Intuiçã(*) - 75



Reza a lenda corrente nos estúdios porto-alegrenses que um grande músico nativista de tempos idos teria dito “depois que inventaram este tal de arranjo, acabaram com as minhas músicas”.

(*)

Meu tio Antoninho - com a sabedoria de quem observou a vida por décadas através do balcão de uma banca no abrigo de bondes da Praça XV onde vendia, entre outras coisas, fumo de rolo e pedras para isqueiro - um dia me disse: “o que está estragando o mundo é este tal de evento”.

(*)

Dá pra sacar que nem o compositor gaudério nem meu tio estavam familiarizados com aquelas palavras que, de repente, começaram a ouvir com frequência. Toda canção tem um arranjo, elaborado ou não (da nona de Beethoven executada nas salas de concerto ao Parabéns a Você dos aniversários). Quanto aos eventos, eles acontecem desde que o mundo é mundo, a criação do universo foi o primeiro. O que as palavras “arranjo” e “evento” significavam para os dois? Talvez a pergunta correta seja: o que a popularização destas palavras significava?

Mesmo sem a compreensão literal dos termos, por linhas tortas, ambos fizeram um diagnóstico certeiro - atiraram na igreja e acertaram no padre. Nas suas reclamações vislumbraram um mundo onde o acessório estava se tornando o principal. Arranjos na frente das composições, produtores na frente dos músicos, fama precedendo feitos, igrejas na frente da religião, a carroça na frente dos bois. A espetacularização do que é banal, a banalização do que deveria ser especial.

Baita intuição!


É impressão minha ou está, de fato, rareando o uso da intuição? Será esta impressão uma intuição equivocada? Começo a desconfiar que a abundância de dados que temos à disposição nos acostumou mal. Ficamos mimados. Atrofiamos o sexto sentido. Fico pensando como os médicos diagnosticavam e curavam quando não dispunham dos modernos exames de imagem. Como sabíamos do que gostávamos antes das listas de 10+? Como sabíamos o que odiávamos antes das redes sociais?

Se a necessidade é a mãe da invenção, talvez a escassez de informação ordenada, racional, seja a mãe da intuição. O faro se aguça. Do pouco, tiramos o máximo. Altos teores de concentração, mas uma atenção  inconsciente, se tal é possível. A tensão relaxada de um ninja. Sentir com inteligência, pensar com emoção.

(*)

Alguns cientistas políticos dizem que o espectro político (da esquerda à direita) tem a forma de uma ferradura: um objeto em que os extremos estão mais próximos entre si do que do centro. Interessante... talvez a imagem da ferradura também se aplique ao nosso assunto: o excesso e a escassez de informação,  talvez, se assemelhem, e, nos obriguem a, mais do que saber, intuir. Ler nas entrelinhas.

(*)

Sinto que um número crescente de pessoas me vê como um estrategista metódico. Consultam-me sobre rumos a tomar e elogiam minha disciplina. Talvez tenham razão, mas eu, sinceramente não me vejo assim. Dois fatores causam esta impressão: (1) de fato, me dou bem com os ciclos, sejam eles de semanas, meses, anos ou mesmo instantes. Gosto destes ritmos, entendo essa música. (2) tenho facilidade para alinhavar palavras e explicar trajetórias percorridas, o que dá a falsa impressão de que as planejei. Mas... podem crer que, na hora do mergulho, na escuridão de águas densas, é uma mão que desconheço que me leva.
abraços
13nov2012

127 comentários:

  1. Respostas
    1. Parabéns, campeão.

      Excluir
    2. Já que foi o primeiro, poderia aproveitar pra escrever algo decente...

      Essa semana li Mapas do Acaso. Cara, muito do que eu penso se assemelha com o que vc pensa, ou ao contrário. Acho incrível a forma como vc escolhe vêr o mundo. Pensar com emoção, sentir com inteligência, se assemelha com uma frase do Bertrand Russel, que deve se aproximar com alguma outra ideia de alguém e por ai vai.

      Obrigado por fazer com que eu afirme minhas ideias nessa areia movediça da vida!

      Excluir
    3. Q lindo isto cara!

      Excluir
    4. adorei o " muito do que eu penso se assemelha com o que vc pensa, ou ao contrário"

      Excluir
    5. "Sentir com inteligência, pensar com emoção."

      Excluir
    6. Oi,"Primeiro!!!"
      Achei gracinha. O anseio pela antecipação já fala por si. Tudo de bom!!!

      Excluir
  2. Vc como sempre maravilhoso! Muito bom te ver na Bienal em Fortaleza!

    ResponderExcluir
  3. Delicia de texto!

    @simone_hg

    ResponderExcluir
  4. É verdade... hoje temos preguiça de pensar... tudo está no google. Tô me desfazendo da minha coleção de "Placar", as quais compro desde 1990. Motivo: falta de espaço e abundância de informação na internet. Preguiça de folhear páginas amareladas das minhas revistas... A internet nos deixou burros e preguiçosos.
    Abraço, Humberto.
    Parabéns pelo texto!!

    ResponderExcluir
  5. Humberto, sou sua fã, volte logo para Curitiba com o Pouca Vogal :)

    ResponderExcluir
  6. Show...seria essa mão desconhecida que lhe leva, a mão de Deus?!?!? Vamos pensar...

