Pó Pará, Simancol e Sifragol - 81



Quanto tempo dura a mudança de ano? Tempo nenhum - o inexistente momento entre a meia noite do último dia de dezembro e a hora zero do primeiro de janeiro - ou a dúzia de dias que precedem e sucedem a virada?

É uma época estranha, ao mesmo tempo histérica e melancólica. Um bombardeio de diagnósticos e prognósticos, retrospectivas e perspectivas. Um espelho que nos visita a cada 12 meses. E nós, se visitarmos esse espelho, o que veremos?

-Ih, papo de autoconhecimento?!? Papo cabeça com baixos teores?!? Pó-pará!!!

Ah, eu e minha boca grande, cabeça vazia e dedos ligeiros! Ouço o clique de milhares de mouses fugindo do texto. Perdi meus leitores! Agora estou só nesta imensa página em branco... 

Faltou Simancol - antiga gíria que transformava em nome de remédio a falta de noção. Sefragol era outra dessas gírias. Se mancar, se flagrar: ter noção de onde e como se está. Autoconhecimento? Estão aí os profissionais da psicanálise pra dizer que não é tão fácil quanto parece. Tem remédio?

(*)

Enquanto alma, espírito e consciência pairam no ar em silêncio enigmático, o corpo pode ser um bom começo de conversa com nós mesmos. Ele deixa pegadas. E o chão responde deixando marcas nos pés. Autoconhecimento? Dá uma olhada na sola dos teus tênis: as partes mais gastas te dirão como tens andado.

Surfar na própria timeline das redes sociais também pode ser revelador de como estamos nos relacionando com o mundo. Como um Sherlock Holmes a procura de nós mesmos, podemos descobrir, nos nossos perfis digitais, como queremos ser vistos (o que já é um bom indício do que somos).

Os caminhos para o autoconhecimento são vários. Infinito mais um. Este “um” é o seguinte: desconhecer um pouco do que somos também faz parte!


(*)

O trem pára. Algumas pessoas descem, outras embarcam. É sempre assim nas paradas. Alguns ficam pelo caminho, outros juntam-se à caravana. Seguimos na esperança de que, na proxima estação, aeroporto, esquina, espelho, a gente se conheça melhor. Ou intua o que não é possível conhecer.


bah 1: Propriocepção é a capacidade de reconhecer, sem usar a visão, a situação do próprio corpo no espaço. Os grandes atletas e bailarinos possuem uma refinadíssima percepção de onde estão seus corpos e do que seus músculos precisam fazer para levá-los aonde querem.

No ensaio Federer como uma experiência religiosa, David Foster Wallace usa uma final de Wimbledon  para costurar algumas intuições interessantes sobre corpo e mortalidade. Lá pelas tantas, diz que a maestria do tenista suíço (a beleza cinética de seu jogo) reconcilia o ser humano com o fato (fardo?) de ter um corpo. 

Como contraste a esta exuberância, o texto informa que a criança que participou do cara-ou-coroa antes do jogo estava se recuperando de um câncer. A leitura fica mais pungente quando se sabe que, alguns anos depois, DFW desistiu do próprio corpo.

bah 2: Hein? Alguém leu este texto até aqui? Alguns daqueles cliques de mouse em debandada eram imaginários? Bom saber! Há 28 anos isso acontece, já deveria ser do meu conhecimento, mas sou meio burrinho mesmo, custo a aprender.

Alta madrugada, fui ligar um incenso. Os fósforos que peguei ao acaso eram de um hotel em Nagoya. Um flashback me levou de volta ao Japão. 1993. De lá pra cá (daqui pra 1963), pouca coisa aprendi. Uma delas: nunca tomar café depois que o sol se foi. 
Pois é... pensando nisso e aproveitando o fósforo aceso, esquentei um café na esperança de fazer brilhar um sol particular.

 8jan2013

140 comentários:

  1. Ó, hoje saiu antes da hora! haha
    agora deixar eu ler...

    ResponderExcluir
  2. Bah... super adiantado! Bora ler o texto então... =)

    ResponderExcluir
  3. " Surfar na própria timeline das redes sociais também pode ser revelador de como estamos nos relacionando com o mundo. Como um Sherlock Holmes a procura de nós mesmos, podemos descobrir, nos nossos perfis digitais, como queremos ser vistos (o que já é um bom indício do que somos).

    Os caminhos para o autoconhecimento são vários. Infinito mais um. Este “um” é o seguinte: desconhecer um pouco do que somos também faz parte! "

    Magnífico mestre !

    https://twitter.com/StefanMagalhes/status/288428483074461697/photo/1

    Abraços !

    ResponderExcluir
  4. teu relogio ta errado ai 1berto !!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Sempre escuto anoitecei em POA no dia 1 de janeiro.

    ResponderExcluir
  6. às vezes me parece que ficou o dia todo costurando as palavras para sairem tão bonitas,como essas últimas frases, palavras, ideias afins ae. bésos e até terça.

    ResponderExcluir
  7. quando leio ou ouço uma música, as vezes sinto que as palavras dialogam com meus pensamentos. hoje não foi diferente, alguns pensamentos que rodam por aí gostaram da expressão da visita do espelho (:
    e hoje mesmo eu falava que o corpo cedia aos encontros da alma, baita diálogo, minha cabeça ferve.

    obrigada pelo texto e que 2013 comece com tudo.

    ResponderExcluir
  8. Amando os textos como amei todas as músicas! Muito bom, engeheiro!
    Estarrecedor, esclarecedor, estremecedor...

    ResponderExcluir
  9. "Ah, eu e minha boca grande, cabeça vazia e dedos ligeiros!"
    Te entendo... alemão é teimoso mesmo, por isso li até o final, não por que não estava bom, muito pelo contrário... rsrs Abraço Alemão!

    ResponderExcluir
  10. E com certeza o sol particular está brilhando.
    Conhecer-se é bom. Mas o autoconhecimento total deve ser Chhhhhhhá - - Topaca - Ralho! né?

    É bom encarar o desconhecido, andar na contramão, remar contra a maré.

    E por falar em contramão... o mestre tá com toda corda, né? Mudando twitcam pra dia de carnaval, postando o texto antes da hora que todos esperamos.
    Assim que é bom... "se eu fosse um cara diferente, sabe lá como eu seria..."

    Aguardo ansiosamente pelo novo projeto, novo show, novas parcerias, novo DVD!
    Que 2013 venha com tudo.

    Salve, mestre!

    Saúde e sucesso!

    Estamos contigo! =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe a observação Dani, mas acho que não concordamos na definição de autoconhecimento.
      Também acho "Chhhhhhhá - Topaca - Ralho!" acordar cedo, comer pouco e de forma equilibrada, trabalhar 10 horas por dia, enfrentar o trânsito, não fumar, não beber, praticar exercícios físicos 3x por semana, estudar matérias cansativas, ser tolerante, cumprir horários, reuniões cansativas... e algumas cositas mas. Mas se não fizer ou suportar tudo isso, dá pra imaginar as consequências... Acho que se auto conhecer tá mais pra saber oque a gente gosta e não gosta, e aprender a gostar daquilo que precisamos mas não gostamos, hahahah

      Excluir
    2. Respeito tua definição...
      Mas preciso te perguntar: Tu sabe de tudo, tudo mesmo, que tu gosta e não gosta?

