N(*)TA DE R(*)DAPÉ C(*)M N(*)TA DE R(*)DAPÉ - 53



(*) Trabalho nos fins de semana e este foi um fim de semana longo. Começou na terça-feira: lançamento do NAS ENTRELINHAS DO HORIZONTE em Londrina com bate-papo e sessão de autógrafos. Quarta foi a vez de Maringá e quinta, Fortaleza. Sexta fiz show em Fortaleza; sábado, em Recife. Domingo, um show em Natal fechou meu longo fim de semana de trabalho. Sempre recebido com mais carinho do que mereço. Sempre com menos horas de sono do que preciso.


O show de domingo acabou cedo, 22h. O voo de retorno ao sul sairia às 2 da madrugada. Fiquei matando tempo no hotel, pensando bobagens, fazendo besteiras, entre TV, computador e sanfona. 
Alguém da  equipe sempre vai ao aeroporto antes para fazer o check in; só preciso sair do hotel em cima da hora do embarque. 

Chegada a hora do check out, enquanto esperava o elevador, dei um tapa no bolso da mochila onde deveria estar minha carteira e... nada. Caraca! Vasculhei a mochila e... nada. Voltei ao quarto, desfiz a mala, revirei os móveis e... nada. Enquanto isso, repassava mentalmente a correria do dia, tentando deduzir onde teria ficado minha carteira. Lembrei que, saindo do avião em um dos voos, alguém me avisou que uma caneta caíra da minha mochila. Teria caído a carteira também? Neste caso teria ficado no avião... e o avião estaria sabe lá onde numa hora destas.

Telefonei para  o pessoal da produção que já estava no aeroporto, eles me disseram que eu não conseguiria embarcar se não fizesse um boletim de ocorrência registrando a perda dos documentos. E o avião partiria em 45 minutos. Eu tinha um monte de compromissos na segunda-feira em POA - não pegar o voo (além de ficar sem a grana e os documentos que estavam na carteira) seria a cereja azeda de um bolo indigesto.

Saí feito louco para a delegacia mais próxima (bah e pensar que ficara matando tempo!). Em vão: o BO só poderia ser feito em outra delegacia, mais distante. Chegando lá, entre bêbados brigando e ladrões algemados, de olho no relógio, consegui o BO que me permitiria embarcar e voei para o aeroporto.

Embarquei, decolei, Natal-Campinas-Porto Alegre, táxi, casa, beijos, abraços e um café pra botar as novidades em dia. Antes de dormir (sim , ir dormir às 9 da manhã de segunda-feira faz parte dos meus longos fins de semana de trabalho), desfiz a mala. Na mala vazia, notei um volume sob o forro. Tava lá, rindo da minha cara, a carteira.

(*) Os especialistas dizem que um acidente aéreo nunca acontece por um único motivo. É sempre uma cadeia de fatos que causa o desastre (Syd Barret não saiu do Pink Floyd só porque filava cigarros, Lemmy Kilmister não saiu do Hawkwind só porque se atrasou para uma gig, os Beatles não acabaram só porque John trocou Paul por Yoko, o Brasil não perdeu pra Itália em 82 só porque Júnior não fez a linha de impedimento nem perdeu pra França em 86 só porque Zico errou um pênalti).

Como um Sherlock Holmes de mim mesmo tentei desenhar o mapa do acaso, a cadeia de fatos que, separados, não teriam consequência mas, na sequência, esconderam minha carteira: o cronograma dos shows fora atípico, corrido, com muitos voos e sem passagem de som (ocasião em que sempre levo minha carteira para pegar palhetas)... era a primeira viagem com uma mala nova, com compartimentos que eu desconhecia (sempre deixo a carteira trancada na mala na hora dos show)... a mochila com seus trocentos bolsos já havia me pregado peças (o que talvez tenha feito com que eu vasculhasse a mala sem convicção, achando que a carteira caíra mesmo da mochila no avião)... a primeira gripe do ano me deixava mais burro do que o usual... a falta de sono me deixava mais desatento do que o usual...

Ok, são desculpas que não me convencem. O que eu realmente acho é que a carteira desintegrou-se e materializou-se de novo. Como acontece com tampas de caneta e tartarugas: somem. Algumas vezes, reaparecem.

(*) Hey, só agora me dou conta: Rio Grande do Norte / Rio Grande do Sul! Claro, só pode ser isso! Se o universo é curvo como estão dizendo alguns físicos, pela força de nomes tão parecidos deve haver um túnel que liga estes estados de forma reta, sem respeitar a curvatura do cosmo. Por lá passou minha carteira, enquanto eu fazia o caminho mais longo, prisioneiro das 3 dimensões! 


Ok, ok, esquece: vacilo ao procurar na mala parece ser uma tese mais elegante (simplicidade é elegância no mundo da ciência - entre duas hipóteses, a mais simples prevalece).

(*) Quando criticava um zagueiro, meu comentarista esportivo favorito dizia que, se deixassem duas tartarugas aos cuidados deste jogador, uma fugiria e a outra engravidaria. Se houvesse uma terceira tartaruga, acrescento, ela se esconderia no forro de uma mala.


aos de fé que nunca desaparecem
um abraço que se materializa
sempre que a segunda vira terça
12jun2012

147 comentários:

  1. E a segunda vira terça.
    Todos De Fé podem repousar tranquilos.

    Beejo HG!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já que falamos em Delegacias, ler as notas de rodapé tornou-se o vício mais LEGAL que eu poderia contrair. Sim, agora posso repousar tranquilo!

      Excluir
  2. Humano demais... Sem palavras! Sinto-me cada vez mais próximo!
    Sorte, cara! Da fé que sai do meu coração!

    ResponderExcluir
  3. Alem das canetas e das tartarugas, as palhetas tbem somem e reaparecem como passe de magica! Bjo e agora sim boa noite!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, as palhetas são da familia das tampas de canetas!

      Excluir
  4. a Segunda virou terça, e a ansiedade por um novo texto passou, podemos descansar tranquilos.....

    ResponderExcluir
  5. caramba, eu fiquei até cansada com a sua correria hahaha. e ri muito, muito mesmo. Sempre alegrando a noite, o dia ou a hora que for né dr. Humberto (:

    desculpe a intimidade, mas hoje a euforia está enorme!
    HAHA ainda bem que não perdeu a carteira, da um trabalho tirar documentos de novo viu.