    ResponderExcluir
  7. #75 - Como uma luva...


    "Esquecemos o que somos, simples de coração."

    ResponderExcluir
  8. Segunda! Preferir o desconhecido, talvez seja a melhor forma de nos conhercermos! Boa Noite! :D

    ResponderExcluir
  9. "Mas... podem crer que, na hora do mergulho, na escuridão de águas densas, é uma mão que desconheço que me leva".
    Que lindo!
    []'s

    ResponderExcluir
  10. Nossa Humberto teu texto ficou muito bom mesmo ...

    ResponderExcluir
  11. - Olha aquele Fulano! Ele não é aquele famoso?
    - Ah, ele é famoso? Mas famoso por que?
    - Não sei, mas é famoso.

    ResponderExcluir
  12. http://www.youtube.com/watch?v=T8BRQ0GUQTU&feature=youtu.be tu precisa ver isso hg! Se tu ver, me avisa no twitter @filipebasso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahsghasghasghasg *----*

      Excluir
    2. Sensacional... amei! Parabéns... ao pequeno e à você que o tem influenciado com boa música...

      Excluir
  13. Ah, e os textos estão cada vez melhores, é bom pra alegrar a terça e nos fazer pensar e refletir sobre muita coisa

    ResponderExcluir
  14. Isso é filosofia!!

    Perfeitas colocações!

    Robotização... é a ordem!

    ------------------------------

    Ansioso pela twitcam! Abraços

    ResponderExcluir
  15. Todos acham a intuição = a certeza,mas nem a certeza me dá uma intuição. Parabéns, pelo texto!

    ResponderExcluir
  16. Muito bom o texto como sempre! Acredito que este espectro de ferradura possa ser aplicado a muita coisa, incluindo o dualismo loucura e lucidez! Humberto, fui ao show em Barbacena e as vezes acho desrespeitoso ao artista o formato de como o show é realizado. Colocam aquelas "músicas" eletrônicas durante 2 horas e logo depois entra um som mais introspectivo e de qualidade como é o do Pouca Vogal. O ideal seria como acontece em algumas cidades, onde o show é a única atração, quem vai é para curtir Pouca Vogal! Mas valeu o sacrifício!

    ResponderExcluir
  17. "Alívio imediato". Além de saber alinhavar palavras como poucos, expressa com a alma!

    ResponderExcluir
  18. Belas palavras, e eu nem sei o que dizer... Apenas que é um belo texto, e incrívelmente você sempre me surpreende Humberto!! Incrível, Incrível, Incrível, Incrível, Incrível, Incrível Incrível Incrível !!! Não me canso de dizer, você é demais, meu caro!
    Ok, eu sei que você deve ouvir isso toooodos os dias... Mas eu posso dizer né? ... :'(
    Cada dia que passa fico mais tua fã ainda, adimiro tudo, cada palavrinha que tú cita! Eu não sou uma pessoa muito atualizada, tenho pouco conhecimento sobre alguns lances, mas é interessante como eu leio o que tu fala e faz todo o sentido! ^^, Como é que alguém pode ser assim, meu Deus, você é demaaaaaaaaaaaaaaaaaais, e eu posso dizer, eu te amo, !! rsrsrs, grande parte da pessoa que sou hoje é graças a você. Agradeço ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei pô o show de CAruaru, me lembro todos os dias... Hoje tava imaginando como foi perfeito! Queria outro... Quando é que tu volta aqui no nordeste? Será que sera já com um novo projeto? rsrs
      Bom, ok, tá.. tá eu já falei muito né..*-* boa terça, Humberto! Abraço. =)))

      Excluir
  19. ...Não saber o que fazer às vezes faz nossa certeza...

    Mesmo assim acho que a intuição depende do quanto você está preparado para recebe-la (...) quanto mais preparado, melhor para captar as boas vibrações que pairam no ar... Mesmo acertando o lado que o goleiro não vai pular, se não souber chutar, o gol não sai....

    ResponderExcluir
  20. Belo texto, bela colocação de palavras alinhavadas.

    Faz sentido a ferradura, cujos extremos considerados são excesso e escassez de informação. E o centro seria a parte mais distante dos extremos, porém a parte mais espessa, mais firme.

    A ferradura simboliza o cavalgar com o qual seguimos trajetória, enquanto vivemos. Um leve intuir me veio a cabeça agora, puxando-me pela mão: o centro dessa ferradura, quando posta abaixo da pata de um equino, é a primeira parte da pata a tocar o chão a cada passo dado.

    Pensando dessa forma, intui-se que o meio entre extremos pode determinar a pontapé inicial para o caminhar, para o seguir adiante.

    Estava eu emburrecido com a eufórica manifestação social na internet, onde não conseguia determinar formas de compreensão e comportamento adequadas para lidar com aquilo ao meu modo.
    A necessidade de estar presente conflitando com a necessidade de estar ausente naquele meio. Era impossível determinar um ponto de equilíbrio.

    Seu texto veio conseguindo trazer respostas: não há lógica ou raciocínio para se compreender o que não se define. Basta apenas intuir e estender a mão.



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Emburrecido", mesmo!

