el lado oscuro de la luna - 106

Sábado à noite um incêndio destruiu parte do Mercado Público de POA, um prédio pelo qual nós, gaúchos, temos muito carinho. Enquanto via imagens pela TV, eu me lembrava de idas ao mercado na minha infância/adolescência. 

No segundo andar, eu e alguns amigos comprávamos revistas de música. Usadas! Importadas da Argentina!! Era a melhor e mais rápida maneira de se informar sobre o que estava rolando!!! Às vezes me lembro disso quando a conexão da www está lenta e penso duas vezes antes de reclamar. 

Se sobrasse grana, parávamos na Banca 40 para comer morango com nata batida e nos sentíamos tri-adultos em meio a mesas de mármore, olhando nossos reflexos nos espelhos onde estavam escritos em letras vermelhas preços e opções de cardápio.

Foi ali que nos reunimos antes do primeiro grande comício depois da anistia, quando voltaram os exilados. Foi no outro lado da rua, em frente à prefeitura. Lembro que cada vez que acendiam luzes no meio da multidão para que o repórter da rede hegemônica fizesse um registro, todos gritavam e ele não conseguia gravar... e que rolou um estouro... e que saímos correndo, uns subindo a Borges de Medeiros, outros de volta ao mercado,  até que o gás lacrimogêneo alcançou a todos... é, parece que o roteiro não muda.

Na noite deste sábado, tuitei essas lembranças mas saquei que o clima na timeline era outro. Muitos posts politizados, reivindicando mudanças, cobrando responsabilidades... poucas memórias afetivas. Deve ser influência das manifestações que têm acontecido. Legal. Tomara que não sejam faniquitos passageiros. Tomara, também, que se endureça sem perder a ternura, como diria o cara das camisetas.

(*)  

Das inúmeras causas que estão ganhando cartazes, fico na esperança de que a questão do espaço público nas cidades ganhe o destaque que merece. Mais atenção com o espaço que é de todos e parece não ser de ninguém. As faculdades de arquitetura e urbanismo já geraram tanto (e tão bom) material a respeito... pena que a especulação imobiliária sempre fale mais alto.

(*)

Mudando de saco pra mala, o novo livro vai se chamar SEIS SEGUNDOS DE ATENÇÃO. Deve chegar na segunda quinzena de agosto.
abraços
9jul2013


74 comentários:

  1. Veio cedo hoje!

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seis pilhas pr'o meu rádio
      Seis minutos pra canção
      Seis cordas pra guitarra
      Seis sentidos na mesma direção
      Seiscentos anos de estudo
      Ou seis segundos de atenção

      Excluir
  2. É fácil expor ideia na camiseta sem que ela esteja na cabeça e nas ações.

    Ansiosíssimo pelo livro!

    ResponderExcluir
  3. "Seis segundos" já foi pra lista de desejos...rs

    Pois é... a www trouxe, junto a velocidade, a pressa...

    Quanto mais rápido podemos ir?

    Boa semana.

    ResponderExcluir
  4. E o Disco! Quando?!

    ResponderExcluir
  5. lagal primeir VEZ QUE ESPERO ...DEMAIS BETO DIA 23 TE ESPERO EM CONQUISTA VALEU ...BOA NOITE A TODOS

    ResponderExcluir
  6. Esperando o novo livro.... um novo companheiro de cabeceira... "SEIS SEGUNDOS DE ATENÇÃO".

    Ansiedade boa!

    bj Humberto!


    =)

    ResponderExcluir
  7. Ansioso para ler o novo livro. E tomara que o mercado seja restaurado brevemente.

    ResponderExcluir
  8. "Seis segundos de atenção,
    Pra entender...
    Nada disso é tudo
    Tudo isso é fundamental."

    Feliz em saber que terá uma Twitcam pra Insular :)
    No aguardo do INSULAR e agora do SEIS SEGUNDOS DE ATENÇÃO.

    Grande abraço Humberto,
    até semana que vem!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. " Basta ver o que não se enxerga
      e só se enxerga nos olhos de uma mulher "

      Boa madrugada , De Fé

      Excluir
    2. "Basta olhar pro que acontece
      Esteja onde estiver"

      Obrigada, pra você também! ;)

      Excluir
    3. " Nada disso é tudo e tudo isso é fundamental "

      Excluir
  9. Ansioso para ler o novo livro. E tomara que o mercado seja restaurado brevemente.

    ResponderExcluir
  10. nossa nao vejo a hora de agosto chegar para comprar o livro e o cd do mestre.ah e como sempre o texto esta maravilhoso.