      Eu não sei... por isso te digo, que não me conheço totalmente. Tem uma Dani muito louca e incompreensível, guardada aqui dentro! haha

      Excluir
    3. Tem uma Dani muito louca e incompreensível, guardada aqui dentro!(rindo mesmo)

      Dani...

      Fizeste-me lembrar que é justamente esse quê de louco e incompreensível, o tal ar de mistério que falamos, que mais torna-nos visíveis, menos um ponto na multidão...
      É justamente o incompreensível que torna-nos interessantes...
      Abdicar do que é desconhecido em nós, é como qualquer coisa de uma perca bruta de algo absurdamente fértil e singular, algo novo, diferente...

      Crianças... crianças são um universo incompreensível... apesar de abrigarem todas as possibilidades como seres.
      Sementes...

      Dani, tua parte louca e incompreensível, é a tua semente.

      Foi bom ler isso.
      Um sorriso
      :)

      Excluir
    4. Nossa, Cila!! Perfeito, adorei!

      Concordo contigo!!

      Obrigada pelas palavras =D

      Excluir
    5. Dani, como sempre linda e sábia (o que te faz ficar cada vez mais linda).

      Feliz ano novo. Estava com saudade de você. :)

      Dani, qualquer psicanalista sabe que é impossível se autoconhecer. Mesmo se pudéssemos fazer anos de análise com o melhor profissional, dificilmente nos conheceríamos tão bem. Se você pesquisar por Mecanismos de Defesa, vai entender porque é tão difícil a gente se autoconhecer

      E concordo contigo, se autoconhecer deve ser muito chato. Eu mesmo me surpreendo comigo, com determinadas escolhas. Se eu me conhecesse seria tão previsível, e por isso, chato.

      Bjus e um excelente 2013 para vc e todos que te fazem feliz.

      Excluir
    6. E tu, anônimo, gentil com sempre! Muito obrigada!
      Feliz ano novo, pra ti também!

      Ainda bem que temos nossos mecanismos de defesa, né!
      Nosso corpo é uma máquina perfeita, sem a qual, não duraríamos um dia se quer!

      E a verdade é que sempre temos algo novo pra conhecer. Em nós mesmos, no outro, na vida, nos relacionamentos... E continuará assim, é como um ciclo vicioso! Cachorro correndo atrás do rabo! kkk

      Sei lá, penso mais ou menos assim :)

      Obrigada pelas palavras, adorei!

      Tudo de bom nesse novo ano =)

      Beijos

      Excluir
  11. MAs um texto espetacular. Cara, vc se expõe através da escrita de forma singular. O final, então, foi sensacional...
    Ah, haja o que houver, vamos sim ler até o final. Afinal de contas estamos no mesmo barco...e ele ainda...

    ResponderExcluir
  12. Mega texto o primeiro de muitos de 2013. Vlw Humberto!

    ResponderExcluir
  13. Sempre tive essa ideia de que a virada de ano é só uma ilusão. Necessária, mas ilusão. Não sei se é ruim pelo fato de não termos recomeço ou bom pelo fato de diariamente termos recomeços. Caramba, isso fez sentido? Melhor nem saber a resposta.
    De qualquer modo só queria dizer: ótimo texto!
    Vívian

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Vivian...

      Mesmo porque o calendário que usamos é o juliano, inspirado pelos cobradores de impostos da Roma antiga. É um ciclo relacionado apenas a fechamentos de caixa da "colônia imperial". Há pessoas que lucram muito, tremendamente mesmo, com o ciclo desse calendário... E creia, há países que usam o calendário lunar, como nós aqui na República das bananas, e outros, como os árabes, que usam um calendário em contagem Solar.
      Sim, tem diferença e faz diferença no tempo contado.

      Não achas estranho o mês novembro (que vem de nove) ser o mês 11? E o dezembro (que vem de dez), ser o mês 12º?
      Eu vivo me perguntando onde há a real necessidade do calendário, de se contar o tempo com relógios e dias e meses e anos... desde que a humanidade se tornou consciente dele, do tempo, perdeu-se de si...

      De qualquer modo: ótima colocação do tempo como ilusão.

      ;)






      Excluir
  14. pô! Que bom que postou antes... vleww!

    ResponderExcluir
  15. Saudades HG!
    Super feliz com as boas novas, estrada, banda, shows, DVD, livro e tudo mais que andou tomando teu tempo. Se for pra ter a alegria de ver voltar, "vibrando em outra frequência" , a gente espera pelos textos e pelas twitcams, numa boa.

    Beijos! Até qualquer dia.

    ResponderExcluir
  16. Sempre lemos até o fim e sempre esperamos mais e mais.

    ResponderExcluir
  17. Dia desses ouvi algo interessante...
    "A criança que você era teria orgulho da pessoa que se tornou?"
    Coisas desse tipo me fazem parar para refletir sobre o que tenho feito, o grau de importância que tenho dado para algumas pessoas ou coisas condizem com o que elas merecem? Com o que tenho gasto meu tempo e meu dinheiro? tá valendo a pena?

    Mudança de ano... hora de reviver aquela nostalgia que deixamos no ano anterior, rever aquilo que não fizemos no decorrer dos 365 dias e renovar os votos (que provavelmente serão "re-renovados" no próximo ano). Apesar de ser algo tedioso para alguns (que provavelmente já se mandaram daqui) eu gosto. Gosto de relembrar o que fiz e o que pode ser melhorado, apesar de achar que não é necessário esperar que o ano acabe para buscar uma vida melhor.

    Enfim, que 2013 seja um excelente ano para você Humberto. Que ao parar na próxima estação, encontre pessoas maravilhosas subindo nesse trem e que aqueles que não são tão maravilhosos assim, façam o favor de descer.

    Aquele abraço.
    Até semana que vem ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ouvi a pergunta acima de uma psicóloga a quase 15 anos atrás. Na época, me fez pensar no rumo que estava seguindo... Até me ajudou. Hoje ela me faz pensar nos valores que recebi quando era criança (não aqueles que tentaram me ensinar, mas aqueles que realmente aprendi). A criança que eu era, era ingênua e egoísta. Espero que no futuro o eu de hoje fique feliz com o velho que serei, ou melhor: que o eu do futuro seja um velho que conseguiu se conhecer e ser melhor que o eu de hoje.
      Desculpa a baboseira,

      Excluir
    2. Se for parar pra ver, essa pergunta vai ser sempre atual.

      :)

      Excluir
    3. A criança que você era teria orgulho da pessoa que se tornou?

      Creia Jéssica, a pessoa que sou hoje não tem orgulho nenhum da criança que eu fui...
      Crianças são potenciais em estados brutos... brutos demais para meu gôsto.

      Deve ser por isso mesmo que não tenho filhos :)
      (E nem quero-os)

      :D

      Excluir
    4. Veja você, encontrei outra pessoa que termina seus textos com emoticon.