      Aborrecido* =)

      Excluir
  21. concordo em muitos pontos aqui contigo. O
    Livro - Blink, A Decisão Num Piscar De Olhos de Malcolm Gladwell, da ótimos exeplos práticos e até teóricos (o em si já é uma contradição) do poder da intuição versus a razao.Vale leitura.
    abs lusitanos!
    Fábio

    ResponderExcluir
  22. Humberto é genial, me apaixonando cada dia mais pela pessoa incrível que você é. Gênio,

    ResponderExcluir
  23. Perdão, Humberto... Fui correr e cheguei atrasado pro blog. Será que acertei o padre também? Quem deveria vir primeiro: meu vício ou minha necessidade?
    Putz! Agora me veio um insight: é uma separação cruel, pois vícios e necessidades ocupam "espaços prioritários" iguais em minha vida.
    Cruz e espada, "ser ou não ser..." vício ou necessidade?
    Um abraço. Saudade, Laka, vc tá aí?

    ResponderExcluir
  24. achei interessante o ponto das ferraduras, sempre ao falar desses assuntos, geralmente canções, musica e letra e tbm politica,eu usava o imã como exemplo...o lance dos polos negativos e positivos. I liked

    ResponderExcluir
  25. pensante...

    ...show em Poços de Caldas MG no sábado ainda está bem vivo em mim!

    ResponderExcluir
  26. Alguns males do mundo pós-moderníssimo... acho q Maltz, em seu livro, aborda essa coisa da banalidade da vida, facilidades, urgência, necessidade de a(parecer) o que não é... enfim... velho mundo moderno...

    Esses textos do Humberto são quase um prece...

    Parabéns, Humba!

    ResponderExcluir
  27. Quando você esteve na feira do livro de Porto Alegre eu estava longe de imaginar(por que foi uma surpresinha)mas poderia ter criado a segunda etapa de uma "tradição".Lembra da barriga que você autografou ano passado?Pois bem,este ano você conheceu o bebê mas já havia outro na mesma barriga e ficamos sabendo hoje.Agora pensei que na próxima feira do livro ele já tera nascido e lamentei não ter sabido dias antes para autografar a barriga novamente.Vou esperar para que ela cresca um pouquinho para ir a algum evento em que você esteja.Abraço.

    ResponderExcluir
  28. E sigo seguindo essa filosofia gessingeriana de vida... Você é pica, 1bertão!!

    ResponderExcluir
  29. AGORA É SÉRIO

    Sr Humberto,

    Desde 91 eu ouço Engenheiros. Desde 98 é a minha banda predileta. Nesses 21 anos já estive 3 shows do Eng Haw: 94 em Campo Mourão-PR(pós FGCA),98 em Curitiba Pr (Minuano) e 2002 em Maringá Pr (Surfando Karmas). Estive também em 3 shows do Pouca Vogal: 2008 em Maringá PR, em 2009 em Floripa e em Campo Mourão PR em 2010.

    Em todas essas oportunidades, eu TENTEI conseguir uma "PALHETA" sua e nunca foi possível (Consegui uma do Duca em 2010).

    No próximo sábado, 17/11 ESTAREI na frente do palco no show que vai acontecer em CAMPO MOURÃO PR, inclusive com a CAMISETA VERMELHA da Twitcam do "Ouça oque eu digo".

    Ficarei muito feliz se DESSA VEZ, EU CONSEGUIR!!!

    NÃO VIM ATÉ AQUI PRA DESISTIR AGORA!!!! mas me ajuda, ahhahah

    ResponderExcluir
  30. "- Toda vez que eu vejo aquele cara eu sinto coisas estranhas.
    - É, o que?
    - Parece que meu coração acelera, minhas mãos soam, minhas pernas ficam bambas e me dá umas sensações diferentes no estômago.
    - Ai, amiga, não sei o que é isso não. Procura no google pra ver o que você tem.
    - (...) Meus sintomas indicam que eu tenho arritmia cardíaca e que o tratamento consiste em ablação por radiofrequência.
    - Crédo! O nome é complicado. Parece ser algo sério. É bom você procurar um médico pra ele te receitar algum remédio!
    - É, e acho que também devo manter distância desse cara que me causa arritmia! Preciso logo de pílulas. "

    Intuição?
    Bah... é só questão de tradição.

    Mi1: Será que a intuição "daquele cara" o ajudaria (se a música tivesse mais 3 minutos) a descobrir o que será que ela quis dizer, 5 letras, começando com a letra A?

    Mi2: Belíssima prosa. Belíssimo prumo. Obrigada.

    ResponderExcluir
  31. "Mas... podem crer que, na hora do mergulho, na escuridão de águas densas, é uma mão que desconheço que me leva."

    Gracias, por mais um baita texto! Nestas últimas semanas, têm me inspirado mais ainda na dança...

    E assim me encaminho pra mais um Encontro de Arte e Tradição, que venha mais um ENART, que a mão que eu também desconheço, guie meus passos e de meus colegas no tablado de Santa Cruz do Sul. Que possamos cumprir mais uma vez nossa missão: perpetuar a tradição gaúcha e encantar o público através da dança.

    Amém.

    Muitíssimo obrigada por tamanha inspiração!

