P(*)EMA C(*)M N(*)TA DE R(*)DAPÉ - 59


Ao contrário do que possa parecer, são raros os comediantes que imitam bêbados, gays, o Papa JP II, Lula e Sílvio Santos. A imensa maioria dos comediantes imita comediantes que imitam bêbados, gays, o Papa, Lula e Sílvio Santos. A diferença é sutil mas fundamental. São vários os degraus dessa escada que desce até chegarmos em comediantes que imitam comediantes que imitam comediantes que imitam comediantes que imitam comediantes que... já nem sabem o que estão imitando.

O mesmo pode ser dito de... quase tudo. Guitarristas de blues, por exemplo. Alguns poucos dão voz ao sentimento; a maioria evoca o som de outros guitarristas que, estes sim, sentem o blues. Outros exemplos: cantores de reggae, bateristas de heavy metal, amantes, políticos, pastores, rabinos, centroavantes, compositores... ops, compositores? Não deveriam criar? Sim, deveriam. Num mundo perfeito, criariam.

Não vai aqui nenhuma censura. O cantor de reggae desespiritualizado pode soar bem. O centroavante sem instinto pode fazer gol. O comediante que imita imitações pode até ser mais engraçado do que o imitador original: cada elo que se soma à corrente vai exagerando a caricatura, aproximando a   performance do nonsense. E o absurdo pode divertir. Às vezes só se quer isso: que entretenha.

Mas este ex-tocador de contrabaixo que vos escreve deve admitir que, cada vez mais, está interessado na origem e nos originais: o centroavante que sabe antes dos outros aonde a bola vai, o humorista que uniu inspiração e transpiração para sacar os tiques e o ritmo  do personagem que imita, o guitarrista que toca cada nota na primeira pessoa do singular, o compositor que... compõe. Por mais imperfeito que seja o produto final, é essa fagulha primeira que me interessa.

Essa faísca fugidia é a estrela guia que procuro nas noites que, com frequência, me confundem. Na minha arte e no meu ofício, fardado e à paisana, na vida pessoal e profissional, busco relações claras e verdadeiras ou relação nenhuma. As poucas que consegui compensam os vários fracassos de ruas sem saída, paz de cemitério e inimigos na trincheira.

Um prazer que compensa toda mão de obra de embarcar em novas parcerias, novos desafios, é buscar o centro de originalidade do novo momento, o núcleo duro do novo ambiente. Sem comparar com o que passou nem prever o que virá (quando ouço comparações sobre as várias fases da minha carreira me sinto como se estivesse ouvindo um grego gago e grogue falar - nunca usei um momento como regra para outro - cada instante tem sua magia, mesmo que seja a magia de esperar).

Não é tão fácil quanto parece buscar e manter a conexão com o que há de mais forte dentro de nós. Há que escutar o que não é dito. E toma tempo! Um tempo que, às vezes, não queremos ter. Um tempo que não podemos parar nem fazer andar mais rápido. A única coisa que podemos fazer com o tempo é escolher o que fazer com ele. Mostre-me alguém que reclama não ter tempo pra nada e te mostrarei alguém que pensa ter tempo pra tudo. Querer agarrar o mundo com as mãos é a melhor receita para ficar de mãos vazias.

Se a  resposta, meu amigo, is blowing in the wind, uma hora a gente respira este ar e, então, the answer, my friend, está dentro de nós.

(*)

Bah: Escrevi os versos abaixo para uma música que Bebeto Alves me mandou. Não sei se eles seguram a onda na folha fria (na tela frenética), sem o suporte da melodia. Ler não é fácil para quem escreveu. Mas...

prenda minha
são tantas e tão diferentes
essas vidas da gente
centenas sem igual    

prenda minha
são tantas e insuficientes
essas vidas da gente
centelhas pelo ar

não há quem segure
a fagulha se espalha
que seja eterno
este fogo de palha

sem pressa e pra sempre
bocas e braços
distantes diamantes
beijos e abraços
joia rara
foi bom te encontrar

prenda minha
são tantas e tão diferentes
essas vidas da gente
centelhas pelo ar

não há quem segure
a fagulha se espalha
que seja eterno
este fogo de palha

sem pressa e pra sempre
bocas e braços
distantes diamantes
beijos e abraços
prenda minha
foi bom te encontrar
com a originalidade sempre 
repetida e renovada
um abraço
24jul2012 

98 comentários:

  1. First ! Grande Texto, e agradeço até hoje pelo show em Lavras foi foda...

    ResponderExcluir
  2. barbaridade
    hoje eu vou ser o primeiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nao deu, acho que tem gente que nem le
      e comenta

      Excluir
    2. Eu já acho que foi só questão de segundos.

      Excluir
  3. Parabéns, nobre Mestre!!! Precisava ler isso hoje!!! Muito obrigado!!!!

    ResponderExcluir
  4. O texto se estende a muitos que hoje em uma verdadeira enxurrada de cpvers de covers, procuram aquele acorde desconhecido, aquele som dissonante só pra ser alguem... Excelemte texto...

    ResponderExcluir
  5. Amei o texto Humberto...."cada instante tem sua magia, mesmo que seja a magia de esperar" e "Querer agarrar o mundo com as mãos é a melhor receita para ficar de mãos vazias" ficou na minha cabeça...Agora só estou esperando você aqui em São Luís - MA com o Nas Entrelinhas do Horizonte....bjo bjo bjo e infinitos abraços! ;)

    ResponderExcluir
  6. Penso da mesma maneira. Antes algo original, sem um ''bom'' resultado final, do que a imitação da imitação que aos olhos dos demais está legal. O que importá é o que vem de dentro, a emoção, os nossos sentimentos expostos nas coisas que fazemos e que amamos...

    ResponderExcluir
  7. Às vezez uma influência boa abre o caminho para algo novo! Você não acha? Afinal vc dever ser influência para muita gente.

    ResponderExcluir
  8. clap clap clap... minhas palmas repetidas e inevitáveis...

    ResponderExcluir
  9. Texto maravilhoso, como sempre!
    Achei esplêndido o foco do texto. As pessoas só se importam em copiar o que já foi feito, talvez fazer o mesmo pensando que faz melhor.
    E acho que o "Querer agarrar o mundo com as mãos é a melhor receita para ficar de mãos vazias" foi uma ótima lição pra mim.

    Obrigada, como sempre!
    Gabriela Martini,
    Luís Alves, SC.