      :)

      Excluir
    5. Hahahahahaha

      E não é muito mais estiloso Jéssica?
      Dá um ar da nossa mais sincera face ao digitarmos nossas palavritas né...

      Algumas nos exigem tanto que são com linguinha de fora assim:

      :P

      Outras nos deixam confusas e pensativas assim:

      :/

      Algumas nos deixam orgulhosas assim:

      ^^

      E quando está tudo bem, e queremos uma piscadela cúmplice no explanado, fazemos assim:

      ;)

      O sorrir grande, espontâneo e sem porquês e por que, é esse: (o que compartilho contigo)

      :)

      Eu só usava assim: =)
      Mas sei lá porque parei.
      :/

      Excluir
  18. Hoje o café também me deixou ligado...

    Esse papo de "conhece-te a ti mesmo" é antigo, mas pouca gente leva a sério. A maioria de nós perde (?!) mais tempo tentando parecer ser alguém do que descobrindo quem realmente é.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guilherme...

      O Conhece-te a ti mesmo que estampava os pórticos antigos e tornou-se célere, era para ser um espelho da nossa condição real: humana e mortal.

      Por isso Sócrates foi considerado o homem mais sábio do mundo ao dizer que nada sabia. Revelou a consciência da nossa real estadia por cá: nada sabemos mesmo. Nem de nós, nem dos outros, nem do mundo, nem do universo, nem de nada e de ninguém.
      Por mais que tentemos.
      Aparentando ou não, parecendo ou não, tudo desconhecemos.

      E tenta dormir com um barulho desses na cabeça?
      Por isso há a ciência, por isso há a tecnologia, por isso há a psicanálise, por isso há a religião, nossos brinquedos para tentarmos parecer entender de alguma coisa e não nos suicidarmos como fez o escritor citado no texto...
      (Que inclusive escreveu sobre o suicídio)

      Enfim, o que realmente conhecemos de nós mesmos?

      ;)

      Excluir
  19. Humberto, não importa quais pessoas desçam ou subam na sua estação!
    Você nunca estará sozinho!

    Existe uma legião de fãs que busca o autoconhecimento em suas palavras/músicas!

    Me emociono com TODOS os seus textos, e me sinto um pouco mais amparada, com um pouco mais de esperança...

    Acredite, cara: "sem você é foda!"

    ResponderExcluir
  20. Ufa! de volta à tensão pré texto do HG! Delícia de texto, sábias palavras , Sincero , como se deve ser!

    ResponderExcluir
  21. Ler é aprender. E pra quem gosta de escrever, ler é muito mais que um dever. Curti te ler.. E claro, super curto escrever. :)
    @medeiris1000k

    ResponderExcluir
  22. Cansei de procurar adjetivos para estes textos.
    E digo com a metamorfósica propriedade de me autoconhecer. De hoje até 1985.

    Mas a máquina humana pensante vive tentando se reinventar. Lembra o tal trem, que segue determinado destino, onde pessoas entram e saem a cada estação.

    Não sou compositor, blogueiro, tampouco escritor, embora ame praticar a escrita. Assim - e para que o comentário complemente a esteira que direciona a essência do seu texto para que se dissolva entre os leitores - entendo que a prática do autoconhecimento, mesmo sendo este chhhhhhhhááá topaca ralho, é abster-se da tal da perfeição. O olhar cru sobre nós mesmos pode ditar um tempero saboroso para a vida, para que a mesma seja vivida com o gosto singelo da satisfação.


    Mas isso já foi dito antes.
    Certa canção ouvida, numa certa vez...


    Grande abraço, HG!
    =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Abster-se da perfeição?

      Não, não creio que a perfeição seja problema.
      Só não devemos empregá-la em coisas que se mexem, tem vida própria, respira...

      Os japoneses são experts na arte da perfeição.
      Perfeccionistas, lógicamente...
      Um simples momento para um chá, exige um ritual completo que leva uma hora inteira para se degustar um simples momento.
      Creia, o melhor chá do universo.
      Até o ponto de fervura da água é absurdamente conferido, as escolhas das xícaras condizentes com o sabor, tudo é para ser saboreado: visual, aroma, gôsto.

      Não é amor pela perfeição, mas a perfeição do amor que aonde chega faz tudo maravilhosamente bem feito.
      Há a alma.
      Sim, essa água toda querendo deixar os passos na areia do tempo, do corpo, da matéria... suas marcas.
      Passos bonitos, absurdamente bonitos...

      Para ser emoldurado como se deve.
      Com tudo o que se pode do seu melhor, entende?!

      ...e só assim ter o "gosto singelo da satisfação".
      :)

      Excluir
    2. ...nem que for numa simples mesa de chá.

      Puxa, nasci pra ser japonesa :)

      Excluir
  23. é 1berto autoconhecimento não é essa coisa simples que o inexistente momento entre a meia noite do último dia de dezembro e a hora zero do primeiro de janeiro - ou a dúzia de dias que precedem e sucedem a virada fazem parecer ser...daqui 1 mês, 1 semana ou 1 dia, até mesmo poucas horas, minutos ou segundos já nos esquecemos de tudo e fazemos tudo errado de novo e feliz novo, repetido, velho ano teremos mais 365 dias para plantar ou e colher dejetos ou vice e versa!

    Feliz velho novo velho ano!

    e que venham novos velhos ouro - dejetos!!!

    bjs Ligia CN

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Lígia, me senti como um cachorro atrás do próprio rabo(sem apologia à bela canção "Descendo a serra")

      Excluir
    2. Hahahahaha Ligia...

      Mas destes a dica primordial: "365 dias para plantar ou e colher".
      Escolha plantar...
      Sei que o colher é obrigatório, e mesmo que numa bela e faraônica plantação de trigo (creia, não há algo mais lindo na agricultura), saiba que o joio por lá aparece, sem que saibamos quem os colocou lá...
      Aqui resta-nos a sabedoria de esperar tudo crescer junto e aí sim...

      Sabe qual é a diferença do joio e do trigo (brutalmente semelhantes no nascimento)?
      O trigo, quando está maduro, pende pesado ao chão. Sim, os grãos se curvam...
      O joio cresce orgulhoso e imponente ao céu.
      É quando é decepado das plantações.

      E um segredo: os agricultores, por saber da similaridade entre trigo e joio, e dessa singular diferença, vendem o joio como enfeites natalícios para as mesas.
      Trigo é fartura, mas joio não.
      E por isso quem trabalha nas lavouras até na ceifa do joio, o vendem como enfeite do trigo que não é.

      Plante Lígia, plante, e não se importe com o joio, as ervas daninhas, só plante.

      É difícil né falando, eu sei...
      Mas o mundo precisa de quem ainda plante.

      A maioria desistiu por conta das trabalhosas colheitas. Há trigo Lígia, mas os dejetos também, o joio.

      Fique com o trigo.
      :)

      Excluir
  24. Que saudade!!!!
    Ao inves de desejar um feliz Ano Novo, desejo felicidade... que ela te acompanhe!!!
    Lindo texto!