    ResponderExcluir
  32. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  33. rsssssss...e eu em São Luís pensando que o mesmo horário aqui é o daí...vim aqui 24 horas sendo que pra ti já é 01 da manhã...enfim, ótimo texto e, pode crer que, não é só pra você, essa mão que desconhecemos leva todo mundo.

    ResponderExcluir
  34. Penso que a intuição se tornou desnecessária, 1berto.
    No mundo onde tudo, cada vez mais, está didatizado e não se ousam "novos horizontes", a intuição é recurso cada vez mais obsoleto. Ninguém desbrava descaminhos ou inventa suas próprias trilhas. As pessoas não querem as "rotas idiotas" traçadas por si mesmos porque só partem com destino certo. Não que isso seja errado - claro que não! - mas portar-se sempre assim significa chegar sempre ao mesmo lugar. A canção do Moska traz uma sabedoria importante: "Então me diz qual é a graça de já saber o fim da estrada quando se parte rumo ao nada?". Nessa jornada rumo ao nada, pela descoberta e para descobrir, a intuição é fundamental.
    Todos teorizam bem e reconhecer o valor do que leem e escutam, mas não trazem isso para suas vidas ou exercitam o devir do viver.

    A intuição não se faz presente porque a verdadeira ousadia já não é necessária. Não quando se busca desbravar horizontes tão seguros e familiares.

    "Se não for isso o que será?"

    Abs!

    ResponderExcluir
  35. Uma mão que te leva... e vai fundo!!!
    Belo mergulho!

    ResponderExcluir
  36. E é suas mãos em nossas mãos que nos levam...

    a sua "facilidade para alinhavar palavras e explicar trajetórias percorridas" é análoga a nossa facilidade de decorar suas letras...

    ResponderExcluir
  37. Pessoal quando será a próxima twitcam?

    ResponderExcluir
  38. A vida não teria graça se tivesse "Ctrl+Z".

    Saudações Rubro-Negras.

    ResponderExcluir
  39. Como esperado de um messiânico...
    Gessinger é o melhor do mundo!
    shaushaushauhsuahs'

    ResponderExcluir
  40. É... mundo contraditório... exigindo bibliografia, querendo novidades. A intuição ali do lado... sei, mas não sei como sei...
    Um mundo em que a intuição faz toda a diferença, já que compreendê-lo é uma utopia (ou não?). A velocidade da informação nos dá fragmentos de ideias, sem tempo para análises apuradas... bem, eu sinto assim.
    Ótima reflexão (intuição?), como sempre.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah,sim! Viu a foto que coloquei o link na postagem anterior? Um sanfoneiro lá da Capadócia ;-)

      Excluir
    2. Sei que pode parecer bobagem, mas na hora me encantou perceber que o acordeon tem o mesmo lugar no outro lado do atlântico (era um espetáculo de músicas regionais). Lembrei (caiu a ficha) de que acordeon no rock, só com 1berto...rs ;-)

      Excluir
  41. O que me impressiona em você é que da geração de onde viemos (Ou de quando viemos), você tem se sobressaído como artista, se metamorfoseado ainda que continuando o mesmo, mas diferente. A maioria das bandas dos anos 80 foram apenas bandas. Mas o artista Humberto Gessinger mostrou competência e conteúdo, mesmo depois do fim dos Engenheiros, o loiro mostrou que ainda tinha - e tem muito pano pra manga. Músico, escritor, cronista, pai, marido, etc. Não é à toa que pra essa nova geração você tem sido uma espécie de gurú; vejo pelos posts. É simples: Da nossa época quem restou? Da nova geração quem apareceu? Resta lhe desejar o melhor nesta nova fase (Nova pra mim que matava aula pra ouvir Ouça o que eu digo...). Manter acesa a chama, vivo o espírito. Muitas coisas ainda me emocionam. Um grande abraço de um amigo distante e próximo, como somente a Internet e o tempo podem permitir.

    Christiano Rios
    Fortaleza/CE

    ResponderExcluir
  42. 1berto,

    Fica muito evidente como as palavras fluem com naturalidade na sua escrita, o que nos remete a ver seu texto em vários ângulos e refletir nos fragmentos que muito dizem como mensagens dentro de mensagens.

    Bom demais!

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  43. "um estrangeiro passageiro de algum trem..."
    Um mundo redondo e eu quadrado...
    Devem ser meus 4.1...
    Show de bola o texto, 1berto!!!!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  44. Tenho certeza de que por mais que os caminhos do homem pareçam rumar pro buraco, Deus sempre ganha.

    Estive conversando sobre o excesso de informação com um amigo enquanto apreciávamos um fumo (não de rolo), chegamos nesse ponto interessante da conversa:
    Para aqueles que admiram o lado místico por trás da vida vai haver sempre espaço pra ouvir a intuição.
    É claro que a medida em que a tecnologia aumenta, diminui o numero de gente que se liga nas entrelinhas. Por um lado isso é bom, apura ainda mais a intuição de quem pratica.

    Saímos de Lindóia pra ver o show do pcVgl em Poços. Depois do show fomos pra cidade, acabei perdendo a chave do meu carro (mas que cabeça a minha) e tive de usar minha intuição no máx. pra achar a chave no meio daquelas praças gigantes.
    Minha intuição me dizia que isso tudo era algo POSITIVO. Eu sorria pros pássaros na espera de que um deles voasse em direção da chave (a esquina da intuição e da esquizofrenia) madrugada a dentro.

