VIDE(*) C(*)M N(*)TAS DE R(*)DAPÉ - 35




Qual era tua idade em 1989?
Como? 
O que significa aquele tracinho antes do algarismo?
Ah, entendi, é um número negativo; 
ainda não tinhas nascido!

Contar os anos antes de nascer é um bom uso da liberdade poética. Antes de Cristo, contamos ao contrário: algo que aconteceu em 10 AC é posterior a algo que aconteceu em 100 AC. Não sabemos até quanto contar em AC nem em DC. Infinito (espero) nas duas direções.

Seguindo a poesia cartesiana: confesso achar estranha a matemática que me diz haver passado mais tempo entre a gravação do Alívio Imediato e hoje (23 anos) do que entre a gravação do Wish You Were Here e a do Alívio Imediato (14 anos). Não vou tomar o  tempo de vocês tentando explicar a estranheza desta equação matemá(poé)tica. Mas, creiam-me, é estranho.


Ah, se eu fosse um cara bem educado, não teria começado o texto com esta sopa de numerozinhos. Começaria agradecendo pela companhia nas twitcams. Especialmente nesta série em que tenho tocado discos na íntegra. Sábado, dia 11, é a vez do Alívio Imediato. Estou na boa expectativa. As twitcams têm deixado uma confusão agradável na minha mente (ou espírito: como se trata de uma confusão, ainda que agradável, é difícil precisar onde ela pulsa. E, se pulsa, será no coração?).

Às vezes, me sinto viajando ao centro da terra (como Julio Verne, Rick Wakeman). Às vezes, me sinto no espaço sideral, vendo, de muito longe, o planetinha azul (como Neil Armgstron). E os dois pontos de vista se misturam numa mesma visão. Será que a twit-câmera capta?

Farei esta twitcam tocando guitarra, sanfona e o set de pés que uso no Pouca Vogal. Quer ouvir uma versão bacana, de power-trio? Sugiro a original. Na próxima vida quero ser um desses músicos, maduros e profissionais, que tocam exatamente igual do primeiro ensaio ao último show e tratam de curtir a vida. Espero que venha com outra cabeça da próxima vez, senão não vou curtir “curtir a vida”. 


Ah, mas arte é vida (arte é viva ou não é arte)! Agora e em 1989. Nesta vida, sigo sendo gauche (com licença do mestre Drummond:  Quando nasci, um anjo torto / desses que vivem na sombra / disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida). 


(*)

Gravamos o Alívio Imediato nos shows dos dias 7, 8 e 9 de julho, no Canecão-RJ. Na época, a casa ainda tinha, forte, a mística de ter sediado a gravação de vários discos clássicos dos grandes nomes da MPB. Duas músicas, inéditas, foram gravadas em estúdio pois nos interessava o contraste entre os dois ambientes.  

No dia anterior à estreia, me mudei de Copacabana para a Fonte da Saudade. Um apartamentinho muito simpático que Adriane transformou num lar. Nossa primeira casa própria, fruto do trabalho. Com o pó da mudança, fiquei com a garganta estranha. Lembro de ter passado a noite preocupado com isso pois os discos ao vivo eram gravados ao vivo(!!!). Ainda é assim?

Alívio Imediato marcou muitos inícios. Vou citar alguns insignificantes, pois Deus está nos detalhes: a troca dos baixos Rickenbacker pelos Steinberger, a troca dos estúdios paulistas pelos cariocas, o acréscimo dos teclados... Estávamos mudando de patamar. Nossa grande sabedoria foi transformar isso em liberdade. É nesse estágio (de transição) que muitos artistas caem na rede dos comprometimentos.

Enfim... esse trololó desconexo e fragmentado tem o objetivo de (além de convidá-los a assistir à twitcam) sugerir que deixem comentários falando sobre como se relacionam/relacionaram com o disco. É tão bacana transformar percepções individuais num abraço coletivo!

 (*)

Bah 0: Me enganei no video: a data da twitcam é 11fev, sábado! 22h.


Bah 1: Como sempre, vai o toque: mais detalhes (e detalhes mais objetivos) sobre o disco estão no livro PRA SER SINCERO e no site www.engenheirosdohawaii.com.br


Bah 2: "Gauche" não é "gaúcho" com erro de datilografia! É "esquerdo" em francês... à margem.


Bah 3: no 89 esportivo, Ivan Lendl e Steffi Graf dominaram o circuito do tênis. Alain Prost ganhou o título da Fórmula 1. Émerson Fittipaldi ganhou o campeonato de Fórmula Indy, incluindo as 500 milhas de Indianápolis. Grêmio foi campeão da primeira Copa do Brasil, Vasco foi campeão brasileiro e Milan ganhou a Liga dos Campeões.

Bah 4: morreram Salvador Dali, Raul Seixas e Paulo Leminski, o Dalai Lama ganhou o Nobel da Paz, caiu o Muro de Berlim, Collor foi eleito presidente e o Bush Pai toma posse pela primeira vez... em 89.


Bah 5: em 5 anos eu havia deixado de ser um estudante de arquitetura e era um músico com 4 discos lançados: LONGE DEMAIS DAS CAPITAIS, A REVOLTA DOS DÂNDIS, OUÇA O QUE EU DIGO: NÃO OUÇA NINGUÉM e ALÍVIO IMEDIATO. 3 discos de ouro. Uma coisa impensável, à época, para um músico gaúcho. Se me dissessem que era só o início, eu ficaria chocado. E feliz.

pra quem me faz companhia
sobre o chão que se move
desde sempre
desde hoje ou desde 89

pra quem tá na parceria
sob sol e sob chuva
que o abrigo deste abraço
caia como luva 
 07fev2012

254 comentários:

  1. Estava ouvindo agora mesmo o disco, é bom relembrar, olhar para as pegadas apagadas de nosso mestre, Humberto Gessinger.

    ResponderExcluir
  2. Que surpresa boa o vídeo! (:
    @simone_hg

    ResponderExcluir
  3. Estava ansiosa por este post! Bora leeeer!

    ResponderExcluir
  4. Como sempre Pontual! Espero você aqui em Minas, só que em nova formação!, Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Esse cara é um gênio mesmo! Alívio Imediato é um dos melhores discos... Só tem sucessos incriveis. Acho que a minha favorita é "A revolta de Dândis (I e II), "Toda Forma de Poder" e "A verdade a ver navios" ficaram sensacionais. Parabéns, 1berto! Abraços

    ResponderExcluir
  6. Ja que nasci em 89, sou gremista e gaucha tomo a liberdade de dizer que sou fa do teu trabalho!

    ResponderExcluir
  7. primeira vez comentando aqui....nossa, muito bom tudo que tu escreve.Ganhou mais uma fã!!! Aguardando ansiosamente para a próxima segunda! Dani Rosseline

    ResponderExcluir
  8. Gessinger tá tomando outros meios, mais indie-retos para divulgar sua música e pensamento, twitcam todo mês? Já virou ritual sagrado, pra mim é como as noites de novela na globo, familia reunida no sofá pra ver qual é o próximo ato da novela. No meu caso todo mês, dia 11 mais especifico sento na frente do pc para o que estou fazendo para assistir a twitcam do Humberto, desculpe-me pela comparação horrivel com a novela, mas ela não deixa de ser um "ritual" também usado da maior parte brasileira.

    #HumbertoFazADiferença

    Grande-pequeno Abraço.

    ResponderExcluir
  9. Este post me fez pensar e sentir um pouquinho mais os meus 24 anos de vida... tenho pensado mto neles e em todas transições, degradês, metamorfoses e afins durante este tempo. Tenho amado envelhecer, borboletear, poetizar a vida.

    Grande abraço.

    (ah... eu tinha mais ou menos um ano e meio.)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei feliz de ler esse teu comentário, quando você fala
      "Tenho amado envelhecer, borboletear, poetizar a vida."
      Vou aprendendo aqui com meus passos e procurando a alegria deles, sempre legal ver alguém andando com os olhos bem abertos pra paisagem tb.

      Abraço!

      Excluir
  10. Cara, comecei a ouvir os Engenheiros mais ou menos nessa época, com 9 anos. Era uma época de muito rock e eu lembro que a gurizadinha da minha rua, todos mais velhos, estavam nessa vibe. Paralamas, Barão, Engenheiros, Nenhum, Cazuza, Legião... Foram algumas coisas que povoaram essa época da minha vida.

    Meu Bah: Ainda tenho meu primeiro disco de vocês. O Papa é POP, VINIL, sem um arranhão. Guardadinho lá em casa. Relíquia pra tu autografar quando vier pra Floripa!

    ResponderExcluir
  11. Só para dar uma clareada sobre o “pegadas apagadas”, eu quero dizer que você é uma influência, um mestre, fez do Eng Haw um estilo de vida, uma filosofia. Só que as pegadas estão ali e segue quem quer, não necessariamente fazer tudo o que você fez, podemos escolher entre deixar ou não elas se apagarem. Vish, brisei. Mas como o amigo disse ae em cima, te espero em Minas, especialmente em Varginha MG!

    ResponderExcluir
  12. Esse disco faz parte da minha vida, impossível não expressar minha imensa vontade de que a música cidade em chamas tivesse entrado nele, na internet rola um video dela, simplesmente mágico. Obrigado Hg.

    ResponderExcluir
  13. Sempre pontual, sempre sensacional.
    Mestre musical.

    ResponderExcluir
  14. Vish, eu nasci em 1997! Uai, comecei a ouvir engenheiros aos 5 anos, fizeram a minha ideologia de hoje, eu agradeço o Eng Haw e o Humberto muito mesmo.

    ResponderExcluir
  15. A logo do Vasco desenhada no braço esquerdo, a capa de 3 discos dos enghaws desenhados no braço direito, ainda não existiam. Em 1989 eu já tocava as músicas que não tinham pestana inteiras, entre elas OUÇA O QUE EU DIGO, NÃO OUÇA NINGUÉM, e os maristas me aconselharam a deixar de ser uma aspirante a irmão, e 20 anos depois consegui abrir uma parte da tour do meu grande ídolo, forte abraço Humberto, obrigado pelas canções que vc compos e fazem parte da trilha sonora da minha vida.

    ResponderExcluir
  16. Qual era tua idade em 1989?
    Será que era -4 , pois sou de 1993.
    Conheci o disco faz alguns anos, e confesso que é um dos meus preferidos.. apesar de infelizmente não ter acompanhado a carreira por minha idade, desde que conheci a banda meu interesse só aumentou..
    venho acompanhando seu trabalho com muita paixão e admiração..
    esse acompanhamento do vídeo me deixou muito ansiosa para a próxima twitcam ! você tocando sanfona está o máximo..
    PARABÉNS ! GRANDE ABRAÇO

    @nsnathy

    ResponderExcluir
  17. Eita instrumento complicado hein. E vc ainda usa os pés. E ainda dizem q nao temos capacidade de fazer duas coisas ao mesmo tempo... quer dizer, nós não temos. Mas vc é humano, certo?!

    ResponderExcluir
  18. @andersonps87
    Em 89... 2 anos de idade!
    Muito bomo post de hj, e um disco maravilhoso!
    Bom de debater, q com certeza merece ser relembrado sempre! Boa semana HG.

    ResponderExcluir
  19. Simplesmente Humberto Gessinger!
    Que seus textos sejam sempre como a chuva,sempre trazendo a nós,alívio imediato.
    Um abraço a você que faz de nós fãs,não só fãs,mas seres humanos de verdade!:)

    ResponderExcluir
  20. Aguardo a twittcam e cito Revolta dos Dandis(ambas).

    ResponderExcluir
  21. Em 1989 eu era apenas um guri nessa terra de gigantes. Com 6 anos de idade, a minha infinita highway estava apenas começando. O Paulo Leminski seguia por uma highway desconhecida junto com Dali e Raul. E o Gessinger era quem podia ser. Na época, todos ilustres desconhecidos para um garoto que morava numa ilha longe demais das capitais.

    ResponderExcluir
  22. Poxa como gosto desse cara!!!
    Triste por nunca ter ido num show dos Engenheiros...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc não sabe o que perdeu. A melhor época da minha vida e do Rock Nacional.

      Excluir
  23. É estranho falar da minha relação com os álbuns, como minha idade em 89, -2 anos, apreciar as canções se deu no caminho inverso... Comecei com Acústico MTV e retrocedi no tempo. Ao contrário do que deveria ser, quanto mais tempo de vida tinha o álbum, mas fazia descobertas de sons inovadores... Boa sensação estranha...
    A minha relação com o Alívio Imediato veio de um momento de tristeza, a música com o mesmo nome me veio na mente, cantei ela baixinho até dormir... como era para ser (ou não) me aliviou o coração...

    Abraçoo apertado Humberto!
    Te amo
    Até sábado!

    ResponderExcluir
  24. Alívio Imediato, pra mim é a alma do rock nacional da década de 80... músicas inteligentes... acordes bem feitos... e aquela revolta sempre presente, aquele protesto sempre presente... todos os discos são mágicos, na minha opinião, cada um querendo nos dizeralgo diferente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com vc!!! O Power Trio (formação clássica) ainda vive... A esperança de ver os três novamente tocando junto nunca vai morrer!!!

      Excluir
  25. Foi justamente ouvindo a fita k-7 deste disco que comecei a acompanhar a banda. FOi numa tarde de chuva sem ter mais o que fazer que peguei a fita emprestada com meu primo ( que hoje em dia nem curte mais). Coloquei-a num rádio gravador e a ouvi. Gostei muito. Quase um ano mais tarde quando "era um garoto..."estoutou nas rádios e que eu soube que era da mesma banda, a idolatria passou a ser sem fim... Parabéns pela excelente obra e por toda a sua carreira. Estamos ansiosos para a volta dos Engenheiros do Hawaii, Abração.

