OS PINGOS NOS ii - 46


Se existisse o Evangelho Segundo Meu Comentarista Esportivo Favorito, lá estaria escrito que técnico bom é aquele que sabe por que ganha e sabe por que perde. Parece simples... mas não é.

Obter os dados é só o início. Nos nossos dias, é mais difícil ler corretamente as informações do que obtê-las. O melhor exemplo disso é aquela piada sobre pesquisa médica: “segundo as estatísticas, doenças do pulmão aumentam o consumo de cigarro”. Uma caricata confusão entre causa e consequência. Mais comum do que se possa imaginar.

{ Às pessoas que me pedem letras pensando que fiz sucesso por causa delas, eu gostaria de dizer que talvez eu tenha feito sucesso apesar delas. Aos que me pedem melodias achando que fiz sucesso por causa delas, gostaria de dizer que talvez eu tenha feito sucesso apesar delas. Aos que me pedem para tocar/cantar/escrever... mesma coisa. Se, impacientes, me perguntassem, afinal, por que fiz sucesso, eu diria que talvez eu não tenha feito. }

Talvez causa e consequência estejam, permanentemente, dançando como um casal apaixonado, girando, girando, rodopiando pelo saloon. Se um pistoleiro entrasse chutando a porta e desse um tiro numa, mataria as duas.  

Ok, vamos adiante. Já tens os dados e tens certeza de que não confundirás causas e consequências? Sinto dizer que isto pode não significar nada. A mão trêmula do acaso pode erguer a peça que dará xeque-mate nas nossas pretensões de entender os porquês. Como um elástico esticado mais do que aguenta, a linha que liga causa e consequência pode se romper. É o que acontece, às vezes: ficamos órfãos de explicação para muita coisa que, simplesmente... acontece. 


Talvez causa e consequência não dancem a mesma música, nem caibam no mesmo saloon.

E não adianta forçarmos a barra para adaptar a realidade às nossas teses, como quem quer encher uma mala com mais roupa do que cabe. Algumas malas ainda são generosas, se deformam, vão aceitando, até explodir o zíper. Uma hora explode (os copos são mais diretos: só aceitam uma quantidade exata de líquido, nenhuma gota a mais).

A elegância de uma explicação não garante sua eficácia.


A necessidade de uma explicação não garante sua existência.

{ Na saída das aulas do curso pré-vestibular, eu passava por uma calçada onde caía uma lenta chuva de ar condicionado. Pingos esparsos que, vez por outra,  caiam na cabeça dos pedestres. Eram tempos anteriores à legislação que, agora, exige uma mangueira no aparelho. 

Na ânsia de saber se meu futuro estaria na Escola de Arquitetura ou se levaria bomba no vestibular, um dia eu bolei um mix de pesquisa e passe de mágica (uma mistura de bola de cristal e simpatia): se eu fosse atingido por um único pingo no trajeto, eu passaria no vestibular. 

Apesar do tráfego intenso de pedestres, não era difícil seguir em linha reta e velocidade constante (na pesquisa/simpatia era proibido olhar pra cima para não quebrar a aleatoriedade). Andei os primeiros passos e... nada. Passei da metade e... parecia estar em meio à seca do nordeste, deixando o Cariri no último pau de arara: nenhuma gota! Eu já me imaginava rodando no vestibular, decidindo o que fazer da vida. Meu corpo ainda esperava uma gota, mas minha mente já estava sofrendo meses à frente. 


Melancólico, eu andava olhando para o chão. Pela mudança do tipo de piso à frente senti que estava andando os últimos metros. As probabilidades estavam contra mim. Vinda do que talvez fosse o último aparelho de ar condicionado do prédio, uma gota atingiu minha cabeça. Eu fora batizado! Alguns meses depois, passei no vestibular.

Parece um final feliz, mas preciso fazer uma confissão para os que ainda não sabem que sou canalha: naqueles últimos passos, aproveitando que uma senhora  atravessou o meu caminho, dei uma imperceptível pedalada e retardei o fim do percurso em uma fração de segundos. É bem provável que só por isso o pingo do ar condicionado me atingiu, passei no vestibular para Arquitetura, onde montei uma banda, casei com uma colega, tive uma filha que tem um cachorro, escrevo neste blog. Pronto, agora vocês sabem: sou uma farsa. }

Bah 1: pra quem quer saber porque ganha e porque perde, esqueci de mencionar mais uma dificuldade: ao contrário dos esportes, na vida nem sempre é fácil distinguir as vitória das derrotas.

Bah 2: saber por que, porque e porquê é difícil também na escrita. Vivo separando erroneamente, juntando quando não deveria. Também costumo acentuar mesmo sabendo que acento não há, como quem diz : no creo en brujas, pero que las hay, las hay.


Bah 3: Muitos de vocês devem conhecer alguém que se acha muito azarado, que sempre está a um passo de estourar, arrasar, chegar lá, mas... nunca consegue. É um tipo comum, eu mesmo conheço alguns. Olhando de perto se descobre que, na real, são pessoas com muita sorte que, incrivelmente, chegaram tão longe! 


Castilhos, goleiro do Fluminense nos anos 50, era considerado muito sortudo. Perguntado a respeito das inúmeras bolas que batiam na trave, ele respondia que, na verdade, era muito azarado, pois a bola podia ir em infinitas direções e batia justo nos poucos centímetros da trave! 


Bah do bah anterior: Nao me tome por obscurantista, nao creio em sorte ou azar, pero...

Bah final: tenho escrito sobre shows, discos e livros. Já estava com saudade de um post assim, com devaneios inúteis.

A todos, um abraço inútil. Inútil, pero...
24abr2012 

110 comentários:

  1. Gostei do post de hoje HG, mais que os outros, por teres viajado um pouco e saído fora do 'padrão'. É claro que, por acaso as coisas acontecem ou talvez não, nossa vida é mesmo cheia de circunstâncias que podem definir nosso destino ou apenas nos fazer seguir rumo a um caminho já estabelecido. Cheguei cedo hoje, na hora certa. Vlw Humberto por mais um texto! Boa semana a todos os De Fé! ;D

    ResponderExcluir
  2. Um post pra cortar a noite em duas hein? Haha, e eu sou dessas que me considero azarada e meio. Bem, dizem por aí que para toda ação existe uma reação - causa e consequência. Mas sinceramente, tem horas que a gente para e diz que não quer saber porque (por que/porquê?), só quer que aconteça, não sei se é pedir demais.