    O Sol nasceu. Não achei a chave. Tive que voltar no outro dia com a reserva.
    O lado positivo disso? Me reaproximei do meu irmão que andava estranho comigo. Foi demais. Por pouco não passei por chorão ao ver o por-do-sol na estrada enquanto eu e meu irmão nos abraçávamos no mundo astral em silêncio no mundo físico olhando pro vermelho do céu mineiro.

    A intuição do lado positivo nisso tudo NÃO FALHOU!

    Rob, 23. Lindóia-SP

    ResponderExcluir
  45. Parabéns pelo texto Humberto espetacular como todos os outros...Foi muito bom te ver em Fortaleza...volte logo...Abraço..Jonas Pinheiro!

    ResponderExcluir
  46. Belo texto, me fez lembrar uma frase de zuação que falamos aqui nos corredores da universidade: respeito o pessoal antigo que formou sem google e wikipédia :P
    A tecnologia vai deixando as pessoas mais preguiçosas a meu ver...

    ResponderExcluir
  47. Você me surpreende cada vez mais 1berto.

    Eu achava,que era possivel 'treinar' e desenvolver um jeito para sempre dar 'belos passos'

    Mas pelo que vejo atravez dos seus olhos,para fazer um 'belo passo' deve estar sempre dançando 'no silêncio' e de olhos fechados.

    ResponderExcluir
  48. Muito bom Humberto, O show em Poços de Caldas-MG foi ótimo, inesquecível, pena eu não ter conseguido tirar uma foto contigo, mas valeu, volte logo.

    ResponderExcluir
  49. Eu faço Psicologia, matéria que tenta de forma objetiva, lidar com o subjetivo humano. No mais, a gente trabalha com a intuição, por mais que tenhamos uma ou duas informações para comprovar, mesmo assim, não é de hoje que escuto "termina sua faculdade depois vc vem fazer suas deduções psicológicas", ninguém ta muito afim de trabalhar com o a incerto em um mundo onde as respostas estão há um clique. A intuição morre a cada dia a medida que a insegurança toma conta de um mundo onde todos tem medo de dar o próximo passo sem saber onde ele pode levar, as pessoas não tem o costume de olhar para dentro de si mesmas pois ali repousa o estranho, o desconhecido e nós queremos respostas e não perguntas.
    No mais, as vezes servimos de muro das lamentações... De ponto de referência ou estrela guia, chame como quiser, por fazer parecer que sabemos exatamente o que fazer. Devo admitir que quando as respostas se tornam perguntas, eu me viro para Datas e Nomes e pergunto a você, Humberto, o que fazer... E tem gente que pergunta para mim, achando que eu sei alguma resposta, mas não sei... A maioria das coisas é no improviso, metade da vida planejando e a outra metade tendo de improvisar não é mesmo? hahah
    falei demais dessa vez, belo texto (;

    ResponderExcluir
  50. Há sempre entalhos de emoção nas janelas de razão...

    ResponderExcluir
  51. Intuição é algo que poucos possuem ou cultivam. O excesso de informação não deixam as pessoas pensarem.. o que é é, não precisa ser discutido. Infelizmente!

    E esse é um dos motivos que te admiro, vc não faz parte desse grupo que se deixa levar pelas informações fáceis!

    (PS: venha pra SP logo)

    Abraço.

    ResponderExcluir
  52. E aqui estou eu, vestibulanda, envergonhada por não usar minha intuição o suficiente. Obrigada por mais essa!

    Gabriela, Luis Alves SC.

    ResponderExcluir
  53. Quando o excepcional se torna tão banal, perde-se toda a graça...

    http://metamorambulante.blogspot.com.br/2011/06/brincando-de-ser-outra-pessoa-fingindo.html

    ResponderExcluir
  54. Excelente texto!! É o "sétimo sentido" chegando: a robotização do ser-humano.

    ResponderExcluir
  55. fabiano alves coutinho13 de novembro de 2012 13:17

    otimo texto! adorei o bloGessinger, vindo de um genio como tão não esperaria menos, valeu Humberto...

    ResponderExcluir
  56. Humberto
    Ótimo texto como sempre, esse é um dos que + gostei,isso é realmente como estão as coisas nos dias de hoje.....
    Eu tenho Fé na Força do Silêncio!!!
    Parabéns !

    ResponderExcluir
  57. Humberto
    Ótimo texto como sempre, esse é um dos que + gostei,isso é realmente como estão as coisas nos dias de hoje.....
    Eu tenho Fé na Força do Silêncio!!!
    Parabéns !

    ResponderExcluir
  58. Pior que a popularização das palavras "arranjo" e "evento", é a popularização da expressão "eu te amo" :O

    Grande abraço Hum...berto :)

    ResponderExcluir
  59. Dia desses estava no boteco conversando exatamente sobre " o que a popularização das palavras significava?"

    Filosofia de esquina, sacoméné.

    Boa co-incidência, belo texto.