    ResponderExcluir
  11. É, 1berto, aos poucos as pessoas vão perdendo a importância que se deve dar à memória afetiva, aquele que carregamos no peito e nos faz lembrar que somos humanos e que o tempo passa depressa demais, quem sabe "seis segundos" da eternidade?

    Belo texto.

    ResponderExcluir
  12. E o Insular??? Chega quando? To ansioso! Grande Abraço mestre!

    ResponderExcluir
  13. "che guevara na tua camiseta, o planeta na tua cama" baah mto abagualado saber hoje o nome do proximo livro e ainda escutar boatos que tera H.G. em chapecó, nao tem preço :D boa noite mestre, até a proxima...

    ResponderExcluir
  14. Vou me presentear com um excelente livro né. Boa semana, HG!

    ResponderExcluir
  15. "Mais atenção com o espaço que é de todos e parece não ser de ninguém" - em contrapartida ou em afavorpartida da área dos comentários que é espaço livre, como num post anterior, vou só marcar presença, como sempre farei, sob pena de ter meu comentário excluído, mesmo que a intenção não tenha sido - de maneira alguma - ofensiva... O bom é que continuo tomando doses alicícas pra crescer ou pra diminuir... Um abraço, dois abraços, três abraços, como sempre desejei...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ops... Ou será que o texto não foi excluído e foi pro lado escuro? :)

      Excluir
  16. Esperando ansiosamente o livro"SEIS SEGUNDOS DE ATENÇÃO"Seráque levarei so isso para ler hahaha
    Abraços Mestre!!! :D

    ResponderExcluir
  17. Obrigada pelas lembranças...

    Abraços!

    ResponderExcluir
  18. Tenho vindo aqui, sempre que as segundas viram terça, a ler quietinha os seus pensamentos altos. É feito cantasse as suas canções. É bom que só!

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. " Bom que só "

      Eu ouvi isso em algum lugar
      Se não me engano no Sul do Pará

      Excluir
  19. Como nasci em plena era www, admito que é um exercício semanal manter a ansiedade em ler o post seguinte, mas sempre vale a pena! A ansiedade é enorme em relação ao livro e ao disco e em pensar na possibilidade de estar presente em um show seu me faz ficar radiante! É uma pena que não há shows marcados para Palmas-TO... Boa noite! Até semana que vem!

    ResponderExcluir
  20. belas palavras, me fizeram sentir saudade de um tempo que não vivi, nasci em 97. Mas te espero no dia 13 em Lorena-SP !!!!

    ResponderExcluir
  21. Aqui , em Longe Demais das Capitais , também tem um mercado secular que foi destruído , mas não pelo fogo e sim pelo descaso e o abandono

    ResponderExcluir
  22. Notícia boa Agagê \o/

    No aguardo.. Seis Segundos de Atenção sairá em agosto, então INSULAR tá pintando pra agosto também, né?

    ResponderExcluir
  23. Boa semana Sir Humberto.

    Esperando o Insular e o novo livro !!!

    Abraços

    Fabio Furukawa

    ResponderExcluir
  24. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  25. Novo Livro , Novo Cd , que perfeito *-* Agora só falta um show na minha cidade :/ :/

    ResponderExcluir
  26. Sidnei Rodrigues -SP9 de julho de 2013 09:46

    Olá Humberto!
    Sou do tempo antes da www....Hoje tudo mais fácil
    Ontem mesmo fiquei vendo videos de outros tempos e vc disse naquela época que seria bom se tivesse alguém só para dar nomes para canções e que gostava disso,a pouco tempo vc anunciou o nome do disco INSULAR e agora o livro SEIS SEGUNDOS DE ATENÇÃO, quero dizer que gosto muito do jeito que nomeia seus projetos ou canções,PARABÉNS.....
    São Paulo no aguardo,com o Pouca Vogal vc demorou muito.

    ResponderExcluir
  27. OLÁ grande Humberto!
    Quando vc fala de poucas memórias afetivas, faniquitos passageiros, tbm temo por isso, sou educadora e as vezes sinto que vivemos uma "era" momentista. Tomara que não seja isso e que minha percepção esteja errada, afinal tenho um filho crescendo e quero um mundo melhor pra ele.
    Adorei o nome do livro e nesse vou querer um autografo!
    Bom feriado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Segue abaixo um comentário

      Excluir
  28. OLÁ grande Humberto!
    Quando vc fala de poucas memórias afetivas, faniquitos passageiros, tbm temo por isso, sou educadora e as vezes sinto que vivemos uma "era" momentista. Tomara que não seja isso e que minha percepção esteja errada, afinal tenho um filho crescendo e quero um mundo melhor pra ele.
    Adorei o nome do livro e nesse vou querer um autografo!
    Bom feriado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Humberto isso passa, isso é uma febre passageira... O mundo tem tambem mundos passageiros. Deixa livre que fica esperto.9Obdg.