    ResponderExcluir
  10. CARA VOCÊ SEM DUVIDA É O MAIOR GÊNIO DO ROCK BRASILEIRO, CRESCI TE CURTINDO E VOU MORRER AO TEU SOM INTELECTUAL E HARMÔNICO EM CADA REFRÃO DE BOLERO, DE UM CARA, QUE PEGOU UM TÁXIS NA AVENIDA SÃO JOÃO E QUE O ELVIS PRESLEY DAVA RAZÃO. NAS NOTAS DA CANÇÃO PIANO BAR

    ResponderExcluir
  11. Betão, me emocionei nesse instante com esse trecho enquanto estava lendo: "Não é tão fácil quanto parece buscar e manter a conexão com o que há de mais forte dentro de nós. Há que escutar o que não é dito. E toma tempo! Um tempo que, às vezes, não queremos ter. Um tempo que não podemos parar nem fazer andar mais rápido. A única coisa que podemos fazer com o tempo é escolher o que fazer com ele. Mostre-me alguém que reclama não ter tempo pra nada e te mostrarei alguém que pensa ter tempo pra tudo. Querer agarrar o mundo com as mãos é a melhor receita para ficar de mãos vazias." Me tocou muito!
    Obrigada por sempre dizer as palavras certas nos momentos certos!

    Um mega abraço! =)

    ResponderExcluir
  12. Hoje eu fiquei aqui...esperando...atualizando..rs..
    Muito bom!
    Amo.

    ResponderExcluir
  13. Falando em comediantes... Sempre me divirto com as suas piadinhas!
    Bá, só espero que não largue a carreira de músico , para participar de stand up... :)

    ResponderExcluir
  14. Sempre excelente
    seja como for ou o que for sempre é bem feito
    engenheiros, pouca vogal, 1berto gessinger onde estiver, quando e como...
    Eu só tenho a agradecer pelo sua dedicação integral :)
    é sempre de emocionar


    ---
    P.S Por favor lançar o nas entrelinhas do horizonte em Recife :P

    ResponderExcluir
  15. Originalidade desperta a atenção, pisca a luz de alerta. Você para pra olhar, ler, ouvir. Foi assim com EngHaw pra mim :)

    Espero que sua originalidade seja sempre repetida e renovada, pois estarei sempre aqui para apreciá-la ;)

    Abraços!

    ResponderExcluir
  16. HG

    PRIMEIRAMENTE ADOREI A LETRA!!!E SEMPRE SABIAS PALAVRAS......
    VENHO AQUI AGRADECER, VC FEZ ARAXA TREMER, E O ASSUNTO DA SEMANA O GRANDE SHOW DO POUCA VOGAL,MELHOR SHOW DE TODOS!!! MUITO MUITO BOM MESMO!!!E DIA 18 ESTAREI EM MEU 8 SHOW DO POUCA VOGAL LAH EM UBERLANDIA.....E BORA SEGUIR VIAGEM RSRSRS


    A SOBRE AS CAMISETAS QUE DEMOS A VC E O DUCA AQUI EM ARAXÁ, COCAIDAS É UMA TURMA DE AMIGOS COMO UM CLÃ..... UMA GALERA QUE ESCUTA ENGHAW, JOGA V.GAME, BEBE COCA COLA "TODO MUNDO JA TOMOU A COCA COLA" E QUE TEM POR LEMA SER SIMPLES DE CORAÇÃO...E TODO ANO FAZEMOS UM MODELO PARA IR AOS SHOWS... COCAIDA FOI FUNDADA EM 2001 DEPOIS DO 11 DE SETEMBRO......EM ALUSÃO A ALCAIDA .... EM MINHA LOCADORA DE VIDEO GAME...E FAZ TEMPO JA VIU!!!




    NO MAIS AGRADECO....E GRANDE ABRACO....DESSE CARA DE FÉ

    ResponderExcluir
  17. É Humberto...

    Confesso que vez por outra eu gostaria de ser um imitador de ti.

    Mas me falta talento e jeito.
    Prefiro escutar, ler, assistir, etc.

    Mas as vezes que mais tentei te imitar foi com um 4 cordas na mão...
    entre 'sampa no walkman', 'hora do mergulho', 'a bola da vez'... e por ae vai!

    As vezes (a maioria) acho que vc não curte esse 'babaovismo' daqui, do twitter, de sempre, mas "De fé". De qualquer forma sou um eterno fã e admirador do teu trabalho. Em muitas vezes suas palavras foram minhas ideias... e te imitar foram construindo outros pensamentos.

    As influências estão ae...
    respiramos o que vemos, o que queremos!

    Somamos contigo e acredito que os fãs (num corpo só/Individualmente acho improvável e singular) somam em ti!

    Valeu!

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  19. Nos interessa o que não foi impresso
    E continua sendo escrito à mão
    Escrito à luz de vela
    Quase na escuridão
    Longe da multidão

    ResponderExcluir
  20. Cheguei da faculdade agora, cansado e pensativo sobre várias coisas, eis que entro no blog e leio uma frase que resumiu tudo que eu precisava escutar.
    "Querer agarrar o mundo com as mãos é a melhor receita para ficar de mãos vazias."

    A pura verdade, e um ótimo texto.
    Parabéns,

    ResponderExcluir
  21. Não poderia ser diferente, é bom seguir algo com sentido, mas é ótimo colocar sentido em alguma coisa que ñ se tem e possa ser seu. já viu aqueles laçinhos do Senhor do Bonfim ? com o passar do tempo eles somem, deixam marcas que irão desaparecer. Sentido? Tantas pessoas usam no braço por um pedido ou por ser somente legal... pra combinar com a roupa? quem inventou? quem deu o sentido? o sentido das coisas... quem dá? o que buscar? "há mais de 1000 destinos" ;D

    ResponderExcluir
  22. Thiago Junio (thiagojlv@yahoo.com.br)24 de julho de 2012 00:54

    Muito bom... legal você comentar sobre os comediantes que imitam outros comediantes. Temos "imitões" em tudo mesmo.
    Me lembro do vocalista do Creed imitando o estilo inédito do Eddie Vedder (Pearl Jam).
    Em BH temos uma coleção de professores que imitam o jeito de um outro dar aula...
    Ah, eu tento imitar um monte de cantores todo dia no chuveiro. E por mais que os outros digam que está ruim demais, eu ainda não me convenci que minha voz não parece com a do David Gilmour.