    Caiê Relvas - Belém/Pa

    ResponderExcluir
  60. Por que tentar usar minha intuição? Ou até mesmo, por que pensar, refletir e se questionar? Tudo o que quero (ou aprendo a querer) e tudo que preciso (eu nem sabia que precisava, mas eu vi que todo mundo tem então...) está na minha frente, sendo jogado na minha cara o tempo todo, atingindo todos os meus sentido. Por que querer ir mais longe, se o tempo inteiro me mostram que se eu chegar em determinado lugar já será o bastante?
    Sortudo, e admirável, foi seu tio Antoninho que sabia das coisas do mundo mesmo por trás de um balcão! Engraçado pensar como hoje em dia tudo é evento... E por causa da "espetacularização do que é banal" e da "banalização do que deveria ser especial", muitas vezes ocupamos nosso tempo de uma forma não tão eficiente... Aquela história toda do "sempre mais do mesmo".

    Só sei de uma coisa! Quero uma mão desconhecida me levando pelas águas TENSAS também! :)

    ResponderExcluir
  61. intuiçao..as vezes e bom tela...as vezes atrapalha a criaçao....

    ResponderExcluir
  62. Incrivel como as curvas dessas cronicas sempre arrumam um jeito de me roubar um sorriso qd me ocorre um almoco sem companhia.

    ResponderExcluir
  63. "Nas suas reclamações vislumbraram um mundo onde o acessório estava se tornando o principal" e é realmente o que está acontecendo hoje... Caminhos retos não me agradam .. prefiro as curvas... A graça ta nas coisas simples e corriqueiras da vida! Um sorriso, um gesto, uma palavra... talvez esteja lá!

    Bjão

    =)

    ResponderExcluir
  64. ...mas se a intuição te leva a um caminho e as ações e fatos a outro? Como se faz?? Pensar com emoção e sentir com inteligência...o que é ser inteligente?
    Eu estou, exatamente, como a colega aí de cima:

    " Só sei de uma coisa! Quero uma mão desconhecida me levando pelas águas TENSAS também! :)"

    Belo texto, muitas-poucas palavras! Obrigado por mais este (*)75

    ResponderExcluir
  65. De maiss! Parabéns Humberto,como já é de se esperar, um ótimo texto!!

    ResponderExcluir
  66. Como já dizia a letra do Capital:
    "Inteligência ficou cega com tanta informação"

    ResponderExcluir
  67. Um otimo texto pra mim, e um forte abraço pra voce Gessinger!!!

    ResponderExcluir
  68. a melhor coisa que eu pude adquirir esse ano foi o livro: "Nas entrelinhas do horizonte" hoje em meio a uma briga com meu namorado, quando percebi mais uma vez que eu que sempre achei ser dona da razão na verdade não era tudo isso, quando eu vi que eu não era tudo o que eu avia pensado ser me recordei de uma parte, logo no inicio do seu livro que diz que devemos ser a criança que a vida nos traz e não a que fomos um dia pois essa jamais iremos voltar a ser, isso me motivou, isso abriu meus olhos, isso fez eu entender que eu não posso mais correr atrás de ser quem fomos um dia onde eramos felizes e sim devemos ser quem a vida nos permite ser, somos quem podemos ser.

    ResponderExcluir
  69. Humberto,

    Fui criado ouvindo "Ópera do Malandro", "Construção" e "Geni e o Zeppelin" do genial Chico Buarque (para mim o Pelé da MPB), cantor e compositor do qual você já interpretou algumas canções dentre elas "Quando o Carnaval Chegar".
    E num país, hoje, tão carente de músicos com conteúdo, eis que surge você falando em intuição...
    Infelizmente não tive a aportunidade de ler seus livros ainda, mas com certeza vou ler "Mapas do Acaso".
    Como você consegue de uma simples observação dissecar uma idéia?
    É impressionante como estas idéias se transformam em algo maior, é interessante porque isso faz nossa mente viajar por caminhos inimágináveis como se uma voz nos falasse.
    Somente a intuição para lhe guiar por idéias tão iluminadas.
    Identifico nas canções e nos textos do blog lições que passo na minha vida, como se fosse ao acaso, mas dizem que o acaso não existe...

    Um abraço e continue intuindo...

    Jailton Alves

    ResponderExcluir
  70. Sir Gessinger...

    E que mal haveria em ser visto como um estrategista metódico?
    Nenhum.
    Sejamos práticos: a lógica mesmo é sempre a da emoção.
    Todos os argumentos se equivalem; o que nada nos tocará para além do sentimento que os gera.
    Sendo assim, sabemos que até os grandes na matemática, no momento em que mergulhavam conscientes e metódicos no mar de zilhões de possibilidades de um único pensamento, saíam dali com algo do inconsciente trazido pelas mãos da intuição... Felizes e brilhantes no singular e íntimo EureKa do Arquimedes.
    Bem, até um pensamento sistemático e lógico, pode ser a porta aberta para uma distração, e pronto: intus actionis.
    Portanto, dada a complexidade do mundo interior de um ser humano, por que esse rotular e classificar imperioso do que deve se sobrepor ao quê? Ou se misturar, se no fim das contas, o que é de mais incompreensível, ditará a música? As notas? Com arranjos ou não...
    Eventualidades acontecem mesmo, talvez na proposta reinante de mais importante do que perceber a Origem, seja perceber o Sentido.
    Na verdade, a lógica é o fenômeno de haver conscientizado um sentido. Num dado momento, a consciência será oculta pelas sombras do que nem sabemos bem o quê, e a mão desse algo desconhecido, da vida, dane-se o nome lógico que dermos, reinará absoluta...
    Tá, em si um argumento não vale nada.
    A ciência aproveita-se da lógica só para atar fatos; na poesia somente para atar sentimentos. O que acabamos assim por perceber que a lógica não produz nada, mas liga. A lógica nem sequer cria os argumentos, torna argumentos o que já sentimos...
    O estrategista só trabalharia no caso, com o que já se tem. Sim, por impulso intuitivo do percebido primeiramente sem a força lógica mas se aliando a essa mesma força que não é modificada em nada por isso.

