM.........RJ

      Excluir
    3. Te admiro mais a cada dia,
      E que venham mais cds mais livros,
      Mais você!
      Te amooo...
      Taty

      Excluir
  42. Nas terças sempre venho aqui, me acalma ler seus textos, ouvir sua musica. Agora estou ouvindo Engenheiros do Hawaii - 1991 - Várias Variáveis com um bom cafe preto e forte.


    Que Outubro nos traga bons ventos

    Flay Constantino

    ResponderExcluir
  43. Terrerenos baldios... Como pode imaginar um tema assim?!!!
    E não é mesmo interessante? Diria sondável...
    Quem é o dono? Qual o melhor projeto?
    Fotografias na memória... Eles não existem mais.

    Outubro, passe logo!
    Novembro, tem show em BH.
    Estaremos lá!

    ResponderExcluir
  44. Quantas coisas da infância já se perderam junto aos terrenos baldios....nostalgia descompromissada....saudade reveladora da modernidade líquida.....amo seu textos....

    ResponderExcluir
  45. Quantas coisas da infância já se perderam junto aos terrenos baldios....nostalgia descompromissada....saudade reveladora da modernidade líquida.....amo seu textos....

    ResponderExcluir
  46. Eu poderia não escrever nada aqui hoje. Mas acho legal deixar registrado que li o texto. Outro dia folheando aqui as páginas do blog li num post bem antigo um dos meus comentários, e , achei fascinante...Tudo vai mudando mesmo. Enfim.. gostei do texto muito bacana! Humberto.

    Uai* - Fiquei feliz em saber na nova da de show em BH e ao mesmo tempo só um pouco desanimado com o local do show : (Chevrolet Hall) 22 nov: Belo Horizonte-MG. As poucas vezes que fui assistir algum show nesse espaço sempre foi estranho... Acho que de tanto ouvir pessoas especializadas reclamando da acústica do local e outras do caos do trânsito quando tem algum evento lá. Questões e de estacionamento e acústica. Mas tudo bem para mim que alimento a alma e o corpo com a energia dos shows dos Engenheiros, PV, G3, Humberto Gessinger Solo, lá estarei eu no dia 22 de nov com o maior prazer... Grato! Abraços Humberto.

    ResponderExcluir
  47. Eu fui no show 10.000 destinos no Araújo, meu amigo se ajoelhou no palco na frente do Humberto quando ele tocava piano bar, colocaram ele para fora do show e eu fui defender e me colocaram também...q momento...foi gravado em vhs mas a fita se perdeu e nunca achei o vídeo desse show na internet...alguém tem ?

    ResponderExcluir
  48. Canção para Humberto Gessinger

    Não saberia...
    O que seria...
    Da minha vida sem você,
    Pintando meus sonhos.
    Em simples versos,
    Que componho.
    Por caminhos...
    Tão diversos.
    Será sempre o meu prazer.
    O coração se deixa entender.

    Em músicas por palavras traduzidas,
    É assim que vou levando a vida.

    Refrão:
    Humberto Gessinger...
    Em tua alma reflete meu espelho.
    Os ideais pela mente te seguem,
    Nunca se tornarão velhos.

    Possuímos os nossos destinos...
    Trilhando estradas e desatinos.
    Por linhas paralelas,
    Fico desejando desenhar na aquarela.
    Um mesmo ponto de colisão,
    Onde na amizade daríamos as mãos.
    Faríamos juntos o que de longe me ensinou,
    A sentir os sentimentos e transformá-los em poesia.
    Minha admiração há muito tempo conquistou,
    E hoje escrevo este amor em forma de melodia

    Refrão:
    Humberto Gessinger...
    Em tua alma reflete o espelho.
    Os ideais pela mente te seguem,
    Nunca se tornarão velhos.

    Fabby Lima

    fabiana.babi77@hotmail.com

    ResponderExcluir
  49. e sobre o Insular>>>>
    Obrigado Gessinger pela releitura madura de toda a sua carreira.
    Suas várias obras ganharam uma bela ponte.