    ResponderExcluir
  23. A 'cópia' não é legal, tanto que a venda de cds piratas é crime! A qualidade de um cd 'original' é muito superior.
    Originalidade é o segredo do sucesso ;).
    Isso vai pro meu twitter:
    'Querer agarrar o mundo com as mãos é a melhor receita para ficar de mãos vazias.'
    Bjus

    ResponderExcluir
  24. Ah, pra muitas pessoas esse texto de virada... já virou hobby ler ou é o divertimento do dia, ñ para. Ótimo texto.

    ResponderExcluir
  25. Impressionante essa capacidade de enxergar algo de bom em coisas ou situações improváveis. Nem com terapia cognitiva torna-se possível para mim, deixar de ver o lado ruim. Equilíbrio difícil de encontrar e invejável dos que o possuem. Penso que talvez seus textos, livros e canções me façam um dia reproduzir algo de bom, ainda que seja cópia mal feita.

    ResponderExcluir
  26. Opa, terminei "Nas entrelinhas do horizonte" ontem, e o livro ficou ali, pedindo pra ser lido novamente...rs, mas o blog me dá esse gosto de repetir novas e velhas histórias que, pela tua ótica enxergamos o detalhe que não havia sido visto. Aquele abraço !

    ResponderExcluir
  27. karalho, os kras ficam putos na briga pra ser o primeiro....kkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  28. Uia!

    Salve! Salve! 1berto!

    Interessante o texto...

    Fiquei pensando em ter tempo pra nada
    E ter tempo pra tudo...
    Se tudo que chamamos de nada não existe
    Não existe tempo
    Não existe nada
    Não existe futuro

    Levei um susto quando li a palavra "prenda".

    Pois tenho uma poesia que se chama: Bela Prenda. E olha que não sou gaúcho, sou paranaense... maringaense...


    Um abraço!

    ResponderExcluir
  29. irmãos DeFé Sir Gessinger...

    Eu sempre confundo; nonsense com senso comum.

    Já me explicaram que não é a mesma coisa, mas não aceitei/entendi... por favor trazer luz a minha compreensão?

    ResponderExcluir
  30. perfeito leo...

    compartilho de sua dúvida!

    ResponderExcluir
  31. "este ex-tocador de contrabaixo"

    já tô sentindo

    Uh Engenheiros!
    Uh Engenheiros!
    Uh Engenheiros!

    ResponderExcluir
  32. "Sem comparar com o que passou nem prever o que virá"

    ResponderExcluir
  33. Os Deuses jogam pôquer e bebem no saloon, doses generosas de Humberto Gessinger...

    because...

    33. Jesus não se amarra em perfumes, Ele deixa a primavera aos Anjos. E em Porto Alegre é sempre Outono.

    ResponderExcluir
  34. "A única coisa que podemos fazer com o tempo é escolher o que fazer com ele".

    Fãs + de Fé, Esta é tatuável...

    ResponderExcluir
  35. Adorei a letra da canção de amor... agora queremos ouvir os violinos ;-)

    Agora estou ouvindo:::
    "teu nome está em tudo e mesmo assim [...] ninguém lhe diz ao menos obrigado"

    Este nome também é a Perfeição?

    Humberto muito obrigado que Deus nos dê saúde paz e harmonia..

    ResponderExcluir
  36. ae humberto... quer inspiração?

    chama a gente que le seus textos pra um churrasco gaucho ae!

    e eu voto no leonardo daniel pra ficar na churrasqueira escrevendo refeições!

    :)

    um abraço ao amigo engrenagem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thiago Trovão do Hawaii, que honra ser convidado, eu gosto muito é de fazer suco...

      Podemos começar com Abacaxi com hortelã + Kiwi "pro dia nascer feliz, pro dia nascer feliz" e a gente comemorar.

      "E daí de hoje em diante todo dia vai ser o dia mais importante"...

      Excluir
  37. outra coisa humba!

    aqui em maringá, no paraná... cidade que te deixa em estado de iluminação, eu toco engenheiros nos xurras dos amigos...

    eles dizem que fica parecido...
    eu acho que não... e sempre respondo a mesma coisa...

    jamais tentaria imitar o inimitável, mas gostaria muito de ter esse talento...

    quem lhe deu a "oportunidade" de ser "famoso", prometeu descanso em paz?

    ResponderExcluir
  38. Perder o tempo às vezes é bom se com o tempo perdido voltamos a algum lugar...

    ResponderExcluir
  39. Sempre tive vontade de um dia te perguntar qual a diferença entre o alemãozinho de walkman, aquele homem esparramado no sofá azul do tchau radar e aquele de bigode do novos horizontes. Já tive a resposta. Será que você foi devorado pelo seu próprio personagem? Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. no alto da montanha
      num arranha céu

      no alto da montanha

      "atores sem papel"

      Excluir
  40. A melhor parte de ler os textos do HG é que ele sempre consegue dar uma alfinetada na nossa maneira de pensar, mesmo quando parece que ele escreve pra ele mesmo. É como se fosse uma demonstração de similaridade (Pelo menos pra mim, que sou capricorniano e também não gosto de ir no cinema) entre a vida das pessoas. Parece que estamos, todos, buscando uma mesma coisa, uma inquietude que só muda de nome e de intensidade, mas está sempre ali.

    Muito bom ler teu texto, alemão. Seja nos livros, no Blog, na companhia das notas do teu violão, guitarra, baixo, piano, gaita...

    ResponderExcluir
  41. sem pressa e pra sempre
    bocas e braços
    distantes diamantes
    beijos e abraços
    prenda minha
    foi bom te encontrar
    --------------------
    ta vendo é disso que eu to falando...
    e vc pq não entende...
    e sempre prefere ficar distante
    e não dizer nada, não fazer nada
    mas como já pregava os existencialistas
    afinal "foi Sartre que escreveu o livro"
    não fazer nada já é fazer alguma coisa,
    e quanto a não dizer nada... já disse o gaúcho do blog
    "nada é uma palavra esperando tradução".
    então porque vc não diz o que tem que ser dito
    e cala apenas o que não é possível dizer?
    mas vc sempre prefere falar de amor
    e calar o carinho... Gessinger isso é para ela
    diz pra ela Gessinger...
    quanto ao lugar comum Gessinger
    estamos sempre em fuga do lugar comum eu, vc e o Quintana...
    mas as vezes me pergunto:
    será que a fuga do lugar comum
    já não é um outro lugar comum?
    como uma caixa dentro da caixa dentro da caixa detro da caixa...
    e tem uma hora da noite ou da vida não sei
    que o clichê é preciso, justamente pra expressar o inexprecivel...
    então digo a ela: continuo aqui...
    nesse lugar comum "onde qualquer um se esconde/ pra fazer a frase feita/ e semtir os efeitos colaterais"

    Obrigado Gessiger por mais um texto...
    E diz pra ela que eu a amo...