    Beeijos

    ResponderExcluir
  6. Cara, eu arranco o chip do meu celular toda segunda pra ver isso aqui. É mágico! Vale a pena cada bit dessa conexão ultra-lenta... Preciso urgentemente de uma conexão digna até o dia 11/07!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  7. HUMBERTO FOI MUITO BOM ENCONTRAR CONTIGO NO CAMARIM EM ITAMBÉ DO MATO DENTRO, MAS SINTO QUE VOCÊ NÃO CURTIU O PRESENTE QUE DEI PARA A BANDA! ( A TELA ''CAUSAS PERDIDAS'' )
    ADOREI A NOTA DE RODAPÉ
    UM FORTE ABRAÇO!

    ResponderExcluir
  8. :D Sempre pontual. sempre surpreendendo a gente...texto incrível HG! Desatenção faz parte quando a mente está cheia!

    ResponderExcluir
  9. Como sempre, excelentes textos que nos abrem novos horizontes!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Sempre acompanho seu blog, mas essa é a primeira vez que leio na metamorfose dos dias, no fim e inicio dos mesmo. Parabéns ! São sempre pequenos, grandes textos que enriquecem meus dias e agora noites. Forte Abraço Paralelo !

    ResponderExcluir
  11. Demais as suas viagens, Humberto! Obrigado pelo texto! Sem palavras

    ResponderExcluir
  12. ahuahuua bicho tu devias escrever livro de roubadas tbm ahuhuaa...que massa...

    ResponderExcluir
  13. Eh, Betão, isso acontece com todos os mortais cansados rsrs

    ResponderExcluir
  14. Aqui em casa temos a teoria de que sempre que perdemos algo só encontraremos quando estivermos procurando a próxima coisa perdida... basicamente, só achamos a tampa da caneta depois que a caneta se perde...
    Algumas vezes o que se perde não reaparece... é o caso das tartarugas (a minha também nunca reapareceu)

    ResponderExcluir
  15. Apesar dos shows mais próximos do que de costume, não pude ir a nenhum deles, mesmo assim, houve uma conexão, pois ainda ontem, no fim da noite houve aqui em casa uma grande busca por dinheiro perdido e no fim ele estava lá bem perto de nós, o tempo todo zombando da nossa cara. :D Nunca um texto seu se encaixou tão bem com a situação atual. paz e bem.

    ResponderExcluir
  16. Eu fico impressionada como as coisas desaparecem...e reaparecem no mesmo lugar.. No meu caso, parece que o portão da outra dimensão aparece toda vez que a vida ta a 360km/h e por alguns segundos ele aparece e leva alguma coisa p dizer... Vá mais devagar!!! Minha tartaruga some no jardim, imagina uma carteira na minha bolsa! Me identifiquei com o texto! Excelente! Um abraço

    ResponderExcluir
  17. eu ja nao consigo durmir as segundas cedo antes de ler as palavras do grande mestre gessinger. ah respeito da perda de objetos e depois encontra-los ja aconteceu comigo tbm!!!!!

    ResponderExcluir
  18. Impossível descrever seus textos e a correria de tua vida!
    Te desejo muita força,paciência ...(Sei que tens de sobra).
    Que a tampa de qualquer caneta e a tartaruga já grávida reapareçam,da mesma forma que a carteira debaixo do forro de tua mala reapareceu =D
    Um abraço silencioso!

    ResponderExcluir
  19. Vc não perdeu, só não sabia onde estava. Rs

    ResponderExcluir
  20. Humberto é demais !humano demais!

    "de tudo que acontece nada me surpreende
    tudo me parece !TÃO NORMAL!"

    ResponderExcluir
  21. Já pensou si tivesse algum reporter na Delegacia e ti visse?
    E alguém d lá ti pediu autografo ?
    ...rs

    ResponderExcluir
  22. Me lembro de "Insônia" do Stephen King, quando leio estes sumiços... só que no caso, não vão para o mundo das tampas de canetas, não. hehehe

    Então, ainda resta a esperança de que meus prendedores de cabelo reapareçam, ou não. Fico na duvida, com os dois lados da moeda: Um dia chave, tampas de caneta, no outro, carteira.

    P.S: A PB sentiu falta d'ocês nesse tour pelo NE. Temos que mudar issaê. ;)

    Té.

    ResponderExcluir
  23. Sempre que a segunda-feira vira terça estou aqui pra ler esses textos magníficos.

    ResponderExcluir
  24. As minhas tampas de canetas somem, talvez, por eu nao ter o hábito de coloca-las em cima da caneta, enquanto estiver escrevendo.
    Talvez as tampas se percam pois nao devem, nunca, ser separadas da caneta.
    Mas como escrever com a tampa em cima da caneta?

    ResponderExcluir
  25. """...e eu perdi as chaves mais que cabeça a minha, agora vai ter que ser para toda vida....""""
    kkkkkkkkk é só trupé assim a vida fica mais
    leve a a gente se distrai.
    du herreira sjrp sp longe demais das capitais





    LOUCO DE SATISFAÇÃO valeu Humberto!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb sou de Rio Preto, reconheci o sotaque por causa do "trupé"...Abç

      Excluir
  26. Rio Grande do Norte - Rio Grande do Sul... BR-101

    ResponderExcluir
  27. Fiquei imaginando a cena: você entre bêbados brigando e ladrões algemados... Perder objetos é tão comum quanto perder tampas de canetas, cabeça cheia dá nisso.

    ResponderExcluir
  28. Cara, aqui tá bombando de comentários hoje, a galera tá toda por cá. Vou ler o texto de hoje, 'deve' estar bem escrito como 'todos' os outros né H.G. Quando escrevo HG me 'confundo' ('sonoramente') com HQ, quase que te colocando como um personagem de minha história em quadrinhos em preto e branco, daqueles que distante se faz presente. Tive que postar como anônimo porque não tenha nenhuma conta (risos), mas sou BrunaLA, se isso quer dizer alguma coisa. Abç à 'galerada' e ao 'moço dos cabelos compridos'.

    ResponderExcluir
  29. Humberto, sou de Natal, e lendo seu post, fiquei pensando: Ele passando por isso e eu extasiada com o show que havia presenciado...huahauahuhauhau...Muito bom o show, tudo lindo, cada nota, cada letra...profundo e muito Eu!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Humberto, também sou de Natal. No fim do show, ficou eu e mais um grupo de umas 5 pessoas na porta do teatro, esperando entrar no camarim pra bater um papo com vocês. Todos do teatro insistiram que vocês já haviam ido embora, mas nós não acreditávamos e ficamos por lá até uns 40min após o fim do show. E eu lendo o post, fiquei pensando: "eu lá na porta do teatro esperando e o Humberto procurando uma delegacia pra prestar BO" rsrsrsrsrsrs Ótimo show! Volte sempre a Natal!

      Excluir
  30. Entre RS e RN: o looping do RG :) Um grande (e sempre de fé) abraco!