      Um belo dia!

      NÔ.

      Excluir
  29. 6 segundos de atenção: perfeito! :)

    ResponderExcluir
  30. Revirar memórias... minhas e de outros... suas... No aguardo de "Seis segundos de atenção"!

    ResponderExcluir
  31. Além de uma grande amiga porto-alegrense, uma das coisas que me levaram a querer conhecer Porto Alegre foi uma banda chamada Engenheiros do Hawaii, é como um beatlemaníaco querer ia à Liverpool (também sou, mas ainda não fui). Guardei agradáveis lembranças da minha passagem pelo mercado, um dos lugares que mais gostei junto com a Centro Cultural Mario Quintana e a Redenção. Espero voltar e vê-lo reconstruido, embora o que as chamas queimaram não volte mais, se vão com a fumaça.

    ResponderExcluir
  32. SEIS SEGUNDOS DE ATENÇÃO.Maior felicidade não existe,novo livro chegando,que maravilha. Parabéns aos teus 600 anos de estudo Sr. Humberto Gessinger.

    ResponderExcluir
  33. Ola Humberto,
    Muito ler um texto assim, vejo com certa apreensão esta falta de memoria afetiva por parte de grande publico, e dos governantes. Minha cidade Porto Velho- RO tem ótimos lugares para ser preservados, para ser utilizados para lazer e cultura, e se encontra em total abandono.O maior exemplo é a velha Estrada de Ferro Madeira Mamoré.

    ResponderExcluir
  34. Esses dias ouvindo: Fé Nenhuma... Fiz um paralelo com essas manifestantes e manifestações...Seria quase que mudando a letra da música...Eu diria que eu acredito no Futuro do Brasil, mas não acredito no espirito revolucionário dessas manifestações não sei bem porque ou tal vez até saiba ou tenha só mais uma entre milhares de opiniões...sobre. Uma delas, é que vejo tanta alienação, tantas e tantas manipulações...que não vejo nem graça... Ma de qualquer forma respeito...Como diz a Presidenta essas vozes das ruas há de serem ouvidas com atenção...
    Mas, só lembrando que acredito no futuro do Brasil mas não pra agora...é pra daqui uns 100 anos ou mais...Ou estamos avançando em direção à um mundo quase perfeito ou será que pra sempre será complexo e complicado o ser humano...? Com relação ao Brasil vejo que tivemos muitos avanços, teve tantos que muitas pessoas nem conseguiram sacar, até mesmo devido ao a velocidade muito rápida e as vezes lenta como as coisas se processam...Mas o fato é há mudanças em todas as direções: internas e externas pro bem e pro mal...Mas e o paraíso que todos sonham? Dai penso que nem no céu.

    ResponderExcluir
  35. fiquei triste com a noticia do incêndio. adoro visitar os mercados públicos....acho q a alma de uma cidade...tudo se concentra lá...uma pena o q ocorreu....sobre o livro...Seis Segundos de Atenção...titulo memorável....gostei! Abraço.

    ResponderExcluir
  36. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  37. Minha memória do Mercado na infância era de encher o saco dos meus pais para comprar um sonho pra mim.

    Legal saber que também já correu de bombas de gás lacrimôgenio... hehehe

    Abraço!

    ResponderExcluir
  38. O Mercado Público é o meu norte, quando vou a Porto Alegre. Gosto de sentar em uma Banca e observar a cultura local.
    Torço para que esse espaço de memória e tradição, seja recuperado o mais breve possível.
    Saudações.

    ResponderExcluir
  39. Este texto apagou o anterior. Gostei. Abraço! =)

    ResponderExcluir
  40. tudo é fundamental quando ha paixao pelo que fazemos ,com isso seis minutos de atençao tem muito valor e faz sentido quando edifica o proximo. rj.

    ResponderExcluir
  41. 600 anos d estudo.......pra entender!!!!!pléupléupléuram

    ResponderExcluir
  42. Gostei do título do livro.
    Ótima escolha!

    ResponderExcluir
  43. Reclamar: no guichê ao lado.
    Vândalos... lembranças do horizonte que nunca passou. Cabotino!