    ResponderExcluir
  42. Depois da primeira nota acabamos sempre variando a mesma idéia. Valeu

    ResponderExcluir
  43. eu queria ser mais coerente comigo mesma mas a vida são outros muitos e as vezes eu sou apenas uma ilha no meio

    ResponderExcluir
  44. Muito linda a letra da canção... Ao ler quase da p ouvir sua voz...
    Quero aproveitar a oportunidade para dizer que foi muito bom conhece-lo pessoalmente, apesar de ter ficado quase sem palavras...rs
    Foi uma honra para mim que você tenha aceitado meu livro: SEMPRE VAI HAVER UMA CANÇÃO!Esse romance tem como primeira música de sua trilha sonora: PIANO BAR! Gostaria muitooo de saber se você gostou...
    http://daianeroses.wix.com/livros/apps/blog/month/2012/6/page/1

    ResponderExcluir
  45. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  46. Comediantes que imitam outros comediantes,
    centroavantes que parecem cones, mas com uma sorte fdp,
    compositores que abusam da fórmula (estrofe+estrofe+refrão+outra estrofe+refrão+variação+refrão) para eu-voce-todo-mundo-cantar-junto,
    entre outros seres pouco originais nem conseguem mais me irritar, quero apenas escutar uma banda que não me lembre outra banda, uma banda que leve para outra esfera o conceito de influência, um grupo de samba com influência de B.B King, sei lá.

    ResponderExcluir
  47. Legal você falar de inspiração divina...

    Engraçado, eu acho que escrevo muito bem (sempre recebi elogios na época das redações na escola), me considero criativo (aprendi a desenhar antes de aprender a falar e sempre crio um desenho sem referências visuais) toco inúmeros instrumentos musicais, nos quais aprendi sozinho e, cara, NÃO CONSIGO ESCREVER UMA CANÇÃO!!!

    A parte melódica/harmônica vem fácil mas a letra Não Desce!!! kkk
    Estranho demais isso, cara. Me frustro sempre que lembro que não tenho nada além de fragmentos, trechos, algumas frases bem sacadas e nada mais.

    HG: COMO FAÇO PRA CONSEGUIR A CENTELHA? rs

    Abraços! Robson, 23. Lindóia-SP

    ResponderExcluir
  48. ...bora Gessinger para a originalidade...o que vc ouve de novo? Bom, eu na minha resposta diria ... Led Zeppelin...rs!
    As vezes parecem idiotas as rotas que traçamos, mas devemos traça-las nós mesmos não é?...Te conheço pelas suas músicas a tanto tempo...o mundo atual é imediatista talvez um pouco Japonês, que não espera o peixe fritar pra comer....devemos degustar cada palavra e sons naturais da composição...por isso ser original é sempre melhor...por isso apreciar deve ter moderação...por isso concentrar deve ser a direção...acho que é isso que entendi!!! Será?
    Abçs...amigo
    Fábio Bravim - turma de Sampa

    ResponderExcluir
  49. "Tudo aquilo q vem a "criar novamente" soa como calhorda......."

    Lembra-se?????

    "Tuas palavras, duras palavras..."

    Ser original hj em dia é não ser aceito da maneira como todos aqueles q imitam são!!!!Mas quer saber, foda-se.......aprender a dosar o q é bom e o q não é......isso é ser original, e para poucos!!!!!!!

    Um abraço do interior paulista, do tamanho da tua originalidade!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  50. Blowin'In The Wind - Bob Dylan. Boa.

    Acredito que vivemos toda uma vida seguindo regras, regras estabelecidas por alguém, por um grupo que as consideravam corretas. Sei lá há quanto tempo...
    Vejo pessoas seguirem uma vida a qual elas não planejaram, mas estão certas que é o caminho a percorrer pq em algum momento alguém disse que era correto! Tenho amigos de todas as idades e observo que é cada vez mais comum “seguir o fluxo”. É impressionante e assustador. Pessoas que não sabem pq se casaram, pq se formaram na faculdade, pq conquistaram determinados amigos, pq freqüentam uma religião... Apenas fazem... Fazem sem sentir, sem querer realmente....
    A minha vida toda achei que teria certeza de tudo e que quando amadurecesse “todas as confusões e os problemas’’ acabariam. A verdade é que a certeza é apenas momentânea. Tudo muda, sempre. Pelo menos pra mim. E sempre que isto acontecesse comigo eu preciso parar e refletir -“tentar ouvir o meu coração”. E isto não é uma tarefa fácil. Busco respostas para as minhas próprias perguntas, e quando consigo responder (não todas, é claro) tento ser uma pessoa melhor. Sempre é possível “destruir e reconstruir.”

    ResponderExcluir
  51. Excelente! Tudo que você escreve. É incrivelmente excelnte!

    ResponderExcluir
  52. lembrei do texto da semana passada quando você fala em individualização de diferenciarmos dentro do grupo... a busca do "centro de originalidade do novo momento"...uma coisa liga a outra...ou não...gosto dos teus textos...me fazem pensar por dias.....

    ResponderExcluir
  53. Grande Humberto!!!
    Como voçê ja dizia " ... Nao vejo graças nas gracinhas da tv, morremos de rir do horario eleitoral"
    Será que é pela falta de originalidade? fato.

    ResponderExcluir
  54. Caio Falcao Leite24 de julho de 2012 12:22

    Grande Humberto!!!
    Como voçê ja dizia " ... Nao vejo graças nas gracinhas da tv, morremos de rir do horario eleitoral"
    Será que é por falta de originalidae? FATO.

