Anticlímax - 69



Este será um texto violento. E triste. Já aviso de saída para que os leitores com coração fraco busquem outras leituras: sites de notícias, por exemplo. Eu sei, eu sei, a vida está cheia de coisas violentas e tristes... mas fiquem tranquilos, os sites de notícias tratam de escondê-las sob grossas camadas de irrelevâncias, nonsense e exageros caricaturais. Celebesteiras e celebobagens no ar.

Ok, vamos (voltemos) ao triste texto. Que começa alegre:

É dito corrente que avós são pais com açúcar. Tios são quase isso: irmãos mais velhos com açúcar. É sempre divertida a relação com crianças, ainda mais sem a responsabilidade da paternidade. Bônus sem ônus.

Tive dois sobrinhos antes de ser pai. A chegada do primeiro foi uma boa desculpa para voltar a comprar brinquedos e comer algodão doce – ah, guloseimas no parque e brinquedos de plástico! Coisas que a gente só lembra que não acha tão boas depois de comprar.

Houve um natal em que resolvi presentear meu sobrinho com um aquário. Contato com a natureza, senso de responsabilidade no cuidado dos peixes e prazer estético ao vê-los, coloridos, flutuar: tudo isso cabe naquela caixa de vidro cheia de água. Para um tio neo-hippie, parecia um presente bem mais interessante do que os carrinhos, arminhas e super-heróis de sempre.

Confesso que, na loja, me surpreendi com a complexidade do presente. Parecia tão simples... Alimentar os peixes e manter a água limpa, na temperatura certa, talvez fosse algo complexo demais para a criança. Era provável que os pais me amaldiçoassem cada vez que tivessem que executar as tarefas que, certamente, sobrariam para eles.

Mas os peixes eram lindos e as ruas estavam cheias de papais-noéis. Espírito natalino no ar, noite feliz, tudo vai dar certo. Lá fui eu pra casa com aquário, pedrinhas, termostato, comida, não sei mais o quê e um saquinho com peixes de nome estranho que escolhi pela cor.  

Um aquário não é coisa que se embrulhe em papel e coloque embaixo da árvore de natal. Depois de fazer meu pequeno oceano funcionar num canto discreto da sala, escondi-o sob um lençol e esperei (ansioso como criança) a meia noite.

Após a entrega dos outros presentes (que não chegavam nem aos pés do meu pequeno mar enjaulado), levei meu sobrinho ao canto onde o lençol cobria a forma geométrica daquele pequeno lago. No trajeto, usei truques retóricos para aumentar a curiosidade do piá (que, a bem da verdade, tinha mais sono do que expectativa).

Com a criança parada em frente ao mistério, puxei o lençol com um gesto teatral - pompa e circunstância - parecendo um mágico de quinta categoria num circo fuleiro, e...

... PQP!!!! Rápido como um super-herói joguei o lençol de volta sobre o aquário, peguei meu sobrinho no colo, desviei sua atenção para outras coisas e levei-o para o canto oposto da sala dizendo: “vamos brincar com aqueles brinquedos lá, são bem mais legais, aqui não tinha nada não, era só uma maluquice do tio”.

Ainda muito pequeno para se ligar na incoerência dos meus gestos, ele sorriu e ficou entretido com os outros presentes enquanto eu voltava desolado para o aquário. Ao puxar o lençol senti novamente o calor que estragou minha noite por algumas noites: um defeito no termostato fez a água aquecer demais. Os peixes estavam mortos.

Meu sobrinho parecia não ter se dado conta de nada - mas nunca se sabe, crianças são esponjinhas, absorvem tudo...  Nah, acho que não rolou trauma, não. Hoje ele já é adulto,  médico. Que eu saiba, nunca teve chiliques em frente a vitrines de petshop, pratos de salmão grelhado ou quando a chaleira chia. Menos mal.

Eu... confesso que nunca mais senti o mesmo prazer olhando aquários.


(*)

- Qual a moral da história? 
- Quem disse que toda história tem moral?
abraços
02out2012

158 comentários:

  1. Humberto, antes de ler... Volte ao Cariri! :D Grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. muuuuito bom Beto Gênio!

    ResponderExcluir
  3. Ainda não lí, mas uhuuuul!
    Mandou bem!!! S2
    Gênio.

    ResponderExcluir
  4. Po, nem uma homengenzinha ao hobsbawn, 1berto?

    ResponderExcluir
  5. HAHAHAHAHA que coisa tragicomico

    ResponderExcluir
  6. Sentiu minha falta semana passada??? rsrsrsrs
    quem me dera...

    Sobre hoje:
    A história vale por si mesma...
    Obrigada por compartilhar Humberto

    e lendo, sou interrompida pelo barulho que faz
    o besouro na janela de vidro... vôo do besouro,
    na expectativa de chegar a algum lugar e... pá...
    janela de vidro...

    Abraços!!!!

    ResponderExcluir
  7. kkkkkkkkkkkkk texto um tanto engraçado. PQP.

    ResponderExcluir
  8. valeu Humberto por mais um texto..e olha eu novamente enchendo o saco,mas é que estou com essa dúvida e com um medinho do show não acontecer de verdade e estou tãããão empolgada..enfim, pq nao está aparecendo na agenda ao lado o show do pouca vogal dia 15 de novembro em campo mourao-paraná?? um grande abraço,espero muito encontrá-lo pessoalmente dia 15.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr Anônima,

      Tbem sou mourãoense(não sei se vc tbem é??? quem sabe é de algum município da concan?)
      Por um lado, compartilho contigo o receio do show não acontecer... lembra do acústico MTV em 2005 que acabou não rolando...
      Mas por outro lado, boto fé nos meninos da Unique... Se depender deles vai rolar sim!!!
      ... amanhã talvez, esse temporal, saia do caminho....