    ResponderExcluir
  26. O álbum que trouxe a minha música favorita e que, por sinal, dá nome a ele: Alívio Imediato. Até hoje o carinho que tenho por ela é enorme, já era fã dos engenheiros na época (aliás sou desde sempre), mas essa música caiu como uma luva, derrubou o muro de Berlin de dentro de mim.
    A propósito fico esperando a meia noite de segunda principalmente para receber esse abraço. = )

    ResponderExcluir
  27. Como sempre, você fala de si e de certa forma interiorizamos e tomamos a liberdade de pegar essas experiencias pra gente, é sempre bom aprender sobre algo que se gosta muito, quem sabe daqui a 5 anos não largo a faculdade de Direito pra tocar Engenheiros do Hawaii em algum barzinho. Nunca se sabe, apenas esperamos que nossas escolhas nos tragam alívios imediatos. Mais uma vez venho falar sobre o dia 11 que pra mim é um pouco mais especial. Vou estar fazendo aniversário e como disse em comentários anteriores o presente mais significativo que ganhei até hoje nessa data foi o Acústico MTV então, se tiver afim manda um alô lá, como sempre digo, pra mim fará toda a diferença! iTchau Radar!

    ResponderExcluir
  28. Ja teve uma sensação de que parou no tempo? Tipo, eu sou de 86, teve uma época que parei em 2000. E tinha na cabeça que quem nascia nos anos 90 tinha menos de 10 anos, e fiquei com isso até me espantar quando ouvia dizer "nasci em 1990, tenho 20 anos!"... A cabeça não calculava, entrava em pane.
    Tive que recalibrar. Quem nasce em 90 vai fazer 22.

    ResponderExcluir
  29. Eu nasci em outubro de 89!
    Meu time foi campeão brasileiro! VASCÃO!!!
    Mas é estranho pensar que músicas que eu tanto me identifico eram escritas/gravadas antes mesmo de eu nascer e hoje eu aqui esse projeto de gente grande quase concluído tenho a pretensão de achar que todas as músicas são minhas! rs
    Beijo da De Fé!

    ResponderExcluir
  30. Não posso fazer muitos comentários sobre como me relacionei com o disco pois no lançamento eu tinha "- 3 anos" hahaha
    Mas meu primeiro contato com o CD foi quando uma amiga havia ganhado ele de um amigo virtual, a mãe dela não gostou da situação e mandou ela dar o CD pra alguém, e como ela sabia que eu gosto muito de EngHaw, ela deu o CD para mim!

    ResponderExcluir
  31. No lançamento eu tinha -3 anos ainda! O álbum veio pintar pra mim apenas 20 anos depois, em uma caminhada aqui em Araxá!

    ResponderExcluir
  32. Tive vontade de aprender a tocar baixo ao ouvir esse disco. Como eu já cantava, achei que seria fácil tocar baixo e cantar... Doce engano!
    Foi muito difícil conseguir coordenação pra desenhar a música nos graves e cantar em outras escalas... Consegui depois de muita persistência. Mas ainda acho muito difícil... Esse disco é um dos meus favoritos, por que traz linhas de baixo incríveis contrastando com a voz em uma energia contagiante. Um clássico genial do rock nacional! Ainda mais pra mim...
    Obrigado HG por nos legar esse disco! Se tua carreira acabasse ali, tu já ocuparia lugar de destaque entre os músicos que mais admiro... Tu continua até hoje, e suas twitcams são presetaços pra quem é fã como eu!

    ResponderExcluir
  33. Ah, 89... Já amava Engenheiros, apesar da pouca idade (10, sem o tracinho na frente, ok?). É curioso que, à medida que o tempo passa, tenhamos percepções diferentes das mesmas canções. Ou, simplesmente, "decifremos" enigmas escondidos nas entrelinhas. Curioso isso. Curioso e fascinante. Várias variáveis.
    Bah 1: deves ter te enganado com a data no vídeo pensando no aniversário da Clara, tá perdoado, hehe!

    ResponderExcluir
  34. Em 89 eu tinha 15, mas só conheci esse disco tempos depois, já em cd. E foi ótimo ouvir as músicas dos primeiros discos tocadas ao vivo, em novas versões. Dos ao vivo, esse alívio imediato e o 10.000 destinos são os que mais gosto.
    Abração HG, ótima twitcam para nós!

    ResponderExcluir
  35. estou ansioso pra ver a twitcam,aliás já vou conferir no Pra ser Sincero

    ResponderExcluir
  36. vivian é exatamente isso mesmo:
    "É curioso que, à medida que o tempo passa, tenhamos percepções diferentes das mesmas canções. Ou, simplesmente, "decifremos" enigmas escondidos nas entrelinhas. Curioso isso. Curioso e fascinante. Várias variáveis."

    ResponderExcluir
  37. Em 1989 eu estava nascendo, nasci dia 14/03/1989

    ResponderExcluir
  38. Agora os discos ao vivo nao sao mais ao vivo.... Ninguém faz mais assim com medo de ficar muito*fora do mercado* mas acho que isso e um preco que se paga pela tecnologia.... Sempre achei esses antigos ao vivo, com muito mais energia.... Nao concorda HG?

    ResponderExcluir
  39. -1 era minha idade. Engraçada coincidência, ontem mesmo fui na Fonte da Saudade. É muito raro eu ir à Lagoa e não conhecia a rua. O mestre Gessinger podia estar passando por ali, por aquela mesma calçada há alguns anos atrás. Quem sabe não morou no mesmo prédio (ou no mesmo apartamento) em que fui?

    ResponderExcluir
  40. Fico sem reação após ler seus post's, pois tenho receio em não poder responder à altura... Mas a minha percepção sobre este em especial ressalta a forma de como a qualidade musical decaiu ao decorrer desses anos... Músicas com duplo sentido? O que é isso??? Vivemos em um lugar onde 80% das músicas não tem moral... E o que me resta é o bom e velho rock onde os artistas são muito mais complexos do que simples cantores sem conteúdo. São pessoas que conseguem ter opiniões sobre diversos assuntos sem ser banalmente influenciados por essa miséria que chamam de mídia. Por isso te venero e deixo meu abraço Humberto Gessiger! @AnaaGrosser

    ResponderExcluir
  41. 1 ano!

    Era o que eu tinha em 1989.

    Lembro de um poster, do 'Alívio' que meu tio (o cara que me apresentou aos EngHaw) tinha!

    De 1989 não lembro de nada!

    As vezes eu acho que vivi todos esses anos e fases do Engenheiros nos 12 meses de 2004, quando comecei a escutar o humberto!

    As vezes tenho a sensação de pertencer a um passado que não me pertence!

    Ansioso pela twitcam! Ansioso por ver os Engenheiros de novo..

    Humberto, se tiver algum vídeo da era 'Alívio Imediato' posta ae... é uma loucura imaginar esse disco ao vivo e os gritos, logo após aos:
    'ligo a TV e vejo.. eeeeeeee eeeeeeee ôôôôôôôôô'

    Vlw Turma De fé!
    Vlw Humberto!

    ResponderExcluir
  42. Vlw, Humberto... Sou seu Fã desde sempre!!
    Obrigado por ter feito Tantas Obras de Arte, como são
    todas as suas músicas. Ah, e parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  43. Tinha visto parte do q vc citou, apesar de ter só 13 anos. Me mudei pra Maceió com meus e no ano seguinte passei a conhecer a tua obra.

    ResponderExcluir
  44. Me lembro certa vez se não me engano no "faustão" que tu disse que certos críticos diziam que engenheiros do hawaii era coisa de momento uma moda passageira e o momento já durava 8 anos agora mande 25 de engenheiros e uma gorjeta de "poucavogal" pra eles, toda vez que ouço "museu de cera" lembro das caras desses caras num...museu de .....será?!!
    em 89 eu tinha 15 anos putizz!! como era bacana cantar "infinita hw" voltando do colégio ou "eu presto atenção no que eles dizem mas eles ñ dizem nada" como me lembro de cada albúm,kra até hj ñ entendi a primeira frase de "ando só" mas quem disse que precisa enterder pra sentir alguma coisa! eu sinto o que poucas pessoas sentem caminhando e cantando velhas canções, são como velhos amigos que encontramos na rua. valeu GESSINGER!!!! de coração valeu
    mais um de fé!!!!CommANDOdelTA SÃo jjosÉ DO RiO PRÊto sP

    NÃO QUEIRA ESTAR NO MEU LUGAR NÃO QUEIRA ESTAR EM LUGAR
    NENHUM, ÁS VEZES TUDO MUDA E CONTINUA TUDO NO MESMO LUGAR
    NÃO QUEIRA ESTAR NO MEU LUGAR NÃO QUEIRA ESTAR EM LUGAR
    NENHUM, ÁS VEZES UMA PRECE AJUDA, ÁS VEZES NEM ADIANTA REZAR valeu !!!!!!!!! 1berto





    durava

    ResponderExcluir
  45. Eu tinha 6 Anos... Acordava seis da manha pra ver bozo e Sérgio malandro, mas meu irmão mais velho já colocava o disco na época vinil alto pacas em casa.... Dos engenheiros.... Hehehe

    ResponderExcluir
  46. Sempre considerei o Alívio Imediato como um disco cru. Enérgico. Forte. Não sei explicar o meu lance emotivo de qualificar... Mas sempre gostei do som do disco. O considero o melhor disco ao vivo daquela geração. Ou desta geração. Ou da futura - quem poderá dizer? Tenho mais a lembrança do vinil com seus ruídos. O que torna a época especial. Belas canções cantadas com a mesma energia por pessoas que, ainda hoje, acreditam no poder dessas grandes canções.

    ResponderExcluir
  47. Cara, em 89 eu ainda nem sonhava em nascer (sou de 92), mas adoro as canções do alívio imediato, o próprio nome do disco já diz tudo!

    Nau à deriva foi uma lavagem cerebral pra mim, ouvi tanto a canção que mamãe ameaçou me deixar de castigo sem ouvir Enghaw durante um tempo, mas tive um aucílio de fone de ouvido pra poder ouvir sem ela saber! ^^ Abração de urso e beijos pra torcida!

    Bah 1: Apesar de tudo, prefiro o várias variáveis!

    Eles querem te vender
    eles querem te comprar
    eles querem te enganar.

    Com anúncios de cigarros
    que te avisam que fumar faz mal.

    Como pode a propaganda ser a alma do negócio
    Se esse negócio de grana não tem alma?

    ResponderExcluir
  48. Acho que tinha 10 ou menos, mas dessa vez não vou perdoar ...O Botafogo em 89 foi campeão carioca(estadual) e o Senhor não fez menção do caso... depois de 20 anos de jejum...E pelo que sei o senhor é fogo no rio né não...
    Broncas la parte..
    .
    Esse disco é mistico,foi o prima ao vivo, e é a estampa da minha única camisa do enghaw(na verdade tenho a nova do Simples tb)..agora faz o contrário a cada 3 TwitCam faz uum de estúdio

    ResponderExcluir
  49. Se um dia a gente se encontrar por acaso, não repare se eu te der um forte abraço, sem tietagem ou coisa assim, sem histerismo ou gritos de fã é que pra mim tu é um velho amigo meu velho, um grande conhecido que não me conhece (soa estranho isso mas é isso mesmo)valeu GESSINGER valeu irmão!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  50. A cada hora que paro pra pensar no disco me vem uma identificação, eu com 14 anos sempre quis viver no velho mundo, na velha forma de viver.

    ResponderExcluir
  51. Um dos momentos mais inesquecíveis, para mim, foi quando você tocou Piano Bar aqui em Varginha MG, só me restou gritar um PUTA QUE PARIU! Era inacreditável. Uai, quem sabe outro show me ajudaria a acreditar, aqui em Varginha uashaushaus

    ResponderExcluir
  52. Tem razão, Rodrigo... vou lá colocar o Fogão no Bah!

    ResponderExcluir
  53. Cara!... difícil de dizer... eu tinha apenas 8 anos... e no interior do interior, ainda não conhecia engenheiros do hawaii.
    Mas os anos 80 quis que eu viesse a tona, e mais ainda, que viesse uma das melhores bandas de rock do Brasil!
    Não sei qual a mística que me persegue, (talvez o fato de eu ter nascido nessa grande época) Mas esse disco, tem por ventura, marcar uma época, que pra mim (apesar de ser em infância) é a época em que sempre sonhei viver. E vivi!
    Esse disco é a essência desse tempo... sinto as músicas, os acordes, as batidas... pulsando em minhas veias...
    não!... eu estava lá... de alguma forma eu devia estar lá!
    Ou simplesmente a energia grandiosa daquele momento me tele-transporta para lá sempre quando o ouço!
    Grande época... Grande show... Grande disco... Grande... ENGENHEIROS DO HAWAII!
    Faz-se viver, Faz-se acontecer, faz-se sonhar... em viver o acontecido por quem viveu!
    Valeu Humberto!

    ResponderExcluir
  54. Belo disco, mas devo confessar algo, todos os discos EngHaw, HG2 e PG me trazem lembranças, mas esse em especial não me veem na cabeça alguma lembrança, ou algo que tenha marcado, pode ser algo pessoal, mas sei lá.

    ResponderExcluir
  55. Momento histórico, Rodrigo. Tire print e mostre para os seus filhos, netos e etc. Humberto Gessinger te respondeu!!! uashausahu

    ResponderExcluir
  56. Pra falar a verdade eu fui influenciado pelo meu irmão, que também é muito fã de Engenheiros, sabe todas as músicas, história da banda e etc., desde que eu ouvi o Papa é Pop não parei de ouvir mais. Foda que meu irmão ficava nervoso comigo porque eu sempre voltava a música pra ouvir a parte do " Um disparo, um estouro, UOOOOOOH!" uashaushua

    ResponderExcluir
  57. Bem, amanhã eu estudo cedo. Abraço a todos De Fé

    ResponderExcluir
  58. Eu bem me lembro, dos meus 7 aninhos ouvindo toda forma de poder... (sorte de ter um tio que não gosta de sertanejo no paraná) hehehe
    Mas comentando do disco, acho que esse é o mais politizado do engenheiros... (sem desclassificar terceira no plural)
    Mas muito legal saber sobre a morte de Dali, adoro os quadros dele.... a viagem, as sacadas!!!
    Mas tem sido muito legal compartilhar das ideias aqui, obrigada por mais essa segunda vira terça HG!
    Abraços

    ResponderExcluir
  59. Humberto, aqui é Wander da webrádio Conexão B-Rock, de Fortaleza/CE, você poderia entrar em contato comigo? O meu contato é: wanderesposito@bol.com.br

    ResponderExcluir
  60. fiz uma promessa pra mim mesmo qdo eu fizer 50 anos vou me aposentar quero ouvir algumas canções dos engenheiros e pouca vogal no ÚLTIMO VOLUME durante horas pela casa a festa vai ser minha e se alguém disser não conheço direi apenas isso "problema seu" rsrsrs valeu gessinger!!!!!!!!!!!!! mto bom seu blog!!!!