    ResponderExcluir
  31. Fones de ouvido também são ótimos pra desaparecer.

    ResponderExcluir
  32. Valeu, Gessinger... sempre uma pitada de bom humor, na media, nas crônicas da trivialidade de um artista nada trivial...
    Torcendo por seu sucesso sempre...

    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  33. Caramba 1berto tu guarda a carteira bem pakas que até tu mesmo não sabe onde kkkk nem grile com isso somos todos parecidos e tão iguais ainda tento achar minhas coisas depois que arrumei o quarto kkkk na sexta atrasada não achava o dinheiro que tinha acabado de guardar e como sempre nunca na carteira...sai sem ele achei no sábado quando lembrei onde guardei rs....não se preocupe o saci não te visitou...aliás as coisas não vão pro mundo das tampas de caneta é o saci que pega e esquece de devolver...procura lá que tu acha...
    abraços
    Ligia CN

    ResponderExcluir
  34. Depois dessa 'saga da carteira perdida', te desejo um ótimo e merecido descanso. :)

    ResponderExcluir
  35. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por nos presentear com mais um belo texto. É incrível como um fato tão corriqueiro você consegue transformar em um texto tão interessante.
      Bom descanso (e bom trabalho) nessa semana!

      Excluir
  36. Vanilce Nascimento. BH12 de junho de 2012 08:56

    Olá meu querido Humberto! Puxa vida, que situaçãozinha chata vc passou heim? Sabe que a gente nem pensa que isso pode acontecer com pessoas como vc? Fico imaginando vc entrando numa delegacia em plena madrugada... Deus te livre disso de novo em qualquer outra circunstância. Essa situação, por coincidência, me remeteu ao filme que assisti nesse fim de semana "O Artista". É um filme mudo, muuuuito bacana e tudo começa com ela achando a carteira dele... Fico me imaginando achando a carteira de uma pessoa que admiro com o mais sincero sentimento de meu coração. Que bom que deu tudo certo no final, porque vc merece. Beijo grande. Vanilce Nascimento. BH

    ResponderExcluir
  37. Adorei o texto, divertido e surpreendente ... eu já estava imaginando outro final pra essa história, mais ainda bem que deu tudo certo ! ...
    boa semana , boa terça ... nos vimos ( ou não) Sexta em Caxias ...
    abraços

    ResponderExcluir
  38. Ae combatente....to dobrando os 30 e te escuto desde os 11....hj foi o primeiro dia q assisti à suas twitcam....como li em um post do Blogessinger (tb conheci apenas hj): "ciclos"!!!Então, nesta "andança da vida"....os discos da banda sempre fizeram e fazem parte da minha forma maluca d pensar no Mundo - é o q meus amigos dizem rs!
    Vim p t agradecer, não por seus numerosos e qualitativos "filhos/canções", mas pela sua forma de instigar as pessoas investirem em conhecimento.......seja ele musical, poético ou qq ramo profissional - sua "arrogante" (queria ver tua cara ao ler esse arrogante aheuheuaehuaheu) insistência em não escrever de forma simples me fez ser quem sou hj........escuto a todos e dou ponderação aos argumentos de quem os me apresenta, vlw cidadão combatente americano!!!!!!!

    ResponderExcluir
  39. sou sua fã, mas sua estranheza me deixa bastante confusa. por isso às vezes não tenho certeza se sou sua fã. mas eu e um amigo de trabalho conversando sobre vc chegamos à conclusão que adoramos engenheiros, hg, mas que vc é bem estranho.

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que é por isso que identifico tanto com os textos do HG desde os primórdios! Também já me disseram que eu sou estranha, kkkkk! Gosto muito do jeito cheio de metáfora e referências que ele escreve! Tem que estar na mesma sintonia para acompanhar o movimento que as palavras fazem. É confuso, às vezes; genial, sempre!

      Excluir
  40. Hahahaha

    Belo texto engraçado kkk legal a teoria multiverso hehe
    Humberto, tu já ouviste a teoria da conspiração sobre canetas bics ?

    http://www.teoriadaconspiracao.com.br/geral/o-misterio-da-caneta-bic/

    Divirta-se !!! hahahaha

    Abraços !

    ResponderExcluir
  41. É incrível como algumas coisas somem e aparecem misteriosamente! Realmente precisa de uma boa teoria para explicar esses fenômenos. Na dúvida encomendei um oratório do São Longuinho, o santo dos cabeça de vento, e vivo dando três pulinhos na frente dele! Com fé tudo acaba funcionando!

    ResponderExcluir
  42. Sua carteira camuflou, Humberto.

    Isso é uma ilusão de ótica...
    Às vezes a gente faz com que o curso em decurso
    Vá até o final
    Só para ter certeza
    De que voltaremos

    Coisas do dia-dia-dia

    Certa vez esqueci uma carteira novinha num ônibus
    Fazia a oitava série no Colégio de Aplicação em Goiânia
    E desde então uso pochete
    Mas não gosto, só acho prático

    Coisas do dia-a-dia

    ResponderExcluir
  43. Excelente! Texto... Putz! Ao ler senti essa sensação de tensão/aflição com essa história do da carteira, tipo quando se assiste um filme onde você sabe que o final vai ser feliz/vai ficar tudo bem, mas não tem certeza se realmente vai dar tudo certo (Como um alivio depois do suspense!). Senti esse alivio por ti quando você quando disse ter entrado a carteira...nada pior do que perder os documentos (já passei por isso e é muito chato/complicado, mesmo!) . Muito pior do que perder a grana, se não for ( claro) muitooo dinheiro...
    (Engraçado não imaginava que você tinha o costume de andar com dinheiro na carteira rsrs ) Digo nessas situações de shows ... Devido a estrutura de produção que te acompanha etc...Nunca imaginei você realmente precisando comprar algo ou até mesmo tendo disponibilidade e tempo para isso...(Ah sei lá talvez ainda trago comigo aquela imagem que tinha de ti...Aquela mesma de como te via antigamente, de quando eu era adolescente...(O Super! Humberto, quase Imortal...) ( Meio viagem né?!?...heheh mas adoro viajar nessas coisas....)
    No, mais um grande abraço e parabéns sempre, por tudo que tu es
    Ahh! pra mim que além de trabalhar num estúdio e faço trabalhos de Roadiae dormir muitas horas seguidas...é luxo... Imagino como é deve ser foda! tua rotina então...Ainda mais por ser quem é...(O Genial Humberto Guessinger....)
    Valeu! Humberto...
    *Putz! Acho que ficou meio babação o que escrevi..Ah mas fds*! O que há de errado em as vezes...Dizer o que realmente pensamos sobre nossos ídolos..., Ficar só se contendo e medido as palavras...Nem sempre é o melhor caminho...



