Primeiras vezes - 101

Ao periodo de gravação de um disco, sucede um tempo de desaceleração. Os dias ficam maiores, voltam a seu tamanho normal. As atividades, apesar de ainda criativas, ficam mais mornas: detalhes do projeto grafico, alguma pequena mudança na ordem das músicas...

... e começam os pensamentos sobre como mostrar o disco ao mundo. Aí recomeça a agitação, pintam as ideias sobre como transpor as musicas para o show. Quais tocar, como tocá-las. 

A maneira mais simples é reproduzir os arranjos de forma literal, nota por nota, com a mesma instrumentalização. Também há a possibilidade de fazer o oposto, recriar o disco a cada show. Entre as duas, se situa o caminho que pretendo seguir. Não será novidade para mim, é o que sempre fiz. Mas será mais interessante agora que gravei todos os instrumentos - com exceção da bateria e das participações dos convidados.

Estou falando da sutil e subjetiva arte de condensar informação sonora. Como o voo de uma pomba desenhado por um simples traço de grafite (não errei a concordância (não desta vez): o desenho é do voo e não da pomba - mais difícil e inevitável que seja assim).

Estou falando, ainda, da magia de fazer soar notas que não são tocadas. Apresentar os elementos fundamentais e, principalmente, sugerir os outros. Perdão, uso mal a palavra "principal". Não existe "principal" e "secundário" no ofício/arte do mágico que nos surpreende cada vez que tira um coelho da cartola.

Quero manter o formato power trio na estrada. Em muitas canções gravei muito mais do que 3 instrumentos. O grande barato é fazer essas duas linhas se encontrarem criando - com o público - um terceiro ponto. Esta magia é que tem feito tudo mais valer a pena nestes 28 anos.

(*)

Nos shows, por enquanto, tenho tocado só duas musicas do INSULAR  (Tudo Está Parado e Tchau Radar). Pelo singelo fato de já terem sido gravadas e lançadas pelos parceiros.

Preservo o resto do material por querer dar aos ouvintes, especialmente aos fãs, o prazer da " primeira ouvida". Sei que não é facil nos tempos pós-www, mas para mim a primeira audição de um  disco sempre foi um momento especial. O inicio de um diálogo que começa com muitas perguntas (por que isso, por que aquilo, como assim, como assado) e vai se transformando em adjetivos. Sensação fugidia que tento manter.

Vou morrer sem conseguir expressar o que senti ao ouvir pela primeira vez o Wish You Were Here, sem saber nada a respeito dele além das poucas informações do encarte, que mais escondiam do que revelavam... com ouvidos em estado de atenção total e olhos escaneando cada centímetro quadrado da capa. Como são frágeis e valiosas as primeiras vezes!

Adoraria poder ouvir meus próprios discos assim, pela primeira vez, sem ter escrito, arranjado, gravado e mixado as músicas... infelizmente não é possível. Quando a gente grava, fica como o churrasqueiro que vai tirando lascas e, pronta a carne, já não tem fome. Demora um pouco pra ela voltar. Por isso, sempre fico com a contraditória impressão de que todo mundo ouviu o disco antes de mim.

Mas graças a Deus, há vários artistas que me dão este prazer. Agradeço os churrascos sonoros e literários que eles preparam. De lamber os bigodes!

(*)

E segue o baile. Esta semana a parada é no Teatro da UFPE, em Recife. De volta à capital pernambucana depois de 1988, 89, 90, 91, 92, 93, 97, 2000, 01, 02, 03, 04, 05, 06, 10, 11 e 2012. Quem foi? Quem vai? Abaixo fotos de alguns destes shows.

Nas primeiras idas a Recife, no fim dos 80, me chamava atenção a qualidade da livraria do antigo aeroporto. Muito acima da média!

Livrarias de aeroporto, pelo espaço exíguo, geralmente se limitam a best-sellers. E, no caso, o público alvo imagino que seja pessoas em férias (que não querem esquentar a cabeça com palavras de muitas sílabas) e executivos (a fim de descobrir os últimos truques para se dar bem). Mas a livraria do velho aeroporto de Recife era muito variada e interessante.

( Assim como eram variados e interessantes os doces no antigo aeroporto de Curitiba. Se bem que ainda rolam doces incríveis lá, eu acho. Quando perguntaram ao técnico Rubens Minelli quanto tempo ele havia passado treinando na cidade, ele respondeu: 8 kilos. )

Paralelos entre as culturas pernambucana e gaúcha são frequentes. Eu entendo as semelhanças. Ainda que Pernambuco tenha sabido, ao longo dos anos, muito melhor do que o Rio Grande do Sul, tratar do seu folclore, da cultura regional. Não é a toa que pinta pelo caminho um Chico Science...