    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  25. Claro que li todo, até o fim....como sempre, eu esqueço desse horário de verão. Já tava com saudades dessas terças. Bjo Humberto! Abraços! ;)

    ResponderExcluir
  26. Pessoal, menos idolatria cega e babação de ovo, é legal admirar um bom texto, a carreira de um artista.. os mais novos tem um desconto já os marmanjos q comecem a ser mais fãs de si mesmos e construam seu próprio pensamento, ou seja, amadureçam. Tb sou grande admirador do trabalho do HG, espero q não levem a mal este coment, abcs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, não levamos a mal o teu comentário...

      :)

      Excluir
    2. o que é ser velho e o que é ser novo? conceitos muito fechados não acha? será que só no campo da cronologia esgotamos isso?
      tem gente que já "nasce velho" e tem gente que "morre sendo novo". Acho superficial dividir o mundo assim, mas respeito, e não te levo a mal.

      Mas ser fã é isso, é ter idade de usar bengala mas se pegar chorando escutando uma música de uma banda que gosta...aliás a música, tem coisa mais digna que ela? atemporal, não tem idade. De repente vc não é fã de ng, sou fã de tanta gente, não só no campo da arte, sou fã do meu marido, de mim mesma...ser fã acho que é torcer e admirar junto. Abs!

      Excluir
  27. Poxa Humberto, vou postar agora algo provisório no calor da emoção, já que se deixo pra depois pra nunca posto, pois fico com receio (pra não dizer medo) de não conseguir postar algo decente e acabo não postando. Portanto, que este comentário seja um passo (daqueles que se dá de cada vez), um ensaio pra um futuro ensaio (que pode não ser escrito) sobre este seu brilhante ensaio. Por isso vou citar o que mais me chamou a atenção (mesmo depois de uma conversa e umas bebidas de bar, por isso peço perdão de antemão).
    Você falou várias verdades nesse texto (pra variar), "verdades crônicas" (aquelas que caberiam perfeitamente numa crônica do cotidiano (sendo redundante)), e adorei o fato de você sempre estar se atualizando, por exemplo, eu ri sozinho quando você comentou sobre surfar na própria timeline, eu faço isso de vez em quando, tendo sempre um certo orgulho do que foi feito, dos vídeos que ninguém curtiu, dos posts que eu elaborei com tanto carinho (numa forma de catarse pra exorcizar amores mal-sucedidos) e que ninguém sequer passou da segunda linha (como já me disseram) por serem muito grandes, e daqueles outros posts que você imagina que NINGUÉM vai comentar e acabam sendo os mais populares, vai entender. Às vezes eu a surfo na timeline como surfava, ou ouvia as fitas cassetes que gravava para as garotas que eu gostava pensando na reação delas ao ouvir cada canção, e um pouco me orgulhando do meu "ótimo" gosto musical, os EngHaw já foram protagonistas de muitas dessas fitas, que viriam ceder aos cds, depois aos pendrives, até perceber que isso não dava muito certo rs Mas me trazia um certo alívio saber que de alguma forma eu estaria em contato com a pessoa querida no momento em que ela estivesse ouvindo a minha playlist.
    Porque todos gostam dos grandes campeões? Eu adoro o Federer, por exemplo, gosto do fato de saber que não vou me decepcionar de tempos em tempos, e que ele vai ganhar um título aqui e outro ali. E acho que nesse quesito você se parece muito com ele, a forma como ele joga, sem muito
    esforço (talento), se se exigir muito podendo, assim, jogar por mais tempo (longevidade), o tempo no topo (onde você está até hoje), os recordes (tantos discos gravados), a excelência (a qualidade no que você faz), a genialidade (auto-explicativo), aprender a jogar com (ou sem) as emoções e lidar com o circuito, enfim... se desde jovem ele já mostrou a que veio você também o fez, uma promessa realizada onde o céu nunca foi o limite, ninguém está aí há tanto tempo por acaso se não soubesse, entre tantas outras coisas, jogar... algumas cinzas sob o tapete! rs Que bom saber que você é e tem sido capaz, como diz a canção.
    Sempre digo que tenho muita sorte de ter "escolhido" o Engengenheiro como banda favorita. Se não o tivesse feito, o que eu estaria ouvindo hoje? Seria um cara diferente? Sabe-se lá!
    Não conhecia o autor do livro tampouco sabia da sua forma de nos deixar... não deixa de ser uma triste forma de se voltar ao útero.
    Quer dizer que o fósforo acendeu depois de tanto tempo?
    Fazer um café é sempre uma boa pedida, ter algo quente nas mãos pra se bebericar... como diz um quadrinho do Charlie Brown (Peanuts) que me deparei dia desses, na qual ele se encontra sentado na cama, sem sono, e dizendo pra si: "É de noite que tudo faz sentido!", e não é mesmo? Quase um filósofo! Tem os que refletem abrindo a geladeira, os que refletem ouvindo o mp3 no busão (sonhando com uma banda imaginária e composições que gostariam de ter feito), os que refletem tomando um café na madruga, e os insones que refletem na cama após perderem o sono bebendo um café na madruga! rs
    E sobre os fósforos, bom saber que eles ainda acendem... quem sabe minha chama não acende em meus plenos 33 anos?
    Legal trocar posts contigo, digo, se você leu até aqui rs
    Agora vou jantar, um abraço,
    Flávio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque todos gostam dos grandes campeões?

      Eu não gosto de campeões Flávio...
      Eu aprecio mesmo é as lições de disciplina, persistência, quebra de limites, força, trabalho, que os fazem estar ali, erguendo um caneco ou recebendo uma medalha...

      A luta consigo mesmo no bastidor.
      Com todo Simancol do quanto é sim muitas vezes difícil, mas sem desacreditar que é possível superar, ultrapassar, vencer barreiras auto impostas (piores do que as impostas pelos outros que são gás, gasolina aditivada).
      Sim, a nós mesmos, nossos próprios limites.

      Boa sorte Flávio.
      E não desista nunca das chamas, em nenhuma idade.
      :)

      Excluir
    2. Virei teu fã, Flávio. Vc escreveu no início do texto, o que eu, pelos mesmos motivos não expresso aqui minhas ideias.

      Valeu, cara!

      Cila, também curto demais suas falas, sempre interessantes, mesmo quando dissonante do que sinto. Gosto disso! :-)

      Também não me prendo aos grandes campeões, gosto dos pequenos e quase anônimos. Mas normalmente o que aprecio nos tais grandes campeões não são os atos que os consagraram como tais (e que não raro, eles mesmos discordam).

      Abraços.

      https://www.facebook.com/fernandosleitao

      Excluir
  28. fim de um ano e inicio de um novo ano, com todas essas datas comemorativas nao significa muito mais do que nós pequenos objetos gerar capital aos grandes chefoes... poucos celebram o real significado do natal hoje em dia nao deveria se chamar mais natal, mas sim o dia do capitalismo mundial... e quanto ao texto, esta ótimo, boa sorte a você humberto e que 2013 seja um ótimo ano para sua sua vida pessoal e sua arte/oficio um forte abraço a até terça que vem

    Henrique Nissola CHAPECÓ - SC

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Henrique...