    Kleber/iPhone

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *Corrigindo: Ter encontrado a Carteira. Escrever num Smartphone - nada simples...Outras proporções...

      Excluir
  44. Campinas? Poxa, poderia ter ficado por aqui ;)

    ResponderExcluir
  45. Entendo a correria dessa vida de artista, eu nem sou um e já vivo correndo com minha banda de garagem de um lado para o outro! estamos ansiosos para dia 25 em Goiânia irmos a livraria pegar nosso tão sonhado autógrafo! Não sei se vai dar tempo más vou levar meu primeiro CD que ganhei quando era criança (Revolta dos Dandis) pra se você autografa ele também. Ainda lembro dos meus amigos aqui em Anápolis se reunirem pra ouvir um LP dos Engenheiros, que meu irmão tinha comprado,( o papa é pop ), só ele tinha!!! e hoje depois de tantos anos não enjoamos das músicas!
    por isso parabéns e felicidades,
    até dia 25! abraços...

    ResponderExcluir
  46. Onde estão as provas?onde estão os fatos? e agora onde está a carteira tambem!!!
    Nunca perdi a carteira mas já chei uma tartaruga aqui em casa no quintal!!! será quem vei o de POA a BH?
    através da VPN ( virtual private network ).???

    ResponderExcluir
  47. Caraca isso sempre acontece comigo... Quando morava com meus pais perguntava para minha mãe e escutava ela falando procura direito, hoje faco isso e escuto minha espoca REPETINDO A MESMA FRASE...

    Abraco

    ResponderExcluir
  48. É isso mostra que somos imperfeitos e nesses momentos ficamos 'quase' loucos e quando tudo passa a primeira coisa que surge é: Mas que cabeça a minha. Não se preocupe acontece com as melhores pessoas, é uma situação desesperadora e muito confusa, mostrando que a vida está corrida, tantas coisas ao mesmo tempo, minuto, segundo... Mas quando passa se torna uma história um tanto quanto divertida. Ainda bem que passou e foi tudo solucionado.
    Beijos e vida longa...

    ResponderExcluir
  49. Esse "tapa no bolso da mochila" é meu TOC favorito, para ter certeza de que não perdi as chaves de casa.
    Os outros são, conferir se a porta do apartamento está fechada, toda vez que cuzar por ela, e o registro do gás, também.
    Tá! Eu sei que sempre estarão fechados, como deixei da última vez. Aliás, acho um saco, perder tempo e ganhar fios de cabelo branco, com essas conferências.
    Mas, faz parte da vida. E ela ensina, que é melhor prevenir do que remediar, né?

    Saudações Rubro-Negras.
    http://emersonrickenblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  50. Ja passei uma situação parecidíssima com essa. Belo texto, sempre com um humor peculiar. Abraços!

    Que a engrenagem nunca se quebre!!!

    ResponderExcluir
  51. HG, o mais incrível de tudo foi voce ter conseguido ir a 2 delegacias, fazer um B.O. e ainda consegir pegar o voo em 45 minutos. Amazing.

    Sugestão, leve o RG na sua carteira e deixe a carteira de motorista com a produção, just in case.

    Abraco,
    FC

    ResponderExcluir
  52. Oolha só!!

    O cara conhece a NAVALHA DE OCKAM.

    Simplicidade é tudo. Num universo de músicas rebuscadas, a rima mais simples é sempre a melhor. (Ou não).

    O problema do sumiço de uma carteira é culpa nossa. Perdemos uma bic e ... bom...é só uma bic, e achamos (diferente das tampas). Mas quando perdemos uma carteira, BATE O DESESPERO. Perdemos um objeto de segurança; aí é quase impossível achar.

    ResponderExcluir
  53. "Não é ciência exata, não acontece em tempo real, é demais, animal, humano demais!"
    Estou de novo aqui, terça-feira, depois da aula! Curti o texto semanal, afinal, ai sempre bateu um coração como o daqui.
    Boa semana 1berto, correria dupla pra entrar no ritmo!
    Abraços do hawaii...
    Evaldo C. Neto - SC
    @nigganeto

    ResponderExcluir
  54. se soubesse que tu estava em Londrina eu teria ido , aff, moro numa cidade mínima pertinho de londrina, santa mariana.
    vlw Humberto .

    ResponderExcluir
  55. Poooatzzz.... ja vivi várias situações parecidas. Lendo, pude sentir cada sensação! E no fim nos sentimos perfeitos otários. Quanto tempo e quanta pestana seriam economizadas com um tiquinho mais de atenção.


    Ainda bem que não sou o único do universo a passar por isso!

    Abraço, FLÁVIO

    ResponderExcluir
  56. É Humberto, quem nunca perdeu a carteira?! Fora que deu para se virar bem nesses 45 minutos, nunca que eu conseguiria.
    ótimo texto e aos de fé que nunca desaparecem um abraço que se materializa sempre que a segunda vira terça. Valeu!

    ResponderExcluir
  57. kkkkkkkkkkkkkkkk :)
    ri muito agora!!!
    Tem coisas que só você Humberto consegue imaginar, hehe!!
    xeru;*

    @niviabitu

    ResponderExcluir
  58. Isso acontece muito mesmo, nesse universo paralelo onde as coisas se escondem estão muitas das minhas palhetas, outra coisa que some muito, ouvi até dizer sobre um tal duende ladrão de palhetas..haha. Aproveitando para dar os parabéns pelo show em garça, foi sublime!!