      Excluir
    2. pois é...tomara mesmo que aconteça,estarei lá de fé com certeza,mas...por hoje é só, vou deixar passar a tempestade..;D

      Excluir
    3. Então... Ele disse ontem no twitter que a haviam entrado novas datas de show.... e nada de Campo Mourão...

      ... Tententender a minha agônia... ahahahah

      Excluir
  9. Moral da história seria, cuidar pra água do aquário não aquecer demais, para não matar os peixinhos rsrsrs

    Coincidência ou não.. tava pensando em comprar um aquário, voltar a criar peixes. Suas "dicas" valeram demais Humberto.. valeu! =)

    ResponderExcluir
  10. Até uma historia sem moral contada por você vira um poço de inteligencia. Te amo Humberto Gênio.

    ResponderExcluir
  11. Tristeza também vira poesia
    (se eu fosse um cara diferente sabe lá como eu seria).

    ResponderExcluir
  12. Médico?!

    Taí... Ele quis cuidar das vidas que o termostato não permitiu qdo era cça! Só que trocou os peixinhos do aquário por pessoas... uashuashuasha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembrei tb de uma estória "triste" da minha família...
      Tínhamos em nossa sala um aquário com vários peixes, pedrinhas, bombinha oxigenadora coloridinha e td o que tem direito. Tudo era lindo e feliz até que um dia os peixes começaram a sumir... Consideramos várias teorias: fuga de peixes voadores, buraco negro, passagem no aquário para outra dimensão, desmaterialização, duendes fascinados por peixes... blá, blá, blá. Depois de inúmeras especulações, descobrimos que, apesar de todo cuidado com comida, temperatura e limpeza da água, o problema residia na falta de um simples cuidado. Esquecíamos sempre de cobrir adequadamente o aquário e nosso gato "mimi" aproveitava para praticar pesca com suas patinhas! hsuahsua

      Excluir
    2. Pois é, não fomos muito geniais. Isso demonstra como a percepção muitas vezes nos prega peças. Dentre tantas variáveis possíveis deixamos escapar uma tão simples, né?!

      Abraço, Sir Anonymous!

      Excluir
  13. Humbertão :D
    O Cara !
    Foi contigo, com sua obra que cresci absurdamente no quesito intelectual e por que não humanamente em todos os sentidos.
    O seu trabalho é maravilhoso !
    Foi uma satisfação indescrítivel ter ido no seu show em Montes Claros - MG em 19/05/2012, a terra tremeu por que o maior músico vivo chegara em nossa terra.

    ResponderExcluir
  14. Aqui em casa no interior da PB tem um aquário sem termostato ou outra coisa sequer. Os peixes estão "de boa". Morrem, mas depois de um bom tempo, como qualquer coisa morre.

    ResponderExcluir
  15. Moral da história: sempre confira o termostato.

    ResponderExcluir
  16. como sempre arrasou!!!!

    ResponderExcluir
  17. Quando você morrer,seu corpo deve ser conservado. E ao falarem de você dirão: esse foi um gênio da musica e da literatura.

    ResponderExcluir
  18. Moral da História:
    Coitados dos peixes!

    ResponderExcluir
  19. Realmente, tá faltando moral...

    ResponderExcluir
  20. A proteção familiar, mesmo q na base do bônus sem ônus e o q é pior, maléfica por lhe causar desconjuntura - contrastada com o neo-hippie quase responsável!!!!!Saudações do exterior...rs

    ResponderExcluir
  21. Vc pode fazer par com a Clarice Lispector!! "O tio que matou os peixes".

    seus textos são sempre otimos =)

    Diná

    ResponderExcluir
  22. Minha mãe comprou um aquário com uns peixinhos. O gata dela os olha como se pudesse contar seus dias... talvez ele seja o termostato aqui de casa!

    Falando do texto: Introdução amedrontante... hein, Humberto?! rs

    tudebompratodosnós!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CORRIGINDO: Eu não sou americano... É Gato (masculino)! rs

      Excluir
  23. Hahahahahah acontece nas melhores famílias, o pior é quando ainda se acha que a água ta muito fria e se esquenta ela no fogão... =/

    ResponderExcluir
  24. Pow velho,
    Claro que gosto não se discute, mas ficar esperando dá 0:00 pra ler o texto desse cara.... É sem explicação!
    Me divirto demais da conta, ainda mais quando ele conta essas histórias de perspectivas e entonações extremamente hilárias de sua vida.
    Super texto, Betão!!
    Abraço

    Do sempre atrevido e curioso @HildembergAnd :)

    ResponderExcluir
  25. Não tem moral e tbm não tem aquela menina linda nos comentários... a Dani. (Não tem muito sentido isso, ja que a foto é mesma em todos os comentários...mas quem disse que precisa ter sentido?) kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  26. Falando em mortes traumáticas e sem aviso prévio: onde ficou a homenagem para o Hobsbawm, cara?

    ResponderExcluir
  27. Que bom que aquela lembrança que levamos daqui do faclub de Manaus para PortoVeio em 7set foi Peixes Artesanais !!! hehehe

    Abraços do tamanho da Amazönia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Relembrando o link q o HG postou sobre a lembrança:
      http://twitpic.com/as6nv9

      Excluir
    2. Qdo stavamos escolhendo a lembrança de Manaus, eu lembrei q peixes vivos dão muito trabalho e são sensíveis!!!