      O legal é perceber o quanto o humano está consciente dos fardos antes carregados tão sem perceber...
      Por isso tudo, hoje prefiro ser otimista em relação ao mundo.

      Legal mesmo
      :)

      Excluir
    2. sim sim compriendo é a realidade né...

      Excluir
  29. Que mágico! Felicidade por ler tuas linhas-pensamentos! 1abraço!

    ResponderExcluir
  30. pode até ser que, ás vezes, o tempo seja uma linha imaginária, mas a ansiedade que senti pela atualização de post do blogessinger é, deverás, uma realidade.

    gosto muito de ler tuas mensagens. despertam, sempre, reflexão... curiosidade.. carinho... admiração, mesmo.
    ...
    obrigada por compartilhar pensamentos.

    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pode até ser que, ás vezes, o tempo seja uma linha imaginária...

      Thaisa, ele é...
      O tempo é invenção humana.

      Os antigos tentavam viver em sintonia a natureza por conta de dependerem exclusivamente da agricultura.
      Faziam uso de uma contagem do tempo que era mais que um calendário com dias festivos e feriados...
      Anotavam mesmo era solstícios, épocas de chuva, seca, qual fruta nascia no tempo tal, ou legume em outro...
      Para eles tudo era questão de sobrevivência da espécie.

      O mundo evoluiu...
      Compramos tudo feito no supermercado... a contagem do tempo da forma antiga (preocupado com chuvas na plantação e não feriado da república) serviria hoje pra quê?
      Enfim, é o que desperta também o que seria esse evoluir...

      Sério, eu tô chata hoje
      :)

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  31. Troca de calendario, troca de pele, sera q estamos prontos para realmente evoluir? Rebeka

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sera q estamos prontos para realmente evoluir?

      Pois é Rebeka...
      Isso sim é uma pergunta sábia para o tal do auto conhecimento...
      O que seria evoluir?
      Falar no celular, andar de quatro rodas, e num clique conectar-se com o mundo, é evolução?

      A humanidade ainda resolve as coisas como bárbaros (apesar de toda advocacia), e também ainda gosta de ver leões comendo simples mortais no Coliseu (apesar de toda psicanálise)...

      Evoluímos?

      Excluir
  32. 1berto,

    A intertextualidade é uma valorização do que já foi produzido por outra mente e que não se perdeu no tempo. É bom ler textos seus que extraem do baú da memória os referenciais. Autoconhecimento? Eis um universo em expansão cuja descoberta possui as limitações naturais. Horário da postagem? Certos paradigmas às vezes precisam ser revistos, para não robotizar as mentes. Uma perturbação, um estranhamento... elementos que provocam reflexões.

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério Carlos, não acharia mal uma mente robotizada para atos mais apetecíveis...
      Pensou todo mundo programado para usar mais que os tímidos dez por cento?

      Seria bom.
      :)

      Excluir
    2. Cila,

      Obrigado pelo seu comentário! Acho legal essa interação entre os leitores do 1berto. Ele provoca, nós produzimos, e a energia de coesão entra em ação. Concordo que certas coisas prazerosas não cansam pela repetição e regularidade, mas uma pequena mudança contribui para a valorização e pela reanálise dos motivos por trás do hábito. Acontece que, no mundo da filosofia, todas as respostas são possíveis. ;-)

      Excluir
  33. Paraíba


    Parabéns por mais um belo texto, como sempre né! Adoro ler seu textos eles nos despertam uma curiosidade, nos abre a mente provocando profundas reflexões sobre o mundo, sobre nós mesmos....

    Abraços!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  34. Texto incrível e finalizado com chave de ouro!
    Deu pra sentir daqui o cheiro de incenso e a água começando a ferver para o café...
    Muito especiais essas pequenas coisas capazes de nos proporcionar um sol particular.

    . . .

    Ano novo, novos projetos... Ansiosa pelo que está por vir. Mas com certeza com saudades do que ficou, Pouca Vogal vai ser eterno!

    Beijos, Quetiline - Baln. Camboriú SC

    ResponderExcluir
  35. Ufa! "E mais não direi" me fez pensar que havia fechado o blog... Fugiu no Rèveillon, Humberto?
    Abraço!

    ResponderExcluir
  36. Esse negócio de papo cabeça sobre autoconhecimento e encontros da alma até que é bom (vez por outra rsrs)

    Obrigada pelo texto E que venham os teus novos projetos...
    Abraços!!

    ResponderExcluir
  37. "Os caminhos para o autoconhecimento são vários. Infinito mais um. Este “um” é o seguinte: desconhecer um pouco do que somos também faz parte!"
    Inspirador sempre... "brilhar um sol particular"

    ResponderExcluir
  38. O ESPÍRITO NÃO CONGELA PERDIZES ELE SÓ COME FLORES...


    "pensando nisso e aproveitando o fósforo aceso, esquentei um café na esperança de fazer brilhar um sol particular"

    É MARAVILHOSO SABER QUE A LAMPARINA ESTA, HUMBERTO CASA VEZ MAIS ALTA, NA SALA DE ESTAR DOS NOSSOS CORAÇÕES, APAREÇA EM NOSSOS SONHOS!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei...

      O espírito precisa se alimentar...

      :)

      Excluir
    2. Cila, uma salada de flores para os mais ávidos por vida, amor e conhecimento...

      Excluir
    3. Salada de flores...
      Uma visão da alimentação dos deuses no Olimpo.

      Leve e com cores.
      Muitas cores.

      :)

      Excluir
  39. "O trem pára. Algumas pessoas descem, outras embarcam. É sempre assim nas paradas. Alguns ficam pelo caminho, outros juntam-se à caravana. Seguimos na esperança de que, na proxima estação, aeroporto, esquina, espelho, a gente se conheça melhor. Ou intua o que não é possível conhecer".

    Sir gessinger
    Sir Gessinger...

    Por isso há muito tempo escrevi-me: "a maior e mais íngreme viagem que fazemos é sempre aquela para dentro de nós mesmos"...

    A juventude dizem ser a época propícia a apenas fluirmos com o tempo, a vida, as coisas externas por estarmos apenas em desenvolvimento... O que levou-me na época a desenvolver tais palavras, foi justamente perguntar-me por que cargas d'água, no período onde o mundo e o externo é o mais procurado, escolhi o caminho inverso.

    O caminho interno.
    Com tudo se retraindo e cada vez mais caindo na introspecção. Um outro universo a portas fechadas...

    Universo este incompreensível e inadmissível para quem compartilha da minha mesma idade. Na adolescência confesso que era pior, uma idosa de 15 anos era bem mais absurdo de engolir até para a minha própria mãe... piorou estranhos.

    Há situações e formas de ser nesse mundo, que fogem demais da regra, da maioria, do mais comum.
    Que fogem da compreensão comum.
    É mais do que intuir e aceitar... é mais do que perceber e respeitar... são almas sobre humanas vindas em aparências e formas de vida bem difíceis de se acreditar na existência delas...Há sempre a questão: será que é possível?

    As pessoas mais consideradas pela história, e até hoje estudadas com afinco, são justamente as mais repletas de um universo de contradições. Leonardo da Vinci, Einstein, Buda, Jesus Cristo... pessoas que até hoje estuda-se a sexualidade deles, se comiam ou vegetavam, se eram extraterrestres ou filhos de Nephilins, se eram do bem ou do mal, de deus ou do diabo, vixi, a lista é inacreditável de questões levantadas...

    A verdade, é que tudo o que é diferente demais, assusta-nos.

    Tu não és o único no mundo Humberto, a criar luz no cativeiro.
    TODOS sem exceção fazem, fizeram ou ainda vão fazer isso. Natural.
    Até o dia quando descobrimos o quanto essas luzes particulares não tem a força do sol para brotarem sementes, para alimentar vida, e transformar flores em frutos e seiva em mais árvores...

    E creia, é o tapa mais duro que um dia levei ao rosto.

    Por isso abdiquei da luz particular, da criada em cativeiro.
    Não chego a ser uma Argonauta por conta disso não, mas foi duro sim ver somente um deserto.

    E falando de seres diferentes, incompreensíveis e longe demais do que rotineiramente estamos acostumados: Benjamin Button

    http://www.youtube.com/watch?v=icLrh5OseCk

    Vídeo para entendermos mais o que é ter a consciência do corpo.
    De sermos matéria no universo.

    Te cuidas.

    E eu não aprecio viagens de nenhum tipo, nem de carro, nem de ônibus, nem de espelhos, nem de aviões, nem de barcos, nem de nada que me enjoe o corpo, só aprecio mesmo as viagens feitas do espírito.

    Meu Olá
    E excelentes recomeços
    ;)



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, excedi-me como sempre nas divagações...

      De forma alguma sou contra luzes particulares...
      Em cativeiro...

      Também eu faço uso delas...
      Uma luz há sempre de brilhar na escuridão do espaço, até o sol mais esplendoroso raiar entre as montanhas...

      E ele lá está...
      O sol sempre está lá a nascer e se por, num ciclo interminável de vida...
      Sempre.

      ;)

      Excluir
    2. Minha amiga, a viagem para dentro assusta não por causa do monstro gelatinoso que guarda o tesoutro, reflexo de nossos erros, mas sim porque sentimos que a Mãe Natureza não dá sobremesa (Rita Lee), e assim ficamos sempre filhinhos dela contentados com o que é natural e com isso nos esquecemos que também somos deuses (Maltz).

      Mas eu adoro Jezebel-Maia a deusa da ilusão (Lulu), porque ter os lhos mais claros que o Sol deixa coágulos no cérebro (Zé Ramalho) sem exlicação, pois no trânsito de astros imovéis (Sir Gessinger) podemos machucar quem mais amamos.

      Excluir
    3. JEZABEL

      pessoal da próxima vez vou pegar meus óculos,
      definitivamente eles fazem falta. e olhem minha preguiça eles estão ali na sala de jantar.

      Excluir
    4. "e assim ficamos sempre filhinhos dela contentados com o que é natural e com isso nos esquecemos que também somos deuses (Maltz)".

      Sim, concordo Léo.
      Porque nós também temos o poder da decisão.
      Nos afirmar deuses, é justamente isso, assumir que como Deus, não ficamos lançando dados...
      Sabe-se o que se está fazendo. Que é justamente: tem-se consciência, luz, do que faz, sente, quer, e por isso, escolhe.
      Não existindo coincidências.

      "pois no trânsito de astros imovéis (Sir Gessinger) podemos machucar quem mais amamos".

      A verdade Léo, é que não machucamos de fato quem amamos... ou eles nos machucam...
      Só os ajudamos a crescer. Nos ajudam a crescer...
      Sim, com consciência: a real evolução.
      E crescer não é fácil meu caro, mas é preciso.

      Mas a gente chega lá...
      É só dar um passo de cada vez.

      Um beijo
      :)

      Excluir
    5. Fizeste-me lembrar de um filme...
      Com a Helen Hunt, chamado Quando me apaixono...

      A cena final...
      Em que ela conta sobre um pai ensinando o que é confiança ao pequeno filho...
      Diz que ele pede ao filho para se jogar de um ponto alto da varanda, e o pega todas as vezes que esse menino pula...
      O menino aprende o que é o Amor.
      Nesse contínuo pular e o pai o segurar, chega a hora em que ele não o segura mais, não porque não quer, mas porque faz parte das lições da aprendizagem desse confiar... amar... evoluir...
      E o menino aprende o que é a vida.

      Que no fim das contas, quer absolutamente dizer como Lydiah descreveu:
      Desperta teu ser para o que te concede crescimento humano.
      E quando achares que já crescestes o bastante,
      conforme te ditam as regras humanas,
      Desperta teu humano para o que te concede o crescimento do ser.

      E assim caminhamos...
      Só assim verdadeiramente caminhamos.

      ;)

      Excluir
  40. Como é bom ter um cantinho que sempre vai fazer bem... sabe, cara... esse blog tem sido como uma religião pra mim...
    Toda terça eu tenho um ótimo motivo pra vir pro trabalho pois sempre na pausa do café eu tenho uma reflexão pra saborear.

    Hoje pela manhã ao ligar meu iMac, inventei de começar a usar o iCal (uma espécie de calendário/diário/agenda) e prometi pra mim que iria usar diariamente a fim de me observar.
    Eis que venho pra cá e leio sobre auto-percepção, dicas pra surfar na propria timeline, etc.

    Seria uma o universo dizendo: Boa sacada, registre-se, avalie-se, use sim o iCal!
    ???

    Tenho usado as coincidencias do dia-a-dia como indicadores de postura..

    As vezes me levam à circunstâncias maneiras, outras vezes me deparo em lugares estranhos... Com frequência me pego em lugar algum (rsrs). Ora, numa viagem de trem, nem sempre temos a melhor companhia e nem sempre tem colinas e por-do-sol na janela. Mas o trem segue em frente... sempre... pra frente..

    Queria divagar mais contigo sobre o tema, tenho mais pra trocar, mas faltam-me as palavras.

    Antes de qualquer coisa aprendi: O legal é quando faltam-me as palavras. ;)

    Abraços sinceros.
    Rob Nicolau, 23. Lindoia - SP.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rob,

      não podemos nos esquecer que não saber o que fazer às vezes, (e como observou, se auto-observou) quase sempre... FAZ NOSSA CERTEZA

      Excluir
  41. "Quanto tempo dura a mudança de ano?" Dura a vida toda, cara... as mudanças de ano ficam na memória.

    ResponderExcluir
  42. Pópara mesmo mestre, boa reflexão!!! Espero q desta vez o café não tenha ido para a cuia "otavez" rsrs........abs!

    ResponderExcluir
  43. Esse foi um dos melhores sem duvida.
    []'s

    ResponderExcluir
  44. Deliciosa leitura, não sei qual a razão do meu fascínio pelas suas palavras, sejam elas escritas ou cantadas, existe uma identificação surreal que me faz rir e/ou chorar e pensar é isso mesmo, ou tem algo a mais? Um dia espero encontrar essa resposta...