    ResponderExcluir
  59. só um conselho, Humberto: reze pra São Longuinho gagaga

    ResponderExcluir
  60. Pô Gessinger, vc perdeu a carteira? E eu, minha esposa, minha filha Pietra (9 anos, tua fã também) e meu amigo Pablo perdemos vc no aeroporto de Recife cara. Putz, chegamos lá às 9h. Lá pras 15h que eu vi seu post, no twiter: "Embarcando pra Recife" 6:50am. Foi mesmo que perder uma carteira rsrs... Ficamos pasmos! Fomos ver a passagem de som, driblamos os caras da produção, chegando lá, nada de vc cara. Há anos nessa estrada, já temos um certo vínculo com o glorioso Alexandre Master e com o Márcio também. Eles adiantaram que não rolaria passagem de som. Mas zero bronca! O show foi mais uma vez irado. Meu ídolo estava ali e eu já estava cheio de pileque. Enfim, não deu pra ir ao aeroporto pela manhã. O Pablo foi e conseguiu tudo, foto, autógrafo e ligou pra mim: "Ei pô, kd tu meu irmão, HG acabou de passar por aqui bicho". Agora imagine esse cara, que é um pouco gago, nervoso me dizendo isso as 8h da manhã rsrs. E minha esposa? Xiiiiiiiiiiii, só não me chamou de arroz doce. "Vc bebeu demais", "Por causa de você não conseguimos nada", "Se não bebesse tanto, acordaríamos cedo e iríamos ao aeroporto". Aí meu velho, perdi a carteira e o dinheiro também. Combustível no carro e vamos para Natal. Em João Pessoa, domingo, carro quebrado, mecânicos de folga e eu "o que faço com esses números". Realmente HG, "a medida de amar é amar sem medida". Tudo valeu a pena! Vc faz parte da nossa história. Seja sempre bem vindo a Recife e lembre-se, sempre que pisar em solo recifense estaremos lá, o trio (eu, Dartiana e Pablo) ou um quarteto, incluindo Pietra, que já tirou fotos contigo, em três oportunidades. Ainda hoje ela me pergunta: "Pai, ele é de verdade mesmo?" rsrs. Valeu Humberto, até mais...

    ResponderExcluir
  61. Oi HG, nobre mestre, fazia tempo que não comentava nada, mesmo acompanhando semanalmente. Vácuo criativo nas minhas ideias, nada pra falar por um longo tempo... Coincidências, cadeia de acontecimentos, mapas do acaso... é assim na roda que não para de girar, seja lá em qual dimensão (ou seria direção?), que as coisas acontecem. Não são só os fatos, talvez seja a materialização da vontade, muitas vezes inconsciente (eca! linguagem jurídica de novo!), ou um recado do universo... um Rumpelstinken cósmico nos dizendo: "Take it easy,baby". Evite ou esqueça (à sua escolha) o Efeito Borboleta!
    Só pra variar, ótimo texto!
    Forte abraço pra ti!!!

    ResponderExcluir
  62. É cara! Já pensei exatamente isso que vc falou! Acho que as coisas se materializam novamente algumas vezes! É estranho! Espero te encontrar à noite em Içara. Abraços \@/

    ResponderExcluir
  63. Os melhores textos para se ler numa terça-feira haha

    ResponderExcluir
  64. Putz tive uma experiência parecida. Tinha recém completados 18 anos e RG era o passaporte pra sexo, cachaça e rock´roll. Misteriosamente ele desapareceu às vesperas de uma big festa, a teoria da conspiração me fez crer que minha mãe a havia escondido. Seria então um leve puxão nas rédeas. Lutei pelos ideais. Tirei a 2ª via da identidade, gastei pra isso metade da grana da festa e fui pra casa trabquilo. Tive um baita presente de 18 anos, minha pobre mãe conspiradora havia me da dado a coletânea de discos infinita highway. Após o estress da perca, no mesmo dia fui curtir o disco que pra mim era novidade - EuqnaumamoVC - já tinha escutado tantas vezes e nem me toquei que qdo recebi o sedex com a identidade em mãos e na ansia de escutar os discos, guardei o doc dentro do encarte do EuqnaumamoVC.

    ResponderExcluir
  65. FORTALEZA foi D+! Obrigada por trazer Renato Russo no táxi em piano bar... Vc proporcionou o encontro pefeito: meu único ídolo vivo com meu outro ídolo! Um bjão (que não tive coragem de dar na sessão de autógrafos, pois congelei!). PS: realmente, como vc fala no livro, voltei a ser criança nesse show!

    ResponderExcluir
  66. Qual era o nome da pobre tartaruga??
    ps: se ela ñ tinha um nome, está aí a explicação, o cachorro era mais amado e ela fugiu de ciúmes!!
    Pq Toquinha e Slash nunca me abandonaram!!

    No caso dos guarda-chuvas realmente existe um universo paralelo pra eles, pois todo mundo já perdeu algum, mas ninguém nunca acha!! Se todo mundo perde e ngm acha, pra onde eles vão??

    ResponderExcluir
  67. As poucas horas de sono do fim de semana e, o fato de ter ficado 19 horas acordada ontem, fizeram com que, às 23h30 de ontem, eu simplesmente apagasse. Se não fosse assim, certamente toda a minha bateria (biológica) teria se esgotado - acompanhando sua correria - antes mesmo de acabar a leitura do post.
    Mando um abraço com cara de pôr do sol!

    ResponderExcluir
  68. Só posso ter um pouco de Gessinger, pois, posso tranquilamente comparar a minha imaginação com a DO CARA. aiai, tão bom viajar assim!

    ResponderExcluir
  69. Vou te contar minha teoria para as coisas que desaparecem diante dos nossos olhos... temos cegueiras mentais... sou campeã nisso... percos as chaves, percos os papeis que jamais sairam da minha mesa... me parece óbvio: o cérebro para diante de tantas informações a serem digeridas...

    Aproveitando... a twitcam do "VV" foi show de bola... foi a minha primeira e eu finalmente descobri uma utilidade para o twitter... por não curtir muito essas "modernidades" estava perdendo algo que é sensacional... oportunidades únicas...

    E é sempre bom ouvir "Ando só"...

    Bjos, Anacléia

    ResponderExcluir
  70. Humberto em sua passagem por Natal foi conhecer nosso mais belo ponto turístico, a plantão zona sul. kkkkkkkkkkkkkkk

    sim, o show de Natal foi muito bom, fiquei na expectativa da sanfona, mas não rolou, fica pra próxima. valeu!!

    ResponderExcluir
  71. Hahahaha adorei!!! Ainda bem que deu td certo!
    Valeu Humberto, abç aos Defé

    ResponderExcluir
  72. Já fui para 5 shows dos Engenheiros. O primeiro foi na turnê do Várias Variáveis, quando eu tinha 12 anos. Fiquei tonto com tanto loló que derramanram na minha camisa. Não gostei do show de Natal. Humberto e Duca estavam totalmente desintonizados. Pareciam que estavam tocando por pura obrigação... Foi estranho...

    ResponderExcluir
  73. desconfiei desde o princípio..!! he he hhe.muito boa !!
    .
    uma vez num shoping lotado depois que paguei a mercadoria!! dei um berro..: "CARAIO..! CADÊ MINHA CARTEIRA !!" e com a maior calma do mundo minha esposa "na sua mão"...ops!!
    .
    faltou o fator idade nas suas desculpas ..hhe he he brincadeira..
    .
    graaaaaade abraço Se Humba..!