    Inútil? Nunca é hehe.
    Boa noite Humberto (:

    ResponderExcluir
  3. Sensacional! Sem sombra de dúvidas. Sorte e acaso. Quem sabe? Do q depende?

    ResponderExcluir
  4. Devaneios não podem ser inúteis se eles nos fazem repensar, refletir sobre nossas causas e consequências.
    Também fiz mix de simpatias para o vestibular, nunca davam certo e olha que passei bem tranquilamente, haha.

    Causas e consequências!
    Adorei os Bah. (:

    ResponderExcluir
  5. Devaneios inúteis? Quem nos dera! Enquanto isso eu me jogo na poesia http://cafepoesiaeideias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. De inutil esses devaneios não tem nada meu caro 1berto, se botar uma pessoa pra pensar, essa pessoa ja é muita gente!

    abraços... Inuteis, mas de coração.

    ResponderExcluir
  7. Desvaneios... Meus,seus,nossos e de Deus...

    ResponderExcluir
  8. HAHÁÁ...Nossa...querendo ou não tbm tava cou saudades de textos assim...HUMBERTO GESSINGER UMA FARSA?????? NUNCAAAAAAA...NEM AQUI NEM NA CHINA...
    Como sempre...ótimo texto Humberto, parabéns..
    ps: Estou aguardando ansiosamente pelo Nas Entrelinhas do Horizonte!!!
    BJÃO E ABRAÇOS!!! ;)

    ResponderExcluir
  9. Desvaneios... Meus,seus,nossos e de Deus...

    ResponderExcluir
  10. Saudades dos "devaneios inúteis" também senhor Gessinger ;)

    ResponderExcluir
  11. Fé cega e pé atrás

    ResponderExcluir
  12. SE ISSO FOR INÚTIL EU SOU MAIS AINDA PORQUE GOSTEI PRA CARAMBA.

    ResponderExcluir
  13. Humberto muito humano demais! Coisa inúteis que tomam dimensões pra toda a vida.

    ResponderExcluir
  14. Aiai... suspirando aqui!!
    Este post me fez incrivelmente feliz e você se tornou, para mim, incrivelmente mais humano (como se não fosse né?)
    Buscava incansávelmente uma resposta nesses últimos tempo... mas como disse/escreveu "A necessidade de uma explicação não garante sua existência"... e como minha vó dizia "procurando pêlo em ovo"... talvez não haja respostas né?

    Obrigada Gessinger...
    que esse abraço seja de longe, 'pero' com muito carinho!
    te amo

    ResponderExcluir
  15. ...pero, necessário!

    ResponderExcluir
  16. cada post q eu leio o humberto me surprende mais....

    ResponderExcluir
  17. Já pensei que o Humberto fosse um ser surreal, pero...
    rsrs

    Ansioso pelo livro...
    Ansioso pela twitcam...
    Ansioso pela hora exata e o lugar certo!

    ResponderExcluir
  18. Se tu, Humberto, fores uma farsa, então haveríamos de perder a noção do que é de fato real, verdadeiro...estou ansioso pelo Nas Entrelinhas do Horizonte, e claro, por um show do PV aqui em Santa Cruz do Sul, talvez na UNISC, já que o do ano passado não rolou...

    ResponderExcluir
  19. Sorte, azar, consequências. Vai saber. Essas leis faziam minha cabeça quando era mais novo. Durante muitos anos carreguei comigo uma peculiar pedrinha que havia achado em um campo de futebol. Ela parecia uma botinha, feito os limites geográficos italianos. Sempre quando o São Paulo F. C. ia jogar, eu a segurava junto ao símbolo do meu querido tricolor. Sempre dava certo. Até que em uma certa semi-final de campeonato paulista, perdemos de goleada para o Corinthians. A pedra foi jogada fora. Sempre fui um temperamental...

    Por sorte, coincidência ou acaso, li um conto autobiográfico da autoria do excelente narrador Sérgio Sant'Anna hoje, intitulado "Invocações", pertencente ao livro "O voo da madrugada", em que o goleiro Castilho é citado como um grande ídolo da infância do escritor. Ele conta sobre um lendário e peculiar duelo entre o arqueiro e Didi, em que o meia tentava de todas as formas vencê-lo com sua "folha seca", mas parava não na trave, mas sim nas mãos do goleiro.

    Devaneios são sempre bons se usados com moderação.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  21. Geralmente, quando vou trabalhar com alguma camisa dos Engenheiros, ouço o comentário.

    - " Eles ainda existem? Nem fazem mais sucesso."

    Mas, o que seria sucesso, para essas pessoas ? Estar no Faustão, aos domingos? Ou ter uma agenda constante, mas não tão divulgada nos veículos de massa, e com um público fiel ?

    Já existem tantos exemplos de sucesso efêmero. Ondas passageiras. Ainda, existem bandas/artistas, que buscam esse atalho?

    Cara, sou muito supersticioso. Gosto de assistir aos jogos na TV, com volume baixo e ouvindo a transmissão pelo rádio.
    Gosto de um locutor, mas toda vez que, sintonizava na emissora dele, meu time leva um gol. Então, parei de ouvi-lo. Chega de contribuir contra o meu clube. Não adiantou muito, meu clube continuava levando gols. Percebi (há tempo), que o culpado era o meu zagueiro e não o narrador ! rsrsrsrsrs


    ps: Bola na trave, é bola mal chutada. =)


    Saudações Rubro-Negras.