    ResponderExcluir
  61. Teus metodismos capricornianos sempre me encantam....o lance de 3 álbuns em estudio e depois o ao vivo... as duas musicas gravadas em estudio num album ao vivo...uma época maravilhosa!!!esperando ansiosa p reviver meus 12 anos novamente! [ ]'s

    ResponderExcluir
  62. Gostaria de falar contigo sobre um spot pra rádio, ok?

    ResponderExcluir
  63. -3 anos... em 89 nascia meu primo e meu pai ia ao primeiro show do Engenheiros do Hawaii, fã de uma fita (não sei como escreve) antiga, que era bem nova na época.
    18 anos depois essa fita foi tirada do fundo de umas caixas de coisas antigas e passou para minhas mãos, um dia antes do meu primeiro show do Engenheiros do Hawaii, estranho, as esquinas se encontram...
    Mais estranho, nesse show eu conheci a música que mudou meu conceito de pai, já que o meu não era muito próximo de mim.

    Essa fita é minha relíquia, eu já consertei ela até com durex pra não deixar estragar haha.
    Trouxe alívio imediato pra minha infinita highway (:

    Valeu pelo texto HG

    ResponderExcluir
  64. Em 89 eu nasci =D o/ hehehe
    Porem dia 09 de junho..então no lançamento dia 9 de julho já tinha um mês hihihihi
    E admiro o disco que nasceu pra mim alguns aninhos depois rsrs
    Como é bom receber esse abraço em plena segunda/terça ... esta se tornando essencial ..
    Grande abraço HG até sábado ;)

    ResponderExcluir
  65. Nasci em 1989 ( ano do Alívio Imediato) ... Conheci os Engenheiros em 2002 com o maravilhoso Surfando Karmas & DNA ... acompanhei e adorei o Dançando no Campo Minado e os dois acústicos que vieram posteriormente ... fui tardiamente pela primeira vez no show em 2007 ( movido pela adrenalina - "aquela menina dormindo dançando em silêncio imaginando um reggae"- do ano de vestibular a qual escutava "Até o fim" todos os dias ( era o energético da minha alma) ... passei... faço história por causa das suas letras - citei muito nas minhas provas -. Minha professora de história contemporânea apesar de ficar meio com pé àtras - naquela típica mesmice do mundo acadêmico - adorava, pois lembrava dos tempos de faculdade dela ... em que ela tinha os engenheiros como uma referência musical... inclusive te vendo em um dos rock in rio da vida ... Nesse mesmo momento de faculdade te vi duas vezes pessoalmente ... uma no shopping "cidade jardim" no lançamento do "pra ser sincero" e na bienal do livro de São Paulo... O namoro mais longo que tive também foi nesse período... A garotinha que eu estava ficou apaixanada quando toquei "De fé" para ela no meu violão tão batido ... coitado... "Enfim... esse trololó desconexo e fragmentado tem o objetivo" de contar um pouco pra ti Humberto minha trajetória de Engenheiros ... o Alívio Imediato veio na fase retrô que tive de Engenheiros ... uma fase que resolvi fuçar o bau e descobrir verdadeiras obras de artes como os albuns "Papa é pop" ( a qual eu espero loucamente pela twitcam e pela camiseta hahaha)... "Filmes de guerra e canções de amor" ... "Revolta dos Dândis"... Não lembro a ordem ... geralmente não sigo uma... deixo essa tarefa pro coração ... um momento mais apaixonado ... mais indignado com a sociedade ... mais reflexivo como nosso bom e querido Camus ... como diria uma música por aí "A ordem das arvores não altera o passarinho" ... =)

    o "bah" no Rio Grande do sul é meio que o nosso "putz" em São paulo então ...

    Putz 1 : A primeira vez que te vi pessoalmente foi no shopping cidade jardim aqui em sampa ... o mais chique segundo "revista especializada em vida de artista" ... achei aquele ambiente burguês demais para ti ... fora da sua simplicidade ...

    Putz 2: Atravessei São paulo da zona norte a sul para te ver =/

    putz 3: fui recompensado com sua ida na bienal daqui de sampa e seu autógrafo no "meu pequeno palmeirense" rs ...

    putz 4: ainda não resolvi torcer pro grêmio (como vc escreveu no autógrafo ¬¬) ...

    e se tivesse a possibilidade de postar uma foto colocaria a do "meu pequeno palmeirense" autografado por vc com um abraço hahah ... se cuida Humberto !!!

    Willian - 22 anos - sampa ... sim aquela da FIESP, favelas
    Ouro & ferro velho Surfista ferroviário (o contrário do contrário do contrário do...) =D ... wrodriguesmoreira@hotmail.com

    ResponderExcluir
  66. Soy uruguayo, en esa época vivia en el Chuy (no en el Chui) y tenía 17 años.
    En esa zona alejada y a medias entre 2 culturas, iba a la escuela/liceo de uruguay, veia la televisión de brasil (RBS), consumía productos de brasil y la forma de acceder a la música no era muy diversa a)puestos ambulantes que cassetes piratas de paraguay (hoy sigue mas o menos igual) y b)discos de vinilo que llegaban a la unica disqueria brasilera en el Chuy, esa era la forma que tenia de enterarme de que habia un disco nuevo de Engenheiros, cuando lo veia para vender, asi que sorry 1berto, pero compre la version pirata, con el tiempo, compre la legal en CD, hoy ripeado en mp3.
    Del K7, lo que mas me impresionó fue el cambio de estudio a en vivo en el medio del disco y la captura del ruido ambiente, los gritos y la batería y el bajo sonando en un 3em1 philips que tenia que realmente impactaba y hoy por mas plugins que le ponga al winamp o ajustes que le haga al reproductor de mp3 no logro reproducir, pero puedo decir que si bien ya conocía la banda, ese sonido en vivo fue lo que me hizo conectar hasta ahora.
    Duespues tuve la suerte de escuchar en vivo en algunas de las canciones en los recitales de El Galpon, en Montevideo en 1998, en el Theatro Sao Pedro en 2008 y en el estreno de PV en el 2008.
    Un abrazo

    Leonardo

    Montevideo - Uruguay

    ResponderExcluir
  67. Três...
    3 anos eu tinha!
    Enquanto minha mãe já o ouvia eu provavelmente ainda babava!

    Hoje aos 26 anos de idade e 11 anos DHG, ao te ouvir eu inexoravelmente ainda babo!

    Estranho evoluir tanto mentalmente e ainda expressar a mesma reação fisiologica né?! Corpo...
    Humano!

    Nú 01: Alívio Imediato não é exatamente o disco que me arrebata, mas se observar pelo ângulo de que vai ser a primeira Twitcam que poderei assistir ao vivo, me sentirei como que ouvindo o favorito! ;)
    웃 com carinho!

    ResponderExcluir
  68. Um dos meus álbuns favoritos e a música que me marcou e que às vezes me emociono é Alívio Imediato. Tenho muita história com essa música. Sou fã De Fé há quase 3 anos, hoje estou com 19 anos. Admiro muuuito o teu trabalho!

    Beijos e abraços da De Fé longe perto. =)

    ResponderExcluir
  69. Oi HG, td bem?
    Obrigado por mais este texto! Mandou muito bem de novo!
    sou de 81 e escutei este disco qdo tinha 8 anos. Já conhecia seu trabalho, graças a meu irmão, mas este disco me fez a gostar não só da banda mas como do rock nacional. E foi tão forte que nem a idade e nem o Restart conseguiram tirar isso de mim.
    Escuto muito... mas por ironia do destino (se é que ele existe, se é que ele é ironico) a música que mais gosto é Tribos e Tribunais (que eu só fui descobrir muitos anos depois...) que era faixa bonus do CD! Mas escutar Alívio Imediato na época do fim das duas Alemanhas era impagável.

    PS1: Sou do Paraná e não temos expressões como Bah... então vou importar o PS =)

    PS2: "A Líbia bombardiada..." soa muito atual.

    PS3: Ainda não decifrei o que vc fala quando canta o IMEDIATO da frase "Alívio Imediato". Soa um pouco diferente.

    PS4: "Que a chuva traga alívio." soa muito atual aqui no norte do PR... mas devido ao calor.

    PS5: \o/ um abração! Zé Júnior, 11junior@gmail.com

    ResponderExcluir
  70. Até hoje quando penso em Engenheiros do Hawaii ao vivo, me vem na lembrança o primeiro show de rock que asssisti. O Alternativa Nativa de 1987 na noite dos Engenheiros. Fiquei fascinado vendo a vários metros de distância no palco, a banda qual eu tinha 2 discos de vinil. Foi um momento mágico na minha juventude de 14 anos, que até hoje não sai da minha memória. O "s" de refrigerantes, até até hoje ecoa nos meus ouvidos.

    Falei tudo isso porque nessa mesma época ouvi uma entrevista dos Engenheiros, só não recordo com exatidão em qual rádio(acho que a saudosa Rádio Cidade do RJ), em que eles falaram sobre discos e tal, e o Humberto comentou que tinha vontade de gravar um disco ao vivo, mas um disco ao vivo não como os outros gravados como de costume, em que se faz tudo parecer perfeito na hora do show. Ele disse que queria gravar na íntegra como o show rolaria, ou seja microfonia, qualquer imprevisto possível, sem maquiagem sonora. Achei legal e ficava imaginando quando que poderia sair tal disco.

    Em 1989 eu estava com 16 anos, e Alívio Imediato consolidava o respeito e admiração que eu sempre tive pela banda e seus músicos em particular. Acho que como o Humberto quis, o disco saiu na dose exata de adrenalina que só quem está em cima do palco pode sentir. E na dose exata de êxtase e gratidão por existir uma banda assim, que só quem está olhando pro palco sabe sentir.

    Bom, 11/02 vou tentar chegar cedo do trabalho pra acompanhar a Twitcam. Se não der, assisto depois aqui mesmo.

    Um grande abraço, Humberto.

    Do de fé carioca,

    @lucianos_s

    ResponderExcluir
  71. Eu tinha 16 anos na época. A ansiedade de ter esse disco nas mãos era tão grande que cheguei a sonhar com ele. Por coincidência (ou premonição), no dia seguinte, o disco estava me esperando em uma prateleira de uma loja chamada Magal.

    ResponderExcluir
  72. 11 anos eu tinha. Naquela época disco ao vivo tinha a saudosa qualidade da surpresa - considerando que hoje a publicidade praticamente te entrega o show antes da gravação. Que delírio iniciar ouvindo o cara anunciar "O som dos Engenheiros do Hawaii" sendo seguido pelo baixo do HG em "A Revolta Dos Dandis". 1989...Como era bom ter que ficar calculando, gravando e regravando discos em k7. Aproveitar os dois lados com músicas completas não era fácil!. E num disco ao vivo, como fazer isso sem "quebrar" as canções??? O bom é que a medida que as tentativas iam e viam a gente escutava tudo muitas vezes....bons tempos!

    ResponderExcluir
  73. Tinha dois anos (e meu primeiro lapso de memória humana foi no 3° aniversário, onde dividi um bolo e a festa com minha irmã)...A melhor versão de Infinita na minha opinião foi feita naquele disco, apesar de sempre haver "atualizações" que sempre faz esta e outras músicas nunca ficarem prontas literalmente...isso é perfeito pros De fé, tenha certeza disso.
    Uai Sô 1: A chamada inicial do disco hoje soa engraçada...Tipo: E o show dos Engenheiros do Hawaii !!! ....hehehe...doce ingenuidade comparada a abertura encorpada do "10000"

    MG, casa do PV em 01/12 e tomara a Deus...sempre...

    Ass. faelcapobiango@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  74. Alívio imediato é o que estamos precisando aqui na Bahia com essa greve da policia militar que está ocorrendo. A opção é ficar em casa, ouvindo EngHaw rs, Abraço!

    ResponderExcluir
  75. Muito bom este texto! Me pareceu o mais cheio de vida =)
    Sério. Havia uma empolgação no ar...

    Em 89 eu tinha 7 anos. Pela primeira vez eu li a letra de uma música - "Era um garoto..." - detalhe que as palavras em inglês estavam aportuguesadas. Eu demorei anos pra descobrir que era "Help and Ticket to Ride"!

    ResponderExcluir
  76. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  77. O Blog era tão massa antigamente.
    Era mais do que lembranças de discos. Eram crônicas pessoais de eventos singelos, quase que poéticos que ressoavam em outras frequências... diferente dessas.
    Volte a escrever como antes das twitcams temáticas.

    ResponderExcluir
  78. Não acompanhei o lançamento deste álbum...
    EStava perdido em alguma cidade do Maranhão (Imperatriz se não me falha a memória) e a tour passou por lá em com um show no Ginásio Fiqueninho e nem fui pq não tinha grana...
    Quando eu tinha uns 14 anos e comecei a tocar baixo, sonhava em tocar esse álbum inteiro...
    Este sonho se realizou dia 05/02 do ano passado. Minha banda cover (Várias Variáveis, daqui de Brasília) fez seu show de estréia e tocou o álbum na íntegra!
    Pra mim, as versões ao vivo deste álbum são definitivas! Não importa quantas outras apareçam!
    Abraços DeFé!