    ResponderExcluir
  55. Mais um interessante texto. Entre as tantas imitações que imitam outras imitações, é sempre um prazer peculiar encontrar os que faziam (e ainda fazem) algo parecer original.
    Humberto, vi num comentário acima que você recebeu um livro de um fã. Sou escritor e gostaria muito de presentá-los com minhas duas obras publicadas.
    São simples, singelas, mas de coração.
    Aguardo algum contato para enviá-las.
    Grande abraço.
    J. Douglas Alves

    e-mail: jdneo@hotmail.com

    ResponderExcluir
  56. Parceiro, concordo com você em quase tudo, mas ficou perdida no texto, passando à margem do assunto, uma afirmação que me nego a concordar: "ex tocador de baixo". Ex tocador sou eu, que fui sem nunca ter sido. Alguns detalhes das tuas músicas discordam da tua opinião: o riff final de Tribos & Tribunais, o riff final de Infinita Highway, o baixo todo de Revolta dos Dândis I, o baixo no solo de Sampa no Walkman,e por aí vai...
    Se tem uma coisa que você nunca vai se é ex-baixista.

    Christiano Rios

    ResponderExcluir
  57. Ah, como eu queria conseguir me desapegar tão facilmente! (aliás, pra ti foi fácil mudar tudo quando foi preciso?) Se o fim de um namoro já parece o fim do mundo, mudar arte e ofício (sem mudar) parece loucura. Loucura? Há quem se excite com a margem, o limite e sua negação né! E mais, quando chega à beira a vontade é mais de pular pra chegar do outro lado que achar que é o fim da linha.

    O quê realmente fazer? Pular, frear? Sei lá! The anser my friend is blowing in the wind! hehehehe

    Não disse nada com coisa nenhuma né, normal, culpa sua, aprendemos meio que sem saber a ser assim como você =]

    Um abraço originalmente diferente, mas igual!

    Pedro Saleh

    ResponderExcluir
  58. HORA DO MERGULHO

    Enfrentar ou não o inverno que entra pela porta,
    Fechar a porta, esquecer o barulho, fechar os olhos, tomar ar
    Abrir uma janela de oportunidade, estar pronto de verdade pra saltar
    Saltar na piscina sem saber se tem água, à perigo
    Eu que não sei perder perdi o medo do salto no escuro
    E assim mergulhar no escuro, pular o muro, pra onda passar
    e se nenhuma escolha parece certa, toda descoberta é um plano
    A onda agora é plano b, o lado escuro da lua,
    a diferenca do que se pensa e o que se faz
    Seguir enfrentando a onda onde muita gente naufragou
    A gente vive assim: sempre acabando o que não tem fim
    Vivendo o absurdo de tentar o suicidio ou amar uma mulher
    Se queres paz, te prepara para a guerra, a força do silencio
    A vida em cada curva dispara o coração,
    Um minuto de silencio depois da explosão...

    ResponderExcluir
  59. O original que vira cópia, criador que supera criatura...sempre preferi os originais, gosto do que é imperfeito, não porque tenha preferência por aquilo que é errado ou torto, mas porque amo aquilo que é real... Belo e imperfeito, singular!!!! Parabéns pelo ótimo texto, só pra variar!!! Obrigado por partilhar com a gente aquilo que sentimos mas não conseguimos expressar!!! Forte abraço!!!!

    ResponderExcluir
  60. Lendo os comentários acima dá pra frisar seu texto. Poucos comentam com suas palavras. A maioria insiste em usar o que já foi dito, inclusive, por você. hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hellen...

      Pois não é que é mesmo...
      E veja o disparate, um texto, uma Ode a originalidade, e o pessoal corre a repetir como papagaios o já dito por um ser pensante.

      Agora vê se não são todos zumbis a procura de comer cérebros...
      Lógico, de quem tem um.

      A maioria é algo pior que o vazio, por isso os ecos.

      :/

      Excluir
  61. Poxa, de onde será que vem o Big Bang que origina a originalidade? Será que de algum bóson? Se assim for, logo logo começarei a compor alguns versos, já que estão perto (??) dos segredos do Universo. Homens das cavernas gerando uma fagulha pra imitar o fogo do sol... eles tinham tempo; mas é por essa centelha que tudo (pode) começa(r), e se já começou, não tem mais volta, não há como não ter fim... e queira-se que não tenha! (não é?) Já que dizer que o seu texto é maravilhoso já virou clichê, não direi nada, deixarei a mensagem subentendida,e espero que me perdoe por considerá-lo um convite à escrita, mérito à sua que me inspira (e me faz de gato e sapato), não me deixando escolha senão escrever um pouco pra ti.
    Volta e meia me pego escrevendo no mural de Roger Federer pra dizer como o jogo dele me faz bem, (ainda não descobri bem o porquê desse recente prazer) e torcendo pra que ele consiga seu primeiro ouro olímpico de simples, logo após superar o recorde de Pete Sampras e retomar o posto (por muito pouco) de numero 1. Pensando analogamente, você é o meu heroi musical, uma lenda super humana (com ou sem hífen) que escapa aos moldes convencionais e forja os seus próprios trilhos. Penso que você é (e sempre foi e será) o numero 1 da parada dos nossos corações... que continuam batendo, sem parar.
    Um abraço de um fã
    (chamado Flávio)

    ResponderExcluir
  62. "Mas este ex-tocador de contrabaixo que vos escreve..." :(

    ResponderExcluir
  63. Bá, que texto, mestre! Entrou para os meus preferidos!!!! Genial, genial. Beijão.

    ResponderExcluir
  64. Hoje vou resistir a tentação de escrever a impressão fresca do texto recém lido para tentar me redimir da minha falta de educação.
    Soube e comecei a acompanhar o blog lá pela postagem 46 e entrei comentando sem me apresentar. Um dia, lendo os comentários vi alguém se apresentando e achei tão legal... Fiquei pensando que a internet deixa a gente um pouco desleixado em relação a requisitos básicos da boa educação. Peço desculpas. Em minha defesa tenho como justificativa a sensação de que, no meio de sei lá quantos comentários, a objetividade de ir ao tema do texto escrito seria mais coerente. Depois ficou a sensação de ter entrado na casa dos outros sem pedir licença. Me senti parte de algo que critico tanto... e o pior, por humildade ("ele lá tem tempo pra perder com quem é você, guria?"), não por arrogância, como acaba parecendo...

    Então, para desfazer essa sensação me apresento agora: Márcia Tondello, atriz e dubladora por formação, cantora por paixão (muito antiga) e escritora/compositora por vocação (acho...rs... bem, é o que dizem, eu não sei se acredito). Gaúcha vivente do Rio de Janeiro há mais de 20 anos. Curto Engenheiros e Humberto desde que me lembro...