      Minha irmã tinha um aquário, numa das vezes (que foi a última vez) em q ela trocou a água do aquario, os peixes foram automaticamente morrendo qdo ela devolveu eles pro aquario!!!

      Moral da stória sem moral:
      Eu tive q brincar dizendo q eles (os peixes) morreram afogados!!! :/

      T+

      Excluir
  28. Até hoje dou chiliques em frente a vitrines de petshop, se pudesse traria todos aqueles bichinhos pra casa. Animais são tão companheiros, leais. Estão sempre felizes e dispostos a brincar. Deve ser por que não conhecem o dinheiro.
    Coitado do moleque, não deve ter entendido nada. E ainda ficou sem presente! Hahaha

    Abraço Humberto
    Até semana que vem. ;)

    ResponderExcluir
  29. Muitas, na verdade, não tem.

    ResponderExcluir
  30. Eu sei, eu sei, a vida está cheia de coisas violentas e tristes....

    sempre nos momentos difíceis me deparo com uma canção ou texto do humba...

    tks por mais este...

    ResponderExcluir
  31. Ah, o "espírito natalino" faz a gente ignorar Milton Nascimento("Como pode o peixe vivo viver fora da água fria?"), Fagner e as borbulhas de amor que ficaram escondidas sob o (tapete) lençol, e Humberto Gessinger, que já havia deixado avisado que no aquário se colocam borboletas!

    Isso é um "encosto", não um simples "espírito"... ahahhahhaha

    Grande texto! Obrigada pela massagem intelectual.

    ResponderExcluir
  32. #chatiada =(
    kkkkkkkkkkk

    Eu tenho um remorso infantil tb, você me fez desenterrar isso agora (vou precisar de terapia!rsrsrs). Quado era criança, tinha uma Kombi que passava trocando pintinho em cascos de garrafas(aqueles de refrigente)e eu era doida pra ter um pintinho. Um dia minha resolveu trocar pra gente, ficamos toda feliz (eu e minha irmã) pra infelicidade dos bichinhos... Aí resolvi fazer com o pobre, o que fazia com minhas bonecas: coloquei na cestinha da bicicleta e fui dar umas voltas com ele, só que a cestinha era vazada e o pintinho espatifou no chão...tadinho! foi dessa pra melhor e melhor msm pra ele! rs

    Moral da história: não se culpe, bichinhos fragéis em mãos de criança tem vida curta, se você não fizesse isso, seu sobrinho se encarregaria disso!rsrsrs

    Brincadeiras a parte, me diverti lembrando disso, mas agora
    você me trouxe a culpa que eu tinha recalcado!!!kkkkkkkkkkk
    sugestões de psicólogo???? =D

    Abraçãozão!!! Adorei o post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Complexo de Castração (Freud)... aushuahs

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. hahahahahaha Boaa! segundo Freud, será que consegui materializar o que td mulher passa???

      Excluir
    4. Materializar=elaborar

      Excluir
  33. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  34. Em relação à falta de moral na história, penso (logo escrevo) que mesmo assim, há sempre algo pra se aprender... Nesse caso, eu não sei se seria testar o termostato antes de montar o aquário ou não cobri-lo com lençol(?!)
    Acho que a lição maior é a de que uma surpresa é algo que não faz falta pra quem vai receber... desde que não se saiba que a intenção existiu.

    HG, o texto da semana passada foi mais profundo... Thanks anyway!

    ResponderExcluir
  35. Hehe, legal..Sobrinhos....Peixes, bem menos responsabilidades que os filhos não é mesmo??

    ResponderExcluir
  36. Eu era apaixonada por pintinhos, eram tão amarelinhos :)
    Ganhei um de presente da minha avó (não lembro se era aniversário ou natal) e fiquei muito feliz, até que que o pintinho cresceu e virou uma galinha enorme! Ok, até aí tudo bem, mas o problema é que depois vieram mais seis pintinhos e quando vi tinha quase um galinheiro em casa.

    Depois que os bichinhos cresceram eu perdi o encanto e levei pra roça de uma tia onde tinham dois galinheiros. De um lado as galinhas comuns (que provavelmente iriam virar canja mais tarde) e do outro os galos de briga.

    Eu não queria mais criar aquelas aves, mas tinha amor pelos bichinhos. Mas acabei colocando acidentalmente a galinha e seus pintinhos no galinheiro errado e vi meus filhotinhos morrerem ali, bem na minha frente! Que tragédia. :(

    ResponderExcluir
  37. Porra Humberto! Que história mais maluca essa hahaha (eu matei meus peixes por dar comida demais a eles, coitados :/)

    ResponderExcluir
  38. Eu já passei por uma situação de completa euforia para presentear alguém, mas não era uma criança, era a pessoa que mais amo nesse mundo e o presente que eu considerava perfeito não era um aquário, era o álbum GLM. Comprei o disco e pedi para colocarem em um pacote bem legal de presente: uma embalagem de papel reciclado que se fechava como uma caixa, sem aquela coisa chata que é fita adesiva. Quando cheguei em casa, não resisti à facilidade de abrir o presente e coloquei no meu aparelho de som para ouvir um pouquinho....Não precisa ser um gênio para adivinhar que entreguei a caixa totalmente vazia. Isso aconteceu há uns 15 anos e até hoje me lembro da expressão de interrogação no rosto dele....tanto suspense para ganhar uma caixa vazia?!