    ResponderExcluir
  79. Quando tive o prazer de "apertar a mão" do baixista foi em janeiro de 89, em Guaratuba - PR, numa noite inesquecível, onde tocaram Ídolos do Matinée, Beijo AA Força, EngHaw, Nenhum de Nós, Ira! e Barão Vermelho, num aniversário de uma rádio que deixou muitos curitibanos órfãos até hoje.
    Indo pro show eu ouvia no walkman uma k-7 com um "Transamérica Chá das 5" e uma outra de meio show do "Alternativa Nativa" (com as belíssimas incidentais Take A Walk On A Wild Side e Fazenda Moderna).
    O show de Guaratuba continha somente Ouça O Que Eu Digo... e Somos Quem Podemos Ser, do álbum vermelho.
    Uma corda do baixo arrebentou - terá sido em Sopa de Letrinhas? - e o Licks e o Maltz esticaram um pouco mais um trecho da canção, enquanto substituíam o baixo, que já era tocado sem palheta.
    ("Uma banda é uma entidade supersalutar" certo?)
    Com um show enxuto, de 50 min, sem intervalos, sem dar uma palavra além dos clássicos "Boa noite" e "Foi um prazer tocar aqui", o trio comprovou a máxima "sê breve e agradarás sempre".
    Nem bis rolou! Foi um show que "converteu" amigos críticos que conheciam somente a "música da novela".
    ...............................................
    Já era meu segundo show enghaw - o primeiro tinha sido 9 meses antes, ainda da Infinita Tour, no sítio arqueológico de Vila Velha, em Ponta Grossa - PR (uma tarde quente de domingo, 24 de abril de 88, pra ser mais exato).
    ...............................................
    Por aí se vê o quanto eu já tinha a banda gaúcha como trilha sonora nos meus 17 anos.
    Quando soube da gravação do Alívio, foi no burburinho de Moscou e os comícios do Brizola (onde os vi num pocket show em Curitiba, na Boca Maldita, e já rolava Era Um Garoto...)
    Um dos maiores orgulhos que eu tinha em ouvir o power trio ao vivo era a parte, digamos, instrumental, onde não rolava a canção. E por conta disso eu fui surpreendido com o disco, pois esperava algo um pouco mais além, como aconteceu com Toda Forma de Poder e Ouça o Que Eu Digo..., com suas "versões estendidas". A banda merecia um disco duplo.
    O público merecia ouvir Eu Ligo Pra Você, Vozes e Cidade em Chamas.
    Um detalhe que me chamou a atenção - e levemente me incomoda até hoje - foi o quanto o microfone ambiente ficou aberto, com o público chegando a atrapalhar alguns pedaços de algumas canções.
    Lembrou o tipo de captação ao vivo do Supertramp Live In Paris, de 79.
    Marcas que constróem nossas histórias, tal qual um tombo no palco ou um fora bem dado por alguma garota, enquanto Licks, indiferente a tudo, fazia algum solo com um cigarro aceso no canto da boca.
    O show de (novembro? dezembro?) de 89 em Curitiba, eu fui com uma namorada, hoje esposa, mãe de meu filho.
    ...............................................
    "Apertei a mão" do guitarrista em 2005, no aeroporto de Congonhas, pela segunda vez.
    Pela enésima vez, segue meu abraço virtual.

    ResponderExcluir
  80. Por falta de grana, não pude ir na gravação do Alívio Imediato, no Canecão. Quase 23 anos depois, lembro exatamente do dia. Um domingo de sol, eu abrindo o jornal O Globo com o anúncio do show estampado. Finalzinho de tarde, a galera gritando no portão: " Vai não ? " E eu, depois de ter contado, mil vezes as mesmas moedas, respondendo que não dava.
    Engraçado que depois, disso, cumpri a superstição de nunca ter assistido a uma gravação da banda. Terapia ?

    Acho o disco Alívio Imediato, um disco ao vivo de verdade. Notam-se dos erros da banda, os improvisos e a emoção do show. Nada de reparo no estúdio. Isso aqui sempre foi uma banda de verdade. Erros e acertos. Vida Real.

    Anos mais tarde, pintou a gravação em vídeo, da primeira noite deste show, gravada pelo FC Além dos Out-Doors. Notei que pouca coisa foi aproveitada desse dia. Somente as "Revoltas I e II". Humberto erra algumas letras, e essas versões acabaram não entrando no disco.

    Gosto muito deste disco. Ouço com frequência.

    Saudações Rubro-negras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. quase chorei aqui pq tu não foi! eu já sabia, mas ne...ler assim! poxa, mundo imundo!
      podemos voltar no tempo, eu te emprestar uns pilas. tu vai no alivio e, anos mais tarde, em 2007, nos encontramos em SP para assistir ao NH? como faz? hahahahaha

      Excluir
    2. Quando ganhar na loteria, vou contratar o HG para fazer um show só para os "de fé". Torçam por mim, a cada sorteio da Megasena. =)

      Excluir
  81. Vou (tentar)fazer um post do post, álias, o post de hoje foi um dos melhores, mexeu fundo com minhas memórias.
    Em 1989, eu então com 15 anos, fui ao show de lançamento do disco realizado no Palacio das Convenções do Anhembi aqui em SP, a ansiedade era tanta que, mesmo o ingresso sendo numerado, cheguei cedo por lá e tive a primeira surpresa do dia. Ao lado do Palacio das Convenções, no Auditório Elis Regina, um tal de Fidel Castro participava de uma convenção, fiquei por ali, já estava no fim e por 30 segundos da minha vida fiquei em frente ao ditador Cubano. Voltando ao grande motivo da minha presença por ali, os lugares marcados só seriam referência, bastou apagarem as luzes para iniciar o show e todos fomos para frente do palco, tu entrou com uma camisa preta estampada com estrelas brancas, Maltz com um macacão alaranjado e Licks impecavelmente de social. 03 engrenagens estampavam o cenario ao fundo. O show abriu com Nau a deriva, não acreditava que estava ali e nem que aquilo mudaria minha vida, era o que eu queria seguir sempre. No meio do show tu parou tudo e deu uma bronca no pessoal do som (Será que a bronca foi pro Master)lembro que tu disse que "o cara aqui da frente tem que ouvir a mesma coisa que o cara la de trás...". O show seguiu atendendo e superando todas as expectativas possíveis e impossiveis, foi uma noite mágica. Hoje, aos 38 anos, coloquei o CD do Alivio no carro como uma forma de "ensaio" para a twitcam e com certeza, dia 11/02 será marcante. Definindo em uma palavra: "OBRIGADO!"
    Douglas Marçal Neto - @12doga

    ResponderExcluir
  82. oi humberto,cada vez que toca suas cançoes vc consegue renova las..isso é um dom..que vc possa nos da esse prazer sempre.obrigado por tudo...

    ResponderExcluir
  83. Lindas lembranças, ótimo este post, me fez voltar a um mundo que não esqueço jamais. Obrigada sempre.

    ResponderExcluir
  84. Em 89 eu tinha 14 anos e já gostava dos Engenheiros do Hawaii. Mas foi com o "Alívio Imediato" que fiquei fã da banda. Lembro de um amigo ter comprado o disco e nos juntarmos para ouvi-lo várias vezes durante a madrugada. Agradecemos ao póda mudança, pois (no meu entender) é o melhor registro de voz. Aproveito para convidá-lo a conhecer o blog Rock 80 Brasil (www.rock80brasil.blogspot.com). No sábado farei um posto da twitcam Alívio Imediato.

    ResponderExcluir
  85. Em 89 vi o primeiro show literalmente na equina de uma rua da minha cidade Betim-MG.A banda em cima de um caminhao (não era trioelétrico, era comicio, do BRIZOLA).Lembro da namoradinha sardente e linda, do sinal da esquina que não desligaram e ficou piscando o show inteiro ( verde-amarelo-vermelho ) era o inicio de uma amizade de mão unica ( eu com a banda , a badna sem saber da minha existencia).Meu filho nasceu em 95 ( 24 de dezembro )filho de mae loira , poderia se chamar HUMBERTO, mas meu nome já é ALBERTO.Do show ficou uma banda que me acompanha até hoje,meu filho agora com 16 já encontrou meu idolo pessoalmente, eu ainda não.Se voce vai de BHA,vou de UAI então:

    UAI 1: Ainda lembro do sinal piscando.
    UAI 2: Ainda lembro do HUMBERTO tentando equalizar o baixo.
    UAI 3: Um dia comprei um baixo, guardo ele a 11 anos, ( quer trocar por um Steinberger????)

    ResponderExcluir
  86. Cara... Bem rápido, em 89 eu tinha quase 10, ficava tentando tocar Wish You Were Here no violão - era péssimo - e me lembro de ficar sempre à tarde esperando pela música do engenheiros que sempre tocava no programa de rock aqui da cidade. Nossa que saudade. Depois em 98 decidi romper meu muro e trocar os velhos violões pelo baixos elétricos tocando as linhas de Money (Dark Side) e de A Montanha na minha primeira banda. Abç

    ResponderExcluir
  87. HUMBERTO, CHUVA, TEXTO E ALÍVIO
    SÃO COISAS QUE NOS TRAZEM
    A ALEGRIA DO CONVÍVIO
    E COMO SE NÃO BASTASSE
    ELE AINDA TOCOU SANFONA
    É POR CAUSA DESSES DETALHES
    QUE A GENTE SEMPRE SE APAIXONA...

    ResponderExcluir
  88. Realmente,Humberto,em 89 eu nem sonhava em nascer,já que nasci em 94.Mas,o Alívio Imediato é um álbum maravilhoso,aliás,como todos do Engenheiros!Tô aguardando ansiosa pelo dia 11,eu quero ganhar a camiseta,viu?KKK a mais linda de todas as twitcams!Um grande abraço! ;)

    ResponderExcluir
  89. Esqueci de falar...(o principal fica fora do resumo) KKK,admiro o seu trabalho porque você é diferente da maioria dos músicos,pois cada vez que você toca uma música busca maneiras diferentes de apresentá-la,muda os instrumentos,ou o arranjo,isso torna suas músicas novas e surpreeendentes,e cada vez melhores!Enfim,lhe admiro muito! E até dia 11!Beijos!

    ResponderExcluir
  90. 9 anos em 89... minha contagem pro(re)gressiva parte pro passado desde simples de coração e fecha o ciclo com alivio imediato um disco maneiro, náu a deriva pan bam pan bam pan peng pesadinha... sempre me encantou essa mutação do hg ... cada disco sonhos e mais sonhos
    significados escondidos ... vida é arte sim !!! ou seria ao contrário ?
    valew humba

    ResponderExcluir
  91. Vejamos, em 1989 o fato mais marcante pra mim foi que eu nasci! heheheh... Acredito que esse tenha sido um momento marcante pra mim, além de decisivo pra as outras experiências qeu se seguiram e seguirão.
    Engraçado que Engenheiros sempre esteve por perto, rondando meus ouvidos em algum momento. Mas por um bom tempo nunca parei para escutar o que realmente havia ali, algo que só fui perceber anos depois, e quando percebi mergulhei fundo!
    Mas ainda assim é incrível como as letras parecem conversar comigo tanto sobre a epóca em que alguns fatos já tinham como trilha sonora com o meu dedo no play, como da época em que o dedo que dava o play ou sintonizava a rádio que fazia tocar Engenheiros era outra.
    E assim vai, um dos versos com os quais eu sempre sinto uma conexão que não sei e nem preciso explicar (seria a dúvida o preço da pureza?)

    "Que a noite caia de repente caia, tão demente quanto um Raio, que a noite traga Alívio Imediato(oooo)!"

    ResponderExcluir
  92. DISCAÇO!!!

    Eu tinha 11 anos, o Alívio foi presente de natal da minha avó (para o meu irmão!) eu ganhei dela na ocasião o disco ao vivo do Erasmo "Sou Uma Criança" lançado também em 89. Já curtia EngHaw desd' A Revolta dos Dândis. Ouvia o disco mais que meu irmão e ele acabou ficando comigo.

    89 o Prost "ganhou" o mundial, né? Saudades eternas do Senna!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  93. Eu ainda nem tinha nascido, sou de 1992, porém meu Pai sempre foi fã de EngHaw e me lembro que aos domingos ele sempre escultava esse disco, eu viajava com infinita highway, pois sempre gostei de viajar, nem eu sei quando minha paixão começou pelos EngHaw pois sempre foi um som presente na minha vida.
    Abraço HG!

    ResponderExcluir
  94. Esse disco (LP) passou por umas 3 agulhas do aparelho de som.

    Hoje dá para perceber que é um disco de mudança. As faixas ao vivo representam o passado e as de estúdio o futuro.

    O mais legal do disco é que as canções nele apresentadas não são reproduções das versões de estúdio. Ao vivo, o HG deixava fluir sua ascendência progressiva. E o som ainda era de banda de garagem, de cobrir os espaços.

    Já as músicas de estúdio apresentavam elementos novos. Alívio e Nau à Deriva foram impactantes para mim. Elas eram diferentes, mas ótimas.

    Ouvindo agora essas canções elas não me parecem datadas. Ao contrário do Papa é Pop. Para mim, ouvir o Papa é Pop hoje é um pouco angustiante. Não gosto da bateria. O disco é muito "limpo". Na época ouvia o "Papa" 5 vezes por dia. Hoje não consigo. Mas isso não acontece com Alívio e Nau.

    E sobre esse lance inimaginável de em cinco anos ter três discos de ouro. Quando vi os EngHaw no programa do Jô em 89, pensei: vou ser músico. Se eles, que também são gaúchos conseguiram, por que eu não conseguiria? (ahahahahaha) Somos quem podemos ser... sonhos que podemos ter.

    ResponderExcluir
  95. Minha juventude é sempre uma arma, contra mim. Sou apenas mais um filho da mãe que nasceu em 97...

    Ah, queria eu ter dois mil anos, pra faltar tempo e sobrarem planos!!!

    Foi uma ótima leitura, principalmente pr'agora, que tá chuvendo canivete...

    LEIAM MEUS POEMAS!!!!! www.is.gd/poemasdodouglas

    ResponderExcluir
  96. Alivio Imediato, a música que deu o nome ao disco caiu como um raio nos meus ouvidos, não conseguia parar de ouvir. Engenheiros ao vivo, numa época, onde nem existia www... e outras facilidades para curtir o "Ao vivo" Era o paraiso.. Mas muito bem. Como nem tudo são flore, até hoje ainda ouço o alivio imediato, adoro aquele clima que existe no disco. Porém, muito porém, tem alguma coisas que eu não gosto, não é que não gosto...Mas que me desagrada, que é a qualidade da gravação, sinto que as vezes o disco foi feito com pouco caprixo do ponto de vista técnico da coisa. Sei que é legal também esses erros, como você sempre diz né HG, uma fotografia do momento e tal. Sei como é. Mas, tem algumas coisas que hoje em dia onde fique com os ouvidos mais apurados que me incomoda ao ouvir... Mas enfim...Pra mim é super disco. Valeu! E um grande abraço!