    ResponderExcluir
  45. Acho que meu baba ovismo enche o saco dele... Perfect!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkk bem vida ao clube. As vezes isso me vem na cabeça também . será? rsrsrs

      Excluir
    2. Não pensem assim, ele já disse que o nosso amor o faz viver.

      Excluir
  46. Assim sabe... Eu num sei se consegui entender bem o texto, como um dos de fé mesmo comentou outra vez, que nem todos tem argumentos pra comentar o texto... mas pela minha concepção, os teus textos a cada dia que passa só vão melhorando, tem uma interligação com os meus pensamentos e sentimentos inexplicável... por isso que eu digo que tu consegue dizer tudo o que sinto e tudo que eu preciso ouvir.
    Não sei se me conheço o suficiente, creio que muita coisa ainda tenho pra decifrar em mim mesma... E eu acredito que o corpo é totalmente diferente e oposto da alma... o espírito graças a Deus, é eterno.. (: viva la vida né amigo!
    Obrigada, e já tava com saudades dos seus textos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "você sabe dizer o que eu quero saber / você sabe saber o que eu quero dizer"

      Excluir
    2. eu também esta Humberto... com saudades!

      continuar sendo quem somos pode ser uma fria se não somos quem podemos ser.

      mudar pod mudar pode ser mais perigoso ainda, pois não sabemos qual coluna segura o Templo.

      então a saída é qual mesmo?
      não desistir do corpo...
      assim a alma já ganha maturidade para dizer: sou um deus.

      Excluir
    3. "assim a alma já ganha maturidade para dizer: sou um deus".

      Que significa justamente que essa alma, assim como deus, não joga dados e nem acredita em coincidências.

      O mais alto grau da evolução.

      Faz-me pensar em tantas coisas...

      Excluir
  47. E a maioria de nós segue viagem e deixa pra trás a mala (que analogia curiosa!) do autoconhecimento, pois ela é pesada e tem uma etiqueta que diz "não, você não é perfeito(a)".

    Vou te dizer, tenho curiosidade de saber como você se sairia no teatro. Tens um conhecimento, que me parece empírico, de muitas coisas que se estuda nessa..."carreira". Deve ser influência de Camus.

    Adorei o texto. De novo...rs

    Boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ops... acabei de verificar aquele nosso erro de português amado...rs....ok. Te dizer à você.... fazer o que?

      Excluir
    2. eu acho que o tetro do Humberto seria o Teatro Mágico só para iniciados, teatro de arena para os que vivem a engenharia hawaiiana, nem trágico, nem còmico, apenas a alma e o ser em um diálogo empírico e dialógico, tal qual em Pistis Sofia, tal qual em Menina e Moça, nem Édipo, nem nefelibatas... mas com certeza Márcia, algo encantador e ele e o Duca podem trabalhar juntos na trilha sonora...

      ótima ideia, vou sonhar com ela e pedir a Deus... o "seja, seja, seja"

      Excluir
    3. mil perdões::: TEATRO

      Excluir
  48. agora não vou perder um texto nesse ano de 2013 agora sim tô sem óculos mas deu pra ler

    ResponderExcluir
  49. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tensão de coisas novas pairam no ar, borboletas sobrevoam o diafragma. Tudo de bom HG e ótima semana.

      Excluir
  50. eu fico imaginando se tu escrevesse um roteiro de filme...2013 começando super bem...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. gostei da ideia...

      mas o cinema nacional anda tão previsível...
      então o filme terá que ser mais conceitual, chega de comédia, por enquanto.

      Excluir
  51. Que receitinha mais mágica,hein?! Talvez um dia eu aprenda tb ou sei lá!

    Nanômia

    ResponderExcluir
  52. Propões mudar de perspectiva: sair do convencional (a tradicional celebração de virada de ano - o coletivo) e fazer um exercício de ir ao encontro do que habita em cada um de nós (estranhe-se!). O que era antes desconhecido, vem à consciência. Mudança de paradigma: exercitar-se no conhecer a si próprio. Eles querem o lucro em capital. No autoconhecimento, o lucro é imensurável. Excelente mudança. Creio eu que seja o mais difícil dos caminhos: voltar-se para si e... Desbravar! Conhecer a si mesmo sem julgar ou conhecer a si mesmo e julgar-se. "Seja bem vindo" e "Sinta-se a vontade!". Propões uma mudança de perspectiva. Quem se atreve? À medida que cada um se volta para si, trilha o caminho da evolução. Homer comeu parte da maçã da Apple? Fica a dica! E no final, acha que resta apenas o mistério? Falas disso? Que chato! Depois de ir em si e voltar, o mistério é a resposta? Crês que "só sei que nada sei" responde a busca? Injusto! Nada melhor do que um silêncio imperturbável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "eu tenho fé na força do silêncio"

      a noite faz o homem tremer não de frio mas de medo, homem com medo do homem...

      o lampião aceso não é resposta, só é o meio e o meio é a mensagem como canta Paulo Ricardo...

      Excluir
  53. MEU CAMARADA HUMBERTO,NEM SEI O QUE ESCREVER.
    É MAIS OU ANO -NOVO,CHATO COMO TANTOS OUTROS.E EU CAMINHO PARA O ANO JÁM DE NÚMERO 43,QUE LOUCURA.
    FUI FÃ DE ROCK NACIONAL,CONFESSO QUE NUNCA PARTICULARMENTE DE ENGENHEIROS.E NAQUELA BRIGA,NÃO QUEIRA NEGAR QUE EXISTIA,LEGIÃO X ENGENHEIROS,SEMPRE FUI PARTIDÁRIO DA LEGIÃO!MAS,AMIGO GREMISTA,TUDO FAZ PARTE.NUNCA ENTENDI O ÓDIO DA CRÍTICA,MAS ACHAVA LEGAL O AMOR DOS FÃS.APENAS UMA PERGUNTINHA,QUEM FAZ OS DESENHOS LEGAIS QUE VC COLOCA NO BLOG?AINDA ODEIA HQS?CASO NÃO,BEM QUE PODERIA LANÇAR A BIOGRAFIA EM QUADRINHOS DOS ENGENHEIROS,E MESMO,UNS ÁLBUNS EM FORMA DE HQS INSPIRADOS EM TODOS OS DISCOS DOS ENGENHEIROS,IA SER DUCA!AIND ANA BRIGA,LEGIÃO X ENGENHEIROS,POR QUE LEGIÃO PARTIU,E HUMBERTÃO FICOU?MISTÉRIO.TE ADMIRO TAMBÉM,POR TER CONSEGUIDO MONTAR UM UNIVERSO PARALELO E PARTICULAR,AFASTADO DA CRÍTICA PUXA-SACA,DOS GRUNGES,TITÂNICOS,RAIMUNDANICOS,MEPEBISTAS E BABACAS EM GERAL!E DÁ LHE TIMÃO BICAMPEÃO DO MUNDO,THÊ!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. gostei do "babacas em geral"

      Humberto tái que tal o Andrews & Bola lançarem um livro pela Belas Letras só do trabalho gráfico Eng Haw deles... será demais, não será?