    ResponderExcluir
  22. Leio esse post em mais uma madrugada de estudos para a semana de provas que eu enfrento esses dias. Vez ou outra faço intervalos para resetar meu raciocínio. Escuto músicas, vou para a janela, assalto a geladeira. Hoje tenho uma opção a mais: ler o blog.
    Também entrei na faculdade por uma razão que tem relação com o acaso. Iria me inscrever para concorrer a uma vaga em Engenharia de Produção, mas minha nota não foi alta o suficiente e me inscrevi em Engenharia de Mobilidade, curso que é menos concorrido aqui na Universidade e que eu tinha pouco conhecimento do que se tratava. Hoje vejo o quão bom foi tirar uma nota mais baixa no Enem. Esse é o curso que eu procurava, é muito mais a minha cara! Então surgem as perguntas: e se minha nota fosse alta o suficiente para entrar no curso de Produção? Eu estaria tão satisfeito quanto estou no curso de Mobilidade? São coisas que acontecem em nossas vidas por acaso, mas que eu acredito que encontrarão um motivo, uma razão para existirem. Não acredito em destino, aquele que muito se fala por aí, de que sua vida está traçada. Acredito que o destino está em constante evolução, sempre se modificando e se adaptando aos fatos do cotidiano. É como se fosse em tempo real, ele também não sabe o que está por vir. Gosto de levar a vida assim. O caminho a gente faz andando, diz a canção Plano B. Coisas simplesmente acontecem e encontrão seu significado mais na frente, é questão de tempo, um dia faz sentido, eu acredito.

    Também estava com saudade de um post como esse, é um bom papo para meu intervalo de estudos. Ao som dos grilos das madrugadas, voltarei aos meus livros rsrs.
    Abraço Gessinger!

    ResponderExcluir
  23. Post bem legal. Gostei do "Mix de Pesquisa". É interessante como nós nos pegamos às vezes a esse estranho sentido de querer apostar na sorte pequenos detalhes íntimos das nossas vidas.

    Abraço Inútil.

    ResponderExcluir
  24. Fico imaginando... De onde vem tantas idéias tanta genialidade . Parece que você fica 24hs pensando fabricando/elaborando idéias . Muito sono amanha continuo rs

    ResponderExcluir
  25. "na vida nem sempre é fácil distinguir as vitória das derrotas"

    Essa é uma grande verdade agora refleti nela e isso é a parte mais difícil da vida..

    bah eu sou umas dessas pessoas que se acha super azarada pois não me lembro de ter ganho nada fácil de mão beijada pois minto talvez seja sortuda pois passei por situações difíceis desde o 1 dia de vida e não sei como nem porque estou aqui beirando meus 30 quando o médico dizia não sei se ela vai viver no 1 dia de vida e depois mais uma na adolescência e mais 1 a 5 anos atrás é se é sorte ou obra divina não sei só sei que to aqui com uma única sequela um zumbindo constante na cabeça e caramba ainda saltei de paraquedas tendo cinetose rsrs é talvez eu queira demais e perceba de menos vai saber mas seu textos me ganham a semana e assim continuo com meus devaneios inúteis...

    E toda semana tu me explica sobre eu mesma e faz sorrir e sonhar...

    obrigada por teus devaneios tu põe pingos nos iis e me ajuda a compreender o mundo!!!

    boa noite!!!

    Ligia CN

    ResponderExcluir
  26. Poxa, me veio á mente a época do pré-vestibular e de quando fazia essas promessas (eu as chamava de promessas (até hoje chamo))... me lembro muito, na época de adolescência, quando ficava esperando qual carro ia entrar na minha rua... aquele seria o meu primeiro carro (se todas tivessem se cumprido, teria uns 20 carros antes de completar 15 anos de idade)...

    Lembro também de algumas brincadeiras pra saber o nome da futura esposa, quantos filhos iria ter, onde ia morar...

    Justamente nessa época, aos 14 anos de idade, morando no interior do Ceará, implorei (sem sucesso) aos meus pais para que me deixassem ir ao show EngHaw na Unifor, em 1999, sem nem imaginar que um dia estaria colando grau como Bacharel em Direito naquela mesma universidade...

    De lá pra cá, muita coisa rolou, várias "promessas" se cumpriram, outras não... vários eternos amores se foram... Hoje, talvez um pouco mais maduro, a fé EngHaw continua a mesma...

    Hoje, moro em São Luís - MA... tava bem na grade no show do dia 30/03... só não consegui o autógrafo nos livros...

    Valew!!!

    ResponderExcluir
  27. Brincar de aleatoriedade é lindo, como não sei por onde falar e sei que tu lê os posts daqui vou comentar, está sendo feito um documentário sobre o Albert Camus que será lançado ano que vem, o pessoal pede que quem foi influenciado por ele de algum modo comente e tal, como tu tem um disco influenciado acho que seria legal sua participação, seguem as informações:

    *
    -A documentary film about Camus readers around the world is being prepared: "Living with Camus". It will be broadcasted in 2013 to mark the 100th anniversary of his birth.

    -It will consist of interviews and short reports of passionate Camus readers whose life somehow reflects Camus' influence.

    If you have precise suggestions or feel motivated and agree to be interviewed, please email profile and details to: moulbrej@club-internet.fr

    ResponderExcluir
  28. Esse post, se torna quase uma profecia quando lido por um botafoguense de corpo e alma, inegavelmente nunca mais passarei perto de um prédio que tenha ar condicionado da mesma forma que antes.

    Abraços Douglas Pereira!

    ResponderExcluir
  29. Tudo é relativo. O nada está no tudo, e tudo é 'assim'.
    Depende donde tu estejas, esperando uma gota d'água cair do céu. "A vida é uma (constante ou inconstande) espera do nada"* .O bacana de teus textos é essa singularidade, a viagem...
    Esperando o novo livro. =D

    (*Não tenho certeza se essa é a frase do 1berto. Se não, vocês a conhecem).

    Boa Semana a todos.

    ResponderExcluir
  30. Gostei demais desse post ! Me fez pensar em tantas coisas que se passam despercebidas..
    Causa e Consequência ! Ação e Reação.. Como se fosse uma lei, ao meu ver..

    E quanto ao azar, infelizmente está me perseguindo pois espero uma apresentação sua aqui em São Paulo há algum tempo, toda vez que eu olho a agenda e leio o nome desses outros estados me vem a cabeça : Que azar !

    Deixa eu voltar para os estudos, pois a engenharia faz a minha rotina.