    ResponderExcluir
  97. Sempre gostei de álbuns gravados ao vivo. E gosto tanto do "Alívio" que, sempre que o ouço, me imagino em meio àquele público que lotou o Canecão.
    Definitivamente, era o show que eu queria ter visto. Mas não me sinto frustrado em não ter estado ali, pois, quase 10 anos depois, tive o disco em mãos. Foi como se eu tivesse pago o ingresso e curtido cada minuto daquela apresentação.

    ResponderExcluir
  98. Anos mais tarde, já fã de Engenheiros, soube que em 89 a banda esteve pela primeira vez em Muriaé-MG, minha cidade. Lamentei profundamente não ter ido também a esse show - eu tinha só 6 anos. Teria sido ótima oportunidade para reviver os momentos que não vivi na gravação do " Alívio".

    ResponderExcluir
  99. 1989 parece cada vez mais distante,
    quase irreal, penso assim sobre os anos em que vivi sem internet, parece que só existiram no Wikipedia.

    Costumava repetir que "meu coração é um porta-aviões" em qualquer mesa de bar, era uma especie de mantra.

    O grito de "... e seremos" em "Somos quem podemos ser" ainda é repetido pelos fãs desde aquele ano, mesmo que HG não o faça.

    Ainda tenho o vinil, o "single" (aquele exclusivo para as rádios) e comprei o CD por causa do bônus "Tribus e Tribunais", mas não sei por que cargas d'agua sempre espero "Sopa de Letrinhas" tocar quado escuto esse disco.

    "Eu... o que faço com esses números?"

    ResponderExcluir
  100. Sem vergonha digo, eu era uma projeto futuro em 89. Quem dera eu nesse ano já estar fazendo projetos futuros pra acompanhar todas essas transições. Só digo que tenho um orgulho gaúcho dentro de mim, que não me cabe de tão grande (e eu não sou pequena).
    O turbilhão de sentimentos que passam por mim quando ouço "Infinita Highway", vontade de sair voando. A inutilidade de uma vontade doida de ser útil em "Toda forma de poder" e só vai...

    Me perdi, eu sempre me perco. Ouça o que eu digo: Não ouça ninguém.Amém!

    ResponderExcluir
  101. Em 89 eu tinha três anos, acompanho os EngHaw desde o acústico MTV, pouco tempo. Mas gosto (pra usar liberdade poética)desde 86.

    ResponderExcluir
  102. Comecei a ouvir Engenheiros em 89 com dez anos de idade. Eu era enxadrista profissional e o pessoal da delegação ficava o dia todo ouvindo, a partir daí não parei mais de ouvir.

    ResponderExcluir
  103. Caro Humberto, Alívio Imediato trouxe a novidade do "Ao vivo"mas confesso que me apaixonei mesmo foi pelas músicas do estúdio. Sou de 1973 (nóóó) e gosto de EH desde 1986.Cresci e me formei ouvindo vocês. Agora esse poema do fim dizendo " que o abrigo desse abraço caia como uma luva" é pra matar a gente né? Ai meu Deus!!!! Já pensou um abraço do Humberto??? Bjo. Vanilce

    ResponderExcluir
  104. Na espera da twitcam, que sempre me emociona, creio que dessa vez será um pouco diferente, já que não poderei ver ao vivo. Sobre o alívio imediato, só posso dizer que foi com ele que tudo começou pra mim. Nasci em 1988 e tenho 3 irmãos mais velhos, que na época tinham 14, 15 e 17 anos e eram fãs daquela banda que surgiu pra durar uma só noite!
    Com isso, cresci ouvindo EngHaw, e a primeira música que eu cantei quando aprendi a falar foi "Terra de Gigantes", que é minha música preferida não por acaso!

    ResponderExcluir
  105. Em 1989 eu já tinha 15 anos. Sim, e foi em 18/08/1989 que assisti a meu primeiro show enghaw aqui em Maringá-PR. Ainda me lembro de alguns detalhes deste dia. Aliás, recuperar esta data foi graças ao Instituto Datagagê em umas tuitadas que o Humberto costuma fazer antes dos shows.

    Tenho muito a agradecer a este disco. Me lembro de que na tour da época tocar muita coisa do Ouça.

    A versão que mais gosto de Infinita Higway está neste disco e também nas versões ao vivo da época. Augusto sabia o que fazia no solo desta canção e também em Alívio Imediato.

    Sem a www, saber dos show era mais complicado. Morava no interior de São Paulo na época e através da Folha e do Estadão via os anúncios de shows no Palace e Ibirapuera. Ligava para os primos da capital para comprarem os convites e dá-lhe busão.

    Enfim, Alívio é um dos meus discos favoritos. Sempre gostei de versões ao vivo. me veio a cabeça agora uma entrevista em que Humberto disse que a cada 3 discos de estúdio fariam um disco ao vivo pra por umas vírgulas no que estavam dizendo.

    Além de vírgulas, ficaram exclamações. Ainda bem que na época não tínhamos os emoticons.

    Um grande abraço e até sábado!

    Fabrício Lazilha

    ResponderExcluir
  106. 1989 estava entrando na escola (1ª série), me lembro da morte do Raul Seixas, e o vinil "Alívio Imediato" chegou através de um primo. Há bandas que fazem no show ao vivo exatamento o que está no disco, o que não é o caso dos engenheiros... Eu era apenas um garoto de 7 anos, época em que comecei a me interessar por música, e notei que as versões ao vivo, tinham um desafio de transformar as versões do disco em um show com 3 caras se "virando" para fechar todas as lacunas, se é que elas existiam. Grande disco! Grande Abraço!

    ResponderExcluir
  107. Devo dizer que, mesmo sendo muito clichê, músicas do alivio imediato marcaram e estão presentes ainda hoje na minha vida...quantos anos tinha em 89...15 anos...wonder years bem aproveitados diante na inteira complicação do pensar e existir adolescente e "mas não precisamos saber pra onde vamos, nos só precisamos ir" foi uma filosofia de vida (sim...por muito tempo a versão de Infinita highway de Alivio imediato foi a única).Claro existiam outra músicas no disco, na verdade não era disco, era K7, gravado na FM, numa manobra
    aperte o REC e Play e fiquemos calados para a voz não sair na música, tempos muito divertidos. Existiram outras músicas, outros discos, CDs, MP3 e ouço ENGHAWPOUCAVOGAL até hoje, mas, Infinita Highway é uma máquina do tempo no mesmo tempo. Mesmo sendo muito clichê, obrigado Humberto Gessiger.

    ResponderExcluir
  108. Essa é a primeira vez que comento no BLOGESSINGER isto por que o Alivio Imediato foi o primeiro disco que ouvi e comprei dos ENGHAW em 1989. Na realidade comprei o disco como presente para uma menina na qual eu era apaixonado... queria ganhar a menina (de nome Karla Patrícia) e para isso tive que descobrir qual era sua preferência: perfume, comida, diversão, cinema, música... a, claro, música. Soube que era fã de uma tal banda estranhamente chamada de Engenheiros do Hawaii. Comprei o disco e antes de presentear o ouvi e gravei numa fita k7 Basf!!!! Precisava também conhecer as canções. Me surpreendi com a quantidade de hits que tocavam nas rádios nos fins dos anos 80 e quase fiquei com o LP. Não ganhei a mina e ainda adquiri um vírus que não consigo me livrar até hoje: ouvi os Engenheiros e o senhor H(orse) G(ermany). Ela trocou o Gessinger pelo Axl Rose e eu fiquei com o pé atolado nos anos 80, ainda, espirrando Engenheiros pra todo lado... que virus cha... cha... aaaaatchim... chato!!!

    ResponderExcluir
  109. minha maior inveja é de que o Humberto não é catarinense, felizmente está colado em nós vivendo no Rio grande do Sul, mais um texto sensacional algo que tornou-se rotina a final assim como midas o Humberto transforma simples frases em poesia algo possivel só para quem é mestre. Não nasci em 89 mas agradeço por poder usufruir desde 91 a genialidade desse cara.

    ResponderExcluir
  110. Do Naú a deriva até o tribunal..
    Alívio Imediato pra mim, reune num disco só os Clássicos 'Infinita Highway', 'Toda Forma de Poder', 'A Revolta dos Dandis', 'Terra de Gigantes', 'Somos quem Podemos Ser' e 'Ouca o que eu digo não Ouça Ninguem'.. um Prato Cheio pra quando você estiver com saudade de ouvir as Clássicas pegar o disco de 1989.
    e uma curiosidade minha,
    "Tudo que ele deixou foi uma carta de amor pra uma apresentadora de programa infantil. Nela ele dizia que já não era criança, e que a esperança também dança como monstros de um filme japonês. Tudo que ele tinha era uma foto desbotada, recortada de revista especializada em vida de artista. Tudo que ele queria era encontrá-la um dia (todo suicida acredita na vida depois da morte). Tudo que ele tinha cabia no bolso da jaqueta. A vida quando acaba, cabe em qualquer lugar." - Talvez essa 13a faixa não se encaixaria muito num Alívio Imediato, e por isso de última hora foi para os anos 90 onde até o Papa é Pop? Grande Abraço Lenda Gessinger!

    ResponderExcluir
  111. Adorei os versos finais! Eu tinha apenas um aninho de idade quando o Alivio foi gravado e hoje, com meus quase 24 anos, te digo que é um dos meus discos favoritos.
    Adoro aquela chamada: "com vocês, os Engenheiros do Hawaii". Certa vez recortei da introdução de Revolta e coloquei de toque no despertador do meu celular. E era bom acordar! rsrsrsrs

    Alivio é a canção que combina com qualquer canção e em qualquer disco. Pode ser com Ilex, com Exército, com Novos Horizontes. Pode ser ao vivo ou gravada. Dá nome a esse disco, o tornando ainda mais sensacional.

    Te ver recapitulando esses discos me dá uma boa sensação. Ultimamente me lembra o Waters e suas tours retrospectivas, como a que vou assistir mês que vem. Tu te pilha cair na estrada com algo semelhante? Escolher um disco e partir pra revisitar um álbum?

    Sábado...estamos contigo! Sempre!

    ResponderExcluir
  112. minha primeira lembrança de ouvir algo no rádio e gostar, ficar interessado no som que não entendia... tinha 9 anos em 89. anos mais tarde quando ouvi novamente a canção lembrei da primeira audição no rádio. feliz, descobri: ah! então aí está a canção que ficou plantada no inconsciente, uma semente plantada. nau a deriva.

    ResponderExcluir
  113. Ahhh e eu só posso dizer que sinto inveja daqueles que te acompanham ou acompanham EngHaw desde do ínicio, é até estranho porque de certo modo, até parece que eu quero ser mais velha rsrsrs, mais sim! sinto inveja! Só tenho 19 anos ;/
    E tocar exatamente igual do primeiro ensaio ao último show e tratar de curtir a vida? Esperar vir com outra cabeça da próxima vez, senão não vai curtir “curtir a vida”. ?? Ahh Humberto, sinceramente é isso que mais me encanta, essas mudanças.. Faz com a mesma música seja "diferente", acho demais *.* Abraços dessa "pequena" fã. (:

    ResponderExcluir
  114. Lindo texto. Encanto-me com a naturalidade das doces palavras... Assim como nos livros, sinto Humberto próximo, aqui bem do meu lado!
    Infelizmente acho que não poderei assistir a twitcan ao vivo, mas de qualquer modo já desejo logo meu "boa sorte!"... mas só por carinho, pois já sei que vai ser tão boa quanto todas as que antecederam-na.
    Parabéns pelo trabalho.

    Ah! Quantos anos em 1989? -3 ;D

    ResponderExcluir
  115. Em 11 de julho de 89? Eu estava completando 7 meses de idade..

    Na verdade, o CD dos EngHaw q lembro de ter visto pela primeira vez foi o Minuano, com 8 anos, mas essa data é a q eu lembro, pois meu irmão já ouvia EngHaw havia tempos!!
    Não vou dizer aqui q com 8 anos eu já virei tão fã assim como hj, mas já andava cantarolando: ...no alto da montanha, num arranha-céu... nossa, me imaginava em uma montanha gritando pra todo o mundo lá em baixo!!
    Foi somente com uns 13 anos q comecei a ouvir EngHaw todos os dias, quando saiu o CD Surfando Karmas & DNA. Caramba, a música esportes radicais me deixava sem saber oq fazia sentido, e se mudasse tudo? e se tudo fosse diferente? Ia fazer sentido? Aí, com ajuda de Raul Seixas (suas músicas é claro): ...pq o azul é azul? Pq sim não é sul? Pq não não é mais?... eu ficava cada vez mais confusa.. imagina... aos 14 anos de idade quem não é confuso?

    Depois q meu irão trouxe o CD Surfando Karmas & DNA pra casa e me deu pra ouvir, nunca mais parei de ouvir EngHaw, peguei todos os CDs do meu irmão, copiei as músicas para o computador, logo, ouvia todos os dias, EngHaw o dia todo...
    Quando me deparei com o CD Alívio imediato, apesar de sempre cantar muitas músicas desse CD sem saber q eram desse CD (principalmente Infinita Highway em karaokês da vida, ou terra de gigantes), eu já não me sentia mais uma estranha, passageira de qualquer trem, eu me sentia bem, pois ouvir EngHaw sempre me trouxe um alívio imediato e, cada álbum que eu escolhia pra ver, ler e escutar, eu admirava cada vez mais essa obra, boa parte obra do meu artista preferido Humberto Gessinger...
    O tempo q levou do meu nascimento até o CD minuano (8 anos e pouco) e o tempo que levou do CD Alívio Imediato até hj (23 anos, quase minha idade) não parecem ter tanta diferença, pois esses 8 anos pra mim, hj eu vejo, que foi muito muito tempo até conhecer a arte de Humberto!!
    Obrigada Humberto!!

    ResponderExcluir
  116. nossa...lendo este texto...lembrei q várias coisas daquele tempo...me casei neste ano...com apenas 17 anos...era o q eu + queria na época e fui mt feliz por 19 anos...mas na vida às vezes as pessoas tomam rumos diferentes...e foi isto q aconteceu...mas agora tb sou FELIZ...
    ...bom..já curti Eng deste d 87...então amei este disco...este trabalho...pois era uma continuação...nova!!!
    aliás adoro o "novo velho e o velho novo" (desculpa...mas copiei isto...kkk...mas adorei esta frase)...
    Adoro teus textos...e a twitcam tb... bjs e desejo td d bom!!!