    ResponderExcluir
  74. Gessinger, li Pra ser Sincero, Mapas do Acaso, Nas Entrelinhas do Horizonte e me amarrei!Fico agora com as publicações aqui no blog! Sem um novo livro do Humberto, revisitei a Saraiva e o Filósofo Camus que foi o próprio Humberto Gessinger que me indicou ao citá-lo!!
    Abração e Boa Semana!
    Bruno Veloso
    Salvador-Bahia

    ResponderExcluir
  75. Certa vez fui ao mercado há muitos anos com a carteira em mãos. Na época ainda nos davam sacolinhas de plástico para carregar as compras. Voltei para casa e muito depois de chegar, talvez dias (não me lembro), me dei conta de que havia perdido a tal carteira. Não cheguei a fazer um BO porque fui até minha geladeira pegar sei lá o que e achei a carteira lá! A hipótese da mesma ter ido parar dentro da geladeira porque guardei junto com as compras do mercado está completamente descartada....Também penso nesse lance de desmaterialização. Mas o fato é que a gente sempre encontra uma coisa quando procura outra e ponto.

    ResponderExcluir
  76. hehehehe
    Fica tranquilo Gessinger, quem nunca fez uma dessas que atire a primeira pedra.... Eu muitas vezes quando saio do trabalho, chego na rua, paro e fico alguns segundos pensando, onde é que estacionei meu carro!!! Putzzz!!! ahauahauahua
    Texto deslumbrante, obrigado por compartilhar com a gente.. Abraços.

    ResponderExcluir
  77. hehehehe
    Fica tranquilo Gessinger, quem nunca fez uma dessas que atire a primeira pedra.... Eu muitas vezes quando saio do trabalho, chego na rua, paro e fico alguns segundos pensando, onde é que estacionei meu carro!!! Putzzz!!! ahauahauahua
    Texto deslumbrante, obrigado por compartilhar com a gente.. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahaha também faço isso (quase sempre), quase nunca sei onde estacionei. Desculpa aí a invasão, mas não resisti...negócio de identificação...rs

      Excluir
  78. Caralhoooo... as vezes esqueço que o humberto é humano,
    tem carteiras, pega aviões, tem tatuagens...

    tatuagens????

    FALA DELAS AE HUMBERTO... POW!

    ResponderExcluir
  79. Só procura saber se teus documentos ainda valem, vai ser estranho algum kra conferir e dizer que são roubados. Agagê indo em kna se fazendo passar por Humberto Gessinger.....

    ResponderExcluir
  80. Então... acabei de ler o texto e fiquei pensando que, apesar do texto quase cinematográfico (sim, quase dá pra acompanhar a cena toda, graças ao seu poder de observação, mesmo em momentos atípicos), a correria e o desespero devem ter sido bem mais alucinantes que a velocidade das palavras pode transmitir. Ufa! Bom mesmo que tudo acabou bem. Você decolou Natal-Campinas-Porto Alegre. Em casa só alegria e ela lá, quietinha, dando risadinhas como uma criança que se esconde e acompanha o desespero da busca por ela...rs

    Boa semana, bom descanso e um final de semana mais tranquilo na próxima viagem ;-)

    Abraço!

    ResponderExcluir
  81. Ao ler o texto, fiquei imaginando toda essa rotina agitada, longe da família, cheia de compromissos e de "pontos cegos" nos momentos mais críticos... e cheguei a conclusão que somente alguém que respeite seus admiradores e ame sua arte-ofício é capaz de realizar tal maratona e após algumas horas de descanso elaborar um texto tão bacana. Fico imaginando tb vc, Gessinger, durante o voo pensando, além dos documentos, no que escreveria... ou acordando preocupado com sua próxima tarefa...

    Obrigada por ótimos presentes aos seus "De fé"... e descanse mais um pouquinho! rs

    Abço

    Obs.: Ultimamente não esqueço mais as chaves, os docs ou o celular... até o guarda-chuva não me abandona. Existe uma energia que nos une: A lembrança da fala do meu pai... já pegou a carteira, documento, chaves, celular... ahsuahsuahs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E seu pai... ainda vive nesse plano? o meu vive e ontem mesmo me disse: "não tá esquecendo nada não? tá tudo na pochete?"

      pensemos no silêncio

      Excluir
    2. Vive... mas eu não vivo mais com ele. E qdo a lembrança se torna abraço, ele questiona as mesmas coisas! rs

      Excluir
  82. Coisas assim são chatas.. ainda mais quando se tem um voô a pegar ! tenho a sindrome do telefone . Sempre penso que esqueci em algum lugar , até já aconteceu de estar na minha mão e eu procurando .. WHAUWHAUWH

    Gostei do que disse a respeito da cadeia de acontecimentos ...
    Realmente .. são pequenos fragmentos ... até chegar ao caos ...
    RSRSR . grande abraço ... Aqui quando a terça virou quarta ! ...

    ResponderExcluir
  83. Mapas e bússola, sorte e acaso. Quem sabe ? Do que depende?
    Abraços HG e aos de fé.

    ResponderExcluir
  84. Olá Mr Gessinger...

    O que pensar?
    O que dizer dessas dimensões paralelas que adentramos por instantes sem saber que as adentramos? Que atravessamos um desses sutis véus que o universo odalisca, chacoalha sem na maioria das vezes, nos darmos conta.
    Isso acontece comigo direto, principalmente com chaves.
    Com os namorados também (mais aqui é picuinha descarada da física quântica, átomos se desintegrando cedo demais)
    Com a pressa de um fôlego...

    E eu aqui, estrangeira da velocidade desse mundo, passeando (i)mortal por todos esses véus, com a familiaridade de quem sabe o quanto tudo é possível.

    Saiba que pode ter sido um processo de desaceleração de partículas da tua carteira, pela tua não mais inanimada mochila à bancar o David Copperfield com uma pitada de sorriso Einstein... Mas, também sei do que é capaz essa suposta mão invisível de dimensões interligadas a surrupiar objetos bem diante de nossos desacostumados (e depois aturdidos) olhos...

    But...
    Melhoras para tua primeira gripe do ano.
    Muito chá e aspirinas.
    Vitamina C.
    Repouso, já que gripe sempre pede ao corpo essa parada, essa respirada (entupida e humanamente escorrida não é)

    Meu abraço tridimensional.

    :)

    Uma sugestão: Bem que tu podias rechear esse teu espaço Gessinger, com uma atmosfera musical.

    Fica a dica ;)

    Uma ótima semana para ti :)

    ResponderExcluir
  85. Bom dia!
    Consegui visualizar cada cena descrita como se eu tbm estivesse lá! rs
    Eu admiro muito seu trabalho,cresci ouvindo suas músicas.
    Elas me deram inspiração para escrever um livro o qual será lançado no dia 22/06/2012 ás 20hs na livraria leitura no BH shopping em Belo Horizonte.
    Eu escrevi um romance em que a música não apenas é parte da historia mas é um dos personagens principais. Ele já está disponivel no site www.biblioteca24horas.com
    Me sentiria mais do que honrada com a sua presença no lançamento!
    Obrigada pela atenção!
    Daiane Duarte

    ResponderExcluir
  86. |Bela apresentação em Içara na feira do livro. Parabéns.