    Acho que já é o suficiente. Estou querendo fazer isso há algumas semanas, mas estava sem tempo até para comentar aqui, pois fui matar as saudades da terrinha ;-)

    Coincidência, ou não, faço isso no dia que você escreve sobre compositores e originalidade. Me identifico muito com o que você escreve (antes letras e agora o blog e os livros), mas jamais me passou pela cabeça imitá-lo. Nem que quisesse, porque o que escrevo vem de um lugar ao qual não tenho acesso controlado, se é que me entende. Acho que sim.

    Também busco essa "fagulha primeira" no que ouço, no que leio e no que escrevo também. Vejo (ou sinto?) isso no seu trabalho. Não poderia ser diferente, ou já teria parado de acompanhá-lo ;-)

    Bela reflexão, como de costume.

    Abração!

    ResponderExcluir
  65. Olá Humberto!!!
    O texto hoje me possibilitou fazer um comentário que há muito tempo tenho reparado ...Ao contrário da multidão, eu não tenho pretensões em ser a primeira em tudo na vida, prefiro respeitar meu tempo e meus limites. Aqui no seu blog eu não sou diferente disso, se você vai ler ou não os comentários posteriores eu não sei (acredito que sim!) mas eu prefiro comentar em seu blog no dia seguinte, ou nos próximos que virão...ultimamente não tenho lido os comentários anteriores (o que é uma pena, porque há muitos interessantes), porque mesmo que sejam alguns casos bem pontuais, essas imitações que se repetem a cada 00:01,00:02,00:03 hrs (precisamente)de todas as terças me dão uma preguiça inimaginável! (aí eu penso: se eu canso disso, imagina o autor!!! ; ) )
    Não entendo o porquê da competição em ser o primeiro, se não deu nem tempo de ler e absorver o que está escrito. O blog está na rede, e não vai pra lugar nenhum! Apostas que não levam a lugar nenhum, competições nas quais não se ganham prêmios... "/
    Mas acho que tudo isso também se resume no que você mesmo disse, aquilo o que um vê no outro e quer repetir. Mas creio que para tudo na vida a gente não pode perder o foco, se for algo para crescimento pessoal, a "imitação" pode ser algo saudável...como já dizia o velho ditado/ironia popular: "nada se cria, tudo se copia". Mas quando a intenção é imitar só por motivo de competição aí a coisa já começa a ficar chata, cansativa e desinteressante. Ninguém é original o tempo todo, FATO! Mas se perder em várias identidades, onde a própria é a única que não aparece, aí já fica difícil...
    Mesmo que eu sempre saia um pouco do contexto, seus textos nos fazem refletir . O que admiro é que sempre espero algo nos seus posts tipo “como está o humor do Humberto por esses dias ” e a resposta vem na terça às 00:00 (às vezes, pra mim, umas horas depois!)
    Parabéns pelo post!!
    Abração!!!

    ResponderExcluir
  66. Olá, bom texto, acho isso tbm...ser original é bem complicado.

    Tenho um livro seu, que nem mesmo você tem. Estava eu lendo o #NasEntrelinhasdoHorizonte, autografado, quando, após ler bastante, coloquei-o na janela ao lado e dormi. Mais tarde acordo com pingos de chuva na minha face, quando corro pego o livro e vejo que ele estava molhado...sequei o livro e fui descolando as páginas para poder ler...mas a cada descolada, rasgava um pedacinho que me rasgava junto por dentro..No final, só consegui descolar até o "Por atalhos invisíveis" que agora tomou um significado próprio pra mim: o que não poder ler o resto do livro, pois isso não é mais visível...rs.

    quem sabe um dia eu não leia? quem sabe o que o HG acharia de mim...descuidado? burro? rs não sei...tudo agora ficou invisível neste livro...até que ele ficou mais "próprio".

    http://a1.sphotos.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-ash3/557016_334676996619529_810550750_n.jpg

    ResponderExcluir
  67. Por isso sua obra cada vez mais me interessa.Vejo aqui na minha pasta de não gravadas pelo menos 9 canções lançadas nos últimos 12 meses. É quase um álbum, sem o suporte.
    HG nos ensinando a ouvir sem o suporte do álbum.

    A pureza na busca por instrumentos. Não entendo pessoas que preferem uma volta ao passado , com 3 caras que nao sao mais os mesmos. Um futuro que já passou, querendo caras que vc ja não é.

    Não existe um outro Pouca Vogal. Não existe um outro Trio Grande do Sul. Um livro por ano...um projeto diferente de tudo por ano...
    Sem virtuoses no instrumento...aprendendo,descobrindo e se emocionando.

    Prefiro curtir o presente...estamos contigo. Somos platéia, não temos o direito de exigir nada. Me agrada ser plateia e aplaudir quando me emociona.

    Tem conseguido isso comigo ha 20 anos.

    Parabéns pela obra. Obrigado pelas emoções que ela proporciona. Sinto que está na melhor fase. Gosto de estar presente nesta melhor fase.

    abraços

    JM22

    Me interessa mais vc descob

    ResponderExcluir
  68. Muito legal teu texto, sem pressa de ser...
    Tani Kronbauer
    Joinville
    SC

    ResponderExcluir
  69. Esse post me fez lembrar do grande guitarrista Aldo Sena. http://www.youtube.com/watch?v=R9tsnbBzjuo&feature=related

    ResponderExcluir
  70. Abraçar o mundo com as mãos se parece com aquele jogador que dizem ser polivalente, que pode jogar desde a zaga até de meia armador ou quem sabe de centroavante. Geralmente ele está no banco de reservas e entra pra quebrar o galho. É um cara importante pro elenco, mas não essencial.

    Leonardo da Vinci desenhou uma máquina que levantava voo e disse que um dia o homem seria capaz de construir algo parecido. Originalidade ainda que apenas no papel de algo sólido. Dizem que Thomas Edison teve cerca de 1000 tentativas antes de fazer a lâmpada acender. Foi original e conseguiu, ainda que aprendeu 1000 formas de como não fazer uma lâmpada se acender, rsrs. Os asiáticos, maias e demais povos nativos tinham conhecimentos avançados em agricultura e até em saneamento básico. Os europeus copiaram e ganharam os méritos. A originalidade as vezes ganha novos rumos e acaba sendo esquecida.