    Um grande abraço Humberto Gessinger

    ResponderExcluir
  31. fraude sao os motivos, existencias...não as pessoas!!! vc é incrivel como sempre! aquele abraço..fez falta a foto que o torna mais proximo!

    ResponderExcluir
  32. Nossa definitivamnete tenho medo do que você escreve. É como se meus pensamentos fossem abstraidos e viajassem daqui de onde as paralelas se cruzam e tudo em tempo real, com a mesma intensidade de sentimentos.
    A cada terça parece que os post tem mais e mais haver comigo, assim como suas musicas que escuto nas horas exatas, ou suas frases que dizem o que penso.
    Enfim, esse texto realmente me emocionou...
    Hoje finalmente alguem conseguiu expressar exatamente meus questionamentos sobre o que pensar das consequencias, fracassos e porque não SUCESSOS !!! Nunca se sabe...

    ResponderExcluir
  33. Boa noite nobres colegas
    1berto cada vez mais impressionando nos seus textos
    com todo respeito ao Serginho Groisman que tem um bom programa de TV!
    mas isso aqui sim que é vida inteligente na madrugada!

    ResponderExcluir
  34. No mesmo dia que esse assunto de causa e consequência me apareceu na aula de Filosofia, acaba que também leio algo parecido aqui... De modo tão inteligente sempre fazendo as pessoas viajarem pros seus pensamentos mais cotidianos e que passam despercebidos, você sempre acaba chegando num ponto em que cada um se enxerga.

    Sou fã de Engenheiros desde os 10 anos, mas sem muito entendimento das letras e qualquer outro tipo de mensagem que eram passadas, apenas a melodia. E hoje (com 16), tendo um mínimo (muito pouco, mesmo)de noção de algo, me sinto levado a cada dia pra diferentes horizontes nas mesmas canções e nos mesmos textos. Espero que esse pingo também caia na minha cabeça! Obrigado, e que eu tenha, em breve, a sorte de vê-lo em Floripa!

    ResponderExcluir
  35. No mesmo dia que esse assunto de causa e consequência me apareceu na aula de Filosofia, acaba que também leio algo parecido aqui... De modo tão inteligente sempre fazendo as pessoas viajarem pros seus pensamentos mais cotidianos e que passam despercebidos, você sempre acaba chegando num ponto em que cada um se enxerga.

    Sou fã de Engenheiros desde os 10 anos, mas sem muito entendimento das letras e qualquer outro tipo de mensagem que eram passadas, apenas a melodia. E hoje (com 16), tendo um mínimo (muito pouco, mesmo)de noção de algo, me sinto levado a cada dia pra diferentes horizontes nas mesmas canções e nos mesmos textos. Espero que esse pingo também caia na minha cabeça! Obrigado, e que eu tenha, em breve, a sorte de vê-lo em Floripa!

    ResponderExcluir
  36. Todas as vezes que eu passo por aqui, eu faço de questão de, em seguida, partilhar este espaço com outros amigos de redes sociais, enfim... eu só gostaria que eles se deleitassem e rissem e aproveitassem os escritos do Gessinger como eu sinto fazê-lo... até um post "inútil, pero..." como este é uma grande oportunidade de reflexão e diversão... "por quê" não!!

    ResponderExcluir
  37. inútil? tá de sacanagem né? Post phoda. Um dos mais maneiros!!!

    ResponderExcluir
  38. Por uma feliz coincidência, que eu chamo de sorte ou de acaso, sou o seguidor 2000 do bloGessinger. Sou muito fã dos Engenheiros do Hawaii, tenho todos od cds e dvds, e tenho um blog que tem o nome inspirado no EngHaw. O Várias Ideias Variáveis é meu canto de desabafo. Siu meio poeta, meio rebelde... Mas sou inspirado por um cara que canta o que todos queriam dizer e que desde 1985 faz parte da minha vida! Vida longa a Humberto Gessinger, o maior letrista/compositor/cantor/escritor que este país já teve. Vida longa ao projeto Pouca Vogal e vida eterna ao Engenheiros do Hawaii!

    ResponderExcluir
  39. Eu sou muito fã desses devaneios.

    Meu blog tem um monte deles: http://dantastico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  40. Legal essa ordálio do ar-condicionado =)
    O contexto pré-legislação foi importante para o entendimento, mas daqui a pouco você precisará mostrar uma foto do aparelho antigo, pois os novos não pingam mais!

    [chato mode on]
    tráfego está acentuado com circunflexo
    os dois primeiros "porque" deveriam ser "por que"
    [chato mode off]

    ResponderExcluir
  41. Devaneios inútéis Humberto???

    Você foi certeiro. Parabéns!

    Abraços

    ResponderExcluir
  42. Como sempre... Unico como so ele sabe ser... E ao memso tempo, tão parcido com tds nos.
    Amooooooo

    ResponderExcluir
  43. São, EXATAMENTE, estes devaneios, que aproxima o HG com os De Fé.

    E tenho dito.

    Obrigado por não esconder sua loucura de nós, absolutamente loucos!
    Mas o que é a loucura mesmo, Foucault?! rsrs

    Abraços Fraternos.

    Robson, 22. Lindóia - SP
    __________

    ResponderExcluir
  44. Hilária a história do seu "batismo" de pingos...kkkkk adorei! Fora os "Bah's" e tudo mais... talvez você não saiba o quanto seus posts são necessários pra acrescentar coisas muito boas na vida da gente, toda vez que leio um texto seu eu me divirto, eu reflito, descubro...isso não tem preço!Adoro seus devaneios inúteis...e só pra você saber que eu também não sei bem o uso dos porquês e seus acentos,rsrsrsrsrs... nem sei se escrevi certo aqui!!!Um abraço Humberto!!

    ResponderExcluir
  45. Demais, um dos melhores.. to rachando o bico aqui, e pensando um pouco tb! os 'peros' foram a melhor parte!! kk
    Caio

    ResponderExcluir
  46. Sempre achei que somos parecidos, porém eu passara pra Engenharia, montaria uma banda (que não faz sucesso), tocaria baixo, escreveria poemas (que não fora lançados), os discos, os livros, Pink Floyd, o loga da minha empresa em vermelho e branco contrasta com o fundo preto para ter alguma coisa do Dark Side... Tudo uma loucura, pura nostalgia, inútil que sem explicações não fariam sentido... Abraço amigo!!!