    ResponderExcluir
  50. Essa é uma daquelas vezes que agradeço à minha mãe por ter me colocado na escola e me feito ser alfabetizado

    ResponderExcluir
  51. hoje entrando em um posto de combustível, ouvindo seu cd no carro, começou recarga... Dae minha mãe observou uma placa de recarga de celular... enquanto vc cantava a mesma palavra...

    enquanto saia do posto... um caminhão chegava enquanto em seu cd emitia som de uma boiada...

    agora eu lhe pergunto...

    tudo estava escrito... vc já sabia?

    seu danadinho!

    ResponderExcluir
  52. recarregar...
    reabastecer...

    seria o senhor gessinger um mágico ilusionista musical?

    ResponderExcluir
  53. obs: o tal caminhão carregava... uma boiada!



    fala sério!!!!!

    ResponderExcluir
  54. Meu filho sempre pergunta porque os arranha-céus aparecem tão rápido onde antes não tinha nada... genialidade de seus seis anos... a cidade cresce antes dele. Os espaços estão ficando cada vez menos vazios e até o pequeno Leandro já sacou...

    ResponderExcluir
  55. No ano desse ingresso eu ainda não era fã, só conheci enghaw no papa é pop e então virei fã, mas em 02 de outubro de 1988 (FAZENDO 25 ANOS HOJE) nasceu minha irmã Ellen e que aliás era dia de meu aniversário de 11 anos e hoje 02/10/13 estamos comemorando os nossos aniversário ouvindo HG & ENGHAW de quem somos DE FÉ.

    ResponderExcluir
  56. Também tenho essa visão do crescimento da cidade, é bom ver a cidade crescer mas fica a saudade e o vazio dos lugares e daquilo que víamos e vivíamos quando passávamos diariamente nos locais. Os terrenos baldios onde brinquei de futebol hoje são integrações de ônibus, hospitais e praças. Hoje passo com meus 2 filhos e tento explicar onde jogava bola e brincava na minha infância e adolescência, mas fica difícil para eles imaginarem como era aquele lugar. HG ótimo texto, cara só você mesmo para expressar suas visões que parecem ser minhas. Acho que de tanto escutar você minha visão, minha cultura, meus conceitos são iguais aos seus, só gostaria de ter seu talento também kkkkkkk. Abraço querido mestre.

    ResponderExcluir
  57. Me sinto presenteado com esse texto, já que hoje é meu aniversário!

    ResponderExcluir
  58. Louca pra ver o show em Manaus, doida pra ler o Insular. Difícil morar em uma cidade onde a coisas demoram pra chegar

    ResponderExcluir
  59. Se alguém me perguntar qual foi o dia mais importante do ano até agora, eu digo sem pensar duas vezes que foi o dia 24 de maio. Alguém adivinha por quê? Pois é, Humberto apareceu por Fortaleza. E eu não podia ter tido melhor presente de aniversário. Ansiosa pela próxima visita, mas por enquanto me conformo com o Blog, que de vez em quando me faz ir dormir com algumas ideias novas ou reconstruídas.
    Boa noite!
    Fátima

    ResponderExcluir
  60. Pô 1bertão, e a nossa jam hein cara?

    []´s
    Leonardo Lima/RS
    www.ufrgs.br

    ResponderExcluir
  61. Tatiane - São Paulo-SP4 de outubro de 2013 20:16

    Ler suas postagens sempre torna minha semana mais agradável! Muito obrigada por dividir tudo isso conosco! Como mencionou no texto, você tentou chegar às pessoas, e eu te digo que conseguiu! Mesmo que não se aproxime fisicamente de todos, suas palavras e canções estão nas vidas destes que te admiram. Parabéns!

    ResponderExcluir
  62. " Espaço vazio. Magia selvagem aparentemente sem dono onde tudo era porvir. E quando o porvir chegou, o mistério se foi."
    Acompanhar o blog simplesmente vale a pena...
    PS: O Preço, Seguir Viagem e Esportes Radicais é uma boa pedida pro Show em Maringá, de resto fica ao critério do autor...

    ResponderExcluir
  63. terrenos baldios na minha infância era tudo de bom, lembro que agente se reunia para jogar bola e diversas brincadeiras, era um parque de diversão só nosso. Pena que hoje em dia esta se extinguindo acho que minha filha ñ ira conhecer esse parque.