    ResponderExcluir
  44. Putz, vc me surpreende a cada novo texto. "POUCA MEMÓRIAS AFETIVAS" isso com certeza se perdeu, o q será de mim...o q será de nós. Boa semana mestre. Torcendo para q nossas lembranças durem mais q seis segundos rs...beeejo

    ResponderExcluir
  45. POUCAS MEMÓRIAS AFETIVAS, A FALTA DE AFEIÇÃO TALVEZ ESTEJA MINANDO OUTRAS COISAS TAMBÉM.UMA PENA, MAS, NÃO É O FIM. FIZ ATÉ UM CURTA-METRAGEM A RESPEITO DO ISOLAMENTO INDIVIDUALISTA, GOSTARIA MUITO QUE VOCÊ O ASSISTISSE, CASO FOSSE POSSÍVEL, http://www.youtube.com/watch?v=j8NEIrRJUQw&feature=youtu.be OBRIGADO HUMBERTO, ABRAÇOS!

    ResponderExcluir
  46. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Adoro esse texto do Willian Blake (Provérbios do Inferno).

      Há de se ter cuidado, permitindo que cada um perca um pouco da infância (como já disse o mestre) no seu devido tempo.

      Abraço.

      Excluir
  47. Como boa 'gessingermaníaca' que sou me sinto sem palavras para descrever a emoção de ler, ouvir, ver e sentir tudo o que faz o Humba!
    Lembro que no ano de 2009 saí do interior do sul da Bahia (bem longe das capitais) para conhecer POA e tudo o que eu vivi durante os quatro dias em que passei na cidade e redondezas me aproximava ainda mais das canções do Gessinger.
    Para quem tremia de frio quando os termômetros marcavam 19º C na minha cidade natal (coisa rara, por sinal), fiquei bem gélida com os 2º C, mas na memória manteve-se aquecida ao ouvir Anoiteceu em POA...
    Estive no Mercado Público no último dia dessa minha "excursão" para POA e fiquei encantada com todas as coisas que vi e senti por lá, até o aroma é diferente...

    Esses são apenas pequenos fragmentos da minha memória afetiva.
    Espero que o Mercado Público seja logo reconstruído e que em breve eu possa ler Seis Segundos de atenção... e que, por fim, não percamos a ternura jamais ;)
    Saudações!

    ResponderExcluir
  48. Olá,Humberto!
    Estou ouvindo seu som e lendo seu blog....E falando em lembranças boas,recordo-me quando estava indo ao Carrefour de Belo Horizonte comprar um CD seu e no exato momento que entrei no recinto,toca Parabólica como som ambiente....Eu me arrepiei toda porque é a música que eu mais amo....Linda d+.....Estou aguardando ansiosa para ler mais uma obra literária,aumentando assim o meu acervo intelectual e material,afinal,sou sua fã.

    ResponderExcluir
  49. Todos nos sensibilizamos pelo mercado =\

    ResponderExcluir
  50. Aguardando ansiosamente para o próximo livro...que venha agosto logo!

    ResponderExcluir
  51. (e ansiosa também para degustar o próximo livro!)

    ResponderExcluir
  52. Mestre Gessinger! Contei pro meu vô, de 87 anos, que o Mercado Público estava incendiando. E eu vi um olhar de tristeza. É como se ele me transmitisse o que nessa hora pensava, como um "que saudade de Porto Alegre". Da manhãzinha, bem cedo, bem friozinho. O Mercado no nosso caminho, como patrimônio histórico e cultural, portal de entrada para uma cidade bonita, alegre e histórica. Saudade de ver pessoas iniciando mais um dia de trabalho, passar pelas ruas movimentadas, cruzar vidas, destinos, dores, histórias. Pessoas que lutam para ganhar o salário do mês, pessoas que gritam pra chamar algum freguês. Mas sente saudade de Porto Alegre em si, do ritmo, dos rostos, do movimento. Do Mercado Público, daquela sensação de dever sendo cumprido. Saudade das músicas de rua que ouvia, e que enfeitavam aquela paisagem, como se fosse uma orquestra harmonizada, as pombas da prefeitura que andam junto com uma simpatia indecifrável. Saudade da arquitetura antiga, do romantismo daquele centro, do gostinho bom do café, do toque nos livros nos sebos da ladeira. Ah! É como se colocasse um óculos três dimensões e enxergasse a vida mais vibrante, a vida que pulsa. Permitia-se sonhar lá dentro, ou deixar todas as angústias tomar conta, até que transbordassem e fossem embora, junto com o por-do-sol do Guaíba. Até nos dias de chuva Porto Alegre era bonita, com o seu Mercado, como se fosse uma obra de arte, uma dança. Todos aqueles guarda-chuvas de estampas coloridas. E aquela sensação de caos no rosto das pessoas, ou de alívio. O meu vô com toda a sua história, com um olhar e uma ou duas palavras, transmitiu sua nostalgia. Tristeza, talvez seja esse o sentimento dos gaúchos daquele dia.