    ResponderExcluir
  47. Os exercícios de reflexão sobre esses devaneios inúteis acabam sendo muito úteis na construção desse jogo de quebra-cabeças que é a vida,(perái acho que não tem mais esse tracinho, quebra cabeças, que seja) Eu também ainda não passei da fase dos por quês, rsrs

    ResponderExcluir
  48. Obrigado pelos toques, compañeros. Vocês são minha Wikipedia gramatical e emocional. Valeu!

    ResponderExcluir
  49. "no creo en brujas, pero que las hay, las hay." Os "por quês" na minha vida estão tentando me derrubar.... Ando meio pistoleira sabe?! Texto dessa semana vai ser minha oração nesses dias de inferno astral....

    ResponderExcluir
  50. SE...

    Se a liminar não estivesse demorando tanto para eu assumir minhas aulas de português, na Prefeitura de Goiânia...
    Não teria prestado concurso domingo passado para 'Educador Social', uma profissão que não conhecia e que me encantei, encantei pela causa, pelo sonho, pela intensidade da vocação.

    E então, acaso ou predestinação?

    ah, no concurso estou com chances de passar - e esse relato é só um pequeno ensaio, de como tantos outros 'nãos' abriram portas desconhecidas até então não preferíveis. É no limite que voamos, é no limite que aprendemos a voar... "superhomem não supera a superfície".

    ResponderExcluir
  51. Vanilce Nascimento - BH24 de abril de 2012 12:05

    Olá Humberto! Eu não sei se aceito qualquer coisa que venha de você ou se tudo o que vc escreve é mesmo lindo! Só sei que espero ansiosamente a terça-feira chegar e escondida do meu chefe abro o seu blog e leio os seus textos. Adorei esse. É como um "manjar dos deuses" as suas palavras.Obrigada. Beijos. Vanilce Nascimento - BH

    ResponderExcluir
  52. São devaneios muito úteis!!! É no mínimo diferente lembrar que seu ídolo também tem sentimentos. E pensar que muitos deles são parecidos é ainda mais interessante!

    Continue a escrever, que nos deleitaremos sempre sobre teus escritos!
    Beijos e abraços sinceros!

    P.S.: Os porquês sempre confundem todo mundo...

    P.S.2: Você é tão capricorniano!!! Me enxergo muito em você, só não tenho certeza se é pelo signo em comum ou pela vontade de ser alguém tão, com o respeito da palavra, foda!

    ResponderExcluir
  53. prefiro os textos inúteis!

    ResponderExcluir
  54. cadê a foto ? já estamos acostumados com o abraço semanal tbém.

    ResponderExcluir
  55. Aahahahahaa

    Eu sempre fazia essas simpatias nas calçadas de pedras portuguesas da 28 de setembro, com as letras de música do Noel Rosa estampadas no chão (hj emburacadas), se eu terminasse na linha preta, era sim, branca era não...eu sempre roubava no final, competindo comigo mesma, roubava e ainda perdia! rs

    ResponderExcluir
  56. perfeito como tudo q tu faz...te amo cara,e nao sou gay ta kkkkk sou de fé

    ResponderExcluir
  57. uhauahuahuahuahuah kekekkkkk kkkkkk

    ResponderExcluir
  58. "A elegância de uma explicação não garante sua eficácia."

    "A necessidade de uma explicação não garante sua existência."

    OS PINGOS NOS ii

    ResponderExcluir
  59. Caraca como tem baba-ovo aquí,Nem foi legal o blog dessa semana,muito sem graça..gostei muito da semana passada,+com toda sinceridade detestei.

    ResponderExcluir
  60. Caro Humberto, estes devaneios fazem toda a diferença em nossas vidas!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  61. Opaaa, "Cariri", "Último Pau de Arara"...

    Só me faz lembrar Expocrato de 2008 (Engenheiros do Hawaii) e 2011 (Pouca Vogal)!

    Só deixo meu Cariri, no último pau de arara. ♪

    "às vezes: ficamos órfãos de explicação para muita coisa que, simplesmente... acontece."

    Precisa explicar? "O que não tem explicação, ninguém precisa explicar." ♪

    Abraços de um Caririense De Fé!

    ResponderExcluir
  62. Inutil não.
    Muito bom!!

    ResponderExcluir
  63. Devaneios inúteis são os mais úteis!
    Vlw mestre
    Abraço!

    ResponderExcluir
  64. Humberto,

    Eu curto demais ler e escrever esses textos que você disse serem devaneios sem utilidade. Eu adoro ler coisas feitas aparentemente sem propósito para os desavisados, coisas que lançam um olhar diferente para detelhes que podem ter passados desapercebidos pelo próprio escritor. Sempre que voltamos o olhar para algum evento que se foi parece que reecebemos uma lupa nova. É um texto delicioso de ler e suficiente para nos fazer refletir sobre nossas (in)certezas. Aliás, isso vai render uma boa conversa com meus amigos.

    ResponderExcluir
  65. Também estava com saudades dos seus devaneios

    ResponderExcluir
  66. texto lindoooo.. me emocionei muitoo!!
    parece que foi escrito inteiramente pra mim...
    sem falar da parte do cariri!!
    saudade daquele lugar lindo!

    ResponderExcluir
  67. Hahaha "rodado" no vestibular... adoooro ouvir/ler gírias da nossa terrinha, coisas que já não uso mais (as vezes voltam e geralmente pra me deixar em maus lençóis).

    Devaneios inúteis, filosofias baratas... faz parte. Quantas descobertas essas coisas nos proporcionam? Nem que seja através do que é descartado...