    E eu já nem sei se eu mesma posso me fazer entender.
    E por que cobraria sistematicamente ser entendida?

    Meu Olá
    ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Momento detalhista profético:

      14 de novembro de 2012 10:58
      14 2+12=14 1+0+5+8=14
      10+58=68=6+8=14

      Ainda existe jogo do bicho?
      :P

      Excluir
  71. Excelente texto Gessinger... O que, é claro, não me surpreende!
    Me desculpe por não comentar algo exatamente sobre o texto...Confesso que vim aqui pensando que meu outro poeta já havia comentado algo para mim... E te pedido para dizer que me amava!!!

    Tô na espera meu outro poeta...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi moça não sou tão pontual quanto o Gessinger, nem tão bom poeta, mas estou aqui neste não lugar, o único lugar que podemos nos amar... com palavras frias e lembranças quentes... o texto tá fantástico... uma esquina no meio do nada... e de novo estamos juntos falando do Gessinger... falta mãos e bocas... mas afinal é a vida e sempre há de faltar alguma coisa... alguém... algum carinho... confesso, que quanto mais penso chego a conclusão que és um delírio... ou uma deusa... se bem que a tua chama está mais para uma diaba... pois só assim explica como podes estar em todos os lugares... até nos não lugares... estas até na tua própria ausência...

      "encontrei depois de tanto tempo... em vidas passadas noites passadas em vão... olho para o lado e nada vejo... já não sei o que é real e o que é desejo... será que vc existe, será fruto da imaginação"

      Obrigado por mais um texto Gessinger... e vc já sabe o que tem que fazer... diz a ela...

      Excluir
    2. Com todo respeito mais eu ainda nao entendi, qual é a de vcs??? ja invetaram telefone, e-mail, skype ... justo aqui.. aff Pelo amor de Deus heim!

      Excluir
    3. olá, olá, pombinhos!Com o máximo respeito, estou curtindo este cancioneiro incandescente que enfeita o Blogessinger. Os refugiados trocam palavras de humor-amor.Love is in the blog, blog is in the love. Janelas abertas a janelas paralelas que se encontram no infinito.

      Excluir
    4. Estou aqui... e vc sabe muito bem onde mais posso estar (E estarei)!


      "Há um tempo certo para tudo... cedo ou tarde chega o dia!

      Excluir
  72. "Intuir quando já se sabe a fórmula certa? Nam, pra quê?!"

    ... E lá se foram todas as chances de criar.

    ResponderExcluir
  73. Minha intuição era de que iria valer a pena ler seu texto mesmo sendo quarta virando quinta. Não li no ritual segunda virando terça, porque estava tentando sobreviver a crise de asma!!! Mas nada de ritual, em Manaus no confusOrário estamos duas horas atrasado mesmo !!! (LongeD+dasCapitais)
    Gosto das minhas intuições, acabo as vezes acertando. Qdo lançou o livro NEH, me veio uma intuição de que eu iria ver vc autografando meu livro...e aconteceu...vc não veio a minha cidade, então viajei +de 900km, tudo era uma estratégia calculado: plano de vöo, ingresso ao show...mas a minha intuição dizia para eu não fechar com nenhum hotel, tinha q ser lá. Minha intuição estava certa, lá em Porto Velho pude ficar no mesmo hotel que vcs...comprei o livro no show com a Stereophonica. E dia seguinte qdo fui deixar o hotel, vc tb ja estava saindo, então vc autografou e tirou fotos comigo e o livro !!! valeu
    Ah! "falando" em intuição, uma vez a ClaraGessinger twittou solicitando ajuda num trabalho, tinha que num pequeno lugar fazer um tipo de negócio. Se eu não me engano vc disse q queria uma sorveteria hehehe. Então eu sujeri q fosse uma loja dos EngHawaii oficial, doqual todos pudessem adquirir lembranças da banda...Eu nem sabia se tinha a Stereophonica (talvez nem tinha) !!! Intuição, valeu a pena.

    Valeu, novamente pelo seu texto texto !