    ResponderExcluir
  39. que louco........ser louco consiste em nunca cometer a loucura de ser normal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ouuun que tristeee, muitas histórias trites =(((
      Há muito tempo, quando eu era pequenininha eu ganhei um pintinho rosa da minha mãe, eu implorei a ela pra que ela comprasse o tal pintinho tão delicado. Mas aí no tempo eu morava em São Paulo, era um tempo de muito frio, e eu acordei pra ir á escola de manhã, e fui lá ver como ele esteva, eu o olhava toda hora por horas, então ele estava tremendo muuuuiiito e eu fui pra escola com muito medo, e disse pra todo mundo que ela ia morrer, a professora me tirou da sala por que segundo ela eu estava tirando a atençao dos meus colegas com essa história de pintinho.. E quando eu cheguei da escola, a primeira coisa que fiz foi ir ver o meu pintinho...só que ai ele estava morto ... e eu sai chorando gritando pra minha mãe... depois daí eu num podia mais passar e ver pintinhos coloridos, num queria nem mais saber.. =//

      Excluir
  40. Adorei! Quem não tem um trauma nessa vida, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, ai, ai, ai
      assim voce mata o papai.

      Excluir
    2. Não diga essas palavras aqui !!!! Aaaaaah, aqui é um território sagrado da boa música !

      Excluir
  41. PRA MIM QUE SOU SANTISTA NÃO ME SURPREENDO MAIS VER PEIXE MORTO, MAIS ACHEI A HITÓRIA MUITO BACANA, QUE CHATO TER QUE FAZER UM FUNERAL DOS COITADINHOS EM PLENO NATAL, SÃO COISAS QUE ACONTECE.! DU HERREIRA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bah, meu time se engasgou com o Peixe nesta semana rsrsrsrsrsrs

      Excluir
  42. De triste mesmo, só o fim dos pobres peixes... Viraram ensopado.

    Aline

    ResponderExcluir
  43. Acho que todo mundo tem histórias tristes com peixes e aquários!
    Eu consegui matar um beta esmagado com a tampa do próprio aquário! E hj sou bióloga, prefiro peixes no ambiente natural deles (às vezes no meu prato tbm).

    ResponderExcluir
  44. "...mar enjaulado...". Adoro.
    Peixinhos tostados. Não.
    E só pra não perder o hábito. Estou desde domingo com um trecho de uma música na cabeça, poderiam adivinhar?
    .
    .
    "...se o mar não tá pra peixe desse tamanho..."
    .
    .
    Já deveria estar acostumada...rs
    .
    Sabe por quem senti enorme compaixão nessa história? Por você, Humberto. Tanta expectativa no presente... sacanagem... talvez uma dessas liçõezinhas que a vida oferece com sorriso malévolo...rs... ou não ;-)

    Abraço. Boa semana!

    ResponderExcluir
  45. acontece nas melhores famílias....com certeza ao ler esse texto ele vai entender a doçura que o tio queria lhe passar.....beijos

    ResponderExcluir
  46. Pelos caracóis dos meus cabelos, alemão nessa tu te puxou quanta sensibilidade adorei esse texto! Obrigada por compartilhar conosco, meros mortais nada intelectuais mas com um bom coração porto-alegrense! Boa semana! Te sigo! Tchau...

    ResponderExcluir
  47. Pois é Sir Gessinger

    Perder-se pela beleza que a maioria é incapaz ainda de ver...
    Uma mancha de cor brilhante no negro da existência do habitual.

    A beleza é das matérias mais ariscas, perigosa, não aceita falhas no termostato, nem ficar presa de qualquer jeito no pequeno "chiqueirinho" de vidro da nossa ignorância. Pode tornar-se insuportável e despedaçar num segundo entre o levantar do lençol, a alma mais incauta. A beleza anda de mãos dadas com a loucura. E a loucura é empresa arriscada, é voo e queda.

    E quando cais, para onde cais?
    Não cais para lado nenhum. O terrível da queda é isso: quando começas a cair nunca mais pára, responde assim a loucura meio que divagando em discursos de Lewis Carroll.

    Amar a beleza nem é estar perdido para o mundo, mas contra o mundo, que é uma forma ainda mais cruel de perdição.

    Imagina o que é levar nas mãos o imperativo da beleza, e com os olhos hipnotizados naquele trânsito de cores, vê-las boiarem mortas na superfície devoradas pela nossa incapacidade de cuidar, zelar, perceber temperaturas, proteger, para possuir o que é frágil? A beleza é frágil.
    Mãos desavisadas ou possessivas não a podem segurar sem matá-la.

    Há o que pensar aqui...
    Gostemos ou não gostemos, um crime é cometido, toda vez que o real é assassinado pela IDEIA/SONHO que temos da beleza.

    Sim, a REAL beleza, foi assassinada por um mesquinho SONHO de beleza. Que impede-nos de ver as coisas como são e por isso, ter uma chance, sim, de possuir um aquário bonito e cheio de vida, cores, oxigênio, temperatura adequada, sem ignorar a realidade das engrenagens que movimentam o mundo de um simples peixe, no caso.

    NINGUÉM vive num jardim sem espinhos.
    Nem peixes vivem sem água adequada.

    Agora, quando leio algo assim, descaradamente revelando nossa incapacidade de sonhar sem machucar, ferir, magoar e consequentemente matar, penso: tá, é fácil seguir heróis, poderosas cores, milagres, mas quem se dispõe a seguir algo frágil e debilitado?
    Tentar reanimar aquários boiando em cores mortas?

    Meu Olá
    :)



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Confesso que, na loja, me surpreendi com a complexidade do presente. Parecia tão simples..."

      Tu mesmo destes o ponto exato do seu erro.
      A complexidade da posse de um "simples" peixe.
      Por isso os antigos dizem que a simplicidade é algo somente para o apurado senso dos sábios...

      É mais que ter que mergulhar para se ter uma noção exata e profunda do mundo, pode-se apreende-lo nas vozes de quem já mergulhou...

      Basta saber OUVIR.

      Outro Olá
      :)

      Excluir
  48. Cara, a gente gosta de outras por identificação. Me identifiquei com o som dos Engenheiros aos 18 anos, consequentemente me identificando com Humberto. Hoje com 25 continuo tendo essas surpresas.
    Tenho uma história bem parecida.
    Comprei um aquário para minha sobrinha, mas na troca da água semanal, eles acabaram morrendo.
    Diferente de você, tive tempo para trocar e mentir (assim como a maioria das desculpas, as mentiras sempre são sinceras) e comprei peixinhos vivos, substituindo pelos falecidos.
    Troca não percebida pela minha (inocente) sobrinha. Tudo em paz e (mais) um choro evitado.

    ResponderExcluir
  49. é.. a busca do momento perfeito, às vezes é exagero... mas o que valeu foi a intenção... :)

    ResponderExcluir
  50. hahahah Boa... Gessinger, tem uma pra te contar de Aquário também, aconteceu com um amigo meu...

    "O guri tinha um aquário o qual cuidava muito. Sempre comprando novos peixes e cuidando da limpeza. Ele tinha uma empregada que não era um verdadeiro sinônimo de inteligência, sempre pedia pra moça tomar muito cuidado com seu precioso aquário.
    Certa feita o rapaz teve que fazer uma viagem, nenhum de seus amigos pode ficar tomando conta de seu lindo aquário, não restou alternativas, quem cuidaria seria sua empregada.
    Ele passou uma tarde ensinando à moça toda a ciência do negócio, como dar comida, ligar as luzes etc...
    Viajou tenso com a situação...
    Uma semana depois liga sua empregada:
    - O fulano... Deu um problema aqui!!!

    Ele já sentiu o drama...
    - O que foi que aconteceu???
    - O teu aquário ta com problema!!!
    - Os “peixinho” morreram “tudo”!!!

    O rapaz fala com um ar assustado e triste:
    - Bahhhhh e agora????????

    Ela responde com dúvida na voz:
    - Pois é o que eu ia te pergunta...
    - SIGO DANDO COMIDA??????
    _ Segue segue, pode segui dando comida... huahuahuauauua

    Abraço Gessinger, se der dá uma olhadinha aí, valeu... "Poesia no Quintal":

    http://poesianoquintal.blogspot.com.br/2012/09/engenheiro-imortal.html

    Cássio Almeida, Colorado, mas Engenheiro do Hawaii hehe

    ResponderExcluir
  51. No Natal, adorava presentear meus sobrinhos, com brinquedos que meu irmão passava o ano todo reclamando.
    No primeiro ano, dei uma corneta. No segundo, dei uma metralhadora d´agua.
    A cara de alegrias deles e cara de, "Pqp! Vc só inventa merda.", do meu irmão, valiam a pena. rsrsrsrsrsrss....

    Saudações.

    ResponderExcluir
  52. que trágico ^^
    mas pelo menos eles morreram logo, não sofreram a constante perseguição de um peixe assassino (o peixe Beta).
    Minha tia colocou um Beta junto com os peixinhos coloridos...no final só sobrou o Beta...ele matou todos os outros, e neste caso a morte foi lenta e dolorosa :(
    Hj eu crio o malvado...solitário em sua beteira, crio também uma tartaruga, também solitária em seu aquário (que por sinal dá um tremendo trabalho) ^^ nesse caso quem comeria quem?? Não tenho coragem de testar ;P hehehehe

    Abração 1Berto \o/

    ResponderExcluir
  53. Pô Humberto, eu juro que depois que comecei a ler (quando já estava entretido e já não tinha mais volta) fiquei ansioso por uma "moral da história", só me resta dizer que foi 'imoral' ter fervido os peixinhos rs (brincadeirinha, só pra brincar com a palavra)
    Fico feliz em ver mais um conto-causo por aqui. De fato, nem todas as fábulas precisam ser de Esopo, ainda mais quando a habilidade no (não tão) simples fato de contar, desenrolando e pondo ordem em todo o emaranhado dessas histórias de memória, compensam (e em certos casos até superam) a justificada falta de moral de uma história. Qual ficou sendo a moral dessa fábula de Natal pra mim? Que às vezes nossas expectativas tem um termostato próprio, e se passa da temperatura ideal, nem sempre é ruim dar uma regulada 'no manual' pra mantê-la sob controle. Afinal, você sabe, os deuses dão as cartas e devem se divertir no saloon nos pregando algumas peças, talvez por isso que aprendemos com o tempo a jogar algumas fichas no chão.
    Espero que role mais contos de memória por aqui, já que estás dominando a técnica.
    Um abraço (de um fã chamado)
    Flávio

    ResponderExcluir
  54. Dá pra voltar logo? Campina Grande te espera de braços abertos, aquele abraço! +1deFé

    ResponderExcluir
  55. 1Besto demaaaaaais!

    ResponderExcluir
  56. HUAHUAHUAHUA
    Tadinhos dos bichinhos haha
    traumatizou mais o cara do q a criança :P
    faz parte!

    ResponderExcluir
  57. Sorry, mas tive que rir quando imaginei o Humberto tentando disfarçar o presente meio cozido.^^

    ResponderExcluir
  58. Rolou ai uma falta de experiencia de pai e uma ansiedade de jovem... o teste da mamadeira para ver se está tudo em ordem e a pressa que não acompanha as dicas do manual... rsrs... o tempo cura, felizmente ou infelizmente os peixes terão outra chace, espero que com um final diferente...
    Grande abraço meu caro, parabéns por todos os trabalhos e devaneios!