    ;-)

    Ah, sim! Também curto demais os velhos acentos...hahahahaha

    ResponderExcluir
  68. nas entrelinhas do horizonte há muito mais que um jogo de causas e consequencias, devaneios tolos de quem vive a perseguir estrelas, palavras poéticas que nos levam a agir; ação e reação é apenas um detalhe na intricada jornada da vida

    ResponderExcluir
  69. É BOM CRER QUE DERROTAS NUNCA SERÃO PERMANENTES E QUE VITÓRIAS(OBJETIVOS ALCANÇADOS ;RETORNOS;DEVER CUMPRIDO;ESFORÇO RECONHECIDO) SERÃO SEMPRE UMA ESPERANÇA E UMA CERTEZA EM MEIO À ESCASSEZ DE "VALORES" FUGAZES (ENUMERE COISINHAS REALMENTE SEM IMPORTÂNCIA)
    NEM TODA FAMA LEVA AO SUCESSO,NEM TODO SUCESSO LEVA A FAMA...
    E DAÍ? FAMA/SUCESSO SÃO IMPRECINDÍVEIS?
    DE FATO NÃO FEZ...DE FATO É.(FÃS INTERPRETAM ASSIM) E A MÍDIA? AH! DEIXA PRA LÁ!
    HÁ MUITAS INTERPRETAÇÕES ERRADAS JUSTAMENTE POR CAUSA DOS OLHARES VOLTADOS PARA O EXTERIOR...
    UM ARQUITETO QUE POR CONTA PRÓPRIA SE TORNA UM THREENGENHEIROS
    QUE SE UNE A UMA ARQUITETA E GERA OUTRA FUTURA ARQUITETA QUE VÊEM POSSIBILIDADES DE SUCESSO NUM CANINO QUE NÃO COMPÕE, NEM FAZ CÁLCULOS... ELE CANTA? BEM DIZEM QUE MAIS DE UMA CABEÇA PENSA MELHOR QUE UMA SÓ! JÁ SEI...VOCÊ É UM DESIGN DE HUMANO E VETERINÁRIO DISFARÇADO DE MÚSICO.
    KKKKK EU NUNCA FARIA UMA SIMPATIA PRA ESPERAR ESSES PINGOS INSUPORTÁVEIS!
    SEGUNDO AS ESTATÍSTICAS ,ABRAÇOS DE ALMA INÚTEIS,DÃO CERTEZA DE
    INSÔNIA NA MADRUGA. AH! INTERPRETEM DA MANEIRA QUE QUISEREM!

    ResponderExcluir
  70. no meio da Av Brasil, próx ao cais do porto...
    ou seja "perto demais do cais do porto, no meio do caos"
    eu vivo fazendo isso...
    .
    .
    E, se eu escrevesse "sem" com "s", ou escrevesse "cem" com "c"?
    ?por acaso faria alguma diferença?
    ?que diferença faria?

    Graaande Abraço Seu 1berto.

    ResponderExcluir
  71. que legal as coisas são mesmo assim, não podemos estar em dois lugares ao mesmo tempo e assim mesmo pensarmos que sempre seria melhor se escolhêssemos uma outra direção as inquetudes dos desvaneios são uma benção para os sábios que perseguem o caos atrás de uma resposta que agrade gregos e troianos num esforço inutél de agradar a todos, esperando pelas causas e conseguências de um final feliz e julgando saber todas as coisa quando na verdade o somos crianças de mais para sabermos alguma coisa. VALEU GESSINGER EU ESTAVA COM SAUDADES DE UM TEXTO ASSIM MAIS SUBJETIVO MAIS HIGHway nas entrelinhas, uma aparição cada vez mais nítida de uma realidade.

    ResponderExcluir
  72. Sempre gostei de ficar só sozinho na madrugada fico pensando em estratégias inutéis de solucionar problemas de diversas natureza, coisa de maluco para quem não entende, uma rotina para quem conhece um pouco mais, vezes após vezes pego cronômetro do celular e aliatóriamente sorteio um numero
    Oque faz vc errar ou acertar? será sorte ou oportunismo?
    jã pensou se eu conseguisse acertar os numeros da loteria toda semana ???
    bem não trabalharia mais !!!!!!!!!!!!
    o que fazem as pessoas parecerem tão iguais, o que fazem as pessoas para serem tão iguais...por que razão essa igualdade se desfaz.........COMMANDODELTA SJRIOPRETO LOUCO DE SATSFAÇÃO LONGE DEMAIS DAS CAPITAIS ....dia 26 de junho estarei em goiania não vejo a hora de cantar com o POUCA...

    ResponderExcluir
  73. Fernanda Nascimento25 de abril de 2012 09:10

    Causas ... consequências ... A verdade é que a toda causa corresponde uma consequencia, a toda ação corresponde uma reação, e só temos um "certo", veja bem, "certo" controle sobre a primeira. Por mais que arquitetemos nossas ações, por mais que norteemos as causas, as consequencias não estão sob o nosso controle, as reações podem ser muito divergentes daquilo que se esperava por respostas.
    Mas ainda assim não podemos deixar de agir, não podemos nos paralisar diante da necessidade absurda de controle das coisas, dos fatos, dos atos, nossos e dos outros. Precisamos agir com inteligência, pensar e medir mas não podemos deixar de fazer pelo simples medo de errar, pelo simples medo de não ter o controle sobre aquilo que virá.
    Por muito tempo da minha vida, ao longo dos meus 29 anos, nas mínimas coisas, inconscientemente buscava esse controle, e por vezes deixei de realizar tantas coisas. Há muito pouco tempo me dei conta de que agia assim, de que precisava deste controle para não sofrer, para não correr riscos. Lêdo engano!! Sofria muito mais assim, tentnado controlar tudo! No entanto, diante de uma situação que atravessei, me dei conta de que agia assim, e de que, portanto, precisava ser diferente, e só sairia desse espaço, desse movimento se agisse sem medo daquilo que pudesse vir adiante. Estou hoje um pouco melhor, mas ainda desejo me entregar mais, continuar reflexiva sobre o que e como fazer, mas sem me deixar abater por possibilidades, consequencias, que nem sei se serão de conformidade com o que idealizo. A verdade é que quero viver, sofrer o que tiver que sofrer, passar pelo que for, na busca de crescer todo dia mais. Quero me liberar desse controle bobo, que não está sob minhas rédeas, me liberar do medo de sofrer, porque sofrer faz parte da vida e muito nos ensina, quero me liberar para errar, para acertar e caminhar mais solta, quero conhecer o lado de lá da ponte, que por tanto tempo ficou desconhecido por não saber o que poderia acontecer. Meu lema foi trazido por você Humberto Gessinger quando cantou "Eu não vim até aqui pra desistir agora". Independentemente de causas ou consequências com parcimônia e determinação, livres do medo e da ansiedade, precisamos viver!

    ResponderExcluir
  74. Já pensei nas utilidades e inutilidades do caos ao caso. Se bem que todo fato gera consequência e estamos ligados a isso. Algumas são fáceis de prevê outras nem em bola de cristal.
    Boa resposta foi dada... Não para mim, nem para ninguém.

    Raul Seixas em sua música "Canto para minha morte" diz:
    " A morte surda, caminha ao meu lado, e eu não sei em qual esquina ela vai me beijar."

    Essa é a maior das certezas? E qual a consequência desse
    saber?

    Abraços Humba!

    ResponderExcluir
  75. "A elegância de uma explicação não garante sua eficácia.
    A necessidade de uma explicação não garante sua existência."

    Depois disso só pode haver um ponto final.
    Apesar da reflexão inútil, um belo texto.
    Apesar da legislação, eu já tomei banho de chuva de ar condicionado.
    Há braços.

    ResponderExcluir
  76. Bom dia, com o perdão de todos se é que mereço, contesto todas as variaveis sem ao menos conhecelas de fato...
    ...a razão não é absoluta eo absoluto muitas vezes tem mais de uma face, respeito a opinião de todos desde que minha livre opinião seja de fato respeitada, a muito acompanho diretas e indiretas e até então só observo porem existe o momento chave do pingo que já caiu e molhou porem o ar é tão seco muitas vezes os segundos que esperamos para isso quase nunca passa...
    ...acredito que esse momento depende só de nós mesmos.
    o caminho(destino) é o pai a mãe(oportunidade) o filho(eu).

    Jean Montelli

    ResponderExcluir
  77. "expectacular"......O meu livro já deve estar a caminho!!

    ResponderExcluir
  78. "expectacular"......O meu livro já deve estar a caminho!!

    ResponderExcluir
  79. Me sinto azarado rs, mas to chegando longe realmente.... :)

    ResponderExcluir
  80. Bom....sei que é inútil o que vou dizer mas, este texto é formidável.

    ResponderExcluir
  81. Olá,
    Sou sua fã há muito tempo.
    Já gostava como cantor agora como escritor você está completo.
    Abraço,
    Néia

    ResponderExcluir
  82. A vida sem "devaneios inúteis" é uma bula de remédio.

    ResponderExcluir
  83. Também estava com saudade desses posts, são sempre os meus preferidos!!!! Perfeito, mestre. Boa quarta feira e um abraço inútil pra ti também! (Inútil, pero...)

    ResponderExcluir
  84. 1Berto, não sei se você lê os posts, desculpa, mas tenho que me expressar:
    -CARALHO CARALHO CARALHO CARALHO!
    Que post ótimo cara! O jogo com as palavras, causa-consequência, a história do ar condicionado...a força do acaso, ou a falta do acaso, a falta de força...não importa. talvez exista talvez não.
    Parabéns, eu também estava esperando por um post mais leve.
    VLW 1BERTO!

    @nigganeto

    ResponderExcluir
  85. Adoro esses devaneios inúteis..tão profundos, necessários...enfim, tão úteis pra quem sabe ler nas entrelinhas...

    ResponderExcluir
  86. Tão inútil e tão bom! Eu sou um desses azarados/sortudos que quase chegaram lá e foram tão longe... e ainda continuo indo. Post perfeito! Pelo menos pra mim. Uma verdadeira obra de gênio escrito por uma Arte.

    ResponderExcluir
  87. "na vida nem sempre é fácil distinguir as vitória das derrotas." É vero!

    "tenho escrito sobre shows, discos e livros. Já estava com saudade de um post assim, com devaneios inúteis." Eu estava morrendo de saudades desses posts!

    Um bj

    ResponderExcluir
  88. Humberto, eu me identifiquei com a sua canalhice, pois há muito andara contando passos entre ladrilhos brancos e negros. Jamais poderia terminar pisando aquele que tinha eleito(claro que existe anterioridade: esse jogo tem regras!) a causa do meu agouro. E, veja bem, nunca o pisava. Contudo, frequentemente fui vítima da minha canalhice. Será?

    O velho Gump, em síntese final, não soube concluir se tínhamos uma caminho traçado ou se fazíamos, mesmo que inconscientemente, nossos riscos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é buscar uma vida ideal, é buscar conseguir ler um texto como este e escalar uma montanha dentro da sua mente. Descobrir que tudo que você faz pode estar errado e mesmo assim começar denovo, mas de outra forma, mais experiente e esperto, ou talvez não. No meio a uma desistência, apareceu HUmberto Gessinger, suas músicas, seu blog, alguém que fez mais por mim do que encantar meus ouvidos, alguém que salvou minha vida!

      Excluir
  89. Devaneios mais que sensatos...

    ResponderExcluir
  90. vou entrar aqui como anonimo e com certeza intrigar muita gente, vou tratar de um assunto que está muito em voga atualmente que é o direito de expressão, liberdade etc e etc... eis que pensando nisso me vem a mente de que já é normal demonstraçoes publicas da sexualidade de gays, lésbicas, transsexuais, bisexuais etc etc. Dai coméço agora a perguntar não estará havendo algo errado? e a liberdade de expressão do outro lado? das pessoas que acham que se está promovendo com um markting enorme esse tipo de comportamento, não teriam essas pessoas o direito de abrir publicamente sua opinião contraria sem serem tachadas de reacionarias?

    ResponderExcluir
  91. Perae...
    Volta de novo ao começo... Tenta outro fim... sei lá...
    Isso da pra cantar?

    Fiquei o acostamento dos devaneios... rsrsrs... Outros passaram/rão a mil!!