    Virtualmente,
    SLdeCastro

    ResponderExcluir
  74. ja andei em ruas escuras becos sem saídas, avenidas e parques (nem sempre ecolôgicos), ja andei só, acompanhado, mal acompanhado, abonado, endividado, ja fui tão pouco e fui demais, cidade em chamas foi um hino uma marca para mim, andar poraí, sempre gostei, nunca me senti só embora na maioria das vezes o destino quis assim, nunca me senti revoltado, mas percebo a descoberta do amor a cada dia, a vida fica mais leve quando se respeita o próximo afinal somos todos "farinha do mesmo saco" eta mundo abtolado passei em frente da volkswagen do brasil em plena via anchieta olhei tanta riqueza num mundo material tão competitivo lembrei do meu velho Pai que trabalhou ali por 11 ou 12 anos tive uma intuição o velho sofreu pra caralh*..lembrei do texto "que p*rra é essa" ao sentir uma estranha boa sensação da lembrança do meu velho, que não está mais entre nós desde 2009, depois andei pelas ruas de são bernardo sempre ouvindo algumas canções no PEN ...And the road becomes my bride
    I have stripped of all but pride
    So in her I do confide
    And she keeps me satisfied
    Gives me all I need
    METALLICA
    experiência com coisas reais, acho que o texto de hoje me dispertou inspiração, me fez perceber uma mudança no ar, não queremos "premoldados" mais sim ler a luz de velas quase na escuridão um texto maravilhoso

    du herreira

    ResponderExcluir
  75. uma vez escrevi um tweet que só vou dormir depois de ler o seu texto das terças...dai um amigo comentou: metodismos capricornianos de HG....tá! na hora fiquei achando q era uma critica....vindo desse amigo talvez fosse...eu considero uma intuição mais caprichosa...adoro teus textos...2013: livro?cd?volta dos Engenheiros? minha intuição diz que 2013 vai ser muito bom!

    ResponderExcluir
  76. Caraca velho, compartilho com seus pensamentos do princípio ao fim.

    ResponderExcluir
  77. De fato extremos são no fundo só extremos. Talvez a interseção tenha as respostas com suas doses de ponta a ponta da ferradura. Se é que há resposta? Se é que há verdade? Ms se há, deve ser ali no meio do caminho onde se encontram as misturas de ideias e nascem as coisas que se podem talvez chamar de novas. Excelente texto!
    PS. Sobre o bate-papo em Fortaleza em 11/11/12, adorei a menção ao talento nordestino de fazer dialogar a cultura pop (digamos cosmopolita) com os elementos locais. Um cara aqui de Fortaleza que curto demais tem feito coisas do gênero, ao meu ver com maestria. Se não conheces, aqui vai um link, mas creio que já deve ter ouvido por aí. Ele é @arturmenezes e aqui vai o link: http://m.youtube.com/watch?v=2nduQ5qoZwA O baixista foi meu aluno de inglês @lucasribeiro Dois caras muito bacanas!

    ResponderExcluir
  78. Olá Humberto navegando na rede achei seu blog já estou te segundo aqui para ficar por dentro das novidades. Saudades da minha juventude escutando vocês!!

    ResponderExcluir
  79. Humberto muito obrigado por:

    puro desespero

    ter feito a:
    autosabotagem

    que me salvou do retorno:
    tô fora do teu programa de milhagem

    ResponderExcluir
  80. Talvez essa mão que te leva seja a mão dos instintos mais aguçados. HUMBERTO GESSINGER a melhor expressão musical dos ultimos tempos, ninguém uniu tão bem o som da gaita e do piano. Soube cultivar os fãs mesmo com os ENGENHEIROS DO HAWAII dando um tempo, o bom disso tudo é que existem ainda varias variaveis para serem descobertas em suas composições. Valeu Gessinger acho que sem as músicas SIMPLES DE CORAÇÃO, MUROS E GRADES, HORA DO MERGULO, ETC... AS HORAS SERIAM CANSATIVAS DE MAIS. Abraços!

    ResponderExcluir
  81. Ouço Engenheiros desde a barriga da minha mãe, e cresci influenciada por suas musicas e pensamentos. Agradeço por ter um ídolo de carne, osso e cérebro. A cada dia que leio as coisas que vc escreve, mais eu me certifico de que não tem como não gostar de ti. É uma pena que nem todos tenham a capacidade de entender suas músicas, e interpretam só literalmente.
    AMO esse blog, e é um jeitinho de eu me sentir um pouco proxima de ti!

    ResponderExcluir
  82. Humberto. Você não me conhece, mas "te conheço" desde sempre. Tenho uma coisa pra te falar: Procure conhecer a mão que te leva. Você vai se surpreender. Abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
  83. O meu avô paterno, Júlio Camargo, tinha uma venda de fumo de rolo. Nostálgico. Ao lado dessa venda, um tio meu, filho desse meu avô, estirava um telão e reproduzia filmes, sendo o pioneiro em apresentar um cinema à população de Catalão, Goiás.

    ResponderExcluir
  84. humberto, sobre essa bela e desconhecida mão que te guia na hora do mergulho, me lembrei de eckhart tolle, que escreveu:

    "A mente é, em essência, uma máquina de sobrevivência. Ela executa muitas coisas boas quando, por
    exemplo, ataca e se defende de outras mentes, coleta, armazena e analisa uma informação, mas não é nada
    criativa. Todo artista verdadeiro, quer tenha ou não consciência disso, cria a partir de um lugar de mente vazia,
    que se origina de uma serenidade interior. A mente então dá forma ao impulso criativo, ou insight. Até mesmo
    os grandes cientistas têm relatado que as suas descobertas mais originais aconteceram em um momento de
    serenidade mental".

    ResponderExcluir