    PS: nada mais carente de originalidade do que discurso e planos de candidatos a cargos políticos, tá chegando as campanhas.
    Abraço Gessinger!

    ResponderExcluir
  71. Humberto, meu comentário não tem nada haver com post. Sempre acompanhei os Engenheiros. Bom faz algum tempo que estou fora do Brasil. E aí, deixei minha caixa dos Engenheiros. O que me surpreendeu foi meu sobrinho de pouco mais de 3 anos cantando engenheiros, sem minha influencia. E cantando Freud Flintstone! Dá uma sacada: https://www.youtube.com/watch?v=7Ib2o1r6y70

    Abraço!

    ResponderExcluir
  72. Originalidade! Quem a tem? Para muitos é muito fácil copiar, pode ser engraçado no início mais depois perde a graça e acaba ficando no esquecimento ou "rotulado" de uma cópia barata.
    Criatividade ou originalidade todos nós temos, basta cavarmos mias fundo e a encontraremos. Como por exemplo, suas músicas são excelentes, de extrema originalidade, pode passar o tempo e são sempre atuais, são perfeitas.
    Quanto ao tempo este sim não volta e não nos dá um tempo extra, temos de viver cada dia, e nunca ficarmos olhando para o tempo que passou, pois este não volta. Estamos vivendo em dias onde "precisamos comprar o tempo" e não podemos desperdiçar este tempo...
    Beijos e vida longa.

    ResponderExcluir
  73. Realmente pra tudo ha um tempo tempo para sorrir , tempo para chorar,tempo para saltitar, tempo para ficar triste , tempo para ser feliz e o tempo em que viveremos para sempre, mas para isto é preciso comprar o tempo!Espero que consigam compra-lo.Tudo de bom a todos.

    ResponderExcluir
  74. "Quem acredita sempre alcança..."

    ResponderExcluir
  75. Ah que presente para nós fãs poder ouvir/ver a twitcam, ler o blog, os livros, as frases da minha agenda... não nos deixa ''sozinhos''. Obrigada pelo show maravilhoso em Guaíra-SP!!! Não pense nada a respeito do silêncio dos fãs quando te viu descendo do microonibus. Era só...espanto! Nenhum de nós ali acreditava que um dia isso pudesse acontecer. Eu mesma, sinceramente, não! Mais uma vez obrigada, pelas músicas da minha adolescência, suas produções que eu sempre vou acompanhar, pela chance de vê-lo pessoalmente. Pena eu não ter lido o blog antes e não ter tentado ver o pedacinho de grafite no dedo (ainda tem?rs).
    Um super abraço, de fé!!!
    Nárima
    (narimacaldana@hotmail.com)

    ResponderExcluir
  76. Como sempre.. Fantástico...
    Quando era adolescente e fãzáasso de EngHaw ficava pensando o pq tinha escolhido essa banda, pq? se mal tocava nas rádios, me sentia um promotor da banda, defendia e anunciava ela como se fosse ganhar algo com a reprodução e conhecimento da banda...
    Hj, com 30 anos, alguns calos da vida (calos que me orgulho) vejo que tinha algo mesmo diferente, não há comparação, sensibilidade, profundidade, arte!

    Parabéns 1berto, parabéns tb a nós, fãs de uma arte caprichada, aparada, bem acabada, escolhemos bem...

    ResponderExcluir
  77. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  78. Originalidade, Humberto! É o que está faltando hoje em muitas produções artísticas. A música então é um celeiro de múltiplas análises. O instantâneo, o agora, o click, está transformando anonimato em sucesso. A besteira cotidiana em milhões de reais. Estamos num verdadeiro caos.

    ResponderExcluir
  79. Pois é...

    Mister Gessinger...

    Originalidade...
    Eu chamo de s seiva da árvore, o mecanismo mais mágico e obscuro e complexo da terra germinando uma semente, a cortina de um pseudo cinza a desdobrar-se em todas as cores de um arco íris...
    Tudo se cria na escuridão e na nebulosidade, alquimia da areia virando cristal, sujeira de ostra transformando-se em pérola... E isso envolve tempo, espera, dor, fracassos...
    E hoje em dia, época do pré-fabricado, ou mal fabricado para consumo rápido, para quê olhar dentro dessa água escura e turva da originalidade?
    Dá muito trabalho, melhor comprar feito, e ficar de olho em enxovalhar os poucos que ainda se aventuram a essa contradição de seguir adiante para ir longe, que significa apenas olhar para trás e retornar a origem...
    A originalidade traz sim a imortalidade sonhada no mais ínfimo gesto, mas é um processo lento, que vai contra o grito de guerra americano vigente "time is money".

    Até alma tem que ser industrial.

    Para uma sociedade cada vez mais objetiva e prática (faz-me rir), tanta subjetividade cansa muito a beleza. Por isso a estética está em alta, nos milhões de rostos de Angelina Jolie ou Megan Fox a marcar a Nova Era da originalidade padrão de sucesso e aceitação absolutos...

    Onde se olha, já não há a origem respirando e queimando nas matérias tão zumbis. Andando e falando sabe-se lá como... Que ventríloquo hábil nos fez?

    Triste.
    Infinitamente doloroso e desumano.

    E o que mais dói, é que o mundo é um espelho, ele nos devolve o que estamos emitindo.
    E eu sempre procuro estar no silêncio do meu camarote, a olhar este gesticular infernal todo sem vida nenhuma, e sempre pergunto-me onde eu mesma estou e vou parar, desde o dia em que me apercebi da dor a me demonstrar que estou viva, mas como um corpo agonizante a respirar com dificuldade...

    Se a maioria são mortos se pensando vivos, há os que são vivos se pensando mortos também? Será que o contrário também está acontecendo, porque me faria respirar melhor nesse cheiro pútrido e decomposição toda à vista...

    Nem me sinto no direito de apontar o dedo mais, quando eu mesma nem estou vivendo melhor e acima disso tudo.

    Outro abraço
    Que muda de forma,
    Mas é simples e natural na origem.

    :)

    ResponderExcluir
  80. Concordo com o cara que diz que não dá pra concordar com um 'ex-baxista.' Era muito autentico, coração batendo a mim, suas linhas de baixo. Não era artificial, nem definitivas, mas eram limpas, belas, marcantes, autenticas...!