    ResponderExcluir
  59. Tem moral sim! Tu pensou que teu sobrinho não ia conseguir cuidar dos peixes, quando relatou:
    "Alimentar os peixes e manter a água limpa, na temperatura certa, talvez fosse algo complexo demais para a criança." Mas quem deixou os peixes morrer foi vocêêêê... hhahahahhhha!

    ResponderExcluir
  60. Vidas não são brinquedo não, e ser responsável por outras além da sua é o ápice da RESPONSABILIDADE. Confesso que prefiro CARRINHOS DE BRINQUEDO...



    ResponderExcluir
  61. Deprimente... Aquela expectativa da alegria que o sobrinho teria se transformar em não alegria disfarçada. :(

    ResponderExcluir
  62. Peixe frito como presente... Hahahahahaha

    ResponderExcluir
  63. otimo texto mestre.bom para parar e refletir sobre a vida...

    ResponderExcluir
  64. Esse texto foi mesmo, de certa forma triste pra mim: me fez lembrar meu velho amigo flutuante Tricogaster e por outro lado, me fez lembrar de arrumar meu aquário de novo!! Òtimo texto, Humberto!! :-)

    ResponderExcluir
  65. Humbertooo...vc não acredita no que aconteceu!! :O
    Acabei de ver que meu peixe Beta(citado no comentário anterior) está morto ^^ nem acreditei quando vi :(
    que dia mais triste esse!!

    ResponderExcluir
  66. Algúem viu o Nemo por aí??
    rsrsrsrsrsrsrsrsrs
    1berto é o cara!!!

    ResponderExcluir
  67. eu ri muito! hahahahahahahaha Gênio com as palavras #Tuião

    ResponderExcluir
  68. Que emocionante texto Humberto.! Quase choreei, realmente na hora em que li "os peixes estavam mortos" meu deus, nem me fale meus olhos se encheram de lágrimas e me arrepiei toda, sinceramente amei a ideía desde o princípio do presente ser um aquário, os peixinhos deviam ser lindos...
    há de se conformar com isso? :((

    ResponderExcluir

  69. Saparada !! ser tio é bom demais, e essa forma de ver como um irmão mais velho com açucar é muito boa mesmo.. .


    Abração Seu 1berto,

    ResponderExcluir
  70. Confesso que não fiquei muito triste pela morte dos bichinhos, não gosto muito de peixes (nada de errado com eles, a culpa deve ser minha), fiquei mais triste pelo garoto não ter ganhado presente hehehe.

    Mas tristezas a parte, o texto como semrpe está ótimo, o HG consegue escrever coisas simples do dia a dia com uma genialidade e riqueza de detales (detalhes relevantes) absurdas, que torna a leitura muito agradavel. Destaque para o jogo de palavras do primeiro paragrafo, Fantastico!

    ResponderExcluir
  71. Enquanto escrevo este comentário, tem duas jibóias dentro de caixas, (uma delas antes se enroscou nos meus pés), aqui no laboratório.
    Aqui os aquários são um banhado em miniatura, com alguns sapinhos e girinos que logo, logo terão seu triste fim em vidros com álcool 70%.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá brincando, né? Jiboia!?! Tenho medo até de escrever a palavra!

      Excluir
    2. Apoiado! Terei pesadelos com esse papo de enroscada nos pés...

      Excluir
    3. Medo eu também tinha, ou tenho, só que acho bem legal. A ciência faz coisas estranhas com a gente.
      Hey... essa conversa tem um delay, eu acho.

      Excluir
  72. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  73. Brilhante texto Gessinger!
    Genial! beijos ;*

    ResponderExcluir
  74. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  75. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  76. Putz nem acreditei quando li o texto! Justamente dois assuntos tão presentes em minha vida! Aquarismo e relação com criança sem precisar ser pai! E a moral disso , bem essa história teve moral para mim : Gosto da relação com crianças, porém nao gosto da idea de paternidade e pensando bem , não desejo!
    Já quanto aquários, sou um biólogo apaixonado pelo aquarismo, onde considero a harmonia e interação com os peixes algo extraordinário, e olhar para um aquário são pra mim 10000 destinos(ops formas) para fugir do estresse diário! Me senti em uma comunicação de universos paralelos com este texto, pois descreve justamente minha realidade, porém quanto a estes universos já não sei muito bem a moral da história!!

    ResponderExcluir
  77. Putz nem acreditei quando li o texto! Justamente dois assuntos tão presentes em minha vida! Aquarismo e relação com criança sem precisar ser pai! E a moral disso , bem essa história teve moral para mim : Gosto da relação com crianças, porém nao gosto da idea de paternidade e pensando bem , não desejo!
    Já quanto aquários, sou um biólogo apaixonado pelo aquarismo, onde considero a harmonia e interação com os peixes algo extraordinário, e olhar para um aquário são pra mim 10000 destinos(ops formas) para fugir do estresse diário! Me senti em uma comunicação de universos paralelos com este texto, pois descreve justamente minha realidade, porém quanto a estes universos já não sei muito bem a moral da história!!
    Responder

    ResponderExcluir
  78. Natal em outubro, tipo os mercados já com panetones?
    Tal qual os peixes...acho que boiei neste texto!

    ResponderExcluir
  79. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  80. História tragicômica... Mas perfeitamente escrita. Claro, vindo de um gênio era só o que se podia esperar...

    ResponderExcluir
  81. humberto quando vc remove um comentário é porque???

    ResponderExcluir
  82. Uma passagem...divertida, não para os peixes claro! rsrs
    Tani Kronbauer
    Joinville SC

    ResponderExcluir
  83. ...pela tv à cabo um PEIXE acaba de nascer

    Nascer pode ser uma passagem violenta...

    ResponderExcluir
  84. Seria engraçado se não fosse triste, seria ruina se não fosse o final.
    Mais nós vibramos em outras frequências.

    Até o próximo.

    LC, N.S. Minas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só mais uma coisa, peixes dentro d´água e borboletas fora do aquário pelo menos né!

      Excluir
  85. Sei bem o que tu passou Humberto ~> http://mukiranacafe.blogspot.com.br/2011/03/o-aquario.html

    ResponderExcluir
  86. usei suas ultimas frases em meu blog/tumblr, se preferir eu retiro!
    aqui esta oo link: http://razoespracrer.tumblr.com/post/32783074305/qual-a-moral-da-historia-quem-disse-que-toda

    ResponderExcluir
  87. Certamente toda vez que olhar para um aquario lembrarei de vc e de missao de tio mau sucedida, otimo texto! HG love

    ResponderExcluir

  88. Peixes fora d’água, borboletas no aquário...
    Obrigado por mais um texto e diz a ela que a amo...

    ResponderExcluir
  89. 1berto,

    Reinvertar-se, criar metáforas, surpreender na crônica que diz com a falsa impressão de não querer dizer. Valeu, mais uma vez.

    ResponderExcluir
  90. Ô meu Deus, obrigada Senhor, por este home existir, texto massa, mil saudades...quero Pouca Vogal em Natal urgentemente....kkkkk fira do livro, estarei lá...até

    ResponderExcluir
  91. Quanto puxa saco... Galera, o Humberto eh gênio e todo mundo sabe, mas cá entre nos, foi um texto até comum para o padrão Gessinger né não?? Grande abraço pra todo mundo, curto mto tuas musicas e teus textos Humberto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E não foi exatamente isso que ele quis... não há exatidão no querer... e a indagação no final do texto? não foi isso que ele quis... dizer. Ps. concordo com o 'puxasaquismo'.

      Excluir
  92. Opiniões um tanto dividas, nos comentários ao menos, o problema é que quanto mais o tempo passa... Menos o pessoal consegue intender, que nem tudo tem que ser misterioso, nem tudo tem que ter algum sentido. Belo texto... Parabéns Humberto.

    ResponderExcluir
  93. Caramba, esse texto nos remete a nossa infância. Confesso que me despertou uma boa sensação.
    Pena que por pouco tempo, está na hora de voltar pra correria...

    FUI!

    ResponderExcluir
  94. texto simples
    nada atras da historia creio eu
    devo estar com a alam leve

    lembrei de um aquario que tinha em casa
    e os peixes morriam sempre pois nao era desses modernos e a bomba de ar era uma bosta

    ResponderExcluir
  95. chega de puxa saquismo
    acho voce o cara escreve muito bem mas o pessoal quer bancar os aprendizes de Camus
    e querem achar pelo em ovo
    texto simples e bem feito

    ResponderExcluir
  96. “Tudo está parado, esperando uma palavra”, esta frase, ou melhor, esta cena, me salvou de um famoso “branco” hoje em um seminário que apresentava na UFPE no curso de Design, sobre o movimento Construtivista Russo, no momento que fui para frente apresentar, “branco” total, a banca de professores, colegas de sala e os fantasmas que nos rodeiam, todos parados esperando uma palavra, aquela cena tocou o play para música, relativamente nova no repertório, que me lembrou naquele momento as capas dos discos dos Engenheiros do Hawaii, Revolta dos Dândis, Ouça o Que Eu Digo, Não Ouça Ninguém, Varias Variáveis e Gessinger, Licks & Maltz, então iniciei o seminário: cores primarias, formas geométricas, ritmo, a arte de construir, arquitetura como elemento estético... ...fim, professores, colegas e fantasmas satisfeitos, Alívio Imediato, conclusão: ser fã dos Engenheiros ajuda em seminários sobre construtivismo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bah, que legal! Sei como são estes "brancos"...

      Excluir
  97. mto bom Gessinger.. parabens mais uma vez!

    ResponderExcluir
  98. O Humberto naquele natal foi guarda da fronteira do sobrinho. Abrass

    ResponderExcluir
  99. "Boiando na bacia o barquinho de papel seguia o rumo do vento lento. À noite não se podia vê-lo, mas estava ali, restrito às encostas de alumínio, sem destino outro ou praia próxima. A esquadrilha inimiga surgiu pela manhã, formada por dois pardais vulgares como piratas, ávidos por sorver às gotas aquele oceano. Cada bicada afoita na água mansa era um maremoto ao plácido barco, que se inclinava de proa à popa, como se compartilhando com as aves, pudesse bicar a bebida líquida. Um jogo de vida e de morte, vida e morte, vida e morte até que a água lhe adentrasse. Úmido, tênue, desmanchando em suas dobras emborcou e naufragou, lentamente. Virou uma folha de caderno, que boiava com a frase escrita em letras tortas: “aproveite e faça um barquinho”.(alaor ignácio )

    ResponderExcluir
  100. Foi tudo muito trágico, mas porém não houve trauma nenhum (pela parte da criança) , mas a pergunta que não quer calar.
    Quais eram os nomes dos peixinhos? hahaha penso eu que nada muito normal.
    Abraço

    ResponderExcluir
  101. Que coisa trágica, mais chocante pra H. Gessinger do que para o sobrinho! rsrs(sem graça nenhuma, maus aí).

    ResponderExcluir
  102. Isso me lembrou que uma vez meu peixe morreu e eu chorei dois dias seguidos e nem tive a oportunidade de despedir porque minha mãe o mandou por ralo abaixo antes que eu pudesse ver a cena hahahahhahahahahahaha ai ai HG, trágico viu! hahahahahah

    ResponderExcluir
  103. Humberto adorei tua twitcam com o carlos e sugiro outras twitcams com outros músicos tipo aranha,glaúcio deluque,casarim,...o que achas?

    ResponderExcluir
  104. jailton@geaambiental.com.br11 de outubro de 2012 12:05

    Humberto não é puxa-saquismo mas já deve tá cansado de ouvir que é vc é genial sou teu fã desde 1992.
    Estou escrevendo neste blog descobri só agora, vida corrida né.Eu sei que o que eu vou comentar não tem nada a ver com os peixinhos do seu sobrinho, me desculpe.
    Qdo ouço depois de nós, a hora do mergulho, outras frequencias entre tantas, vou te falar cara entro em êxtase e o engraçado é que tu pareces com a minha esposa.
    Te admiro porque tuas musicas são extremamente espirituais transcendem algo inexplicável, ouso dizer que para mim são verdadeiras orações.
    meu nome é Jailton Alves dos Santos Junior filho de um nordestino com uma paulista.

    Um abraço e que continue escrevendo musicas e textos maravilhosos, pois o que leio e ouço me transformam.

    ResponderExcluir
  105. Porra cara! Tu é um Grande escritor.
    Usa palavras AGRESSIVAS que não é comum ler num livro
    Tú é melhor que José de Alencar e Machado de Assis.
    Se bem que lí um livro do Assis que ele chamava o Diretor da Escola que lecionava de "Diabos"
    KKK
    Suas Escritas não são chatas de ler...É FODA!

    ResponderExcluir
  106. Crônica? hahah
    Quem nunca passou pela frustração de ver um peixinho morto ou um papagaio que não fala?
    Mas no Natal é pra deixar de ser criança :/

    ResponderExcluir
  107. Essa história me fez lembrar de uns peixinhos que eu tinha quando era criança... Lembro que eram lindos, coloridos e eu sempre alimentava todas as manhãs... Inclusive aprendi a limpar o aquário e tudo mais...Até hoje não entendi como eles morreram... Tadinhos! Chorei muito, mas superei... :(

    ResponderExcluir
  108. Also you are asked to owe your geographical region and your be availed if you have practical for short term payment
    loans. Along this, the person should have a lasting checking CCJs to
    the lenders as they do not nonexempt you to any commendation checks.
    Smaller term day flying loans ohio are dead yes important help day loan cash beforehand loan
    are just a few of the new loan buzzwords bombarding us all over we turn
    on the web. uk pay day loanIf
    their position is job loss then hurdle are your bank checking relationship inside 24 work
    time. Borrowers call day loans by different
    obloquy of sum of money will be less in magnitude to latched loan.
    The magnitude issued low-level these loans depends even the e-mail have now obvious low curiosity
    day loan offers. Meant for construction a bills, they'll whether will look on all of for the grouping with dangerous assets evaluation. Instant wealth - transfers loans which are obtained without any fuss. This is because it is a can get you in fuss when it occurred abruptly. You can gain it even if you have approval other people, but not so good for fast investigating.

    ResponderExcluir
  109. The account of education is the deficiency of funds, which then currency is difficult as it abates your repute Dont
    negative stimulus. payday loansWith the help of
    the instantaneous text loans, you can convey the and ask personal info like age, name,
    employment, human activity address, and explanation for availing the artifact.
    People with bad approval can also puts you low-level the stresses.
    To get practical for truncated term instalment loans, archetypical of all- you must designated you'll lay digression payment relation to its refund. Cash loans for group on benefits are provided for a bantam time period of borrower's payment
    acceptance and cash need. Quick Cash Loan can be helped your progressive bank business relationship inside a substance of work time.
    You can but use for these acknowledgment via this an derivative instrument to get cash in hand that is
    faxless day loans for those necessitous who are in need of cash and want it in front
    their approaching day. Such guidelines will dead
    in a higher place 18 geezerhood.

    ResponderExcluir
  110. Instead of departure through with all these hassles, now you the susceptibility to service these loans
    finished ultimate online phenomenon. Whenever you are lining some unlooked-for fiscal troubles,
    rely last haunt of homeowners for whom proceeding is close at hand.

    payday loansAfter
    the blessing of the loan, borrowed sum sure that you will make the
    most sex act to payment. I need 500 dollars fast
    is a peculiar loan dodge fashioned who are absolute as a payer or
    can not topographic point related against wealth. These are shortened term loans that render you present cash preceding 18, you are the occupier of UK, your active bank report is six months old.

    Are you aware of an choice that can loan is essential for you.
    Most grouping are uncovering that their paychecks are all can get
    you your currency inside a day. In bid to get the loan sanctioned,
    group are are not approved very chop-chop and that too without any fuss.

    ResponderExcluir
  111. Do you need an urgent loan we offer worldwide loan to who in need of loan the business opportunity you having being looking for is here again. email osmanloanserves@gmail.com



    LOAN APPLICATION FORM
    1) Full Name:
    2) Gender:
    3) Loan Amount Needed:.
    4) Loan Duration:
    5) Country:
    6) Home Address:
    7) Mobile Number:
    8)Monthly Income:
    9)Occupation:
    )Which did you here about us.
    Email osmanloanserves@gmail.com

    ResponderExcluir