    ResponderExcluir
  64. Cara, simplesmente fantástico teus textos. Acompanho a bastante tempo, mas nunca comento. Nunca tive uma oportunidade de ir a um show teu, sou do noroeste do Rio Grande do Sul, tenho amigos em Porto Alegre e Santa Maria que me garantiram (como era de se esperar) que foi o melhor show que já viram.
    Obrigado, Gessiger por nos presentear com a sua pessoa, inteligência, personalidade e visão de mundo.
    Novamente, Obrigado.

    ResponderExcluir
  65. Não preciso explicar porque és o meu ídolo!




    Genial!!!

    Obrigada por existir, Agagê! ;)

    ResponderExcluir
  66. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  67. Trreno Baldio http://www.youtube.com/watch?v=2eDtZGSz4EA

    ResponderExcluir
  68. Ainda que não tenha edificação qualquer num terreno desses que fora "baldio" - lembrei do amigo "Balbio" e as ídas aos terrenos abandonados de São Gonçalo. Sem rima na amizade, mas bem incautos. -, não teriam a mesma proporção, Gessinger. Penso que nossa ótica é que dá a proporção...
    Quando eu voltei a casa que nasci, no bairro Nonoai (e quando criança sempre pensara morar no Teresópolis), Porto Alegre, percebi que não cabia nem mesmo um puxadinho caso eu quisesse dividir endereço com meu pai novamente... Lembro do tempo em que sonhava em crescer, ser engenheiro ou arquiteto e construir casas pra toda a família, além de restaurar o sobrado original feito pelo meu avô - Lautildes da Silveira, naquele terreno amplo, de altos e baixos e que tinha saída pra duas ruas e para um considerável beco.
    Hoje sou um aspirante (acadêmico) designer, músico sonhador (amador) e me limito às dificultosas manobras com a minha moto, quando vou visitar meu velho, naquele terreno - aquela chácara dos 80's.
    Na minha primeira tentativa de graduação - Letras, ainda em São Gonçalo/RJ -, me retorcia por dentro quando uma professora dizia "a linguística será a coroa da língua e há de vir o tempo em que escreveremos certo e com coerência usando símbolos e abreviaturas...". Hoje até jornalistas escrevem suas crônicas no internetêis. Eu gosto. Me exercita, não me dá plano "B". Que ergam alguns arranha-céus nesses terrenos. E que amigos, nas futuras gerações, possam ficar mais perto ainda das estrelas nas suas ondas, erguidos à cobertura.

    Lautildes da Silveira Neto / NPoA.
    12/10/13 - alguns dias depois do A. Vianna; dia de N. Sra. Aparecida.
    PS.: Humberto, junto às fotos e a carta havia junto uma minúscula imagem de N. Sra.. Espero que não tenha levado a mal. Não tenho nenhuma religião, não sou à fim de pactuar, nem patuá. Como ando de moto, minha mãe presenteou-me e contou ser a padroeira das estradas. Não por isso, pelo título, mas relacionei à imagem uma sensação incrível, de paz comigo mesmo. A carreguei por muito tempo... Pelo RJ, pelo pampa, por ai... E naquele dia, sem mais pq, resolvi tirá-la do bolso e por no envelope. Se não precisar descartá-la, que sirva como qq coisa boa, como qq centelha de energia positiva.
    Att,
    Neto Silveira.

    ResponderExcluir
  69. gessinger, eh seu tio? http://ruygessinger.blogspot.com.br/ rsrs.bricadeira. achei quando estava procurando pelo seu blog. parabens pelo novo trabalho.

    ResponderExcluir
  70. Achei também uma homenagem ao nosso professor. Sensacional: http://www.youtube.com/watch?v=Y7LL0Bc1xRU.

    Cara, fui no seu show aqui em Campinas, que show fantástico!! Que presença de palco heim!! o tavares esta arrepiando na guitarra. Éh o terceiro show seu que assisto e o melhor. feliz 2014. Que venha em paz. rs

    ResponderExcluir