    Uai1 - isso com mais ou menos linhas pode ser dito filosófico;

    Uai2 - da pra dizer que devaneios deviam ser sempre ditos. Mesmo que um cara como eu não entenda e faça coisas como estas.

    Uai3 - Leia isso três vezes rapidamente.

    ResponderExcluir
  92. ...não sei não...fiquei confuso...com tanto jogo de palavras...,vou continuar com minha caça...penso que a onda da vida é maior..., sejamos pois fidalgos perdoados pela terra !

    ResponderExcluir
  93. Parabéns, Você é o cara que quase fez sucesso...

    ResponderExcluir
  94. Talvez... as vezes cansa....

    ResponderExcluir
  95. 1berto, sempre espero tuas postagens com muita ansiedade...de uma certa forma, elas me ajudam a amenizar a saudade do solo e do povo gaúchos. Tu és como o poetinha, MQ, sempre consegues tocar um cantinho no fundo da minha alma. Abção.

    ResponderExcluir
  96. Tu és d+!
    Só isso e muito mais.

    ResponderExcluir
  97. Caro Gessinger...

    Curti teu texto... muito bom mesmo apesar de um pouco complexo. Mas boas leituras podem mesmo ser mais longas...
    Escrevi no meu blog sobre a música Eu que não amo você, se tiver um tempo dá uma passadinha lá... Segue o link:
    http://www.hricardinho.blogspot.com.br/2012/04/engenheiros-do-hawaii-eu-que-nao-amo.html

    ResponderExcluir
  98. ''Oi pessoal de fé! Me chamo Lucas Panisset, tenho 16 anos e sou de Juiz de Fora - MG. Vou contar um pouquinho a minha história com os Engenheiros e como virei fã de fé! Falando também sobre a influência do disco A Revolta dos Dândis''

    Entro relativamente tarde nesse mundo, comecei a virar fã mesmo em 2009 quando em um belo 15 de Fevereiro daquele ano. Um amigo meu que desde de pequeno era fã dos Engenheiros veio aqui em casa, era aniversário da minha tia e nós estávamos no youtube até que ele me mostra uma música estranha porém com o título interessante: Guardas da Fronteira. Sempre conheci Engenheiros também porém nunca parava pra ouvir e além disso conhecia poucas músicas e a lembrança mais remota que eu tenho era de quando eu era pequeno cantar Era um Garoto no karaokê com meu pai.
    Me deparo com o meu amigo me falando. ''Cara essa música é muito foda'' Ouvi ela mas não tinha achado tão interessante, acaba a festa ele vai pra casa dele e eu volto pra minha, moramos na mesma rua. Volto pra casa e algo me diz para ouvir aquela música de novo
    Fico maravilhado com o baixo daquela música, da forma que era cantada ou melhor do conjunto da música inteiro, decido então procurar mais sobre Engenheiros e baixei todas os discos. Virei fã se bobeiar mais do que o meu amigo hehehe.
    Dois anos se passam, 2011 e o Pouca Vogal vem tocar na minha cidade e por muita sorte na casa noturna que meu tio é um dos donos. Tudo dando certo, chegamos no show e conseguimos entrar no camarim, um adolescente de cabelo grande e casaco preto fica maravilhado ao encontrar seu ídolo, perde a fala mas da um abraço que sonhou por muito tempo. Peço para autografar com os olhos brilhando o DVD do Pouca Vogal e o Livro Pra Ser Sincero, Humberto pra variar muito atencioso para aguentar um turma de adolescentes hehe. Vamos para o show e assisto uma das coisas mais perfeitas que já vi. Uma noite que ficará para sempre na memória
    Sobre a Revolta dos Dândis, ganho ele no ano passado o CD remasterizado. Já tinha o CD no computador, nada melhor do que ter o encarte do CD né? O Revolta é o meu disco favorito, traduz muitas coisas que eu sinto. Especialmente Vozes que demonstrava um momento sombrio da minha vida: Depressão e tristeza. ''Se você soubesse o quanto eu preciso da solidão''.
    Gosto muito da atmosfera desse CD, das músicas, por fazer parte de momentos importantes da minha vida. É o meu disco favorito e será por muito tempo, desde as mais famosas: Infinita e Refrão. Até as menos conhecidas: Quem tem pressa, Vozes, Filmes de Guerra, Guardas da Fronteira. Além da Revolta dos Dândis ambas as partes.
    Um mero adolescente encontra o seu lugar ao sol, encontra sua forma de viver e alguém que parece escrever coisas para ele. Engenheiros é a minha forma de combustível que me faz levantar todos os dias de manhã e não desistir de nada. Humberto talvez seria o pai que eu queria ter, me fez virar um ''De Fé''. Como diz Humberto Gessinger: ''Nos encontramos na Highway da Vida.''

    Uai: O Amigo de jaqueta jeans na foto me fez virar maniaco por Engenheiros

    Essa foi minha história. Espero que tenham gostado :)

    ResponderExcluir
  99. Humberto, acredito em bruxas! Em destino, em sorte que pula na nossa porta, em escapar por um triz de grandes tragédias, em sonhos que se materializam.
    Acredito em Maktub (como fala meu escritor preferido, o genial Paulo Coelho), em Deus que usa os meios mais singelos pra dizer que está nos olhando.
    Acredito que nada é por acaso!
    Há coisas que não têm explicação e é assim que deve ser.
    Que é a Fé além de um salto no escuro, como já falaram algusn santos?
    "O acaso é o pseudonimo que Deus usa qdo não quer assinar sua obra" - não sei o autor, mas creio nisso
    Que a sorte, o bem, e o amor te guiem sempre

    @DMariazinha

    ResponderExcluir
  100. 10.000 destinos 10.000 arbitrios 10.000 motivos para se surpreender com poemas de rodapé.

    ResponderExcluir
  101. Mister Gessinger
    Pois comigo é ao contrário...

    Cresci em meio há tanto por que, quase nunca tendo um porque razoável, em tantos porquês dados sem eira nem beira...
    A falta de vontade dos outros a minha volta, que me vejo mergulhada desde tenra idade, em por quê em porquê...

    E por que? Pergunto.
    Porque sem porquê. (Respondo sem razão)

    :)

    ResponderExcluir