      Excluir
    2. taí que Andrews & Bola lancem...

      Excluir
  54. TO MEIO PERDIDO AQUI,QUEM FEZ O COMENTÁRIO ANTERIOR FOI O CARTUNISTA,QUADRINHISTA,ILUSTRDOR,DESENHISTA,ETC,ADMEIR D E PAULA.

    ResponderExcluir
  55. Sério Sir Gessinger...

    Eu voltei só por conta da imagem com o casal "maisilindu" de velhinhos...
    É de pelúcia essas "fofurinhas" "gotozas" e "doxes" da histeria da Cila aqui?

    Fato:
    São "bunitinhos"

    E eu "cumexu" a falar "axim", e vai longe isso...

    Ohhhhhhhhhhhhhhhhh.

    Ah, meu Olá
    ;)

    ResponderExcluir
  56. O que mais precisamos e vigiar a nós mesmo para não se arrepender quando o tempo chegar no limite da existência. Abraços!

    ResponderExcluir
  57. Papo auto conhecimento? Interessante pois tenho uma metáfora impressa com respeito ao "Trem da vida" que sempre estou recorrendo a ela, fala justamente do nosso percurso, as paradas, as pessoas que embarcam nesta viagem e as que desembarcam, é interessante, como tenho também uma que fala sobre a 'árvore dos meus amigos" ou algo parecido, é interessante.

    Quanto ao final de um ano e início de outro, o que muda? teria uma hora, um minuto ou segundos o poder de mudar toda a nossa vida? Em alguns casos sim! Mas com respeito a mudança de ano ou o dia que irei ganhar mais um ano o que muda? Nada! mudará sim se contarmos todo o ano, o que Mudou? O que não Mudou? Aí sim poderei dar uma resposta.

    Quanto Humberto tomar café depois que os sol se foi: Verdade ou Mito? ouvi dizer: O que atrapalha nosso sono, são os amigos que não perdoamos que estes sempre vêm a nossa mente e tiram o nosso sonho. Será verdade?

    Até um dia. Vida longa!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renata é verdade, sem perdão não há sonho que valha a pena.

      O tempo reage só aos fortes que sabem como aproveitá-lo... mas confesso que ele reage também aos fracos que sabem como devorá-lo.

      Excluir
  58. Sidnei Rodrigues - São Paulo9 de janeiro de 2013 13:31

    1berto como sempre texto mágico ( seguir viagem)....
    Parabéns....

    ResponderExcluir
  59. Boa viagem pra nós!!!

    ps.: se encontrar onde vende simancol, me avisa?

    ResponderExcluir
  60. Ufa, quando li o titulo do post fiquei mto aflita. Então continuei, um tanto desconfiada... E no terceiro paragrafo "Graças a Deus", nada do que eu pensava( semancol pra mim :/)É que um desvio de atenção me fez ler " Pô Pará!Como assim, o que chateou ele por aqui? E a proxima turnê, não terá o Pará na agenda? E várias hipoteses cresciam cercando minha cabeça kkkkkkkkkkkkkk Pois é, sou de Belém do Pará e entrei em desespero quando, por alguns moentos, cheguei a pensar que Gessinguer tinha algo contra "as paralelas que se cruzam..."
    Foi mal Humba, hihihi

    Égua 1: Adorei o texto! (profundo como sempre)

    ResponderExcluir
  61. Mais uma vez magnífico...

    É uma surpreza a cada texto, é uma nova ideia a cada palavra...

    ResponderExcluir
  62. Pois é... pensando nisso e aproveitando o fósforo aceso, esquentei um café na esperança de fazer brilhar um sol particular.


    Que lindo!

    bjão


    =)

    ResponderExcluir
  63. Que Humberto Gessinger saiba disso. Os Dândis se rebelaram novamente!
    A Revolta dos Dândis III
    Entre o ódio e o amor, o clima frio e o calor, entre a ousadia e o temor, entre a beleza e o horror. Entre o cabeçalho e o rodapé, entre o presidente e o Zé Mané, entre Jesus, Maria e José. Eu me sinto um brasileiro, que tenta fazer o bem, mas fugiu do seu país, perseguido da nação. Entre o doce e o salgado, o perdido e o achado, entre a frieza e a piedade, entre o comum e a raridade. Entre uma chave e outra da arca perdida, e entre tantas coisas não permitidas. Eu me sinto um brasileiro, que tenta fazer o bem, mas fugiu do seu país, perseguido da nação. Entre o açúcar e o sal, entre estranho e o normal, o perigoso e o letal, tudo desigual. Entre uma dose e outra, de água aquecida, e entre tantas doses, de inseticidas. Eu me sinto um brasileiro, que tenta fazer o bem, mas fugiu do seu país, perseguido da nação. Entre a falha feia e o golaço, entre Van Gogh e Picasso, entre o esquadro e o compasso. Entre o show e o fiasco, há muita lata e há pouco aço, mais ainda não sei o que eu faço. Eu me sinto um brasileiro, que tenta fazer o bem, mas fugiu do seu país, perseguido da nação. Eu fugi do meu país e não, não voltei pra minha nação.
    AUTOR: Paulo César Desidério Costa (0XX65)96295243

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal Sr Paulo Cesar, tira ela e posta no Youtube,

      Excluir
  64. simples e nao complexo ...............inteligente e

    claro para os nao iniciados........ buscai e acharas........................

    ResponderExcluir
  65. toda vez que falta a luz . o vazio nos devora........ a busca do si mesmo e o amor ao proximo nos da essa luz com mais intensidade e força pra viver .DEUS É AMOR...LUZ ETERNA.......
    PEDI BUSCA E ACHARAIS....................

    ResponderExcluir
  66. AGORA É COMPLEXO PARA OS INICIADOS NA VISAO DO EXISTENCIALISMO ....NO MAIS PROFUNDO INTERIOR DO SER HUMANO.AINDA É FOGO DE PALHA , FOSFORO,MAS BUSCAI A LUZ MAIOR ,OAMOR MAIOR NO SEU CORAÇAO .....VALEU HUMBERTO PELA LUZ DE NAO INICIADO PARA OS INICIADOS ........ FIQUE COM DEUS...............

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernando de Sá Leitão

      "Sempre há luz nos fins dos túneis"

      Sempre.
      Basta confiar.

      =)

      Excluir
  67. Sempre há luz nos fins dos túneis, sejam de trens ou do sol,que altaneiro, sempre brilha! Abraços!

    ResponderExcluir
  68. ahahah...
    nao vou nem comentar...
    só pra registrar mesmo...
    estive aki.... e em nagóia, mas só com as k7s..

    ResponderExcluir
  69. Eu li o texto todo Humberto...cheguei até aqui pra postar esse comentário...

    ResponderExcluir
  70. Um primor de texto e uma alegria em poder lê-lo!

    ResponderExcluir
  71. Sempre te admirei e quanto mais o tempo passa a admiração cresce ainda mais pelo seu trabalho...

    ResponderExcluir