    ResponderExcluir
  53. Sim. Todavia caímos na Internet, não por acaso...; Números, horas, coincidências ou não, palavras espontâneas, frágeis testemunohs do nosso louvor..., e do nosso cursor! TERRA! Somos muitos, somos Todos e nada nos apaga neste Universo, que esteve onde o Tempo e os percursos da Humanidade nos levam e conduzem.

    Apesar, e no entanto, tentar dizer(com meu idioma): uma só coisa, talvez um detalhe, que observo: DILMA, primeira mulher Presidente do BRASIL! Presidenta..., merece-nos mais respeito. Mais reconhecimento!Ainda creio nisso, e me indigno quando vejo tantas fotos mal posicionadas sobre tua forma livre de ser! Livre, pois estiveste onde tantos não quiseram estar... E hoje estás onde tantos imaginam ser longe ou fácil chegar.
    Lembrança. Com minhas palavras, neste blog ou na rua, e independente, com pouco conhecimento do poder que levam as minorias a desistir de se expressar. Mas vidas e palavras são minúsculas diante de um poder que supõe destituir ou apequenar a História, as curvas, os degredos que hoje se estuda na Nação. Eu te agradeço, e também agradeço aos homens e mulheres que falam, ou que, pelo menos deixam falar, em teu favor.
    Não sei tanto..., mas se algumas chegam onde estás, mormente por mérito de seus maridos, talvez até os esqueçam, em vários momentos em que deveriam ser memorizados. Então, se viveste na própria pele tua verdade, que o país te dê as mãos e não se esqueça se lembrando que hoje és um querido Presente. Uma LUA plena, que não merece tanta precipitação ao lançar questões eternamente em discussão, ao largo de pequenos passos. Existem passos maiores e mais sérios. Estes já te foram confiados. Tua jornada continua junto com o destino da população. O meu abraço pessoal e sensível, neste momento.
    E por aí, onde é possível andamos, entre os percalços da gramática e a pressa do teclado....


    Sempre gratos, Humberto, pelo espaço, pelo texto, pela particular observação do pequeno e grande redor que nos envolve. Um abraço, ao triste evento com o Mercado Municipal de Porto Alegre. Triste mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (Em suave revisão, constato um erro, de nossa parte no texto - melhor dizendo:)

      * "... conhecimento do poder que leva as minorias..."

      Excluir
  54. "Os que partiram para as metrópoles caíram num deserto..."

    ResponderExcluir
  55. lindo,seis segundos.......te amo,HUMBERTO.

    ResponderExcluir
  56. Humberto,
    Sou mineiro de BH. Em outubro do ano passado escolhi Porto Alegre como destino de férias. Eu sempre tive vontade de conhecer as terras gaúchas; de entender um pouco mais o que cantava minha banda favorita.
    Um dos lugares que visitei foi o Mercado Público. Gostei tanto que reservei mais uma tarde para ele: comi o filé à parmegiana incrível no andar de cima do Mercado observando, lá em baixo, a venda incessante de erva mate para abastecer as cuias que circulavam por toda a parte.
    Estive em Canela e Gramado; fui ao Beira Rio e ao Olímpico; visitei os parques, a catedral, o Theatro São Pedro; Vi o pôr do sol no guaíba, mas nada, absolutamente nada me marcou tanto quanto o Mercado Municipal.
    Sempre visito o mercado nas cidades que conheço. Um pouco da essência da cidade está ali.

    Fiquei triste quando vi o incêndio porque mesmo não sendo de Porto Alegre entendia um pouco o que aquele espaço significava.

    A maior lembrança de POA? Um vinil do "Filmes de Guerra Canções de Amor" que encontrei naquelas banquinhas no andar em cima da Banca 40. Na próxima oportunidade quero um autógrafo nesse vinil. Me senti mais próximo da banda, da cultura, da cidade, enfim, guardo com carinho esse vinil. Um registro da banda que curto direto dos ares onde ela nasceu.

    ABRAÇO,

    Everaldo.

    AH! A foto que retuitou lá no dia do incêndio é minha, está disponível aqui: http://www.flickr.com/photos/everaldovilela/sets/72157634988250123/with/9467960787/

    ResponderExcluir