Ops, prometi fotos de shows em Recife e... viajei pelos aeroportos... agora vai:

1993
1997
2000

2001

2002
2002
2004
2010


abraços
28mai2013

90 comentários:

  1. first !!!!!!!!!
    HEHEHEHEHE
    VALEU HUMBERTO
    AGORA JA POSSO DORMIR,.......

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando que o INSULAR chega nas lojas será????

      Excluir
    2. li sim... é que o hg me manda antes pra ver se ta bom, dai que posta!!!

      Excluir
    3. hahahahahaha ta bem, pois depois q ele te mandar vc me manda também? Pedido de amiga! kkkk

      Excluir
    4. deixa só eu ver se ele autoriza tá !!!

      Excluir
    5. Autoriza sim, sou uma De Fé bem De Fé mesmo!

      Excluir
  2. Na expectativa de desfrutar o Insular.
    Gostei das fotos. O tempo passa, mas as voadoras continuam as mesmas.
    Saudações Rubro-Negras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. " No ônibus que me trouxe até aqui.. "

      https://twitter.com/ERickenbackerRJ/status/333655036724928512/photo/1

      Excluir
    2. 4ª vez que me desloco de Maceió p/ Recife para assistir HG.
      Em 2000 na Fun House (Tour Tchau Radar), 2004 Classic Hall (com Lulu Santos e Skank), em 2005 (Festival de Verão do Recife - Centro de Convenções) e Agora no Teatro da UFPE.
      VALE A PENA!!!

      Excluir
  3. Humberto, na sua opinião: qual foi a melhor re-instrumentalização que você fez?

    Particularmente acho a adaptação acústica de Toda Forma de Poder no DVD Novos Horizontes.

    Abraço, cara! Sou teu fã, de verdade.

    ResponderExcluir
  4. A cada semana eu fico na expectativa do post revelar a data de lançamento do Insular. HAHA'

    ResponderExcluir
  5. Quais tocar? Todas
    Como tocá-las? Do novo jeito de sempre!

    ResponderExcluir
  6. Humberto querido, quero agradecer vc, Rodrigo Tavares e Rafael Bisogno pelo show MARAVILHOSO de sexta em Fortaleza...
    Lindo, emocionante, eletrizante... Perfeito....
    Amamos vc de montão....
    Volte sempre e mais vezes...
    O Ceará é sua casa!
    Cheiros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi exatamente isso que você falou. Tava com saudades do pulsar do meu coração. Viva Power Trio!

      Excluir
  7. Aeeeeeeeeee... que linda as fotos!!!
    Esses posts que aumentam o suspense são covardia, hein???

    Abraçossss Gessinger!!!
    AMO

    ResponderExcluir
  8. E esses pulos tão sincronizados que caso um leigo caso se habilite a fazer poderá cair e machucar o tornozelo rs. Só pra informar, no seu show em Fortaleza na sexta, passei o show todo tentando captar o pulo, ''aprisionar'' o que foi o show em uma foto, consegui no último momento, mas as memórias daquela noite fantástica, ficarão pra sempre na memória. No mais, já ansioso pra acompanhar as músicas do seu novo álbum, afinal o único que me falta, é aquele que ainda não saiu. Valeu Humberto.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. O que você sentiu ao ouvir pela primeira vez o album do Pink Floyd é exatamente o que sinto cada vez que ouço um disco ou uma canção nova que você compôs.

    Aguardando ansiosamente o Insular. Pena que em São Miguel do Oeste - SC, no início do mês, não tocou Tchau radar, eu estava esperando muito ouvir essa. Mas tenho certeza que não me faltará oportunidade de ouvi-lá em algum show!
    :)

    ResponderExcluir
  11. A paraíba tb vai pra recife sexta-feira, humberto!estaremos todos lá!
    o nordeste também é de fé!

    ResponderExcluir
  12. Texto 101... Quase a BR...

    Viajar sem precisar chegar ao final da estrada. Viajar no texto e na expectativa do disco novo.

    Agora diz aí... O cara ali na foto de 1993, de bermuda, cabeludo, camisa de futebol... Não é o Steve Harris? rsrs

    Abraço pra todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade o Harris começou a imitar o HG depois que ficou velho, ahhahaha

      Excluir
  13. Wish You Were Here passou a fazer mto, mas mto sentido pra mim 13 anos atras....infelizmente deixou de ser só uma musica linda. Insular nem chegou e já to com saudades....hahahahah que venha o disco!

    ResponderExcluir
  14. Que seja sempre um parada obrigatória!!!!

    ResponderExcluir
  15. Que texto fofo! Amei!

    Tchê, Humberto... Estou só pelo teu churras! ;)

    Boa semana! :D

    ResponderExcluir
  16. Desacelerar. É bom, mas dá saudades, mas é bom...

    Eu agradeço cada churrasco preparado pelo gaúcho que nos escreve. São de repetir até não querer mais (mas a gente sempre quer mais).

    Sim, esperando Insular e show por aqui e livro novo também, o que vier primeiro é a "linguiçinha" que passa antes da carne estar no ponto ;-)

    Abraço.

    ResponderExcluir
  17. Porto Alegre é a casa dele :P

    Queremos lançamento do insular aqui, logo. Está sendo dolorido esperar!


    ResponderExcluir
  18. estou ansiosa para ouvir,insular,pela primeira vez,desde já sei que vou me emocionar,pois tem sido assim quando ouço suas letras,sons,arranjos............adoro,obrigada por mais uma semana,te adoro......

    ResponderExcluir
  19. Aguardando o lançamento do Insular! Boa semana, HG.

    ResponderExcluir
  20. Bahh mto legal... Bom saber que ainda ha alguma coisa que possa nos emocionar em plena correria do século XXI. Esperando ancioso pelo insular... E ve se aparece em chapecó sc ;) forte abraço!

    ResponderExcluir
  21. Quanto mais o tempo passa mais expectativa é criada.
    Insular é mais esperado que filho de casal estéril, que salário mínimo no início de mês, que mulher debaixo do edredom, que vaso sanitário em uma diarreia súbita.

    Toca Licks!

    ResponderExcluir
  22. Eu nao sei se ja te disseram isso cara, mas eu te acho um cara sabio e inteligente.kkk e como qualquer um so to aqui p te tentar t chamar atençao. bom alemao um 'abraçao' e continuo aqui evoluindo minha paciencia e diminuindo-a tambem com os teus sons solo e acompanhado. sempre phodao!!

    ResponderExcluir
  23. Essas fotos de 1997 e 2000 foram tiradas por mim,lembro de tê-las enviado á Humberto e em troca recebí um poster autografado
    .Fiquei Feliz em vê-las postadas aquí.

    ResponderExcluir
  24. Sabe... nem sei se tu lê as postagens da galera, os comentários. Mas também, são tantos né. Cara, a cada frase, e olhando o plano de fundo do blog, e depois vendo as fotos, ficava vindo na minha mente "ele é um puta artista", é sensível para perceber nunces escondidas e escancaradas no mesmo "objeto". Um artista leve, sem abandonar a técnica, a arte na/da técnica! Ainda desejo ver esse pulo seu num dia desses aí...

    ResponderExcluir
  25. 1993 e aquela camisa azul e amarela.
    Adoro aquela camisa!

    Lembrei hoje dos tempos de twitcam e me deu uma saudade... Um show particular do Humberto todo dia 11. Comprava umas cervejas, ligava o notebook na TV e ficava ali, de boa só admirando. Na hora da pergunta valendo brindes rolava aquele desespero pra tentar responder primeiro, mas nunca dava certo... ahahahaha Foi muito bom enquanto durou... bem que podia rolar uma twitcam do INSULAR, seria épico!

    Abç Humberto,
    boa semana e até a próxima.


    ResponderExcluir
  26. O prazer da primeira ouvida...

    Como é difícil encontrar palavras pra descrever(link com o texto da semana passa, ahha) esta sensação. Estraño. Peculiar... sei lá...
    Nesses tempos em que não temos tempo pra nada é difícil separar um tempo só pra isso. As vezes vamos conseguir ouvir de cabo a rabo o novo disco, durante uma caminhada ou no trânsito, onde nossa atenção fica divida...

    De qualquer forma, toda "primeira vez" é especial, e quando a gente pega o jeito, não quer parar mais...
    (No caso, estou falando da música. Quando a gente aprende a letra, não quer parar de cantar... e isso geralmente não acontece na primeira vez que ouvimos, hahahahah)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De qualquer forma, toda "primeira vez" é especial, e quando a gente pega o jeito, não quer parar mais...

      E não é mesmo Leandro...
      Concordo em número, gênero e grau contigo.

      =)

      Excluir
  27. Realmente é inexplicável a sensação de ouvir um disco pela primeira vez, é um baita prazer! Lembro-me quando ouvi o GessingerTrio pela primeira vez, deve fazer uns 5 anos, apesar de fazer já 17 do lançamento rsrs. Ouvir, re-ouvir canções como: a onda, o preço, de fé, vida real... foi como ouvi-las de novo, pela primeira vez, mas foi! Não foi? (;

    Talvez o motivo da minha idade (tinha uns 14 quando ouvi o HG3) e falta de internet na época "esconderam" aquele disco de mim e me fizeram uma grande surpresa 17 anos depois! Não vou nem citar o 10.001, o ultimo adiquirido, e, o que deu mais trabalho! Completando a colecão!

    O tempo passou, veio o PoucaVogal, e foi incrível quando chegou meu dvd, que som maravilhoso! Foi emocionante!

    Acabou o PcVgl, Tu anunciou carreira solo e volta ao baixo, e pré-estréia em BH, essa qual tive a felicidade de presenciar, os dois primeiros dias e conseguir minhas 2 primeiras fotos! Ah! Dessa vez tive idade e estava muito bem informado! Rsrsrs

    Agora chegou a vez do insular! A expectativa é grande aqui! Sei que será um prazer ouvi-lo e re-ouvi-o incontáveis vezes, assim como acontece com os outros 19! (=

    Boa noite! Boa semana! Abraço!

    Michel Reis, Pouso Alegre - MG

    ResponderExcluir
  28. Báh, sem comentários! Você querendo ser o primeiro a ouvir seus discos e eu querendo gravá-los no escuro do estúdio(sei que lá além de inspiração também tem transpiração e na hora talvez nem seja tão mágico como era pra ser). Mas entendo esse ponto de vista pra lá de interessante, a vista de outro ponto. Nessa de churrasqueiro eu só quero estar sempre na festa meu velho! Essa estrada é a resposta da pergunta que te fiz quando você veio à Joinville divulgar o teu livro. Perguntei se havia possibilidade de um show Elétrico, se chamaria músicos de formações anteriores e se gravaria antes de tocar ou tocaria antes de gravar! A tua resposta fez muito sentido agora. Abraço meu irmão !

    ResponderExcluir
  29. Bacana, a fome do churrasqueiro que vai embora foi ótima...
    Ta chegando a minha vez, Criciuma/Urussanga!!!!!!!

    ResponderExcluir
  30. Pela primeira vez esperei pra ler e ta bom como sempre. Como sempre um abraço como nunca...

    ResponderExcluir
  31. Eu nao tinha grana pra comprar CDs e tinha seus "discos" em fita cassete, sem encarte e depois de mil vezes ouvidas ficava com uma qualidade deploravel.
    Mas a unica forma de ouvir Engenheiros pela rua, na cama de noite ou na viajem era no walkman.

    Obrigado sempre pelos encartes generosos dos CDS, nem sempre sao assim.

    PS.: Meu filho de 5 anos é fa apaixonado pela Clara. Me faz colocar sempre Pose antes de tocar todas as outras.

    Abraço, Fabio

    ResponderExcluir
  32. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  33. É mesmo, onde será o lançamento de INSULAR?E um DVD gravado em FORTALEZA?Nós merecemos,né?Armaria nam!rs

    P.S.:Meu filho de seis anos adora a música quebra-cabeça...

    ResponderExcluir
  34. Minha estória com o Engenheiros do Hawaii começou quando eu tinha uns 11 anos de idade, na casa de meu vizinho, quando ele me apresentou o recém lançado vinil ‘Alivio Imediato’, seguido de ‘ Ouça o que eu digo, não ouça ninguém’ e ‘Go Back’ do Titãs.
    Estávamos na pré – adolescência e começamos a fazer uns ‘bailinhos’ num salão que tinha na minha casa, afim de mostrar nossa técnica de discotecagem para os amigos e fazer uma graça para as meninas que queríamos impressionar e conquistar.
    Quando ganhei minha primeira guitarra, uma Dixon strato amarela, os Engenheiros tocaram no Rock in Rio II e estavam estourados com a versão de ‘Era um garoto que como eu, amava os Beatles e os Rolling Stones, por isso foi a primeira musica que aprendi a tocar na guitarra.
    Já no fim do ano me formei na oitava série e viajei com a minha classe para Santa Catarina, levando comigo uma Fita K7 com ‘Inuendo’ do Queen de um lado ( um mês após a morte de Fredie Mercury) e ‘Varias Variaveis’ disco que sucedeu ‘O Papa é Pop’ do outro, a turma foi reclamando dos Engenheiros até chegarmos em Camboriu onde o disco tocava em todas as rádios o dia todo, se tornando a trilha sonora da viajem para todos nós.
    No outro ano em 1992 pra 1993 ganhei de presente o disco da banda que mudou a minha vida ‘ GLM’, estava ansioso para ouvir seu novo trabalho e confesso que estranhei o disco do começo ao fim, na verdade odiei, musicas interligadas uma nas outras, uns efeitos de guitarras e sintetizadores, pedalboards....parecia tudo confuso, melancólico e progressivo demais pra mim, com isso deixei o disco num canto esquecido.
    Daí tive uma estória mal resolvida com uma garota que não vem a caso agora a estória e só de raiva comecei a escuta-lo o dia todo só pra ficar mais deprimido, com isso fui percebendo cada detalhe dessa obra prima da Musica Popular Brasileira e me apaixonando cada vez mais por cada musica desse álbum, se tornando o meu álbum nacional favorito.
    Depois tive minha fase mais tranqüila e eles vem com ‘Filmes de Guerra, canções de Amor’, em seguida quando entro para a faculdade, conhecendo um mundo novo, muito álcool, muitas duvidas sobre o futuro, muita filosofia na cabeça, ouvindo muito The Doors, é lançado ‘Simples de Coração’; Embriagante!!!
    Já em 96 pra 97 conheci um grande amigo que tocava contrabaixo e gostava de Engenheiros, o Juninho, e com ele e seu irmão formamos uma banda na época do Lançamento do ‘Gessinger Trio’, depois tivemos outras formações e a banda apesar de boa acabou um ano depois.
    Em 1999 conheci uma garota de Minas Gerais e começamos a namorar, dois meses depois fizemos uma viagem para São Sebastião e Ilha Bela, depois pra Bocaina de Minas, sua cidade, qual foi a trilha sonora?
    ‘Tchau Radar’!!!!!
    Um ano depois nos casamos e montamos um bar: Pierrot Music Bar, e reencontrei velhos amigos da escola ,que tocavam Engenheiros, como o Paulinho e o Juninho, também conheci outro grande amigo chamado Jhol, que também começou a se interessar pelo som do Engenheiros e até hoje tocamos toda semana varias versões sobre o mesmo tema: Engenheiros do Hawaii.
    Nesse período saiu ‘Sufando Karmas e DNA’ , ‘Dançando no Campo Minado’ que tocávamos na integra no meu bar e depois o Acústico MTV, com musicas fantásticas, ‘Depois de Nós’, ‘Armas químicas e poemas’ etc.
    Em 2008 é lançado ‘Novos Horizontes’ numa época em que eu estava cheio de magoas, querendo abandonar tudo e ir embora, as musicas pareciam mais uma vez ter sido escritas pra mim, esse disco é muito bom mesmo!
    E por fim depois de superar o caos pessoal e pós ‘Novos Horizontes’ chega em minhas mãos ‘Pouca Vogal’, outro disco pra uma nova fase da minha vida;um novo emprego, também marcado por um Show que assisti na cidade de Lorena e marcou o fim de meu casamento de 11 anos, que me deixou bem mal.
    Por fim isso foi apenas o resumo de uma breve estória de uma pessoa qualquer, que teve a vida interligada e guiada por essa banda fantástica, responsável pela trilha sonora de sua vida.

    ResponderExcluir
  35. "Preservo o resto do material por querer dar aos ouvintes, especialmente aos fãs, o prazer da " primeira ouvida". Sei que não é facil nos tempos pós-www, mas para mim a primeira audição de um disco sempre foi um momento especial" Concordo Poeta acho bem mais interessante conhecer, ouvir a musica através do CD da maneira como ela foi Gravada o Show também fica mais frio quando rola uma musica que só o Cantor conhece..
    mas por favor poeta não esqueça do DVD se Possível BLURAY sou viciado em DVDS, BLURAYS em uma boa sala de HOME com uma tela gigante.. São 20 CDS e só 6 DVDS muito injusto da sua parte kkkk Quero mais uma vêz te pedir para não deixar de fora dos Bonus do DVD / BLURAY 3 Musicas que eu amo de paixão Sagração da Palavra, Anjo da Guarda e Fabula acho até que Sagração da Palavra deveria estar no INSULAR..
    Lamento muito que NATAL-RN BR 101 tenha ficado fora da Tour..
    Abraço de fé Poeta Humberto Gessinger

    ResponderExcluir
  36. Na verdade, a música "Anoiteceu em Porto Alegre" só aconteceu graças a mim.
    Ou alguém acha que o locutor sabia mesmo que o Grêmio ia ser o campeão da América?

    ResponderExcluir
  37. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  38. HG,

    O processo da construção do seu disco me encantou. E como é gostoso agora também começar a construir em mim a nova turnê. Sua permissão as nossas espiadas e intervenções me fascina.

    Revendo a última twitcam, percebi o qto o título do seu "qse novo álbum" já estava na resposta a pergunta que enviei para o bate-papo (e que resumiram... =/ ).

    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=6NU3hUYCuos

    Só muito depois, percebi o presente em ter TALVEZ participado da escolha do título - através da questão-intervenção-sem-intenção.

    :)

    Obs.: A pergunta original era:

    Compor parece ser expressão/projeção da subjetividade, que é devir, que está eternamente em desconstrução e construção. Quanto às suas composições, quais mudanças você percebe comparando o álbum LDDC e seu trabalho que ainda está em estúdio (solo)?

    (Acho que era um tanto grande mesmo... rsrsrs)


    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (sorrindo)

      Kelly... nas entrelinhas de uma questão grande, sempre o que se quer é aquela atenção tão alongada quanto o adiamento de um interrogação no final da pergunta...