    Só a palhinha poderia ter sido um pouco maior.

    ResponderExcluir
  87. ahahaha
    Humberto, ainda há uma tese mística: podem ter sido os duendes que esconderam sua carteira no forro da mala. Esses pequenininhos adoram pregar peças! rs

    Bjs

    ResponderExcluir
  88. E eu que detestava segunda -feira, na espera de ler mais um texto aqui....até esqueço que o dia de segunda já passou...bjo

    ResponderExcluir
  89. Humberto Humberto hoje aconteceu uma vacilada daquelas comigo. seu texto veio em boa hora!
    super beijo da fã de fé,
    Lau

    ResponderExcluir
  90. A explicação é tão simples... A carteira não teve culpa nenhuma. A culpa foi sua, por colocar palhetas na carteira (também preciso arranjar outro canto pra colocar as minhas). É lógico. Depois das canetas, e até antes das tartarugas, as palhetas são os seres que mais desaparecem sem explicação, mesmo se você estiver segurando-as como se agarra à vida. Então, estes seres maléficos estão conseguindo novos poderes, podendo até transportar outras objetos que a tocam. Cuidado, senhor 1ba. Além de poder perder a carteira outra vez, você mesmo pode acabar se teleportando de volta ao RN, ou chegar aqui em Fortaleza. Tudo graças aos poderes incompreendidos das palhetas. Pode inclusive não ter mais a sorte que teve desta vez, chegando ao extremo de se perder a si mesmo, e nunca se encontrar de novo.



    (É. As vezes eu penso que fã de Engenheiros do Hawaii são todos doidos. Mas nesses momentos eu vejo que não é assim. É o mundo que é doido....E por falar em fã doido, já ouviu o novo CD do Rush? Está interessante. Bem que você poderia se inspirar e voltar a pensar em guitarras, baixo, bateria, trio, mas ainda com cordas, violões e engrenagens.)

    ResponderExcluir
  91. Humberto, já leu sobre a teoria de Schroedinger? Sua carteira não existia até o momento de você abrir o "compartimento sagrado" da mala...

    Abraços,

    André Oakes

    ResponderExcluir
  92. De todo o texto, a parte que me saltou aos olhos foi a chegada em casa: beijos,abraços, enfim...família. A base que não muda (E não deveria). O resto: carteiras, vôos, bêbados, a gente vai tirando de letra..

    ResponderExcluir
  93. Legal! Enfim, alguém sacou esse lance dos 'Rios Grandes' - sempre quis cometar isso e nunca tive a oportunidade - Vejo os 'Rios Grandes' como dois Mundos, assim como, o Superman, que tem um outro 'Superman' só que bizarro.. de uma Terra bizarra.. que pratica o contrário do daqui da Terra.. que já se encontra bizarra tamanha devastação de pessoas boas e florestas mágicas.. Por tempo, é só! - Charles Adilson (de um Rio Grande - no Norte - para um Rio Grande - no Sul)

    ResponderExcluir
  94. Canetas, resto de pacote de biscoito, moedas de cinco centavos, brincos pequenos, chaves, carteiras, etc. todos habitam o mesmo limbo numa espécie de vai-e-vem, às vezes não voltam mais e são trocados por outro objeto igual, fazem revezamento, mudam de dono. Dizem até que formaram uma sociedade, coisa orwelliana.

    *De quem terá sido aquela metade de pacote de passatempo que achei no armário ontem?

    *Soube agora, ou seja, já é notícia velha, que deram a sociedade o nome "TOC".

    Beijos, HG.

    ResponderExcluir
  95. Realizei um dos meus maiores desejos,que era ir ha um show seu. Te ver pessoalmente,mesmo que longe...
    aquela sensação que senti ao te ver entrar no palco eu nunca vou esquecer. O sangue corria quente nas minhas veias,meu coração batia a mil,e quando menos esperei as lagrimas começaram a cair de felicidade e emoção. Ainda tentei te ver no camarim,mas falaram que você nessa noite não receberia os fãs,pois pegaria um voo logo em seguida do show. Fiquei triste com a noticia,mas me contentei com o fato de te ver de longe. Aguardo com ansiedade a sua volta a Natal. E te agradeço por não ser somente um ídolo,e sim uma máquina de inteligencia. Me orgulho de mim mesma por ter um bom gosto musical e gostar de Engenheiros e Pouca Vogal. E sim tem alguma coisa que ainda me emociona: ver o Humberto Gessinger cantando ao vivo.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Com certeza Humberto Gessinger, seja na Pouca Vogal ou na Engenheiros do Hawaii, consegue emocionar muita gente. Por isso que admiro esse artista e adoro ouvir suas músicas. Prefiro ouvi-las que assistir qualquer filme. Afinal, é muito mais difícil emocionar alguém sentado numa sala escura com uma tela enorme na sua frente passando imagens tristes. Bem mais fácil assim. Savaaaaaaana... masi sucesso pra você Gessinger. Abraço forte Savana.

      Excluir
  96. Ri de sua carteira rindo de vc! Safadinha! rs...

    Alguns devotos te indicariam São Longuinho para um próximo caso como este, outros diriam que foi algum gnomo pregando peça, mas vamos ficar com o mais simples e real, vc estava cansado de seu longo fim de semana. O lado bom(talvez)seja humanizar. Pra muitos foi bom saber que vc tbm perde a carteira, que a tartaruga foge, que vc foi a uma delegacia e viu o que muitos vê fora dela quase todos os dias, etc.. Isto é o Brasil e seus brasileiros. E alguma lição do fato deve ter sido aprendida, se o acaso nos encontrar mais uma vez já sei o presente que te darei, um sinalizador sonoro, dai um simples assobio e pipipipipi... estará lá o que procuras. rs...

    Abraço.

    ResponderExcluir
  97. 1bertoooo, so para constar, minha tartaruga, Brigida, tbm fugiu e sumiu. hhehe abraços

    ResponderExcluir
  98. Caralho...Humberto sem criatividade pra postar no blog desta semana,e fica um monte de puxa saco baba ovo comentando coisa tipo,"legal incrível e blablabla".
    Vocês devem ter imagem de Humberto no quarto e fazem pedidos de oração à ele...francamente...