    ResponderExcluir
  117. Na festa de amigo secreto da escola em 89 eu estava muito feliz porque tinha passado de ano pra 5ª serie, ao mesmo tempo muito aborrecido pois tinha pedido o disco Alívio Imediato de presente e de sacanagem me deram disco do Information Society, até aí ok, vamos á troca. Chegando na loja no dia seguinte não tinha o disco, mas lembro q a vendedora queria me dar o disco do Pet Shop Boys, nem sabia quem era mas enfim... acabei ficando com o Information mesmo pois gostava da musica "Repetition" hehe...
    Só fui ouvir mesmo Alívio imediato no ano seguinte quando consegui juntar uns trocados q meus tios sempre me davam e pedi pra minha mãe comprar pra mim, ela quis me agradar e voltou da loja com ele e o Papa é Pop na sacola. \0/

    ResponderExcluir
  118. Quantos anos eu tinha eu ñ vou dizer mas meu primeiro filho tinha um aninho, curioso é q quando entrou na adolescencia e começou a tocar violão só tocava engenheiros do hawai e dai então eu tbem q já gostava me tornei fã.
    vc é muito impotante na vida dos meus filhos...

    Abraço!

    ResponderExcluir
  119. Se é assim Eu tinha -2 anos então! Hehe.. Muito maluco esse lance das coisas que se perpetuam séculos (sei.. Tua arte ainda tem apenas décadas, mas vais chegar lá)! Afirmo isso porque desses artistas da pós-modernidade brasileira (não sei se é assim que vão chamar mesmo esse período) o que Tu faz tem superado essa linha tempo/espaço! Quando Tu começou com tudo Eu nem existia, mas ja Tu era o cara! Só conheci no começo dos anos 2000! Me fascinei! Primeiro pela música, depois começei a captar a poesia! E aí Tu continua! Esses dados são pra tentar motivar mais um pouco! Segue nessa, que Teu nome já ta na história, mas sei que Tu abrilhantará ainda mais!

    Valeu!

    ResponderExcluir
  120. Quer dizer que o Alívio Imediato foi gravado em Maio de 1989?
    Eu faria 1 mês de vida \o/

    A versão desse disco de Alívio Imediato é incrível.
    "Duas Alemanhas, duas Coréias. Tudo se divide, todos se separam."

    Imagina o sucesso quando essa música saiu.

    Parabéns 1berto!! Grande abraço.

    ResponderExcluir
  121. Lucilaine Reis - (@LucilaineReis1)

    Eu tinha 14 anos. E tinha um altar para os Engenheiros do Hawaii no meu quarto. Nós eramos uma turma de adoradores, uns oito ou nove, ser fã da banda era o que nos definia, era o que dava alguma ordem ao caos das nossas existências. Sei não, mas pelo menos na minha cidade ser fã dos Engenheiros era ser meio nerd. Ficamos esperando lançar o Alívio Imediato e ouvimos todos juntos. Não sei se gostei de cara. Tinha aquele lance de gostar das música no estúdio. Tivemos que nos acostumar a ouvir de novo com outra roupagem. Quando decidimos que gostávamos, aí caiu o Muro de Berlim, como é que ía ficar a letra "duas Alemanhas, duas Coréias, tudo se divide, todos se separam"? Acreditem passamos muito tempo decidindo o que fazer com Alívio Imediato depois da queda do Muro! Saudade daquela turma... Saudade boa de quem viveu tudo intensamente...

    ResponderExcluir
  122. Em 9 de novembro de 1989 o Muro de Berlim caía, eu aqui, no interior de São Paulo completava um aninho de vida, vestido de marinheiro(?). Hoje em dia sou historiador e socialista. Quase dá pra acreditar em destino, né?

    No mais, o contato com o Alívio Imediato já foi mais de uma década depois, já nos tempos do MP3. :)

    ResponderExcluir
  123. Caro Humberto, para mim Alívio Imediato é um dos melhores. A música Alívio Imediato está na trilha sonora da minha vida, apesar de eu ter nascido em 1995, haha. Continue seu trabalho espetacular. E volte para Luís Alves, Santa Catarina. (Festa da Cachaça te lembra algo?)

    Abraço da Gabriela Martini.

    ResponderExcluir
  124. Minha paixão por baixo nasceu nesse disco na minha adolescência.

    ResponderExcluir
  125. Em 1989 eu tinha 14 anos, no ano seguinte conheci o disco o Papa é Pop, foi incrível saber que existia uma banda gaúcha fazendo aquele som maravilhoso. Desde então, me tornei uma fã loucamente apaixonada pelos Engenheiros do Hawaii, hoje tenho todos os discos (CDs) (ops,eu ainda falo disco, sorry), e todos os DVDs. Humberto, fico muito feliz em saber que agora, nós fãs, temos o privilégio de ter esse contato contigo. Muito obrigada pelas lindas canções que embalaram a minha adolescência.
    Beijos, Marisa Manzanero - São Paulo.

    ResponderExcluir
  126. Andre Ramos (Fortaleza CE)7 de fevereiro de 2012 20:13

    Em meados de 99 (10 anos depois do alivio ser gravado), quando conheci engenheiros do hawaii, alivio era o disco que eu e dois primos mais curtiamos pra, quando nao houvesse ninguem em casa, fazermos de conta que nos eramos os engenheiros. punhamos o cd num microsystem, a bateria era feita com uma cadeira, um guarda chuva (que lembrava o bumbo) e as baquetas eram espetos de churrasco, outro primo era o guitarrista, nao lembro o que ele usava como guitarra, eu cantava e tocava um baixo de raquete de brinquedo, algum tempo depois fizemos steinbergers de isopor e cartolina, as cordas eram cordas de varal, foi um sabado inteiro pra fazer guitarra e baixo, nesse sabado nao "tocamos", no outro quebbramos as cordas e o braço dos instrumentos ao primeiro acorde de Revolta dos dandis I no inicio das musicas ao vivo...

    .
    boas lembranças =)

    ResponderExcluir
  127. Na minha cronologia EngHaw foi o 2ºLP que tive.

    Na verdade o primeiro foi o PAPA. OAlívio eu pedi de amigo secreto na papelaria que eu trabalhava comooffice boy já aos 12 anos,meu primeiro emprego.

    Ganhava meio saláiro mínimo, trabalhavameio período ea adorava o que fazia: ir aos bancos mais rápido doque qualquer outro "boy" da empresa. Era elogiado por isso. Oque eles não sabiam é que eu ainda parava na loja de LP para saber se jatinha chegado algum novo LP dos engenheiros. Falta de informação, a gentesó sabia do disco quando ele estava na loja, as vezes com 2, 3 cançõesja estouradas na rádio.

    Acho que vale uma foto do Alivio Imediato que ganhei.http://pic.twitter.com/2KOvUnKb
    Todo mundo que trabalhava na papelaria "autografou"o LP que ganhei de presente. Pessoas com as quais tomei café e converseipor 5 anos por vários 5 minutos deixaram seu nome escrito na capa do LPque guardo ate hoje.

    Taí algo que queria inverter, trocar os tantos autógrafos que ja tenho , por na próxima vez que vir o HG queriadeixar de lado o autógrafo escrito e trocar por 5 minutos de café. Achoque em 5 minutos consigo encontrar coragem e assunto pra voz não tremer,e o assunto não esfriar antes do café, termina lo antes do assunto e deixalo ir. Com a sensação de que faltou algo a dizer, mas que ficarpá maismarcado que um autógrafo. 5 minutos de papo.

    Mas voltando ao disco, lembro de aindamenino colocar as caixas do 3 em 1 na janela e o som no último volume praescutarmos da calçada o LP. Lembro ainda dos passeios da Brasília brancado primo mais velho toda equipada com insulfim e som (hojese diria tunada) ouvindo o som nos falantes e twiiter (aqueles altofalantes pequenos e agudos) . Muita coisa mudou.

    Um ou dois anos depois, lembro de vero mesmo LP lançado em CD.
    Eu que sempre tive a mania de visitar lojas de cd pra ver as novidades ou simplesmente pra ver se tinham os cds dos engenheiros. Na verdade ia mesmo pra colocar os cdss dos Engenheiros em primeiro lugar na letra "E", escondendo os "ELimar Santos", Elba Ramalho e outros.
    Aproveitava pra checar se no cd dos Engenheiros tinham mesmo as faixas de canções dos engenheiros, se tinha tirado alguma ou incluido mais uma. Loucura ? Não. Nelson Rodrigues fazia isso. Naquele ano no relançamento do Alivio Imediato incluiram Tribos e Tribunaisao vivo. Eu tinha razão! Anos mais tarde relançariam o LDDC com o audio de outra banda, mas isso é outra storia.

    O Alivio Imediato representa pra mim o melhor disco ao vivo da banda . Nele tem a canção mais completa, como melhor refrão e solo de guitarra. A própria ALivio Imediato. Nele, a versão definitiva de Infinita Highawy.

    Nele tantas emoções, mas sobre issonão sei escrever.

    Ops, desculpe por fazer do meu comentárioum pequeno texto. Grande abraço HG! Obrigadão, você está na nossa vida!Até a próxima!

    ResponderExcluir
  128. Em 89? Depende do mês!! Ate 13 de outubro eu meio que não pertencia a esse mundo ;)

    O alívio imediato por ser um disco ao vivo nos leva a pensar em um "plural", porém eu o vejo de forma tão intimista...contigo mesmo, posso até está completamente enganada.

    EI Humberto...vc realmente memoriza datas e nomes, ou antes da um pesquisada no google??

    Até dia 11 o/
    abraços;*

    @niviabitu

    ResponderExcluir
  129. Nasci em 89, por essa razão nem sabia quem era Humberto Gessinger nessa epoca...qdo ja produzia seu 5 disco...Não me lembro qdo foi que ouvi o alivio imediato pela primeira vez...tenho certeza que foi depois dos meus 11 anos, q foi qdo comecei a ouvir EngHaw...entao tem pelo menos uns 10 anos que escuto esse disco e adoro ele....gosto de escuta-lo qdo to sozinha e um pouco pra baixo....parece que ele traz uma paz...
    bem é isso...
    Valeu Humberto pela paz que vc transmite atraves do seu som....

    ResponderExcluir
  130. Impressões pessoais sobre a obra Alívio Imediato:
    1) Em 1989 eu tinha 2 anos... não lembro do lançamento, nem do que acontecia nesse mundo... (na verdade demorei para criar gosto musical, conhecer os EngHaw, amadurecer a conciência - sou meio sonhador...) - por sinal, nasci em fevereiro!
    2) Como músico: cara, EngHaw ao vivo é muito! Vocês tocam muito! Curto muito as passagens e do estilo de interpretação ao vivo de vocês!
    3) Como pessoa: o hit Alívio Imediato encaixa-se quando estou confuso...
    4) (cont.)... e me sinto Nau a deriva...
    5) Como fã: muito obrigado ao trio!

    Grande abraço HG,
    Até dia 11.

    ResponderExcluir
  131. Eu tinha 12 anos. Mas conheci o disco em 1995. Um grande amigo meu da época pegou emprestado uns 5 discos dos engenheiros, fizemos uma coletânea em uma fita k7, aliás em duas, uma pra mim e outra pra ele. A minha ficou com o lado B quase toda com o disco Alívio Imediato, achei q ficaria legal o lado B todo ao vivo! Ano passado ganhei de uma amiga o vinil do Alívio Imediato que ela guardava desde da época, pra minha coleção de vinil e cds dos engenheiros e pink floyd. Essa eh um pouco da minha relação com essse album q eh o melhor ao vivo q ja ouvi com uma energia impressionate do trio. Fico imaginando qdo vejo a capa o tão louco q foi para aquelas pessoas ficaram eternizadas na capa e hj na camiseta da twitcam. Ouvir esse disco é ter uma boa sensação estranha de mergulhar "ao vivo" naquela época!
    Vlw Mestre!
    Um abraço de um DeFé!
    Júnior

    ResponderExcluir
  132. Boa noite a todos!
    'Alivio Imediato' tem uma importancia impar em minha vida, porque foi esta a primeira musica de Engenheiros do Hawaii que ouvi! Quando o disco foi gravado, no ano de 1989, eu estava nascendo, pra ser mais exata, quando foi gravado eu tinha pouco mais de 2 meses de vida!
    Quando eu estava com meus 11 anos de idade ouvi pela primeira vez a voz de Humberto Gessinger! Era uma noite chuvosa, lembro que esta chuva foi bem forte, nada comum pra regiao que moro em MG e estavamos voltando pra minha cidade,viagem comum de fazenda para cidade, meu tio e eu, esse meu tio tinha uma fita com musicas de varios cantores e entre eles havia Engenheiros do Hawaii..rsrs..ele colocou a fita e assim que ouvi: " Que a chuva traga alivio imediato " , poxa, parecia que era pra mim, as palavras daquela canção me marcaram demais, perguntei a ele quem cantava tal musica ele disse: Engenheiros do Hawaii, apaixonei pelo som, a busca continuou e hoje simplesmente sou muito feliz por ter conhecido o trabalho de HG, que me acrescenta demais como ser humano, trazendo ao meu coração tanta positividade!

    ResponderExcluir
  133. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  134. 7, 8 ou 9 de junho eu estava no máximo sendo feita... ou foi um pouco depois...

    ResponderExcluir
  135. Eu tinha 13 anos...
    Alívio Imediato foi por muitos anos o disco q mais gostei e ouvi dos Engenheiros.
    Tbm foi quando comecei a deixar o cabelo crescer, "pra ficar igual" ao seu Humberto. Nunca entendi bem como seu cabelo crescia tão rápido,cheguei a usar até shampoo de Homeopátia pra ver se te acompanhava, mas em vão. Deixei crescer até me alistar no Tiro de Guerra (SIC). O Triste é q quando vc cortava o cabelo eu ia lá e cortava o meu, claro sempre atrasado, já q as imagens dos discos e de revista só iamos ter acesso 1 bom tempo depois. Época boa, quase furávamosliteralmente o disco mesmo de tanto tocar, e haja cabeleira pra chacoalhar. Depois de 23 me orgulho em dizer q continuo nessa Infinita Highway para o q der e vier mas o certo é q nós estaremos com vc onde vc estiver.
    Abração. Otacir(@4belos)

    ResponderExcluir
  136. Alivio Imediato realmente foi um alivio Imediato! disse Mamãe.. que em junho/ 89 me trazia ao mundo para aprecisar esse perfeito compositor , poeta HG e sem mais,,,, fazer parte totalmente da minha infância , adolescencia até os dias de hoje..

    "Há um muro de concreto entre nossos lábios
    Há um muro de Berlim dentro de mim
    Tudo se divide, todos se separam
    A diferença,
    É o que temos em comum."...

    ResponderExcluir
  137. Putz escutei o álbum "Alívio Imediato" pela primeira vez quando estava começando a conhecer o tal "Admirável Mundo Novo", saindo da infância e dando de cara com uma loucura incontrolável que chamamos de vida real. Acontece que nessa época coincidiu o "boom" tecnológico da computação, internet e toda essa caralha. Download não era popular, mas eu já salvava os álbuns que eu conseguia no pc e ficava ouvindo num fone (primórdios do mp3). Alívio Imediato acabou ficando com uma capa dum cd do Dimmu Borgir... enganos da internet (risos). Eu não costumava ouvir a faixa título do álbum pois ela tem uns lances estero e meu som era mono( eu vivia quebrando fones de ouvido) , além de que eu não entendia porra nenhuma sobre guerra fria na época, mas gostava da música, amava-a. A faixa que eu mais gostava na época era "Tribos Tribunais", agora já não sei, faz tempo que não ouço o álbum. Que venha a twitcam ^^

    ResponderExcluir
  138. Um comentário simples e direto!

    Boa sensação estranha de saber que em 89 foi gravado numa casa aqui no Rio O disco que abriria meus olhos para os engenheiros!
    Se orgulho é pecado eu sou um Carioca pecador!

    ResponderExcluir
  139. En el 98 escuche por primera vez esta banda, sin saber que la iba a seguir hasta hoy.
    Todavía no pierdo las esperanzas de verlos en vivo!

    Montevideo - Uruguay

    ResponderExcluir
  140. Alívio Imediato foi meu primeiro disco. Eu tinha 14 anos, em 2009! Muitas vezes quis estar nesse show :]

    ResponderExcluir
  141. "Gauche" não é "gaúcho" com erro de datilografia!"

    1989 ainda era época de datilografia! Um ano depois, me tornaria fã, ao som de "Era um garoto...". Três anos depois, acharia ruim ouvir o professor de datilografia (olha ela aqui) criticar o som dos Engenheiros desdenhando Parabólica.

    ResponderExcluir
  142. Onde eu estava em 89... 7 anos de idade, provavelmente acompanhando algum daqueles seriados japoneses inesquecíveis. Enfim, já o disco, que me caiu como uma luva, apareceu exatos 10 anos depois, em 99, quando eu e um grande amigo compartilhavamos cada CD comprado a muito custo...

    ResponderExcluir
  143. Sensacional te ver tocando, depois de tantos outros instrumentos, o acordeon, ou será gaita? ou será sanfona? sei lá... de toda forma o principal desse comentário é que é sensacional..... Parabéns sempre por essa busca incansável pelo novo

    ResponderExcluir
  144. O que será que ele quis dizer com 5 letras começando coma letra "A"? Adeus? Que nada, ele está de volta, HG senpre inovando e estreitando a comunicação com seus fãns. Eu tinha 18 anos e acabará de mudar de Santos pra São Bernardo do campo, ambas em São Paulo, pra cursar Engenheria na FEI. E o EngHaw foi responsavel pela trilha sonora dessa época da minha vida. Nessa mesma época ganhei a promoção da Radio Transaméria que me presenteou com uma sacola da BMG Ariola com os três primeiros disco dos EngHaw, en vivnil. E os tenho até hj guardados na mesma sacola...rs. Grande compositor, ler suas composições nas entrelinhas é um exercício ideológico e filosófico, é como luz que não produs sombra. Vale HG, é sempre bom tê-lo entre nós. Boa sorte!!!

    ResponderExcluir
  145. Me lembro quando vi pela primeira vez ao vivo o Gessinger Trio, foi em Santos, minha cidade. Lá fora um cambista vendia ingressos anunciando como Enhenheiros do Hawaii. No meio do show, do nada, recebi uma pulseirinha no pulso e o convite de visitar o camarim depois do show. Chegando lá, eu, meu primo e mais alguns afortunados, entramos no camirim e encontramos um Hg muito feliz e receptivo que nos perguntou: - E ai, o que vcs acharam do show? Alí eu senti que ele ainda tinha muito o que dizer...Acompanho sua carreira desde o "Longe demais das Capitais" até hj. Tenho todos os seus trabalhos, e apesar de sentir falta da formação Gessinger, Licks e Maltz, não importa quem o acompanhe pois suas composições são sempre cheias de HG, e a que mais curto é "A verdade a ver navios"....Onde já se viu?

    ResponderExcluir
  146. Em 89 estava aos meus 14 anos de idade. Enquanto a turma de fim de tarde de aula seguia batendo bola ou fliperama, Eu, o Zagalo e o Gil puxávamos uma cadeira de balanço em frente a casa do Gil, que tinha um microsisten "gradiente" potente à seis pilhas grandes. E ali começavam as sessões do "o que há de novo cara?". Saquei do bolso uma fita cassete com o novo álbum dos Engenheiros, o Alívio Imediato. Presente de um amigo playboy que teve a consideração de mostrar que o novo equipamento que ganhara de presente gravava fitas! Pow muito massa cara. A cada álbum, uma história, pois nós vivemos mesmo cada lançamento vinil até a chegada do compactos! Grande Abraço mano velho...

    ResponderExcluir
  147. Sensacional!! Inteligentíssimo!!! o cara manda bem em tudo kk. Ansioso pra ver a twitcam desse mês =D.

    ResponderExcluir
  148. essa twitcam vai ser especial para mim. alem de ser a primeira q vou conseguir acompanhar ao vivo, marca o inicio de minha vida musical.no auge das minhas espinhas,com meus áureos 12 anos, eu enlouquecia com uma vassoura, enquanto imaginava ser eu a tocar o som hipnotizante do baixo de naw a deriva, musica que me apresentou intimamente à banda que felizmente viria a ser a minha universidade musical. ainda não toco contra baixo,talvez por venerar tanto sua sonoridade, mas sigo amando; o instrumento, a banda, e as musicas que marcaram, e nunca vão se apagar.talvez voce nem leia, mas ali, 1989,marcou o inicio do fim, do q eu era, e oque eu queria, e viria a ser. saudações. djeferson hoed.

    djeferson.hoed@hotmail.com

    ResponderExcluir
  149. Putz vou estar trabalhando... mas não tem problema eu assisto depois. Sobre o disco. Alivio Imediato foi o disco que mais me marcou. Eu tinha 11 anos e foi o primeiro disco dos EngHaw que escutei Lado A e Lado B. (bons tempos). Foi escutando esse disco que me transformou em fã, dos de fé. como diz o próprio Humberto. Cara, ainda morava em Bagé. Como não tinha toca-disco, e não ganhava mesada, escutava sempre com uma amigo. outro dos de fé. Só consegui comprar o disco, agora cd com o meu primeiro salário como boy em um escritório. Ainda hoje escuto o cd. A musica preferida... Longe Demais das Capitais.!!!

    ResponderExcluir
  150. É sempre bom ler os textos de Gessinger... Duas viagens ao mesmo tempo - em suas canções e em sua escrita, sempre poética. Abraços saudosos, Andréa Handrews

    ResponderExcluir
  151. O disco Alívio Imediato foi o meu primeiro contato com os Engenheiros, na época eu tinha uns 10 anos e meu irmão tinha ganhado esse disco da namorada, mas acho q o presente foi mais pra mim. Um ano depois meu irmão veio a falecer e o disco é hoje a herança q ficou dele pra mim. Através desse disco me tornei fã dos Engenheiros, de Fé mesmo.

    ResponderExcluir
  152. Hum... Em 89 já tinha alguns dias de vida. Mas tudo tem um ponto pé pra começar... Alívio Imediato começou a fazer parte da minha play list a partir de 2000 quando alguns discos de EngHaw de presente...é difícil dizer qual álbum, qual música que eu goste mais...mas posso dizer quando escuto Alívio Imediato, como o próprio nome remete, o alívio é imediato.

    na expectativa pro dia 11...obrigado mais uma vez HG

    ResponderExcluir
  153. Nossa!!
    Parando pra pensar...
    89 por esses e outros tantos motivos..
    é cheio de coincidências "estranhas"

    ResponderExcluir
  154. Fiz 6 anos em 1989!
    Vc confundiu a data da twitcam com o niver da Clara né? hehehe.

    ResponderExcluir
  155. Pra sempre Engenheiros do Hawaii, ouço todos os dias

    Texto 10



    @JacksAbreu

    ResponderExcluir
  156. Vi algumas pessoas solicitando ao HG, o vídeo deste show.
    No link abaixo, está a filmagem da primeira noite da gravação do disco.
    Esta filmagem foi realizado pelo Fã Clube Além dos Out-Doors, aqui do Rio de Janeiro, com autorização do próprio Humberto.
    Algumas músicas aparecem cortadas, pois quando os seguranças viam as câmeras, eles interrompiam a filmagem, e era necessário, mostrá-los a autorização por escrito, para continuar a gravação.

    Coloquem as caixas de som no volume máximo e aproveitem.
    Este show é maravilhoso.

    LINK: http://www.youtube.com/watch?v=H2lLuQw0KC0

    Todos os créditos para Egon Jr.Azmman. (Eguinho)

    ResponderExcluir
  157. Em 1989, eu tinha 15 pra 16 anos... Engenheiros ficou forte pra mim apenas a partir do "Revolta dos Dândis", LP (!) que eu tive que comprar num sebo, de segunda mão. Uma das minhas maiores referências numa época que estava começando a tocar os primeiros acordes ao violão.

    Já o LP (de novo, rs) "Alívio Imediato", eu consegui comprar novinho, novinho... ainda lembro do cheiro do plástico que o envolvia, quando abri... putz, aí deu pra sentir a força de um power trio contemporâneo, e brasileiro! Inclusive o show do "Alívio" foi o primeiro do Engenheiros que eu fui, em Brasília, no Ginásio Nilson Nelson.

    Hoje, junto com o mano "de fé" Nando Lima, que postou aí em cima (rs), toco na Várias Variáveis, com muito prazer, obrigado!

    "Heil, Gessinger"! ;-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bah 1: Esqueci de falar que eu era p... da vida com o "Alívio..." em um aspecto: no LP não tinha "Tribos e Tribunais"! Tinha um amigo que tinha a FITA K7 (!!!) e nela tinha, no LP não! :-)

      Bah 2: E quando eu consigo copiar "Tribos..." desse meu amigo pra uma fita minha, tu vem e "erra" uma das partes que eu mais gosto:

      "críticos de arte / arte pela arte / Pink Floyd sem Roger Waters"....

      HAHAHA! Mas, tudo bem... eu ia e colocava a do "Ouça o que eu digo..."! HA! :-)

      Excluir
  158. Data negativa nada... eu tinha 4 anos quando o disco foi gravado (quase 5 rs). Minhas primeiras lembranças são dessa época, foi quando eu entrei pra escola. Mas eu fui conhecer o disco mesmo só alguns anos depois, quando era adolescente.

    ResponderExcluir
  159. Oi Grande Humberto, tinha oito anos e ainda não conhecia os Engenheiros. Só no ano seguinte que uma propaganda na tv me chamou atenção do grupo (era a propagando do disco O papa é pop) e me apaixonei pela música "Era um garoto". Como era muito garoto, foi só uma paquera, continuei acompanhando música em geral até que em 95, então com 14 anos, A promessa me trouxe novamente ao mundo EngHaw e a partir daí não saí mais. Fui conhecer todos os discos e Alívio imediato foi o primeiro (comprei um vinil num sebo). Escutei milhares de vezes e, pra mim, nele tem a melhor versão de Infinita Highway. Nau a deriva é outra pérola. Grande abraço

    ResponderExcluir
  160. Eu Tinha 13 anos em 89!!! meu Deus, faz tempo !!! kkk Eng Haw nasceu para mim numa trilha de novela. Depois, meu irmão mais velho apareceu com um K7 de A revolta dos Dândis que eu adorava. Em 89, Alívio Imediato e Nau a Deriva tocava direto nas rádios. Consegui, primeiro, uma gravação em K7 do amigo-do-amigo e depois ganhei da minha mãe. O legal desse disco, sendo o primeiro ao vivo, é que dava pra eu imaginar como era um show dos engenheiros, já que minha mãe não me deixava ir pela idade...rsrsrs cantei muito com esse disco....
    Valeu Humberto!
    Ps.: estou adorando esse canal direto que o blog nos dá! Era tudo que a gente queria em 89! rsrsrs linha direta sem filtros de repórteres, programas editados de TV, etc...demais tb é conhecer a história de outros fãs...muito bom!

    ResponderExcluir
  161. Bah! "Alivio Imediato" foi meu 1 disco. Lembro que tinha uma fita k7 no começo dos anos 90 com várias musicas de bandas nacionais e entre elas estava algumas musicas ao vivo ( Toda Forma / Somos quem Podemos../Refrão de Bolero / Tribos & Tribunais e Infinita ) É até engraçado, pois eu achava que essas musicas eram do "Nenhum de Nós", por causa do refrão da musica Infinita : "...Estamos sós e NENHUM DE NÓS Sabe exatamente onde vai parar..." Sacou? Nas entrelinhas desta highaway pensava que era uma outra banda gaúcha...
    Lembro também que coloquei essa fitinha k7 voltando de viagem (Bagé - Rio de Janeiro) umas trocentas vezes e fui curtindo o som ainda mais. Chegando ao RJ ( 2 dias de viagem)com meus 12 anos precisava de $12 (doze cruzeiro - eu acho!) para comprar o Disco na Lojas Americanas e só que eu só tinha $4 restantes de minha mesada e ainda estávamos no começo o mês, + por uma força do destino,caminhando em meu condomínio achei $5 jogado ao chão...faltava muito pouco. Mais um amigo "metaleiro" disse que tinha o disco "Alivio Imediato" e que não era da banda "Nenhum de Nós" + sim da banda " Engenheiros do Hawaii " e que ele estava vendendo por $10 ofereci $9 e fechamos negócio.
    Não lembro a data certa, só sei que foi no começo de Janeiro 1990 comprei meu primeiro LP. Um disco ao vivo,com um mega show no qual fiquei alucinado pela sonoridade e a emoção que o disco/show passava pra mim.
    Foi ali onde tudo começou, fiz parte do F/C "Além dos Outdoors" crie o F/C " Clichês Inéditos & Déjà Vu, Nunca Vistos" fiz muita amizade,fui em muitos shows, fui um fã de uma banda a qual sempre senti orgulho, hoje tenho 33 anos sou pai de 2 " parabólicas " (Leticia & Larissa) toco violão pra elas, ainda escuto algumas raridades e a trilha sonora de minha vida foi musicada por 3 caras que como eu, que eram os Engenheiros e eu amava as suas canções.

    Paulo Junyor
    F/C Clichês Inéditos & Deja Vu, Nunca Vistos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Velho, tou lendo as histórias aqui e me emocionando... como se fossem minhas... não nos conhecemos, mas desejo felicidade a você e família... Abraço.

      Excluir
    2. Grande abraço para ti e toda sua família também.

      Abraços,

      Paulo Junyor

      F/C "Clichês Inéditos & Déjà Vu, Nunca Vistos"

      Excluir
  162. Rapazeada nova comentando aqui.....eu sou de 80...fui uns 04 shows do EngHaw...apertei a mão do HG na Feira do Livro de Criciúma em 2010 e peguei um autógrafo no "PraSerSincero123". Comecei namorar com 17 anos e minha namorada tinha 15...hoje tenho 32 e ela, agora como minha esposa tem 30 (óbvio)...nos conhecemos ouvindo EngHaw...e estamos até hoje....juntos e ouvindo.Valeu HG, até dia 11.
    Bah1985: Aqui em ksa a twitcam passa em um telão de projetor, com churrasco e convidados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk show de bola isso, rapá... parabéns por tua história e tua família...

      Excluir
    2. Que linda uma família com uam trilha sonora EngHaw, quero que a minha seja assim também!

      Excluir
  163. Olá HG,nasci junto com a banda em 85, em 89 eu tinha 3 para 4 anos, sou de Dezembro como você, (um mês romântico para se nascer, acho eu). Então como me considero sua fã desde sempre, eu já sentia
    o disco no meu coração. O Alívio Imediato é cheio de energia, muito bom, e o nome dele então cabe em muitas situações, como boa Joinvilense adoro chuva, então quase todo dia canto mentalmente essa música...
    Estarei dia 11 com minha camisetinha curtindo tua/nossa twtcam. (desculpa as viagens rsrs )
    Te Adoro.
    Tani kronbauer
    Joinville SC

    ResponderExcluir
  164. Acho que foi um dos discos que mais ouvi na adolescência... lembro também do meu "saudoso pai Eliude" me pedindo pra baixar um pouco o volume do som... rs... ele não curtia muito, mas sempre me deixava ouvir... meu pai era um sábio... Falow, Humba...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, esqueci de comentar um lance... 89 foi o ano em que fiz o meu 1º vestibular, no qual "tomei pau"... em 90, no 2º vestiba, lembro de, no ônibus que seguia até à UESC, local onde fiz a prova, estar cantarolando a canção "Alívio Imediato" e fazendo uma oração para que caísse trechos dela como opção da redação (dissertação obrigatória), assim eu acreditava que me sairia bem... acho q Deus estava comigo e o tema da redação foi sobre a queda do Muro de Berlim... rsrs... na verdade, eu só me dei conta de que, indiretamente, meu pedido tinha sido realizado quando soube que havia passado no vestibular semanas mais tarde... até hoje me emociono, ouvindo o CD... eu canto gritando ele.kkkk abraço.

      Excluir
  165. 89! Ano sensacional. Tinha 12 anos, meu pai tinha comprado uma Parati Plus 1.8 a Álcool (que carro!), o Vasco foi Campeão Brasileiro e dois anos antes, 87 e 88 (acreditem) havia sido campeão duas vezes consecutivas sob o Flamengo. Lembro muito da versão ao vivo de Infinita Highwai no Alivio Imediato. Foi um dos hits do verão, passados em Farol de São Thomé - RJ. Meu primo Guilherme, 4 anos mais velho, já tinha todos os discos dos Engenheiros. Ele me ensinou a ser um fã fiel até os dias de hoje. Ótimas lembranças!

    ResponderExcluir
  166. Tive conhecimento deste álbum - na vdd da versão ao vivo de infinita highway- 3 anos dpois. Ia participar de um festival c minha banda (tocando bateria) c alvorada voraz do rpm, mas ninguém queria cantar e jogaram p mim. Ensaiamos + ou - umas 2 semanas, tava legalzinho, mas não tava empolgando - pelo menos p mim. Faltando uns 4 dias p o festival resolvi comentar c a galera q achava q a música não estava c muita pegada e o pau comeu... Kkk. A contra gosto o guitarrista foi voto vencido pelo baixista e por mim, acabou indo p a bateria e eu p a guitarra e mudamos p infinita. Ah! O festival? Ganhamos... A contra gosto do guitarrista, então baterista... kkkk

    ResponderExcluir
  167. Fácil falar, fazer previsões, depois que aconteceu, mas esse com toda certeza está entre os melhores discos do EngHaw.
    Tinha 8 anos e conheci o disco mais tarde...o que me fez através dele buscar todos os outros da banda e também através dele, digamos que, me graduei como fã incondicional dos Engenheiros e do H.G. Como bem citou o EmersonRickenbacker/RJ é um disco ao vivo de verdade! Autêntico. Fantástico. Como Humberto e sua obra. Augustinho e Maltz também são parte desta obra-prima e saúdo-vos!!
    Uma foto da minha banda tocando no jantar do Consulado Gremista aqui em SSA. E o Alívio Imediato também estava lá com a gente! Na caixa, no setlist e no coração! : ) http://twitpic.com/6ijxhk

    ResponderExcluir
  168. Hááááaá, que saudade, tinha sete anos em 89, viajava na cabine de um MB 1113 de mudança de Porto Alegre para Criciúma, meu pai tentava achar a frequencia que transmitia na Highway o Jogo entre Gremio e Sport, fomos campeões e eu nem sabia.....

    O disco chegou pra mim mais tarde, 1993, foi o primeiro que conheci dos EngHaw, meu irmão mais velho trouxe um k7 da escola, eu nao consigo imaginar o quanto aquilo mudaria nossas vidas (sem papo de fã), nossas amizades, escolhas, até o lance de se tornar um pouco mais racional na adolescência, querer entender o que tava escrito fazia com que o horizonte ficasse menos fechado.

    Vlw Humberto, esse disco foi foda, pra mim então, muito foda...

    Tiago Jacoby

    ResponderExcluir
  169. nao posso dizer que sou o ultimo a deixar meu post aqui, mas posso te dizer que sempre ouço da minha esposa "" voce gosta mais do HG do que de mim"" sempre me dediquei a ouvir cantar ler e reler sobre os EngHaw PoucaVogal,mas no ambito de tudo HG o centro de tudo e todos.Li um dia que voce era um ""sobrevivente"" dos Engenheiros, nao concordei, os EngHaw é voce ,e é a lembrança dentro de cada um de nós dos que passaram pela banda.
    Em 89 eu tinha 7 anos e me lembro perfeitamente em 88 do single somos quem podemos ser 89 nau a deriva e 90 o papa é pop, foram musicas que arrebentaram nas radios francanas, e como nao lembrar, era novo? imagina minha garotinha tem 3 anos e canta depois da curva do PV, entao idade nao importa, importa é o que sentimos ao ouvir uma boa musica, abraços e viva o rei

    ResponderExcluir
  170. Eu sou de fevereiro de 2000, acredito que esta Twitcam seja pra mim...
    Tenho 12 anos, e acredito que ouço Engenheiros desde o primeiro ano de vida, o 10.000 destinos foi lançado, quando eu acabava de ter voltado pra São Paulo, voltei em março de 2000...
    Ah se eu tivesse tido idade pra ir a aquele show...

    ResponderExcluir
  171. O, na época, vinil “Alívio Imediato” talvez seja o disco que mais tenha importância pelo meu apreço ao seu trabalho. Porque foi a partir dele que comecei a conhecer melhor os Engenheiros. Eu ouvi o “Alívio”, pela primeira vez, na casa de um amigo. O disco era do irmão mais velho dele. E nós tínhamos 13 anos. Foi um impacto! Logo depois comprei um pra mim, e aí comecei a comprar gradativamente os anteriores. Em seguida os posteriores, logo que saíam. E toda minha paixão por música também tem toda influência disto. Naquela época comecei a tocar baixo. Aprendi ouvindo as músicas, tirava todas de todos os discos. O primeiro show de vocês que vi, foi da turnê de “O Papa é Pop”, em 14 de outubro de 1990 (Jundiaí). Há alguns anos te mandei algumas fotos que tirei nesse show. Mas, voltando ao “Alívio Imediato”, espero para ver essa twitcam! Abs...
    Marcelo Adolfo
    twitter: @MarceloAdolfo

    ResponderExcluir
  172. Tinha 14 anos em 1989 e já curtia enghaw desde 87 com “A Revolta dos Dândis”. Nunca me esqueço de uma tarde de novembro,neste mesmo ano. Não era a primeira vez que eu escutava o disco "Alívio Imediato", mas havia algo de diferente, um clima estranho de nostalgia de um futuro que ainda não havia chegado. Quando o bom e "novo" vinil tocou os primeiros acordes da versão ao vivo de “Infinita Highway”, eu fui inundado de uma paz estranha. Os dilemas da minha adolescência pareciam dilimir-se ante a música que escutava, a grama verde do jardim do apartamento e o escaltande sol do verão que se aproximava em Porto Alegre pareciam ter outros sabores. Os tempos difíceis que vivíamos, com todas aquelas mudanças (a queda do muro de Berlim, a ameaça da eleição do Collor,inflação, etc.) nos traziam um medo do futuro, cada vez mais impreciso. Mas também havia a esperança por novos tempos, por mais democracia e paz, e o "Alivio Imediato" que a música dos Engenheiros me trazia era como um retrato daqueles dias, me dando a força e a coragem de olhar para frente. Valeu Humberto, Engenheiros é a trilha sonora que escolhi e que me acompanha por toda a minha vida!

    ResponderExcluir
  173. Em 89 eu tinha 9 anos,Coritiba campeão Paranaense e Muro de Berlim caiu. Eh um dos disco que mais gosto,acho maximo o publico cantando junto! sabado estarei acompanhando!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  174. Marco AurélioFeb 9, 2012 03:05 PM
    Em 89 eu tinha 9 anos,Coritiba campeão Paranaense e Muro de Berlim caiu. Eh um dos disco que mais gosto,acho maximo o publico cantando junto! sabado estarei acompanhando!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  175. ... Tinha 10 anos e lembro de Ouvir "Infinita HighWay" quando um Onibus escolar foi buscara meu primo em casa... Ficava imaginando o que era a Infinita HighWay e sobretudo qual era a sua Lei... Estamos aqui hoje...e isto é tudo!
    O primeiro CD que fui comprar foi o "Alívio" (ja tinha todos os K7s até FGCA) mas cheguai na loja e não tinha mais... Levei o Papa pra casa(Rss), mas depois que comprei gastei tudo que podia de tanto ouví-lo.

    ResponderExcluir
  176. Tinha 1 ano em 89. Descobri o Engenheiros tinha uns 18. Saí a busca dos cds e o Alívio era um que não conseguia achar nas lojas do Rio. Criei maior expectativa em torno dele, as melhores canções tavam ali e a melhor das melhores (Alívio Imediato). Um dia achei o cd, Legal!? Decepcionei-me não gostei das versões e achei meio tedioso. Pra mim ficou a lição juntar tudo que a de melhor num cd só e como um time de futebol cheio de estrelas, muita ansiedade, muita briga.
    Contudo foi muito divertida a busca ao cd já quase extinto.

    ResponderExcluir
  177. Em 89 o teu Grêmio ganhou do meu Sport a Copa do Brasil. Dizem que o juizão ajudou, mas tinha apenas 2 anos na época, nem lembro. Minha memória disso é o Youtube.

    O Alívio Imediato eu tive contato quatro, cinco anos depois. Meu tio tinha o VINIL dele, que foi devidamente repassado (leia-se emprestado sem devolução! =D) ao meu irmão mais velho. Lembro que ficávamos eu e ele ouvindo, eu um moleque e ele adolescente, me influenciando no bom gosto musical. Tinha até um ritual de girar e pular no quintal na hora do solo de guitarra de Alívio Imediato.

    Bons tempos!!

    ResponderExcluir
  178. Em 89, aos oito anos de idade, quando comecei a ouvir a banda...por intermédio de meus irmãos mais velhos

    ResponderExcluir
  179. 89 foi um ano fdp prá mim... tinha 14 anos(a idade por si já é um porre...porre não, ressaca!)e precisei encarar uma mudança de cidade... fui morar em itu, cidade que poderia nem existir, ainda hoje. Me restava ouvir Engenheiros e acreditar que não estava sozinha no mundo...que o Humberto não só me entendia, como também passava pelo que eu passava...rs Engraçado pensarmos no quanto estamos ligados à sons, cheiros, sensações...prá mim, muito mais que a imagem. O disco anterior a este ano(1888, Ouça o que eu digo...)foi a trilha sonora daquele ano... passei muitas tardes e noites deitada no chão da sala, lendo a capa do disco...decorando letras e fazendo amizade com o Humberto....rs Ano difícil 1989. E olhando a sua lista ali em cima, percebo que não foi para mim não... Tá vendo? Você me entende...certeza, só pode ser isso.

    ResponderExcluir
  180. Eu tinha apenas 4 meses de idade na gravação do Alivio Imediato..mas 13 anos depois quando descobri o Engenheiros do Hawwai com o lançamento da época do Surfando Karmas & DNA se eu nao me engano...e dai por diante nao larguei mais vcs,,,só fui atras de cds...discos..e tudo mais, inclusive o Alivio imediato foi um dos mais difíceis de se encontrar aqui no Paraná.Até que consegui em Maringá..quando fiz uma viagem pra la...e desde então virou meu xodózinho..hehehe

    ResponderExcluir