      Que custa o ídolo responder né
      (sorrindo mesmo)
      =)

      Excluir
    2. Sabe... Vc tem razão.
      (sorrindo tb)

      E ele respondeu... a questão foi resumida, mas foi respondida!
      (sorrindo ainda mais)

      :D

      Excluir
  39. O primeiro momento. Bom, me lembro bem aos 12 anos de idade, estar fazendo meu dever de casa da escola, minha irmã mais velha ouvindo rádio, na sala se balançando em uma rede. O rock nacional fervia, eu ainda resistindo, minha irmã ja ouvia Titãs, Legião, RPM, mas nada que me emocionasse tanto. Aí toca no rádio, uma canção estranha, apocaliptica, com citações sobre união e separação. Isso me encantou, eu pensei " que porra é essa", fiquei alucinado e desde então sigo a maior e mais complexa banda surgida na história do Rock Nacional. A banda todos ja sabem "Engenheiros do Hawaii", ja a música chama-se "Alivio Imediato".

    ResponderExcluir
  40. Muito inspirador sua mensagem dessa semana. Sentia exatamente o que disse, quando eu comprava os cds enghaw, assim que lançava. Antes era mais legal mesmo. Que bom que está fazendo o mesmo, deixar pra gente escutar, assim que lançar. Não põe na net não... nem as letras...deixa rolar....é bem mais gostoso mesmo a primeira vez.

    Valberto FORMIGÃO Bruckner.
    Jaú/Sp

    ResponderExcluir
  41. Não vejo a hora de ouvir esse disco, trancado dentro no meu quarto, sem barulho e tudo escuro. É, desse jeito, porque a medida que eu vou escutando as músicas, elas vão tomando rumos diferentes...depende do meu humor, do que esta acontecendo no momento...as músicas do HG são vivas e se expressam o tempo todo em minha vida. Nunca ficam estáticas, mesmo que relatem os anos 90 ( pose anos 90) ou que relatem um final de século ( mais um pouco e mais um século términa...).


    HG é o tipo de pessoa que nasceu para fazer o que faz!

    :)

    ResponderExcluir
  42. Tava no show em Recife de 2010. Esse não vai dá pra ir, final de mês sabe como é.
    Realmente o Nordeste e o Rio Grande do Sul são parecidos, ontem estava escutando uma palestra de uma cara de lá, parece que agente tá falando com alguém do próprio bairro. Muito massa ou Tribom.

    ResponderExcluir
  43. Pelo que sei, hoje é aniversário do LICKS. Entendo que foi feita uma homenagem ao grande músico, no texto presente.

    A palavra 'principal' foi dita, de forma humilde, entrelinhas, em notas não tocadas, para os que sabem ler e ouvir: "Perdão",

    Parabéns aos dois: ao autor, pelo chamado - e ao agraciado Licks, pelo trabalho inesquecível. Que ele resgate sua missão para o mundo e as próximas gerações. Abraços

    ResponderExcluir
  44. Você é tudo!! Não preciso de mais nada pra descrever o meu segundo ídolo,já que primeiro só mesmo Jesus!! Primeiro show que fui,tinha apenas 17 anos...Fortaleza -ginásio Paulo Sarasate...fiquei na frente e lembro que toda a galera caiu no chão..levamos o maior choque de nossas vidas..mas marcou,fiquei imaginando que você não entendeu nada...rs...mas foi massa apesar disso,sobrevivendo ao choque e lembro que pensei ao conseguir ficar de pé,pensei; Que massa esse efeito especial do show kkkkkkkk" Se minha mãe tivesse presente diria que nunca mais eu voltaria á um show desse...mas eu prometi pra mim mesma,que nunca faltaria um show seu,sendo ele em Fortaleza...e hoje ao 30...ainda estou sobre efeito Gessinger,sexta foi um show memorável aqui no Dragão do mar...eu continuo colada ao palco,grito o tempo inteiro;"Lindô!!! Humbertô!!! Te amô!!!" rsrsrs...uma vez lá na praia do futuro,barraca biruta,junto ao pouca vogal...você percebeu minha presença...e apontou e dedicou PIANO BAR á mim,eu estava gritando e chorando muito,e nessa hora fugi de mim...ao terminar á música..virou,apontou pra mim novamente...como quem diz; "Foi pra você,mesma!" Meu mestre,nem sei porque...mas flutuo quando te vejo,viajo legal...eu amo você...Fortaleza te ama,mestre! Nunca deixe de nos emocionar...com choque ou sem choque!!

    ResponderExcluir
  45. Parabéns Augustinho!

    ResponderExcluir
  46. TUDO RELUZ NO COMEÇO ,MAS VOCE HG SABE MANTER O BRILHO SEMPRE COM A PAIXAO PELA MUSICA ..SEMPRE EM FRENTE..........RJ.

    ResponderExcluir
  47. Que tudo a fome de churrasqueiro que quando fica pronto vai embora (rsrs). Sinto o mesmo às vezes, e é vero: Ficamos ansiosos para o fim do projeto/proposito e quando enfim termina, foi-se a vontade de ver. Ou entao, fica-se admirando e procurando por coisas que podiam ter sido feitas diferentes, de diversas formas. Tenho este defeito. Termino o projeto e fico admirando como a um filho,procurando por possiveis falhas e o que poderia ter ficado melhor. Pior é quando desmancho tudo e faço de novo (meus filhos dizem que é doença, minha mae diz que é insatisfaçao interior), vai saber. O fato é que estou ansiosa para ouvir INSULAR...
    Curiosidade: Estou aos poucos conseguindo completar meu acervo dos Engenheiros (só acha na net e nem todo site é confiavel) mas gloria: só faltam 7. Quando os cds chegam,poxa vida, que delicia colocar AQUELE cd para tocar pela primeira vez(mesmo ja tendo ouvido n vezes pelo pc ou mp3) É tudo de bom. Que o Senhor abençoe seu talento, que voce continue levando alegrias, inspiraçoes e paz(porque nao) para seus fas que ja te acompanham e para esta geraçao que esta chegando agora, avida por coisa boa de se ouvir. Abraços.

    ResponderExcluir
  48. Muito Legal! esse texto.

    Quanto ao disco, é o presente que os ouvidos estão esperando calmo e ansiosamente...
    Valeu! Abs...

    ResponderExcluir
  49. Antes de dormir, valeu a pena passar por aqui e ficar sonhando com o novo disco que vem po aí...
    Boa noite!

    ResponderExcluir
  50. E aí, 1berto?

    Gostei da viagem pelo tempo e pelo mundo das reflexões que esse teu texto provocou. Passado, presente e futuro são tempos em constante movimento.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Passado, presente e futuro são tempos em constante movimento.

      Concordo Carlos...
      =)

      Excluir
  51. Humberto te admiro demais ,estou ansiosa pelo INSULAR ,que venha logo!!!Boa semana!!!Abraço.

    ResponderExcluir
  52. Tchau Radar ficou muito linda! E Tudo está parado virou sucesso com o J Quest, toca aqui nas rádios direto.

    Cobro fortemente um show aqui no interior de SP: Sorocaba, Jundiaí, Indaiatuba ou mesmo Campinas.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  53. Meu sonho e sei que ficará em sonho mesmo, era ouvir o Insular em VINIL, nossa sei que divaguei agora mas puxa imagina chegar um LP novinho e você desembalando-o, sentindo aquele cheirinho que só os bolachões possuem, olhar um belo encarte, colocar a agulha nele e ter a primeira impressão com o calor do bom e velho vinil.
    Mas o sonho é popular né?
    Quem sabe?

    ResponderExcluir
  54. Só lembrando que hoje é aniversario de Augusto Licks...Não custava nada HG fazer um pequeno comentário sobre ele.

    ResponderExcluir
  55. Primeiras vezes...

    Sir Gessinger
    Sir Gessinger

    Primícias...
    Prelúdios de espaço, tempo, sentimentos, sensações...
    Fizeste-me lembrar de tantas... mas tantas coisas mesmo...
    A delícia das primícias, a fartura e gozo das primícias, a alegria e prazer inenarrável das primícias ... as frágeis sim, e por isso mesmo valiosas e também inesquecíveis primícias...

    Certo é ressaltar que Wish you were here pra mim é o apontar da fina linha que separa o Amor da Dor, o Paraíso do inferno, a Alegria da tristeza, o Riso do pranto...
    Por isso talvez a falta das palavras para expressar o que é ouvir o Sir Waters, como uma invocação, um chamado à boca da noite tal como rosa tardia aberta em pétalas de saudades...
    How I wish
    How I wish you were here

    Obra-prima de canção.
    E meu desejo carinhoso de fartas primícias na tua nova plantação sonora.

    Meu Olá.
    =)

    ResponderExcluir
  56. Belos show em Recife,1997 no Skol Rock na praia do Pina(Polo Pina);2000 na Fun House;2001 no Armazém 13,Recife Antigo.Essas fotos foram tiradas por mim e meu amigo de Engenhsaria Hawaiana,Edvalcir.Ficamos muitos felizes em vê-las postadas.Show de bola.
    Estamos na expectativa para o dia 31,vai ser mais um show inesquecível.

    ResponderExcluir
  57. "E segue o baile. Esta semana a parada é no Teatro da UFPE, em Recife. De volta à capital pernambucana."

    Dancemos então! Só no aguardo ... o meu primeiro show seu em solo pernambucano.

    ResponderExcluir
  58. Minha semana não é uma boa semana sem o texto do humberto. Só agora o bonde vai começar a andar!
    Vlw humberto, boa semana, abraços :DDD

    ResponderExcluir
  59. Bacana, genial. Em tuas espirais literárias, nossos amigos recordamos da poética das uvinhas doces que lamberam os lábios de tuas lembranças... Que gentil seria,a galope, nos ofertar de tua sobremesa no cotidiano de tuas palavras. Uvas (o abacaxi também)favorecem a digestão das pesadas carnes gaúchas. Dizem que há um prato chamado paçoca, que é feito de carne, é real? É mais conhecido por ser um doce...
    Na preparação de Insular, escreva-nos sobre o teu lar, o ar do sul, mal conhecido em outras terras do Brasil.
    Tens prendas domésticas? Traças com tuas botas ligeiras o folclórico bailado gaucho? Tchê! Todos amigos a RGS!

    ResponderExcluir
  60. HG
    Num é...Nóis tudo lá no churrasco!
    Spagetti alla Puttanesca, alho e óleo, oriundi da colônia.
    Os tenis, as havaianas, as botas do Pé-Preto olorizam gorgonzola,uai! Chega os âmagos do Nordeste...
    O corpo de baile, de Cordisburgo para Hamburgo. De São Borja a San Francisco. De repente, no Seridó...

    Salve a lesma lerda, o porto escondido, a rapadura! A cantoria do povo.
    Voo de jegue ou de águia... Nóis,chegano lá, Recife!!!

    ResponderExcluir
  61. Tive o prazer de ir ao último show do Engenheiros em Caruaru; depois fui a alguns do Pouca Vogal; agora estou ansiosa por esse só teu em Recife. Só estou triste pq só consegui ingresso nas últimas poltronas do teatro - queria ficar bem pertinho de tu, HG!! Rsrs. Sei que esse show será maravilhoso!!

    ResponderExcluir
  62. Que o Insular saia logo! Q os estudos e o trabalho deixem me vê-lo voar.....bom show no Recife!!! Beijos

    ResponderExcluir
  63. Nos últimos meses consegui me manter distante dos vídeos do youtube dessa nova tour... Amanhã, em Recife, terei o prazer de ter a "primeira ouvida" desse novo projeto. Tudo, para mim, será novo, e, decerto, emocionante como sempre. Um abraçaço, de fé.

    ResponderExcluir
  64. "O desejo é um pedaço de pão"
    A primeira vez que ouvi uma música do Vitor Ramil(faz tempo, não me lembro qual foi...), causou-me tanta impressão, que na hora em que ouvi seu nome, parei e o repeti várias vezes, pensando: "não posso me esquecer deste nome". Passam os anos, mas seu nome volta à minha mente, e fico contente quando escuto alguma composição dele. Não cheguei a comprar seus discos. Mas na época em que o livro "Satolep" chegou às livrarias, me surpreendi de descobrir que era também escritor. Parei, li as primeiras páginas. Já nos primeiros parágrafos me estarreci com sua prosa, achei ainda melhor que a música. Mas não adquiri o livro... Pergunto-me até hoje: por quê? O porquê dos vazios que deixamos, para manter algo fugidio intocável.
    Quando saí da livraria, no carro, continuei a pensar em suas mágicas palavras. Indagava-me sobre o título do livro. "Que era satolep?!... Sapo... esse cara tá longe de ser um sapo!... Serelepe? nããõõo..." Demorei pra atinar com Pelotas. E assim fiquei, com o cara preso nas frações da primeira vez, voando... O RS é todo fértil em vocação. Sorte para quem tem a casa aberta para receber essa cultura de pouco alarde. abçs

    ResponderExcluir
  65. apesar de nao concordar de você receber dinheiro da lei Rouanet
    espero ver logo um show em Guarulhos ou sampa

    ResponderExcluir
  66. Paralelas que se cruzam em REC e POA...sei bem como é isso!!!tenho familiares vivendo em POA e trocamos nossas vivências culturais entre afaias de maracatus e bombacha e tertúlias!!! Sobre o show em REC, pena ter sido em teatro, queríamos delirar um pouco mais!!! Mas foi maravilhoso! Algumas mentes limitadas comentaram sobre a presença de um público teen,mas, isso é bom, mostra que sua obra está atravessando gerações, sempre desafinando dos coro dos contentes"...lalalará... volte logo a REC! abraço

    ResponderExcluir
  67. só HG para colocar em palavras a "inveja" que sinto de quem ainda não escutou o Dark Side do Pink Floyd,Close to the Edge do Yes, Dejavù CSNY, e o Filmes de Guerra,Canções de Amor do EngHaw.

    Um segredo de fé:
    guardei por anos o GLM sem ouvir.

    Já era minha banda favorita há anos,sabia que era um dos melhores discos, já tinha devorado todos os outros e fiquei anos na expectativa, guardando para que caso um dia HG parasse de me surpreender positivamente, eu sabia que ainda teria o prazer dessa primeira vez.

    Mas um dia percebi que não precisava,posso ter sempre a certeza de uma primeira vez especial com seus álbuns.

    ResponderExcluir
  68. OBRIGADO POR TER VINDO POR AQUI, SEJA SEMPRE BEM VINDO A RECIFE. GRANDE ABRAÇO GURI.

    ResponderExcluir
  69. Putz, lendo o post super atrasadão, mas super feliz porque eu estava em todos os shows listados acima. HG imortal!

    ResponderExcluir