    (Hnp)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aposto que você deve ser ou um pagodeiro,um funkeiro,ou coisa pior né?! Baba ovo sem bom gosto ;)

      Excluir
    2. kkkkkk Ótima insinuação: "Vocês devem ter imagem de Humberto no quarto e fazem pedidos de oração à ele..." Realmente Humberto já postou textos que chamaram-me mais atenção. Mas, este é um blog feito para fãs e pessoas que gostam e admiram o trabalho do Humberto e querem acompanhar esse trabalho. Com certeza Humberto sabe como ser criticado. Com certeza sabe! O problema é que alguns de seus fãs não aceitam esse tipo de crítica. Por isso que chamam-se fãs. Esses protegem e o defendem acima de muitas coisas. Outra coisa: pense muito antes de, digamos, "libertar uma ideia". Por exemplo, eu não pensei muito e acabei comentando isso. Enfim, também não vamos comparar estilos de músicas com tanta levianidade. Procurem saber os diversos significados das palavras, depois falem.

      Excluir
    3. Caras, isso é o stigma dos Engenheiros, há anos sempre que saia um disco novo dos Engenheiros era sempre a mesma coisa, vendiam sei lá, uns 300mil e lembro do Humberto no Faustão falando que Engenheiros era isso, ame-os, odei-os. O maluco deve tá carente e queria ouvir uma coisa mais intensa do Humberto... se decepcionou...

      Excluir
  99. Gessinger, influenciando gerações... http://www.youtube.com/watch?v=qFm1rFtfm3I

    ResponderExcluir
  100. Ééééé....idade é uma coisa séria....

    ResponderExcluir
  101. Puxa fiquei aflita... o que o cansaço não faz!!! Sorte q terminou tudo bem.

    ResponderExcluir
  102. ainda ..continuo....
    o show de recife deixou a desejar..duas horas de atraso e uma hora de show....ta devendo Hg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Da próxima vez fica em casa vendo novela.

      Excluir
  103. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  104. Apesar da demora que teve em Lorena, foi maravilhoso te ver depois dos 8 anos que se passaram sem você aparecer pelo Vale!! Queria ter tirado foto, sorte que não trabalhei no domingo, porque havia concurso, deu pra dormir um pouco. Duka tem riso de menino!! Foi uma honra revê-lo sem nos encontrarmos!!! =DDD
    Espero que volte logo, faltou "eu que não amo vocÊ"!!!

    ResponderExcluir
  105. Cara, ultimamente as malas estão envolvidas em esconder tantas coisas que tenho medo !!..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então não use mala,compre uma pochete.

      Excluir
  106. poxa 1berto...

    meu palmeiras ganhou do seu grêmio...

    fui jogado em um paradoxo enquanto comemorava o primeiro gol do palmeiras...

    pensei comigo: humbertão deve tá puto da vida!

    mas decidi gritar gol assim mesmo...

    o sangue italiano falou mais alto...

    ops!

    :)

    um abraço


    ps: foi muuuuuuuuuuuuuuuito legal vc aqui em maringá... toda as mesmas figurinhas de sempre dizem: Muito obrigado e por favor, volte sempre!

    ah... dia 07/07 vou pra curitiba te assistir...

    com essa data cabalistica... não da pra perder!



    abração!
    obrigado por tudo!

    ResponderExcluir
  107. Humberto, sou de Juiz de Fora e vc estará aqui no dia 16/06.
    Queria muito q vc autografasse o livro "Nas entrelinhas do horizonte" para mim.
    Como posso fazer pra chegar até vc?

    ResponderExcluir
  108. Comprando o ingresso para o Show!!

    ResponderExcluir
  109. És simplesmente Humano, um Lindo e Especial Ser Humano!!! Um abraço desta fã !

    ResponderExcluir
  110. Recebi o livro "Nas entrelinhas" e quis lhe dizer que voltei a ser criança ao ler as primeiras páginas e espero que dessa vez seja por um longo tempo! Ao menos enquanto não encontro a última página. Textos ótimos, material gráfico incrível. Valeu, você, Humberto!

    ResponderExcluir
  111. Humberto faz temo que vc não visita nossa cidade de São José do Rio Preto - SP. Não se esqueça que aqui também tem um montão de fãs ... rss

    Bjos! :)

    Ps: Lindo texto, digno de HG. :D

    ResponderExcluir
  112. Porra Gessinger , sou de São Paulo ( capital ) , assisti o pouca vogal em agosto do ano passado , o show foi maravilhoso , tão bom que esse ano fui até nitéroi só para assistir o pouca vogal no bar do meio piratininga ( nunca tinha ido ao Rio de Janeiro ) , quando vi na agenda que vocês vão se apresentar em Tambaú deu a amaior vontade de ir, porém por causa do trabalho não dá .
    Então vem pra São Paulo ( capital)de novo !!! Só mais um vai !

    ResponderExcluir
  113. Cara!!! a Mochila do futuro, só pode ser!!!!

    ResponderExcluir
  114. AMEI AMEI AMEI AMEI AMEEEEEEEEEEEEEEEEEEEIIII!!!!! :)

    ResponderExcluir
  115. Acabei de ler o post dessa semana aos 47 do segundo tempo...e que história. Mistérios das tampas de caneta, tartarugas e agora carteiras.
    Um amigo meu perdeu certa vez a sua carteira com documentos e dinheiro numa praia do Espírito Santo. Eu estava com ele, fizemos o BO e 2 horas depois, um amigo dele de nossa cidade que, coincidentemente, também estava nessa mesma praia disse que havia encontrado a carteira. Até hoje não compreendo tamanha sorte. Apesar que dizem que o Espírito Santo é o litoral de Minas Gerais, normal achar conterrâneos por lá :)

    Abraço Gessinger!

    ResponderExcluir
  116. 1berto,
    Fui a um show seu com o Pouca Vogal em Garça-SP!
    Foi muito bom! estão realmente de parabéns.
    Como você está simpático, e isso é muito legal de se ver.
    Sou fã do seu trabalho desde os 6 anos de idade. Quando o Brasil ganhou a Copa de 94, estava assistindo o jogo com um engenheiros rolando no fundo!
    Convenhamos, um som bem melhor que Galvão Bueno e Pelé se esguelando!
    Valeu por compartilhar seus pensamentos conosco aqui no blog!
    Um abraçO!

    ResponderExcluir
  117. Quanto a perca das coisas...
    Acho que elas estavam tão longe que você não podia ver, e tão perto que não podia tocar!

    ResponderExcluir
  118. 1berto, participei do lançamento de 'Nas Entrelinhas do Horizonte' em Londrina. Parabéns pelas idéias e contos expressos no livro.

    ResponderExcluir
  119. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir