P(*)EMAS C(*)M N(*)TAS DE R(*)DAPÉ - 6


se os romanos te tiram pra Cristo
e os cristãos te chamam Satã
se te dizem que foi ontem
ou mandam voltar amanhã

se colorados te acham gremista
e gremistas te acham pé-frio
se te deixam fora da lista
gregos, troianos, judeus e gentios

se, no fim das contas,
chegas à triste conclusão
de que "não tem jeito,
todos eles têm razão"

relax...
respira fundo...
mesmo que o som do telefone
pareça o fim do mundo

embaixo da cama, atrás da porta
vindo na tua direção
pode não ser uma jibóia
pode ser paranóia, meu irmão
...
por todos os lados
o mesmo inimigo
o fogo cruzado
é fogo amigo


(*) Perfume, tempero e afeto: ao mesmo tempo que satisfazem, anestesiam. Quanto mais se têm, mais se quer. Quem usa muito sal ou Chanel acaba se acostumando. Precisa de mais para sentir o mesmo.

Gosto do cheiro das coisas, mas não dou a mínima pros perfumes que vêm em vidros, sprays, chicletes e fraldas descartáveis. Desconfio daqueles anunciados por mulheres maravilhosas e homens sem camisa. Sou cego e surdo aos apelos das embalagens (que a gente nunca deve ver da forma mais óbvia) e dos nomes (que a gente nunca deve dizer da forma mais óbvia). Frascos de perfume me parecem objetos tão tristes quanto um buquê de flores. Tentativas infantis de resumir tudo de bom que a natureza têm. Sem espinhos, sem o trabalho de preparar a terra, regar. Tristes rosas vermelhas morrendo. Sufocadas pelo celofane.

Temperos também não fazem minha cabeça. Minha especialidade culinária é miojo. No vacilo, sempre deixo a embalagem do tempero cair na água quente. Pra não dar o braço a torcer, finjo que não foi nada e resgato o náufrago sachê do oceano escaldante com a ponta dos dedos. Um pouco por preguiça de pegar a ferramenta apropriada, um pouco para me punir pelo vacilo recorrente. Depois, como o miojo sem tempero. Por preguiça, pra me punir e porque, pra mim, tanto faz.

Mas e o afeto? Ah, o afeto... Deste eu gosto! Apesar de meu cérebro mandar frequentes mensagens sinalizando que está tudo bem, que o número de pessoas que gostam de mim é maior do que mereço, sempre me parece pequena a quantidade de afeto que gerei. Fico olhando os caras que sabem sorrir na hora certa, abraçar do jeito certo, dizer o que todos esperam ouvir e... putz, este bleeding heart gostaria de fazer miojo sem se queimar. Ao menos uma vez. Falta sabedoria.

Afinal, como se mede afeto? Como sair desta sinuca de bico? Pintei o chão da sala e fiquei preso no canto?Como se mede o afeto, os cheiros e os temperos?



POR ACASO, SOU EU?
a sombra
uma projeção
eclipse
na palma da mão



JULIA DREAM (R.Waters) ouvida em quartos de hotel:
sunlight bright upon my pillow
lighter than an eiderdown
(a luz do sol ilumina meu travesseiro
mais leve do que um edredom)



(*) PIADA PAMPEANA EM TEMPOS DE COP'AMÉRICA: por conta da rivalidade fronteiriça, um padre gaúcho sempre falava mal dos castelhanos no sermão. Repreendido pelos superiores, ele prometeu não citar mais los hermanos. No domingo seguinte, o pároco pregou assim:
- Jesus disse aos seus discípulos: "Amanhã, um dentre vós me trairá". E Judas perguntou: "?Acaso soy yo, Maestro?".
19jul2011

4 comentários:

  1. "Afinal, como se mede afeto? Como sair desta sinuca de bico? Pintei o chão da sala e fiquei preso no canto?Como se mede o afeto, os cheiros e os temperos?"
    Rá, adorei!
    Vou postar no meu face, indicando a autoria é claro!
    ;D

    ResponderExcluir
  2. Peraí, HG! Até pra comer miojo tu é poser?

    ResponderExcluir
  3. Adorei essa sua visão de buquês. Eu que sou mulher nunca vi graça em rosas sofisticadas e bem cuidadas em um ramo enfeitado.
    É como se diz: uma rosa roubada é melhor que uma comprada, uma coisa menos artificial e genérica, acaba sendo até mesmo mais romântico.

    ResponderExcluir
  4. Hummmm... texto com gostinho de quero mais!!!

    E quando é a hora certa de sorrir? O melhor abraço não tem forma... falar o que as pessoas querem ouvir é na maioria das vezes não falar o que precisa ser dito...

    Amei o "contraponto" do texto com as imagens.

    Um forte abraço,

    Anacléia

    ResponderExcluir