    A vida não é linear, isto sei. Mas há vida no universo e este é constante, eterno. Paradoxo do existir, do mundo físico? Essa é uma parábola da fama, onde a única certeza é a de que nem mesmo as estrelas brilharão para sempre.

    Falaram acima em "não ter direito de cobrar nada" do artista. Jean, o Marcel, meu amigo, não entende assim. O ídolo Gessinger - cuja influencia musical me filio há mais de 20 anos - também. Discordo sem discordar. É por ai, mas não é. Ou, como diz o Alemão em PSS123 - : "é bom, mas é ruim, mas é bom".

    Essa é uma questão passional, como o esporte. O torcedor não tem "o direito de cobrar" nada do time, do jogador. Mas não adianta. Ele xinga, aplaude... o mesmo torcedor que aplaude, também xinga... tudo isso sem deixar de amar, de gostar.

    Camaleão não é o meu animal favorito. Mas suas cores são fascinantes.

    ResponderExcluir
  81. Quando vai ter show de Pouca Vogal em Salvador?

    ResponderExcluir
  82. interessante falares da questão do 1º a criar se grande parte de suas músicas são baseadas em frases de filósofos, escritores, personagens históricos, etc. (pensa que não saquei que "a dúvida é o preço da pureza / e é inútil ter certeza" não é uma referência a Sartre?).

    criar é uma atitude muito próxima a de modificar, pois criar algo sem ter nenhum tipo de base é de uma complexidade e criatividade imensa, pois quase tudo o que já foi dito foi concebido a partir da observação.

    ResponderExcluir
  83. Gostei do texto, porém pela primeira vez tenho vontade de dizer algo sobre o que Gessinger escreve!

    Gessinger,
    Na minha humilde opinião, ou seja, estou indo além do que posso sentir a não ser pelo sentimento ocasionado pelo processo de pensar e refletir, o que não sei se isso seria melhor sendo uma percepção ou ainda os dois; você deve estar completamente louco ou vai ficar(não são afirmações, o texto inteiro não passa de minhas divagações)procurando algo que nunca vai achar! Ou somos todos imitações ou somos todos originais, o que inclusive da na mesma. No contexto das expressões em si, não existe plagiador e plagiado. Existe aquele que faz sentindo e aquele que faz pensando que sente e aí a qualidade do que esta sendo produzido é diametralmente oposta entre os dois. Mas veja bem, a qualidade. A expressão não obstante pode ser a mesma.

    Pois bem, talvez estejamos querendo dizer a mesma coisa. Sim é bem possível, só que se comunicando não eficientemente, como analogamente sabemos que a palavra amor é definida de diferentes formas por pessoas diferentes.

    Acho também a tentativa de descrever a imperfeição da linguagem, uma ironia! A linguagem é muito louca, relativa, imperfeita e tudo o mais.

    Quando conseguirmos nos comunicar sem intermediários, haverá apenas compreensão. Enquanto essa utopia lúdica não acontece devemos, na minha pequena compreensão, observar o que se quer dizer com a linguagem e não o que se diz com ela. Evitando assim erros mais graves.

    Quem simplesmente sente é raro por aqui.

    A moça foi numa consulta com o psiquiatra

    O médico examinou a moça e estava claro, era o problema x, muito comum inclusive.
    O médico dessa vez teve um vislumbre, fez outro tipo de exame na moça, muito simples. Aproximou-se dela, sentou-se ao seu lado e pegou em seu braço e disse "o que a senhora sente?" a moça respondeu "sinto sua mão." O médico com a atenção firme na moça, pergunta outra vez "senhora, diga-me com clareza o que sente." "oras, sinto sua mão, seus dedos.." O médico fica olhando para a moça como um cão a espera do osso e com um ponto de interrogação no ar. Ela, como se agora tivesse "caído a ficha", exclama sorrindo e meio sem geito "desculpe Dr. estava perdendo o 'fio da meada'. Na verdade sinto pressão e calor."
    Os olhos do homem, brilharam de tanta emoção, sua boca foi à orelha, quis pular de alegria mais se conteve. Beijou a mão da moça que estava perplexa e sem entender muita coisa, "senhorita, minha querida. Seu problema é atrofiação" "atrofiação Dr.?" "sim senhorita, seus sentidos e sentimentos estão atrofiados. As 5 janelas de sua alma estão fechadas com venezianas e quando muito, seus vidros estão sujos e embaçados impedindo a senhorita de sentir na pele o beijo da vida, a explosão de cores que ela ostenta, a orquestra colossal que lhe acompanha juntamente com o aroma da mais pura mirra e que trazem para que a senhora desfrute, o mais sofisticado manjar dos Deuses. Isso é tudo que uma vida sem graça e cotidiana pode lhe oferecer."

    E você, o que sente nesse exato momento? Não tente descrever e explicar nem mesmo mentalmente. Apenas sinta!

    Abraço

    ResponderExcluir
  84. aaa como nunca escrevi por aqui... Prazer Adrian! desculpe chegar chegando sem pedir licença e nem me apresentar. Sou de Lages em Santa Catarina. Estudante. Gosto do que escreve e por isso apareço por aqui ou seria mais porque gosto de suas músicas? Os dois, pela segunda opção mais ainda.
    Você lê todos esses comentários? Talvez a resposta possa estragar alguma coisa(nada como uma pergunta para ajudar né?) rsrs bah

    Abraço

    ResponderExcluir
  85. Adorei seus textos. Convido para uma visita no blog www.amigosdaculturadeiepe.blogspot.com.br e na minha coluna Múltiplos Olhares. Nê Sant'Anna

    ResponderExcluir
  86. Oi, Humberto,
    Sou produtora de uma revista daqui de Natal/RN, por onde você vai passar na próxima semana.
    Gostaria de saber da sua disponibilidade para uma entrevista, mas não achei email ou telefone para contato. Você poderia me passar algum email de assessoria ou outro meio de chegar até você?
    Obrigada!

    Geórgia

    ResponderExcluir
  87. Sei que não é um comentário adequado más dês de que comecei a entender os seus poemas cifrados com melodia quis saber se você realmente "acha" que "estamos sós e nenhum de nós sabe onde vai parar ! aleh-s2-pah@hotmail.com

    ResponderExcluir
  88. cara eu te amo muito me fala vc gosto de fazer show aqui em guaíra sp

    ResponderExcluir